Retomar as rédeas da SSP

0

  Nos últimos dias foram expostas as vísceras da SSP com dois problemas distintos. O primeiro é as divergência de boa parte dos delegados com algumas medidas adotadas de contenção de despesas. Nada que não possa ser resolvido com um diálogo franco e aberto. Por exemplo, no caso da plotagem dos veículos da polícia não existe nada de anormal. Pode até alguns poucos carros – em casos isolados – ficarem sem a plotagem, mas a grande maioria precisa sim participar deste gesto de moralização que não é uma atitude isolada da cúpula da SSP, mas uma determinação do governador do Estado. São várias as denúncias de abuso do uso de veículos, principalmente para fora do Estado.

   A redução de gastos é qualquer governo é salutar, desde que não emperre a máquina em pontos estratégicos. Se as cotas de celulares e de combustíveis estão poucas através do diálogo estes problemas podem ser resolvidos. Que o trabalho de todos que fazem a SSP deve ser valorizado isso ninguém tem dúvidas, mas as criticas quando são feitas de maneira genérica sem uma linha definida tende a cair no desprezo. Da nota do Sindicato o mais importante foi a necessidade de convocação dos escrivães e da capacitação melhor do agente de polícia através da exigência do nível superior. Essas duas medidas tendem a melhorar significativamente o trabalho da SSP.

  Porém, o problema crucial que foi exposto abertamente é que existe algo de errado na cúpula da SSP, mais de perto entre o secretário Kércio Pinto e o superintendente, Paulo Márcio. O mais interessante é que os dois foram escolha pessoal do governador Marcelo Déda. É um momento difícil e delicado onde apenas o governador terá que tomar uma posição firme para retomar as rédeas da SSP. Pelo discurso que fez, durante a solenidade no bairro Santa Maria, ontem, 24, o governador tentou assumir o controle da situação sem a necessidade de demissões, mas o clima não melhorou internamente na cúpula da SSP.

   O governador Marcelo Déda ao escolher Kércio Pinto e Paulo Márcio colocou em primeiro lugar a necessidade técnica.  Enquanto Kércio Pinto tem uma experiência de mais de 30 anos na Polícia Federal, Paulo Márcio é um estudioso no assunto, mas sem uma experiência prática à frente da segurança pública. No caso dos delegados é um problema eterno. Existem facções dentro da polícia civil, que há vários governos se revezam no comando e, quando estão fora tentam atrapalhar o trabalho do titular. Pelo discurso do governador no bairro Santa Maria ele tentará uma conciliação urgente, mas as vísceras foram expostas e as vezes o único remédio e extirpar o órgão mais fraco. Pode ter a certeza, caro leitor, o governador vai lutar até o último momento para que os dois indicados por ele, Kércio Pinto e Paulo Márcio, cheguem a um denominador comum, mas a divisão entre os delegados foi acirrada nos últimos dias. Se não conseguir que a cúpula da SSP fale a mesma língua, está claro que o governador já fez a sua opção e terá que tomar as rédeas da SSP mudando alguns nomes. Era tudo que Marcelo Déda não desejava neste momento, onde está começando a viabilizar o projeto que pretende implantar na SSP através da liberação de recursos federais.

 

 

 

Flávio tenta salvar a “pele” fazendo ameaças

Desde a semana passada o conselheiro afastado do TC vem publicando notas em uma coluna local mandando recados para algumas autoridades que podem ter alguma ligação com os escândalos da Operação Navalha. Na última quinta-feira, 22, o botafoguense  Flávio Conceição jantava na Cantina de Itália, com um colunista do jornal do outro envolvido – o empresário José Alves Neto – passando as orientações necessárias. Dois amigos, que estavam no local no momento ficaram espantados e acham que Flávio Conceição tem certeza que sairá ileso porque vem fazendo ameaças de todos os tipos. É mole?

 

 

Deu no boletim do Sindisan: Água sem pagar

Duas notas do boletim do Sindisan: “Água sem pagar I – Até hoje a fazenda União, rua Adutora, s/n, em Porto da serão pagos em janeiro do Folha, com matrícula 3620875, do irmão do ex-governador do Estado continua sem pagar o débito das contas de água que foram negociadas. Mais não pagas! Em 28/04/2005 o valor era de R$ 42.111,69, corrigido é R$ 43.405,37. Hoje é R$ 59.280,01. Esperamos que as devidas providências sejam tomadas. Será que a fazenda está mesmo sem água! Água sem pagar II – A fazenda Ana Alinne em Canindé do São Francisco que foi do ex-prefeito também está em débito. Matrícula: 181373-0 2006, com um débito de R$ 56.068,77. 2007. Será que permanece com água?”.

 

Leitor denuncia uso dos veículos

Através de e-mail um leitor informou que esta semana, em um só dia, no restaurante João do Alho, na Avenida Beira Mar quatro carros oficiais estavam estacionados esperando seus titulares. Segundo o leitor dos quatro,  três  eram astras com placas oficiais. Já na quinta-feira feira, 23, á noite, precisamente às 19h, o leitor denunciou que um Honda civic preto do poder judiciário esperava um filho e a nora de uma autoridade que chegavam da Europa. Segundo o leitor o que impressionou é que o veiculo não precisava estar no local já que para transportar as malas foram usados uma caminhonete e mais dois carros de passeio.

 

Apoio aos agricultores

Em discurso na Câmara dos Deputados, Valadares Filho (PSB) destacou a importância da aprovação do projeto que renegocia a divida dos pequenos e médios agricultores rurais. Dos 48 mil que contraíram operações de crédito apenas 10% dos agricultores inadimplentes procuravam os bancos. Com a negociação, Valadares entende que além de possibilitar um maior prazo, os agricultores serão beneficiados com a redução dos juros, já que a taxa Selic tem caído gradativamente.

 

Análise sobre TC como órgão auxiliar I

De um técnico do TC, leitor da coluna: “Considero o senhor um jornalista acima da média aqui no nosso estado, tanto em termos do bom exercício jornalístico, como também pela cultura geral demonstrada quando da análise de diversos assuntos. Entretanto, na coluna de hoje o senhor voltou a citar o Tribunal de Contas como órgão auxiliar da Assembléia. Tal afirmação não está a altura das suas qualidades acima relatadas. Continuando com esse pensamento, o senhor estará ao lado de alguns pseudojornalistas do nosso estado, que, infelizmente, são desprovidos de uma cultura mais acurada e de um senso crítico elogiável. Em nenhum dispositivo legal ou constitucional os Tribunais de Contas são citados como auxiliar do Poder Legislativo. A constituição cita a palavra auxílio exclusivamente para algumas questões”.

 

Análise sobre TC como órgão auxiliar II

Continua o técnico: “Entretanto, a palavra auxílio é muito diferente de órgão auxiliar. O sentido dado à palavra na Constituição é de cooperação, ajuda técnica, não subordinação.Para melhor esclarecer, gostaria que o senhor lesse o artigo em anexo, de minha autoria, publicado na Revista JAM Jurídica de Salvador, Ano XII, março de 2007, acerca do tema, tendo, inclusive, citações de alguns juristas, a exemplo do ilustre ministro sergipano Carlos Britto.Na certeza de que esta mensagem será entendida como apenas uma contribuição ao seu excelente trabalho desempenhado na imprensa sergipana, agradeço a atenção, ao tempo que solicito a não divulgação da mesma, pois o caráter foi somente de esclarecimento.Concluo, afirmando que também não é intenção desta a descaracterização de suas análises a respeito do TCE/SE, pois elas são coerentes com o difícil momento por que passa a instituição, infelizmente”.

 

Questionamentos sobre contas de Pirambu

De um outro leitor: “Você tem razão quanto à credibilidade do TC, nesse caso das contas do ex-secretário municipal, Rogério Carvalho. Principalmente, quando o relator foi o Conselheiro Reynaldo Moura, cujo filho, André Moura, anda às voltas em tribunais por conta do mandato parlamentar “conquistado” nas últimas eleições e de sua forte influência na administração do ex-prefeito Juarez Batista, em Pirambu. André Moura, pelo que já foi divulgado, fartamente, era o verdadeiro Cardeal Richelieu, primeiro-ministro francês, no Século XVII, senhor absoluto naquele País. A propósito, como foram analisadas e se foram, e por quem, as contas dos dois mandatos de André Moura, à frente da Prefeitura de Pirambu? Que resposta o TC pode oferecer a sociedade? Que não pairem dúvidas, afinal, como dizia Montesquieu: “não se constrói uma sociedade baseada na virtude dos homens, mas na solidez das instituições.” Pois bem, espera-se do TC, os dois: Virtude dos conselheiros e solidez da Instituição. Que seus membros revitalizem-na, já. Dêem um choque de moralidade; um choque de distância política; um choque de excelência. A sociedade confia em seus técnicos, mas desconfia, infelizmente, de seus conselheiros”.

 

 

Medidas corretas na Esporte e Lazer I

A coluna recebeu a informação da Secretaria de Esporte e Lazer, que o secretário Leó Filho, já tomou as providencias necessárias para que os veículos pernoitassem na SEEL, a fim de evitar abusos e nos seus deslocamentos, seja informado, quem os ocupa e a missão que os ocupantes desempenharão, bem como, a quilometragem desenvolvida no percurso e destino dos carros. È dinheiro do povo que está sendo usado, portanto, qualquer pessoa do povo deve e tem o direito de fiscalizar, mais ainda, quem tem a missão de informar.

 

Medidas corretas na Esporte e Lazer II

Quanto ao Batistão, a informação é que tanto o placar, carro e buricas a manutenção era por conta do Banese. A assessoria informou que a Seel entrou em contato com o pessoal do Banco e as primeiras providencias já estão sendo tomadas, O gramado precisa de uma retirada total e o Estado fará no final do ano para não prejudicar o andamentos das competições. Foi determinado também a pintura das arquibancadas, porém, depende do processo licitatório, em andamento. Já a denúncia sobre os cambistas é caso de polícia. No caso de Sergipe o s estádios  que estão administrados pelo Estado, nos dias de jogos oficiais são cedidos a Federação Sergipana de Futebol que tem a responsabilidade das bilheterias, portaria, (com todo o pessoal) impressão e venda de ingressos, controle da arrecadação, ficando o Estado com um percentual que é depositado pela FSF, no Banese.

 

Medidas corretas na Esporte e Lazer III

A assessoria passou também o resumo das ações realizadas até o momento na Seel:Número de eventos esportivos realizados e apoiados: 52; Modalidades envolvidas: 26;          Participantes: aproximadamente, 4.500 atletas; atletas que se deslocaram para outros estados representando Sergipe: 900; Cursos, clinicas, seminários etc : 16; Federações que receberam apoio da SEEL: 26; Municípios que receberam ações da SEEL: 52; Associações e Clubes que receberam apoio da SEEL: 36; Para setembro e outubro: Jogos Abertos do Interior, com dez modalidades; Desafio Sergipe x Alagoas ( handebol, futsal, vôlei e basquete, no masculino e

Feminino; Desafio Sergipe x Bahia ( as mesmas modalidades do de Alagoas ); Festival de Esportes para criança; Esporte Cidadania – handebol, basquete, futsal e basquete; Circuito Quarentão de futebol – envolvendo 40 cidades e  Festival de Futebol feminino com 30 cidades do interior e capital.

 

 

Contrato da Bom Pastor com SMS

A coluna recebeu a seguinte informação sobre uma nota publicada nesta coluna sobre a Associação Bom Pastor e a falta de reajuste salarial: “ O contrato com a Associação Bom Pastor e a Secretaria Municipal de Saúde, existe desde 1998, antes para viabilizar agentes de saúde e de endemias, hoje também para administrativos e técnicos de informática. Estas duas ultimas categorias, ganham acima de salário mínimo, com todos os direitos que a CLT determina, pagos pela Associação, a qual a SMS contrata e repassa o acordado. A ultima edição desses contratos aconteceu em final de 2005, onde o quantitativo de pessoas foi ampliado. Nos editais seguintes, diante das dificuldades financeiras existentes, considerando que construir, implantar é até possível em grande escala, como aconteceu, porém manter todos os equipamentos funcionando bem, pois se fossem ruins, os Hospitais municipais não atenderiam em torno de 600 pessoas dia. Neste cenário, o que é melhor; diminuir o quantitativo, aumentando os salários e dificultando o atendimento? Ou mantê-los com o mesmo salário, sem aumentar a estatística de desempregados e ir tocando os serviços? A Secretaria em 2006 optou pela segunda alternativa. Quanto à insalubridade, os agentes recebem, mas os administrativos não fazem jus, alem de serem contratos pela CLT, 44 horas/semanais, e só trabalharem 40 horas”.

 

          

Caos na segurança pública em Riachão I

Trecho da ata da 802º sessão ordinária da Câmara Municipal de Riachão do Dantas, realizada no dia 15 de agosto de 2007: …Usou a tribuna da Casa o vereador Edvaldo Medeiro, que depois de saudar a todos, logo falou que a Segurança dentro do município está um caos. Disse, como Presidente da casa, que teve a preocupação de trazer, no ultimo dia 12 de junho, o Secretário de Segurança do Estado, Dr. Kércio Pinto, para que ele e o Comandante Geral da PM, José Péricles assistissem de perto as dificuldades que a população municipal vem sofrendo. Ressalta o vereador que, na oportunidade, o secretário, categoricamente, falou que estaria aumentando o efetivo policial do nosso município, na mais brevidade possível. No entanto, isso não está acontecendo e a população está sofrendo com a marginalização que se instalou no município. São furtos de motos e carros à luz do dia; invasão de casas nos povoados e na sede; assaltos, mortes e dentro outros fatos. Na integra o vereador falou ainda:“Governador… Secretário de segurança Publica … cumpram com o que os senhores prometeram. Não deixem os nossos cidadãos mais temerosos. Usem dos seus poderes para tentar atenuar esse estado de intranqüilidade da nossa população…”

 

Caos na segurança pública em Riachão II

Ainda nesta sessão, o vereador José Nildes pediu um aparte e disse: “vereador nós também do povoado Palmares estamos sofrendo com a falta de policiamento. Para o senhor ter uma idéia, recentemente em uma festa, os ânimos dos jovens, após ingerirem bebidas alcoólicas exageradamente, alteram-se e vieram a brigar. Eu, rapidamente, contatei à delegacia e fui informado por um dos policiais de que só estavam em serviço, 02 policiais no município: 01 que fazia plantão e outro que estava fazendo ronda pelos povoados. Sem ter muito a fazer, tive que entrar em luta corporal com os jovens mais exaltados para tentar amenizar a situação. É justo isso, vereadores? Riachão está sofrendo… nós do palmares e regiões vizinhas não contamos com nenhum policial para fazer a segurança, mesmo tendo uma população de quase mil habitantes… Enquanto o estado se omite, a população, insatisfeita, transfere todo culpa para nós vereadores, mesmo sabendo que também somos vítimas do caos na segurança publica que se instalou por todo estado…”…”…vai ter uma tragédia no municÍpio e eu não tenho dúvida”, disse o vereador José Nildes.  

 

Adesivos Leitor Vip

Chegaram mais adesivos para carros “Leitor Vip”. O adesivo é pequeno, tem letras brancas, o fundo transparente e é para ser colocado na parte externa do vidro do veículo. Obrigado aos leitores que já solicitaram os adesivos pela confiança na coluna. O leitor que desejar receber em casa é só enviar o endereço para o e-mail: claudionunes@infonet.com.br

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Frase do Dia

“Toda vez que se deseja impor idéias pela força e transformar o povo em escravo, fecha-se o legislativo e censura-se a imprensa”. Marcos Vieira.

 

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais