Salve-se quem puder

0

Embora os governos tentem encobrir o sol com a peneira, o atual modelo de segurança pública não protege mais o cidadão e, incapaz de prevenir o crime, vive a correr atrás do criminoso. Este, quando preso, é logo devolvido às ruas para delinquir novamente. Derrotado pela crescente violência, o sistema procura culpar a vítima, acusando-a de facilitar a vida dos marginais ao sacar dinheiro no caixa eletrônico, não proteger o patrimônio com cerca elétrica e segurança particular, deixar de fazer o seguro do carro, transitar por locais inseguros, distrair-se ao abrir o portão da garagem, etc. Ora, a sociedade paga impostos para ter protegidos a vida e o patrimônio. Fosse para tomar tantas precauções, não havia necessidade de segurança pública. Pior é que, enquanto se discute de quem é a culpa pelo crescimento da criminalidade e a falência do setor policial, o povo paga caro para tentar sobreviver num verdadeiro fogo cruzado.

Violência

A violência relacionada a assassinatos atinge principalmente homens, pobres e negros, que têm de 15 anos a 24 anos. Segundo o estudo “Avanço no Socioeconômico, Retrocesso na Segurança Pública, Paradoxo Brasileiro”, três fatores contribuem para o aumento dos homicídios: a consolidação do tráfico de drogas; os elevados níveis de impunidade; e a necessidade de adoção de medidas mais eficientes para combater os dois aspectos anteriores.

Orçamento

O vice-governador de Sergipe, Jackson Barreto (PMDB), defendeu o “orçamento impositivo”. Ele entende que o governo federal deve cumprir todos os itens aprovados pelo Congresso, inclusive as emendas parlamentares apresentadas ao Orçamento Geral da União. “Acho que já é hora de o Executivo liberar as emendas, independentemente de amizades, pressões pessoais ou de grupos”, discursa Barreto.

Miséria

Entra ano e sai ano sem que o governo estadual atenda as reivindicações salariais dos servidores. Para protestar contra tal situação, o Sindicato dos Trabalhadores nos Serviços Públicos (Sintrase) promove hoje a panfletagem da miséria. Será às 16h, no calçadão da rua João Pessoa, centro de Aracaju, Segundo o presidente da entidade, Valdir Rodrigues, mesmo com 30 anos de serviço, muitos servidores recebem apenas um salário mínimo. Uma lástima!

Pré-Caju

O ‘autorizo’ dado pelo prefeito João Alves Filho (DEM) para que o Pré-Caju permaneça na avenida Beira Mar não desanimou os integrantes do Fórum em Defesa da Grande Aracaju. Eles vão se reunir hoje à noite para discutir novas ações que impeçam a realização da próxima prévia carnavalesca no bairro 13 de Julho. Uma das idéias é pedir ajuda ao Ministério Público Estadual visando conseguir na Justiça a proibição da festa naquele local.

Seminário

Os prefeitos sergipanos participam hoje em Aracaju do Seminário ‘Controle de Gestão da Administração Pública’. Promovido pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE), o evento constará de palestras relacionadas às contas públicas. Segundo o presidente da côrte de contas, Carlos Alberto Sobral, o objetivo é habilitar e qualificar os gestores recém-empossados para que possam gerir os recursos públicos corretamente.

Proinveste

E a enfadonha novela sobre o Proinveste terá um novo capítulo.  Nesta segunta-feira, o governador Marcelo Déda (PT) se reune com a oposição para discutir sobre o projeto que reenviará a Assembléia. Devem participar da conversa com o petista o senador Eduardo Amorim (PSC), a presidente do Legislativo, Angélica Guimarães (PSC), e o deputado estadual Venâncio Fonseca (PP). Será que agora a coisa vai?

Despejo

A Justiça decidiu que as famílias com casas populares nos povoados Saramén, Brejão dos Negros e na sede de Brejo Grande terão que deixar os imóveis até o próximo dia 30. A Igreja Católica, entidades sindicais e lideranças políticas já iniciaram uma série de mobilizações visando manter as famílias nas casas.

Poesia

Depois que se aposentou do Supremo Tribunal Federal, o ministro Carlos Ayres de Britto só quer saber de literatura. Segundo o jornalista Ancelmo Góis, neste segunda-feira Britto vai falar sobre poesia no encerramento da 8ª Feira do Livro de Poços de Caldas, Minas Gerais. Ariano Suassuna, João Ubaldo Ribeiro, Míriam Leitão e João Paulo Rouanet também confirmaram presença.

Dia de posses

O prefeito João Alves Filho (DEM) empossa hoje dois novos secretários. Na Secretaria da Administração, tomará posse o economista Edgard Melo, enquanto o vereador Josenito Vitalie, o ‘Nitinho’, será empossado como secretário da Cultura. A solenidade vai acontecer às 10h, na sede da Prefeitura de Aracaju.

Do baú político

Em 1989, nas primeiras eleições diretas para presidente da República depois do golpe militar, Sergipe esteve pessimamente representado. O folclórico sergipano José Alcides Marronzinho (PSP) era um dos 22 candidatos. No horário eleitoral gratuito, o presidenciável nascido em Maruim aparecia com uma fita preta na boca, enquanto um locutor avisava: "Cuidado, ele vai falar!" E quando falou, disse que iria "obrigar" a Petrobras a usar seu equipamento para procurar água no Nordeste. Seu lema: "Pobre vota em pobre". Em uma das memoráveis aparições, desafiou o então senador Fernando Henrique Cardoso (PSDB) para a porrada. Também prometeu que, se eleito, romperia as relações diplomáticas com a Suíça. Mesmo dizendo tantas bobagens, Marronzinho teve os votos de 238.425 brasileiros, sendo o 13º mais votado. Hoje, vive em Osasco (SP) e se dedica a pregar o evangelho sob a alcunha de Jamo Little Brown.

Resumo dos jornais

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários