Saramandaia, Bole-Bole e Luíza

0

Candidata a Prefeita de Lagarto, a deputada Luiza Ribeiro revelou em entrevista ao Jornal da Cidade (edição de domingo, 6), que entra na disputa “para ganhar”. A declaração é um jogo de cena por conta de uma estratégia que passa por citações otimistas, afinal nenhum candidato a cargo eletivo admite publicamente que vai entrar na disputa para perder. Ela e todos os demais eleitores de Lagarto sabem que o futuro prefeito do município será Lila Fraga (PSDB) ou Walmir Monteiro (PSC) (não exatamente nessa ordem). O primeiro, apoiado pela família Reis (Artur e Jerônimo), pelo atual Prefeito José Francisco dos Santos, o Zezé Rocha, e por importantes lideranças estaduais como Albano Franco e Antonio Carlos Valadares. O segundo tem como aliados o ex-prefeito Cabo Zé, o governador Marcelo Deda e Juquinha do PT.

 

Formada a equação, nota-se que não há como construir surpresas que favoreçam um terceiro nome – no caso o de Luíza -, considerando que Lila e Walmir reúnem mais apoio e indicativo de votos que os credenciam à vitória. É uma questão matemática que estará sempre muito visível em futuras pesquisas de intenção de votos (desde que essas pesquisas sejam feitas por institutos confiáveis).

 

Por mais esquisito que seja, as facções políticas de Lagarto estão divididas em dois grupos novelescos: Saramandaia e Bole-Bole. Reis versus Ribeiros. Ainda sob a influência do pai – Artur Reis, que se encontra adoentado – Jerônimo exerce a liderança do grupo Saramandaia. Do outro lado, Cabo Zé ostenta a bandeira do Bole-Bole, que já teve como principal líder o ex-deputado Rosendo Ribeiro, também adoentado. Cabo e Walmir resolveram se unir porque divididos não conseguem chegar a lugar algum no tocante à Prefeitura.


O desejo da deputada Luiza Ribeiro era ser vice na chapa de Walmir, espaço ocupado por Júnior Ribeiro, filho do Cabo Zé. Revoltada com a indicação do primo, ela descartou aliança com o tio, negou apoio a Walmir e, de quebra, para ver o circo pegar fogo de vez, lançou-se  candidata à sucessão de Zezé Rocha. Dizem em Lagarto que o grupo Saramandaia está rindo à toa do rival Bole-Bole. Explica-se: é que os votos que a candidata Luíza terá, podem faltar a  Walmir Monteiro na tentativa de derrotar Lila Fraga.

 
Diante do desenlace familiar, é voz comum na terra  dos Reis e dos Ribeiros que Luíza apesar de cantar paixão ao grupo Bole-Bole resolveu deserdar. Como diria um famigerado cabo eleitoral da terra de Sílvio Romero, ela ‘saramandou-se’. É, resolveu apoiar Lila Fraga pela via indireta. A ala rebelde do Bole-Bole mostra a sua cara. Pensando bem, há sempre veredas, trilhas, para ousar e inovar…ou melhor: o resto que se dane.

 

Luíza com um “pé” na Assembléia

Fique de olho: Não sei, mas creio que nas eleições municipais deste ano a única que realmente interessa a Luíza Ribeiro é a de São Cristóvão. Caso o deputado Armando Batalha seja eleito Prefeito da antiga capital, ela deixa a condição de deputada suplente, garantindo sua permanência na Assembléia Legislativa até 2010.

 

Governador do Piauí descansou em Sergipe

Desde a última sexta-feira, 03, até o último domingo, 05, o governador do Piauí, Wellington Dias, do PT, passou descansando ao lado da família no Starfish Ilha de Santa Luzia, na Barra dos Coqueiros. No sábado recebeu a visita do governador Marcelo Déda.

 

Luciano teme Déda na campanha de Maria

Quem leu uma matéria veiculada no JC de hoje,09, com o ex-prefeito de Itabaiana, Luciano Bispo percebeu que o mesmo está preocupado com as idas e vindas do governador em Itabaiana. Luciano descobriu que o adversário dele não é Déda e sim, Maria Mendonça. Luciano, na verdade, queria que o governador ficasse “em cima do muro” nas eleições de Itabaiana, chegando a mandar interlocutores lembrando que em 20010 ele poderia estar no palanque de Déda. Não conseguiu e agora está desesperado…


Campanha Política em Canhoba I

O deputado Ulices Andrade, do PDT, esclareceu alguns pontos sobre a campanha em Canhoba. Disse que em junho do ano passado a petista Naldinha tinha lhe procurado e ficou acertado quem tivesse melhor nas pesquisas seria o candidato do grupo do governador. Ela concordou e desde maio desde ano seu irmão, Rege Andrade, começou a anunciar que era pré-candidato. Segundo Ulices, o deputado Gualberto tinha conhecimento e avalizou a decisão da escolha do candidato pelas pesquisas. No final de junho foi realizada a pesquisa que deu Rege na frente de Naldinha e a mesma e também Gualberto não concordaram mais em decidir a candidatura através das pesquisas.  Ulices disse que ponderou, lembrou do compromisso e ressaltou que seria o melhor para o grupo do governador. Segundo Ulices, somente depois que Naldinha lançou a candidatura o grupo adversário, do DEM, procurou Rege e indicou o candidato a vice.

 

Campanha Política em Canhoba II

Ulices lembrou que respeita as decisões internas do PT e deu como exemplo em Graccho onde tem a atual prefeita e o PT tem candidato. Ainda sobre Canhoba, Ulices Andrade lembrou que a Naldinha comandou junto com seus aliados a campanha de João Alves em 2006 no município. “Porque Deda iria para a campanha dela agora?” reforçou. Segundo Ulices o candidato de Marcelo Déda em Canhoba é Reges Andrade, não para confrontar com o partido, mas porque o mesmo é solidário com quem esteve em sua trincheira nas eleições do ano de 2006.

 

Vice de Ivan Leite

O candidato à reeleição em Estância, Ivan Leite, mudou o vice. Saiu o médico Gilson Andrade e entrou a médica estanciana Cleide Maria Freire Carvalho.

 

Defensoria esclarece superlotação I

Da assessoria da Defensoria Pública: “Em entrevista concedida ao “Portal Infonet”, sobre a superlotação nas Delegacias e em resposta ao secretário Benedito Figueiredo, o presidente da OAB Henri Clay Andrade afirmou dentre outras coisas que “…A OAB não tem advogados disponíveis para prestar assistência judiciária gratuita. É obrigação do Estado disponibilizar assistência judiciária gratuita através da Defensoria Pública…”, acrescentando que “…essa foi uma tentativa de transferir para a OAB uma responsabilidade que é do Estado…”.Diante das colocações, o defensor geral Elber Batalha, esclarece que o problema da superlotação em Delegacias de Polícia existe como destacou a imprensa local, mas assegura que o mesmo não é patrocinado pela Defensoria Pública de Sergipe.”Primeiro, nós não reconhecemos as Delegacias como local apropriado para permanência de presos e segundo, porque diferente de como enxerga a OAB, a Defensoria não desconhece que o problema é de difícil solução e sabe que somente será resolvido com a conclusão e a construção de novas unidades prisionais.

 

Defensoria esclarece superlotação II

Terceiro, apesar de termos herdado uma Defensoria sem a mínima estrutura de funcionamento, temos nos desdobrado para não falhar no atendimento à população. Desde o último sábado quando tomamos conhecimento do conteúdo das declarações, designamos os defensores Ermelino Cerqueira e Robson Millet para realizar o levantamento estatístico onde mostraremos que cerca de 90% (noventa por cento) das comunicações de flagrantes que chegam ao conhecimento da Defensoria Pública de Sergipe, os detidos recebem a nossa assistência em menos de 24 horas, isso por conta de um trabalho conjunto desenvolvido pelos defensores públicos que atuam na área criminal”, explica o defensor geral.

 

Empresário e “empresário”

Este jornalista não conhece o empresário José Alves, da Jaluzi, candidato a vice-prefeito na chapa encabeçada por Almeida Lima, mas volta a afirmar: esta campanha iniciada na semana passada, por uma emissora de rádio para denegrir a imagem do mesmo tem, nos bastidores, interesses, contrariados daquele naufrago que anda desesperado por conta do isolamento naquela ilha deserta e adora manipular e comprar a todos. Aqui, ao contrário de outros locais, a defesa é feita abertamente. Este espaço não é usado, como outros, por um determinado “empresário” que se autodenomina o maior articulador político de Sergipe, para mandar recados para governador e lideranças políticas. Eitá Estado pequeno que todo mundo se conhece…

 

Plano de saúde HAPVIDA

Do leitor José Almeida: “Estou estarrecido com a falta de respeito do plano de saúde HAPVIDA com seus associados. E veja que diariamente estamos vendo e ouvindo em emissora de rádio e televisão propagandas de um plano revolucionário na saúde do Estado de Sergipe. Sou assalariado e fiz um esforço enorme para aderir ao plano de saúde, em virtude de minha família está sempre com problemas de saúde e infelizmente a nossa rede pública é uma vergonha. Há sete meses que tenho o plano e para conseguir uma consulta é uma dificuldade terrível, pois quando procuramos os médicos conveniados nunca tem vaga, marcam a consulta para 15 dias ou mais dependendo da especialidade e muitos outros já cancelaram o convênio. E para minha surpresa tem um médico que faz tratamento de pele de minha filha e ao procurá-lo para uma consulta o mesmo alegou que tinha cancelado o convênio com a HAPVIDA, em virtude da falta de pagamentos pela mesma e que estava muito sentido, porque muitas clientes tinham aderido ao plano em face do mesmo ser conveniado, e agora seriam prejudicadas, e ainda alertou que os novos médicos contratados não têm especialidade em determinados tipos de doenças de pele. Fui forçado a pagar uma consulta particular, já que o mesmo vem fazendo o tratamento há algum tempo. Aí eu pergunto! Vale apena fazer das tripas o coração, para termos um pouco de tranqüilidade no atendimento e sermos tratados desta maneira? Com a resposta a direção da empresa?”.


CCJ do Senado veta candidatos com “ficha suja”

A CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) do Senado aprovou ontem a alteração da Lei de Inelegibilidades, a fim de proibir que candidatos com “ficha suja” disputem as eleições.O presidente do Senado, Garibaldi Alves Filho (PMDB-RN), chegou a anunciar que colocaria a proposta em plenário ainda hoje. Na reunião de líderes, porém, a idéia foi descartada. O projeto também terá que passar pela Câmara.O texto aprovado na CCJ é resultado da junção de 21 projetos, apresentados nos últimos quatro anos. O senador Demóstenes Torres (DEM-GO) foi o responsável pela elaboração do parecer. O principal ponto do projeto determina que políticos condenados em primeira ou única instância judicial sejam impedidos de disputar eleições. Hoje, a lei prevê a necessidade da condenação em todas as instâncias.”A sociedade não agüenta mais a situação atual. Por isso, precisamos tomar uma providência”, disse Torres. A votação na CCJ foi simbólica e contou com a presença de apenas 8 de seus 23 integrantes. A comissão também aprovou o pedido de urgência para a apreciação do projeto pelo plenário da Casa.Só a líder do PT no Senado, Ideli Salvatti (SC), se manifestou contra a proposta. “Não sei como podemos aprovar uma matéria que se contrapõe à presunção da inocência”, disse Ideli, que, não estava presente no momento da votação. (FSP/ADRIANO CEOLIN)

 

XXV Jogos da Primavera 2008 / Olimpíadas Escolares

As Seletivas das 04 modalidades coletivas (Handebol, Voleibol, Basquetebol e Futsal), ocorreram de forma regionalizada para os XXV Jogos da Primavera 2008. Regional I (Itabaiana – Futsal), Regional II (Lagarto – Futsal), Regional III (Capela – Futsal), Regional IV (Lagarto – Handebol, Voleibol, e Basquetebol) e Regional V (Aracaju – Futsal, Handebol, Voleibol, e o Basquetebol). A participação de 64 municípios, e de 8 mil alunos-atletas, apenas em 04 modalidades coletivas, restando ainda 12 modalidades individuais (Atletismo, Atletismo Adaptado, Natação, Natação Adaptada, Capoeira, Capoeira Adaptada, Ginástica Artística, Ginástica Rítmica, Xadrez, Tênis de Mesa, Judô e o Karatê), que complementarão os Jogos da Primavera, no período de 21 a 30 de agosto, numa participação aproximada de 15 mil alunos-atletas diretamente envolvidos, das redes pública e privada. Os números apresentados em participação representam o diferencial, consolidando os Jogos da Primavera indiscutivelmente o maior evento esportivo escolar do Estado, concretamente, não só o maior evento esportivo escolar, e sim esportivo de maior abrangência. Ressaltando que, as Escolas Públicas Estaduais são maioria na classificação das modalidades coletivas, nos XXV Jogos da Primavera em agosto próximo.As equipes – escolas classificadas nas regionais deverão confirmar sua participação no site www.Seed.se.gov.br/jogos, e novas inscrições para as demais modalidades individuais. Período de inscrição, 30 de junho a 30 de julho, no referido site. Informações pelo telefone: 3179-8820/8880/8850, do Departamento de Educação Física – SEED.

 

DEBATE LEI SECA

 

A lei seca agora é chamada de “lei dos 100”

De Marcos Aurélio: “O nosso Brasil é mesmo o País dos mais espertos. Não é que a lei seca já se transformou na “Lei dos 100″. Quando o motorista é abordado por alguns policiais, ele está sendo levado a fazer a seguinte escolha: ou se sujeita às penalidades previstas na lei seca, inclusive a multa de R$ 955,00, ou resolve ali mesmo, numa boa conversa, basta requerer a aplicação da nova lei, a lei dos 100. Este realmente não é um País dos sonhos, aqui as coisas são reais. Se os motoristas começarem a gravar estes diálogos, algumas autoridades irão fazer companhia nas celas, aos condutores infratores”.

 

Lei em defesa da Vida – Lei Seca I

Da leitora Maria Angélica: “Vivemos o momento da polêmica e da cultura do “eu acho”. Cada um em defesa de suas teses, em benefício próprio, sem atentar para o bem-estar coletivo. A defesa do ilícito como justificativa do “desde que eu me der bem” impõe-se em nossa sociedade vazia de valores e pródiga em desmandos. Advogar a constitucionalidade ou não da chamada Lei Seca deixo para os juristas, não acho isto ou aquilo. A minha reflexão passa pela dor de tantos lares enlutados por atitudes insanas dos irresponsáveis motoristas que, sob efeito de substâncias inibidoras da censura, utilizam o porte de arma que lhes é conferido pela Carteira de Habilitação e vão transformando as ruas e estradas em autopista de insensatez, em caminhos violentos onde matar e morrer se revela banal e justificável pela inversão de valores, pelo enfraquecimento da compaixão, pela pouca valia que se dá ao outro.

 “Por outro lado, penso nos lares dos causadores da infelicidade do matar e do incapacitar, também como lares marcados pela dor e na alma dos homicidas que, se continuam respirando, tornam-se zumbis a lamentarem-se e arrependerem-se enquanto vida tiver.

 

Lei em defesa da Vida – Lei Seca II

Continua Maria Angélica: “Como pode alguém, sem estar sob efeito da droga, defender que se permita a continuidade desta matança? Qual guerra em nossos dias pode ser estatisticamente comparada à carnificina que presenciamos no trânsito? Defender o ganho de donos de bares, defender o direito à liberdade individual de embriagar-se, não é uma inversão em referência a defesa do bem maior que é a vida? Outros países que optaram pela vida, sancionando leis mais rigorosas quanto ao comportamento no trânsito, estão hoje colhendo os resultados com a diminuição do quadro de mortes e incapacidades. Nesses os seus cidadãos enquadraram-se nos ditames e, civilizadamente, não recorrem às manobras de contar com o lado corruptível dos representantes da lei, nem tampouco esperaram torcendo que a lei não “pegasse” ou, ainda escudaram-se na relevância de seus cargos ou em sua camada social para burlar os seus preceitos.Espero constatar que esta será uma lei que vai “pegar”, que teremos menos dor em nossos lares, que diminuiremos o grau de incerteza de retorno ao seio da família a cada vez que sairmos de casa. Pela experiência profissional que temos em cuidar de casos de usuários de drogas sabemos o quanto é difícil a libertação da dependência (seja em que nível for), mas devemos torcer para que os que não se permitem ficar sem usar, inclusive os que utilizam de forma recrecional, sejam inteligentes para entender que a Lei Seca é para o motorista, os seus acompanhantes não estão sendo cerceados em seu direito, desde que não queiram assumir a direção”.
 

O esperneio dos “biriteiros”

Do leitor José Firmo: “E continua o esperneio dos “biriteiros” contra a Lei Seca. Há desculpas de  todo tipo, desde aquelas que dizem que padres que celebraram a missa ou  casais de velinhos que tomaram um cálice de vinho podem ser detidos, até aquelas tradicionais, que dizem que a lei não foi discutida com a sociedade  ou que vai causar desemprego. No caso específico do desemprego, quem reclama não são os trabalhadores, os sindicatos ou as centrais sindicais. Quem reclama são os donos de bares ou os próprios “biriteiros”.Esses que ingerem bastante bebida alcoólica e depois pegam um veículo para  conduzir, com certeza nunca teve um filho ou outro familiar assassinado ou  mutilado no trânsito. Para quem mora à margem da Rodovia dos Náufragos, em Aracaju, por exemplo e já presenciou dezenas ou centenas de acidentes; para quem conheceu tantas pessoas que foram assassinadas por condutores embriagados; para quem conhece tantas outras pessoas mutiladas ou que perderam parentes; para quem vive diariamente preocupado com os irresponsáveis que dirigem depois que bebem, a Lei Seca é mais que necessária. Pesquisas realizadas em algumas cidades e estados do Sul e Sudeste apontam que a população aprova a lei.Nossa preocupação é com o cumprimento e com a fiscalização da lei. Sabemos que não é uma lei que vai solucionar todos os problemas no trânsito brasileiro, afinal mau condutor (no sentido de irresponsável) existe mesmo que não ingira bebida alcoólica, porém imaginem os leitores se não existisse regra no trânsito…”. José Dias Firmo dos Santos.

 

Frase do Dia

“É mister comprar e ler livros, ou as livrarias fecham, as editoras param, esvaece a cultura, fenece a nação.” (Campanha Pró-Livro).

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários