Resultado do inquérito

0

Já há uma expectativa em torno do parecer do corregedor da Polícia Civil, Inácio Abelardo, no inquérito que apurou a fuga de Floro Calheiros, da 1ª Delegacia Metropolitana. Ontem, um policial influente garantiu que não vai dar em nada. Certamente os soldados que estavam no local, a delegada Meire Mansueto e, talvez, a outra policial que tinha as chaves das celas e cedeu um colete a provas de balas para o fugitivo serão citados como envolvidos e podem responder processo. Vai isentar de qualquer culpa o restante, denunciado em entrevistas publicadas nos jornais e até mesmo no depoimento prestado pela delegada à Polícia Federal. O mais estranho nisso tudo é que não foi aberto inquérito administrativo para apurar responsabilidades e, certamente, ninguém deixará a Secretaria de Segurança em razão da fuga de Floro Calheiros. As apostas estão rolando e o maior índice de opções apontam para uma festa regada a pizza. Mas, não é isso que se fala na cúpula policial… Não se têm notícias de buscas ao fugitivo Floro Calheiros, mas se tem absoluta certeza que ele mantém pessoas com boa penetração nos porões do sistema de segurança, capazes de informa-lo, imediatamente, de qualquer estratégia que seja traçada para tentar apanha-lo. A Polícia Federal está em stand by. O juiz federal Wladimir Carvalho deu parecer contrário ao pedido do procurado de justiça federal Paulo Fontes, para que o caso da fuga de Floro passasse a ser de competência da Polícia Federal, tendo como argumento o fato de que ele estava preso por acusação de ter participado do roubo de urnas em Canindé do São Francisco, durante as eleições de 2000. Fontes não se conformou e está apelando para o Tribunal Regional Federal, sediado em Recife, na tentativa de colocar a Polícia Federal no caso. Também ontem, um membro da Polícia Federal comentou que considera tarde para a instituição entrar no processo, mesmo que seja de interesse do Ministério Público: “nós acataremos a determinação, mas a esta altura fica muito complicado para retomar todo o inquérito. A impressão que se tem é de abandono. Floro Calheiros deixou uma marca profunda na Segurança Pública do Estado, mesmo que o secretário da Pasta, Luiz Mendonça, tenha se arvorado, em entrevista nas rádios, de ter enviado dezenas de marginais para a penitenciária, ou para as celas das delegacias, admitindo que há necessidade de se construir mais presídios em Sergipe. Na realidade o Estado necessita de um trabalho social mais amplo, exatamente para evitar que a cada dia aumente mais o número de marginais nas ruas e prisões, porque esse pessoal é vítima de um sistema social ingrato, que privilegia uma elite que, em sua maioria, está por trás do crime organizado, tendo o país refém de personalidades consideradas insuspeitas, mas que sempre se utilizaram da bandidagem para manter sua posição social. Não adianta orgulhar-se de prender ladrões de galinha, quando nas celas está faltando exatamente quem banca o contrabando, o trafico de drogas, a corrupção, a sonegação e golpeia criminosamente o erário público. Faltam na cadeia, por exemplo, os assassinos de Carlos Gato, do agiota Motinha. Também não se vê os fugitivos Antônio Francisco e, principalmente, Floro Calheiros, que deixou a delegacia como qualquer garoto sai da escola acompanhado da mãe. Um levantamento feito pela Secretaria de Justiça desaconselha essa onda de prisões que inunda as delegacias e penitenciárias. O secretário Manuel Cacho, por exemplo, calcula que um sujeito na prisão, às vezes porque roubou alguma coisa no valor de R$ 40,00, custará aos cofres públicos 40 mil reais por ano. Defende sempre penas alternativas ou alguma forma de evitar tantos gastos ao Estado. As pessoas que são jogadas nas delegacias e transferidas para a penitenciária, por crimes menores, principalmente se for praticado pela primeira vez, devem ter uma nova oportunidade, inclusive evitando a ficha policial, para que o sujeito não se profissionalize no crime, cursando a universidade dos presídios. Não se pode oferecer medalhas a quem prende indiscriminadamente, mas a quem ajuda a evitar que jovens caiam na marginalidade. A Justiça também se faz com oportunidades, amenizando rigores da lei e trabalhando voltada para a recuperação definitiva do cidadão que optou pelo tortuoso caminho do crime. Só assim é que se chegará a um país sem violência e com dignidade social. Afinal, a maioria dos presos é formada por pobres e negros. Quem veste paletó e gravata, e comanda o crime de gabinetes portentosos dos podres poderes, são tratados como cidadãos acima de qualquer suspeita e merecem as honrarias de uma elite fétida. AUMENTO Setores da Fazenda esclareceram, ontem, que não estão saindo dos cofres do Estado os recursos para aumento dos servidores do Judiciário e Tribunal de Contas. Os dois estão concedendo aumento aos seus funcionários, com os duodécimos que lhes são repassados obrigatoriamente pelo Estado. INTERPRETAÇÃO As mesmas fontes explicaram que não houve gasto do Governo para que esses aumentos fossem concedidos aos servidores de outros poderes. O Judiciário está dando melhoria salarial aos seus funcionários, exatamente dentro do orçamento que recebe mensalmente. SOLIDARIEDADE O governador João Alves Filho recebeu, ontem, às 18 horas, empresários e comerciantes, para reunião na Secretaria da Indústria e Comércio. Solidarizaram-se com o governador pela sua luta em defesa das mudanças na reforma Tributária, sugerida pelo Governo Federal. PRIMEIRO O governador João Alves Filho foi o primeiro a se manifestar contra a reforma Tributária, quando ela ainda estava em projeto a ser enviado à Câmara. Hoje pela manhã, o governador João Alves Filho viaja a Brasília, para continuar mantendo contatos com senadores, para tentar mudar o texto da reforma aprovada na Câmara. PREOCUPA Alguns prefeitos estariam torcendo para que não fosse instalada a CPI que vai apurar irregularidades com recursos do Fundef em vários municípios. A instalação da Comissão Parlamentar de Inquérito ainda está sendo discutida entre os deputados. O lobby dos prefeitos é forte. DESCOBRE Uma CPI para apurar os gastos do Fundef vai descobrir muita coisa, principalmente a utilização de forma irregular. Entretanto, alguns prefeitos tiveram que usar o Fundef para efetuar pagamento de salários dos servidores em atraso. OPOSIÇÃO O impasse na Assembléia Legislativa é porque a bancada do Governo não está indicando os membros da CPI, para apurar o uso de recursos do Fundef. O deputado Belivaldo Chagas (PSB) acha que o Governo só não indica os membros da CPI da Fundef, porque o projeto é de uma deputada da oposição (Ana Lúcia PT). TELEMAR Belivaldo Chagas acha essa posição prejudicial à Assembléia, porque a oposição indicou seus membros para a CPI da Telemar, sugerida por um deputado da situação. O deputado disse que a oposição pretende fazer um movimento para também retirar os membros que indicou para a CPI da Telemar. ADELSON O deputado estadual Adelson Barreto (PTB) entende que o partido deve ter candidato majoritário ou participar de uma coligação majoritária em Aracaju, Barra dos Coqueiros e Socorro. Adelson tem dito que só será candidato em Socorro se for de consenso: “não quero ser candidato para concorrer com os aliados”. CREDENCIADO O deputado Adelson Barreto entende que está credenciado para disputar a Prefeitura do Socorro, “mas depende da decisão de meu grupo político”, disse. Adelson assegurou que foi para o PTB para somar e não dividir, portanto, apoiará quem for o indicado pela coligação, caso seu nome não seja consolidado. DECISÃO O juiz federal Wlademir Carvalho decidiu que as diligências ao fugitivo Floro Calheiros é de competência da Polícia Civil. Com isso, mesmo respondendo a processo na área federal, a Polícia Federal está ausente das buscas ao foragido da 1ª Delegacia. RECORRE O procurador da Justiça Federal, Paulo Fontes, recorreu da sentença do juiz, junto ao Tribunal Regional Federal, em Recife. Paulo Fontes defende que a Polícia Federal reinicie as diligências para prender o fugitivo Floro Calheiros. BENEDITO O deputado Belivaldo Chagas (PSB) acha que a aprovação do projeto para que os ex-vice-governadores participem dos Conselhos Deliberativos só beneficia Benedito Figueiredo. Diz que José Carlos Teixeira, que também é ex-vice, está ocupando uma Secretaria, e José Carlos Machado exercer mandato parlamentar. Notas TRANSPOSIÇÃO O vice-presidente da República, José Alencar (PL), disse, ontem, que a resistência de alguns Estados, principalmente a Bahia, contra a transposição do rio São Francisco, estão com os dias contados. Para ele há vantagens para que se declaram contra a transposição, embora não as relacionasse. Alencar disse que está fazendo essas visitas para conquistar a confiança dos Estados doadores das águas, como Minas Gerais, Bahia, Sergipe, Alagoas e Pernambuco: A intenção é recebermos logo os aplausos políticos”. CONDENAÇÃO O Tribunal de Contas da União (TCU) condenou o ex-prefeito de Itabaiana (SE) condenou o ex-prefeito de Itabaiana, João de Zé de Dona, e a ex-secretária de Educação do município, Alda Maria, a pagarem juntos R$ 96,1 mil, para os cofres públicos da cidade, repassados pela extinta Fundação de Assistência ao Estudante (FAE). Os dois também foram condenados a ressarcir o município em 560,1 mil, junto com a empresa Universal Comércio e Distribuição Ltda. Os três condenados têm 15 dias para efetuarem o pagamento ao cofres do FAE, mas podem recorrer. CONCLUSÃO O TCU também chegou à conclusão que a Universal Comercio recebeu duas vezes por um mesmo grupo de produtos, mediante a analise das notas fiscais. A ex-secretária atestou falsamente o recebimento das mercadorias, mas o Tribunal comprovou que um escola recebeu duas vezes o mesmo recurso. O ex-prefeito João de Zé de Dona alegou que as escolas receberam a merenda escolar e lembrou que não era de sua responsabilidade a fiscalização do fornecedor. As notas fiscais dos produtos não eram registradas no livro de saída de mercadorias. É fogo O governador João Alves Filho viajou a Brasília para reiniciar os contatos sobre a reforma Tributária, que está no Congresso Nacional. No primeiro trimestre do próximo ano o governador João Alves Filho fará uma reforma substancial em seu secretariado. O diretor de um importante órgão do Governo está por um fio. Mesmo assim, muita gente com navalhas afiadas para cortá-lo. A bancada sergipana está começando a se reunir para traçar metas na direção das emendas orçamentárias individuais e coletivas. O ex-prefeito de Lagarto, Jerônimo Reis (PTB), aconselha que os presidentes de associações trabalhem junto a bancada federal para conseguir emendas para as regiões. O deputado federal José Carlos Machado pode ser o líder da bancada nas emendas orçamentárias. Está se aproximando o dia 25 de outubro. Data em que o deputado federal João Fontes poderá ser expulso do Partido dos Trabalhadores. Os integrantes do PTN, em Sergipe, falaram sobre o presidente do partido, José Carlos Martinez, morto em acidente de avião. José Carlos Martinez pretendia, durante o próximo recesso, vir a Sergipe de moto. A morte lhe tirou esse prazer. O banco do Brasil vai oferecer aos seus clientes empréstimos com descontos automáticos em folha de pagamento, com prazo de 2 a 48 meses e uma taxa de juros que varia de 2% a 4%. Qualquer cliente do Banco do Brasil, inclusive aqueles que não recebem salário pelo banco, pode solicitar o crédito. Está na hora de alguns políticos começarem a se movimentar em torno da refinaria de petróleo para Sergipe. A Petrobrás, através do seu presidente, José Eduardo Dutra, já está anunciando os estudos técnicos para instalação da refinaria. Por Diógenes Brayner brayner@infonet.com.br

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais