SE LULA PULAR…JOÃO PULA

0

Nos últimos anos, entra governo, sai governo, e os servidores públicos continuam sendo tratados como se não existissem. Uma situação deprimente. Observamos pais de família submetendo-se a todo tipo de privacidade por conta de políticas governamentais que não mais privilegiam essa categoria tão importante para o funcionamento da máquina estatal… do próprio país. Um descaso sem precedentes na história recente do Brasil.

A portentosa União, quem diria, sob o comando do piloto de testes Lula da Silva, do PT, age como se a nação fosse um Boeing voando hoje em céu de brigadeiro. Em parte, é até verdade. Estamos com uma economia “estável”, controlada à base de artifícios técnicos – como o câmbio flutuante – e vivendo sem o fantasma da hiperinflação. Não sofremos mais com aqueles índices absurdos do Governo Sarney, com taxas de 80% ao mês. Nossas exportações vão bem. Estamos conseguindo até pagar os bancos internacionais, imagine!

Mas essa, sim, deveria ser a principal razão para o começo de um trabalho de valorização dos servidores públicos federais. Valorização essa que tem de começar com a recomposição dos aviltantes salários pagos hoje em dia.

Em Sergipe, os governos que por aqui passaram ao longo dos últimos vinte e poucos anos trataram os servidores de igual forma. Há quem tenha até vergonha de dizer que trabalha para o Estado. Os “gordos” contracheques recebidos ao final de cada mês não dão sequer para o custeio básico de uma família de classe média baixa. Obvio que não me refiro aqui aos felizardos que compõem a seleta casta dos CC’s. Para esses, o governo tem sido sempre um pai generoso.

E não adianta o Governo do Estado alegar, mais uma vez, que o presidente Lula só deu 0,1% de aumento aos servidores públicos federais. Esse tipo de desculpa não convence a ninguém. Não é porque Lula vai pular de um prédio que João Alves terá que ir atrás dele. Não fica bem para o governador utilizar esse tipo medíocre de argumento, pois os servidores não são idiotas.

Se essa alegação fosse uma saída honrosa, o próprio prefeito de Aracaju, Marcelo Déda, que é companheiro de partido e compadre de Lula, não precisaria dar um aumento de 10% aos servidores municipais. 3,7% acima da inflação. E olha que os salários do município, em muitos casos, são melhores que os pagos pelo Estado.

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários