Secretariado e especulação

0

Há mais de dois meses que a imprensa, principalmente o colunismo político, vem insistindo na especulação de que o governador João Alves Filho (PFL) vai promover uma ampla mudança em sua equipe de auxiliares. Fala-se apenas no primeiro escalão e já teve até quem anunciou que 80% do secretariado seriam substituídos. Evidente que se trata de um exagero, cometido por quem não se preocupa com os cálculos naturais de um percentual tão elevado. Se a renovação fosse nesse nível e como existem apenas 23 Secretarias, 19 secretários perderiam seus empregos e ficariam apenas quatro. Como dificilmente a senadora Maria do Carmo Alves, o deputado federal Mendonça Prado e o médico José Alves Neto seriam afastados de suas funções, apenas mais um dos 20 auxiliares que sobravam poderia ser mantido na administração estadual. Se isso acontecesse não seria uma mudança, mas a formação de um novo Governo, evidentemente visando um trabalho para as eleições de 2006.

 

Nas especulações, houve pelo menos um acerto: o empresário Max Andrade (PFL) deixou a Secretaria da Fazenda. Aliás, Max entregou o cargo meses antes de qualquer especulação e tudo só veio vazar quando ele já estava conversando com o governador João Alves Filho e se tornou irredutível em sua posição. O procurador geral do estado, advogado Antônio João, também deixou o cargo, mas se mantém na equipe de governo, com outra atividade, prosseguindo no segundo escalão. Mas o clima de mudanças continua e alguns jornalistas estão sugerindo que todos os auxiliares entreguem o cargo, para que o governador João Alves Filho fique à vontade para recusar ou aceitar os pedidos de demissão, o que poderia lhe eliminar o desprazer de ter que exonerar, sempre sob alegação de “a pedido para tratar de interesses pessoais ou particulares”. Evidente que essa questão de colocar os cargos à disposição tem que acontecer por iniciativa do governador, porque pode cheirar à rebelião, dentro de uma equipe de governo, se, de repente, todos entregarem seus cargos. Entretanto, pela forma como o próprio João Alves Filho vem desprezando as especulações, sinaliza que realmente há um processo de alteração natural dentro do projeto administrativo.

 

De qualquer forma, esse volume de informações sobre reforma administrativa e alteração na equipe de Governo, deixa bem claro que João Alves Filho já deve ter um esboço de como ficará o seu secretariado e qual a nova característica. Se o tem seria bom que o fizesse imediatamente, não esperando janeiro chegar para anunciar as alterações que, pelo silêncio do Palácio dos Despachos, elas ocorrerão. Essa demora tem provocado uma certa apreensão nos secretários, embora todos tenham consciência (ou deveriam ter) que o cargo é do governador e estará sempre à sua disposição. Pelo menos um deles confidenciou para Plenário que só vai dar um novo ritmo à sua pasta, inclusive de uma área essencial, depois que João Alves Filho definir quem fica e quem sai. Lógico que não é bom para a continuidade administrativa, exatamente em razão da dúvida que invade a cabeça da ampla maioria, que impede de adotar alguma posição que seja um compromisso futuro. Por essa razão, o governador deveria por um fim nesse martírio psicológico de seus auxiliares e fazer a reforma que pretende o mais breve possível, mesmo que torne o Natal mais triste para alguns. Esse tipo de coisa se faz logo e de uma vez, como disse Maquiavel quando ensinou ao príncipe sobre o bem e o mal.

 

Já está certo que a reforma vai sair. Ela se faz necessária em razão de um novo momento político que viverá a administração, a partir do início do próximo ano. Será um perfil mais político, competitivo, aonde quem chegar terá que vir com a disposição de trabalhar para vencer. Em um ano que antecede eleições estaduais, ninguém pode viver distante da possibilidade de disputa, inclusive porque se tem que elaborar estratégias para sustentação dos atuais aliados e conquistas de novos. Além disso, terá que mostrar serviço, vestir a camisa e entrar num processo administrativo com a coragem de quem vai para uma luta árdua, que não vale perder. É ganhar ou ganhar. Tudo bem, porque sempre se convive com as mudanças a partir do segundo ano de governo, quando passa o período de acomodação e alguém não consegue atingir seus objetivos. O que não pode é deixar todos em banho-maria, desconfiados, receosos, estressados e apavorados com a possibilidade de uma das exonerações cair sob suas cabeças.

 

Para que o secretariado funcione com maior tranqüilidade, o melhor seria que as mudanças acontecessem de uma vez e o mais cedo possível…

 

 

CONVITE

O presidente nacional do PPS, deputado Gilberto Freire, convidou o seu colega João Fontes (sem partido) para participar da convenção do partido, dias 10 e 11, no Rio de Janeiro.

Freire quer que João integre o grupo do PPS, garantindo que no dia 11 o partido rompe com o Governo Lula e entrega todos os cargos. Ninguém sabe como ficará Ciro Gomes…

 

CAUTELA

O prefeito Marcelo Déda (PT) fala com cautela em candidaturas ao Governo do Estado. Diz que no momento o seu compromisso é assumir o segundo mandato.

Marcelo Déda pediu, inclusive, aos seus auxiliares que evitasse comentários desse tipo, porque essa é uma questão que não deseja ver o seu grupo comentar.

 

SINAL

Além das declarações de seus aliados, que já estão lançando o seu nome, o prefeito Marcelo Déda já deu alguns toques de que pode disputar o Governo.

Segundo ele, seu objetivo no próximo ano é fazer um grande trabalho à frente da Prefeitura e já está projetando obras importantes para o município.

 

JOÃO ALVES

O governador João Alves Filho (PFL), ainda não fez uma declaração aberta sobre a disputa à reeleição, mas já está certa sua candidatura.

A partir do próximo ano, João Alves Filho também vai realizar uma série de obras em todo o estado, para continuar por mais quatro anos.

 

REFORMA

A reforma no secretariado que o governador pretende fazer terá nomes novos, que darão maior agilidade à máquina administrativa.

Esses dois próximos anos serão de muito trabalho dentro do Governo, principalmente no interior do estado, onde João Alves sempre foi eleitoralmente forte.

 

RECLAMAÇÃO

Deputados estaduais da base aliada do Governo estão reclamando de maior atenção por parte do governador João Alves Filho.

Ontem, um parlamentar reclamou que ninguém é convocado para ações do Governo e nem é consultado para qualquer coisa. Um deles não está entendendo esse novo jeito de fazer política com os aliados.

 

LIMINAR

A juíza federal Iolete Maria de oliveira concedeu liminar impedindo a liberação do Conselho Nacional de Recursos Hídricos de realizar a transposição do rio São Francisco.

O deputado federal João Fontes considerou que foi uma vitória para o Comitê da Bacia, que é contrário à transposição do rio.

 

IBAMA

O Comitê do Ibama tem reunião marcada para o dia 12, com todos os seus membros, com o objetivo de dá licença para transposição do rio São Francisco.

Mais de 10 mil pessoas estão dispostas a impedir o encontro do Ibama, que deve ser realizado em uma das salas da Universidade Tiradentes.

 

ORÇAMENTO

O deputado federal José Carlos Machado (PFL) fez, ontem, os últimos ajustes das emendas orçamentárias de Sergipe e as entregou à Comissão.

O secretário do Planejamento, Antônio Carlos Borges, também estava em Brasília, dando os últimos fazendo os últimos ajustes nas emendas de interesse do governo do estado.

 

SUKITA

O advogado Jorge Rabelo, que defende o prefeito eleito de Capela, Manoel messias dos Santos (Sukita), do PSB, aguarda agora o encaminhamento do recurso ao TRE em Aracaju.

Disse que, do ponto de vista jurídico, não tem dúvida que a decisão será reformada aqui. Para ele as provas que a lei eleitoral exige para um processo de cassação não existem.

 

PRESENÇA

O secretário de Segurança Pública, Luiz Mendonça, finalmente confirmou sua presença na Assembléia Legislativa, amanhã pela manha.

Mendonça foi convidado pelos parlamentares para falar sobre as atribuições da Polícia de Fronteira, que tem sido criticada pela maioria dos prefeitos do interior.

 

FUNÇÃO

Segundo um deputado, a Polícia de Fronteira está servindo para parar veículos nas estadas, conferir documentos e vasculhar tudo para ver se encontra alguma coisa.

Segundo o parlamentar, “como troca o motorista tem que dar alguma coisa, inclusive requeijão, galinha, feijão ou frutas. Fazem uma concorrência desleal com a CPRV”.

 

AFASTOU

Segundo informação de um dos deputados, 40 soldados da Polícia de Fronteira já foram afastados por arbitrariedade e violência.

“Isso demonstra que é preciso qualificar o pessoal para tratar com as pessoas que circulam no interior”. Disse o deputado, que é a favor de uma boa Polícia de Fronteira.

 

CÂMARA

O vereador Sérgio Góes (PL) terá que trabalhar muito caso queira se manter na presidência da Câmara Municipal pela terceira vez consecutiva.

Nos bastidores aparecem os nomes dos vereadores Zeca da Silva (PSB) e Conceição Vieira (PT), que já começaram a conversar.

 

Notas

 

MEDALHA

O PFL realiza amanhã, na Assembléia Legislativa, encontro com todos os filiados e convidados, para entrega da Medalha “Governador José Rollemberg Leite” aos
deputados Federais Rodrigo Maia (PFL-RJ) e Antônio Carlos Magalhães Neto (PFL-BA). O principal anfitrião é João Alves Filho.
O objetivo do PFL sergipano é de expressar o reconhecimento à destacada atuação dos dois parlamentares na Câmara Federal.A iniciativa é do deputado federal Mendonça Prado, atual Secretário da Administração de Sergipe.

 

RECLAMAÇÃO

Ao tomar conhecimento de que o Sindicato das Empresas de Transportes de Passageiros – Setransp – está avaliando o pedido de aumento da tarifa em Aracaju, o vereador Antônio Góes (PT), considerou que um possível reajuste se constitui em absurdo e numa exploração para o usuário de transportes na capital.

Segundo Góes, os proprietários de empresas de transportes querem um aumento abusivo para as tarifas e lembra que em Belém e João Pessoa paga-se apenas R$ 1,15 e os salários dos motoristas são acima de 800 reais.

 

SEGURANÇA

O deputado estadual Mardoqueu Bodano (PL) tem insistido na reclamação sobre o aumento da violência em Sergipe e da deficiência do setor de segurança em todo o estado. Os assaltos continuam acontecendo na capital e é grande o número de queixas de roube de gado e saques de fazendas e lojas no interior.

A situação da Polícia no interior é dramática, porque soldados comem por doação das Prefeituras e os veículos são abastecidos pelo município. Há necessidade de se rever todo o sistema de segurança pública em Sergipe.

 

É fogo

 

Darci Rebelo, consultou em licitação pública, contratado pelo Setransp para defender os interesses das empresas de transportes, está em Aracaju.

 

O objetivo de Darci Rebelo é orientar o Setransp sobre a licitação que a Prefeitura vai fazer para os transportes públicos.

 

O prefeito eleito de Estância, Ivan Leite, vai pegar uma prefeitura destroçada pelo prefeito Jovani Bento (PMDB).

 

Ivan leite vai ter que se desdobrar para colocar a casa em ordem, mas tem gente apostando que Estância terá uma das melhores administrações de Sergipe.

 

O deputado Francisco Gualberto está feliz com a vitória de Péricles Barbosa, em Nossa Senhora de Lourdes.

 

A deputada Lila Moura apoiou José Carlos de Souza (PMDB), que ganhou as eleições em Divina Pastora.

 

O deputado Venâncio Fonseca (PP), relatou do orçamento do estado para 2005, terá que apresentar o seu parecer até o dia 15.

 

Na opinião de algumas lideranças políticas, o ex-governador Albano Franco (PSDB) será candidato a deputado federal, porque terá vitória fácil.

 

O secretário de Turismo, Pedrinho Valadares (PFL), não esconde que será candidato a deputado federal em 2006.

 

Depois de esperarem por praticamente um ano inteiro, enfim os trabalhadores receberam a primeira parcela do décimo terceiro salário.

 

A Organização Mundial do Comércio (OMC) pediu que o Brasil abrisse mais seu mercado através da redução de suas taxas aduaneiras.

 

A Infraero vai à Justiça cobrar da Vasp uma dívida de R$ 11,6 milhões. A companhia aérea chegou a oferecer uma aeronave modelo Air Bus como pagamento.

 

brayner@infonet.com.br

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais