Revista Somese: Publicação que faz históra

0

     A Sociedade Médica de Sergipe, entidade médica mais antiga do estado em funcionamento, está colocando à disposição dos seus associados e interessados, a nova edição de sua revista bimensal.  É a Revista Somese, que tenho o privilégio de editar desde a sua primeira edição. Essa edição, a 132, por exemplo, chega repleta de informações variadas,  umas boas, outras, nem tanto.
      Pra começar, publica uma síntese do estudo "Demografia  Médica", divulgado pelo Conselho Federal de Medicina, que teve grande repercussão na mídia nacional, onde mostra  a real situação dos médicos no Brasil e desmente o que o governo propala, a de que faltam médicos no país. Nessa edição apresentamos inclusive uma manifestação exclusiva do presidente do Cremese José Júlio Seabra Santos, alusiva ao tema.
     Como todos podem  perceber, a história é outra. A importação de médicos estrangeiros e o subsidio do governo a planos privados de saúde motivou  a divulgação, pelo CFM de um manifesto, denunciando essas posturas que afrontam o SUS.É preciso que a imprensa reflita sobre o tema para fazer um juízo mais adequado da situação.
   A revista também noticia a morte de Lourival Baptista, ex-governador de Sergipe e que nos primeiros anos de exercício profissional dedicou-se à prática médica na cidade de São Cristóvão,  mas que a política o arrebatou para outras missões: prefeito, deputado estadual, deputado federal, senador, governador. Uma carreira política expressiva, um marco na história de Sergipe. O que pouca gente sabe é que Lourival frequentava a Somese, chegando a doar um terreno para propiciar a construção da nossa sede social, exatamente no local onde existe hoje e foi membro fundador e honorário da Comissão anti-tabágica da Somese. Era sócio honorário da Academia Sergipana de Medicina.
    Quase em primeira mão, revela os bastidores da crise do Centro de Oncologia Dr. Osvaldo Leite, do Huse, e a chegada de uma nova equipe gestora.  A Revista revela esse novo grupo gestor. Por outro lado, destaca com preocupação a "enrolação" do governo  ao engavetar de vez  o PCCS dos médicos estatutários do Estado, gerando (mais uma) revolta na classe. É incompreensível essa má vontade do governo Déda  com a classe médica de Sergipe. E os problemas não param por aí… basta ler a revista.
   Mas ela traz notícias boas também. A celebração do centenário do médico Roosewelt Menezes, promovida pela Academia de Medicina, foi uma delas. Pioneiro nas questões de transfusão sanguínea,  ele criou o primeiro banco de sangue do Estado, no Hospital de Cirurgia e foi um operoso prefeito de Aracaju de 1955 a 1958. Pena que outras instituições não tenham aderido às comemorações, como é o caso do Hospital Cirurgia, do Hemose e das prefeituras de Itaporanga e Aracaju, só para citar essas.
  E mais: os nossos colaboradores nos trazem preciosidades literárias. Antonio Samarone, da Academia  Itabaianense  de Letras e da Academia Sergipana de Medicina analisa o meio médico em Sergipe no começo do século XX e o retorno de Augusto Leite com o diploma de médico nas mãos! Marcelo Ribeiro, das Academias de Medicina e de Letras, evoca a maldição do cacique Serigy, Marcos Almeida, que pertence também às duas academias, traz uma crônica curiosa ( e pitoresca) do panorama da comunicação pessoal no mundo virtual; Anselmo Mariano, da ASM, relembra “As aventuras de Rin tim tim”. Vale a pena conferir.
             Outra notícia auspiciosa: a saúde do município de Aracaju, com a mudança de comando em função da chegada de Goretti Reis e Petrônio Gomes, pode tomar novo rumo. Suas ideias e projetos poderão também ser lidos na presente edição da Revista Somese. Justamente pelo ritmo alucinante de trabalho promovido pelos atuais gestores municipais, que estão se dedicando ao trabalho em regime de tempo integral, não sobrou espaço para o nosso presidente, Petrônio Gomes escrever o seu tradicional editorial. Sobrou pra mim!
             Receber elogios é gratificante. Mas o que recebemos do consagrado jornalista e historiador Luiz Eduardo Costa foi demais! Solicitado a autorizar uma transcrição de um artigo de sua lavra na nossa Revista, excedeu-se em generosidade: “Não é a permissão que eu concedo, trata-se da honra de ver uma matéria deste escrevinhador na revista da SOMESE, que considero a melhor publicação do gênero até hoje editada em Sergipe”. Foi por isso que resolvemos publicar esta matéria aqui no nosso blog. Opinião desse quilate nos estimula a manter o rumo. Obrigado, Luiz Eduardo!

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários