Sem predadores

0

O ex-governador Albano Franco (PSDB) insiste em avisar que não está tratando de política. Conversa apenas com alguns amigos, como o deputado federal Bosco Costa e o deputado estadual Ulices Andrade, ambos correligionários. Mesmo assim, o seu nome, nestes últimos dias, não saiu da berlinda por uma única semana, sempre em relação a questões partidárias. Na realidade, Albano abriu a temporada de troca de idéias sobre o momento político e observa qual a melhor posição que deve se colocar para as eleições do próximo pleito. Sabe perfeitamente que não terá muitas chances de permanecer à frente do PSDB, mas também não quer se precipitar para ingressar em uma legenda e não formar o consenso. Como ele ainda não anunciou a que pretende se candidatar, os integrantes dos partidos disponíveis ficam atentos, com receio de perder posições na disputa eleitoral.

 

O assunto desta semana foi a possível filiação do ex-governador Albano Franco no PMDB, depois de conversa informal com o presidente regional do partido, Benedito Figueiredo. Isso aliviou segmentos do Partido Liberal que não aceitam o ex-governador, caso ele venha como candidato ao Senado Federal. Ontem, o deputado federal Jorge Alberto (PMDB) disse que não veta ninguém, e nem tem razões para isso, desde que o novo filiado concorde com as decisões partidárias e se afine com o projeto da legenda. Ele considera que o momento está mais para a prudência e para aguardar os acontecimentos que começam a movimentar a política no estado e no país. Jorge Alberto considera que a coisa está insipiente e que o projeto nacional do partido não está bem definido, faltando anda decisões que virão das convenções e das reuniões de cúpula.

 

Uma das coisas que Jorge Alberto deixa claro é que não existe nada de concreto em termos da filiação do ex-governador Albano Franco no PMDB. Entretanto admite que pode passar a existir, desde quando as posições não sejam conflitantes ou predatórias: “estranhamos muito tudo isso, porque se houvesse ânimo do ex-governador Albano Franco para ingressar no PMDB, ele já deveria ter conversado com o seu sobrinho, deputado estadual Marcos Franco, ou comigo”, disse Jorge Alberto, sempre lembrando que não existe veto ao nome de nenhum político que venha se somar ao projeto do PMDB e aceitar as posições definidas pelo partido. Na realidade há uma grande expectativa de mudanças dentro do PMDB, que está pretendendo retomar a condição de uma frente firme, que influencie nas decisões importantes do país. O PMDB não deseja continuar sendo uma sigla de suporte para o crescimento de outras legendas, como vem acontecendo nos últimos anos.

 

O deputado federal Sandro Mabel (PL), amigo pessoal de Albano Franco, em conversa com parlamentares em Brasília, confirmou a filiação do ex-governador ao Partido Liberal. E até brincou: “que jeito! O PSDB não o deseja lá e coloca dificuldades para sua permanência no ninho tucano”. Um aliado do ex-governador diz que é muito estranho Albano Franco filiar-se ao PMDB, porque ele tem demonstrado interesse em estreitar o relacionamento com o prefeito Marcelo Déda (PT) e ser seu aliado. No bloco vinculado a Albano, já tem quem sonhe com a sua candidatura ao lado de Marcelo Déda, numa chapa majoritária ao Governo do Estado. Bom, mas isso contraria seriamente o deputado federal Heleno Silva (PL), que já disse repetidas vezes que é candidato ao Senado. Heleno vem trabalhando para isso desde quando se elegeu deputado federal. Não parece disposto a ceder depois de tanta luta…

 

É bom que se perceba que a discussão sobre as eleições de 2006 já foi aberta e está posta para que todos tomem posições nesse quadro que se pinta com pelo menos três candidaturas ao Governo e disputas internas por posições majoritárias. Falta muito tempo, é verdade, mas ninguém quer correr riscos de prejuízos e nem desmanchar projetos traçados há alguns anos. Evidente que muitos comentários serão feitos e registrarão algumas contrariedades, porque, queiram ou não, Albano é um nome que eleitoralmente incomoda e provoca um certo calafrio quando se pensa em enfrentá-lo. É preciso ter estrutura para isso…

 

 

VIAGEM

O governador João Alves Filho (PFL) reúne-se, hoje, em Washington. Com o presidente do Banco Mundial, Enrique Iglesias, pra tratar sobre o projeto Nova Califórnia.

Segundo a assessoria do Governo, trata-se do maior projeto de irrigação surgido na região nos últimos 30 anos, depois de Petrolina. Vai gerar 40 mil empregos no sertão sergipano.


PALESTRA

A senadora Maria do Carmo Alves (PFL) fará uma exposição sobre o Projeto de Inserção Social em Sergipe, quarta-feira, em Paris. Atende a convite do embaixador da Unesco no Brasil, Jorge Werthein.
A convite da senadora, o secretário da Educação, Lindemberg Lucena, falará sobre o Projeto Educação em Sergipe, destacando a erradicação do analfabetismo e o Centro de Excelência.


DÉDA

O prefeito Marcelo Déda (PT) quer iniciar um amplo debate que identifique os pontos da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) as Prefeituras Municipais.

Depois disso, Déda vai propor mudanças pontuais que não ponham em risco a estabilidade econômica conquistada pelo Governo Federal.


DISCUSSÃO

Marcelo Déda acha, “que o ideal seria iniciar uma discussão no Congresso Nacional e todas as instâncias, sobre este primeiro ciclo da Lei de Responsabilidade Fiscal”.

Admite que a lei é necessária, mas há normas que funcionam em São Paulo e não servem para uma cidade com três mil habitantes.

 

MUDANÇAS

A partir da próxima semana, segundo Marcelo Déda, serão feitas mudanças no segundo escalão: “alguns setores terão diretoria cem por cento substituídas”.

Quanto ao primeiro escalão, que tomou posse sexta-feira passada, não haverá qualquer tipo de mudança, exceto por necessidade de acomodação dos aliados.

 

DUTRA

Uma importante fonte da oposição admitiu, ontem, que o presidente da Petrobrás, José Eduardo Dutra (PT), não deixará a Presidência da Petrobrás para disputar o Senado.

Dutra permanecerá no cargo até o final do Governo Lula, com chances de continuar caso ele seja reeleito.

 

SEGURANÇA

Aracaju amanheceu, ontem, inundada pelo boato de que o governador João Alves Filho afastaria Luiz Mendonça, da Secretaria de Segurança Pública.

Segundo as informações, o novo titular da Segurança seria o líder do Governo na Assembléia Legislativa, Venâncio Fonseca (PP).

 

DESMENTE

Ontem mesmo o deputado Venâncio Fonseca desfez o boato e disse que não foi convidado pelo governador para assumir a Segurança Pública.

Para Venâncio, das todas as secretarias existentes no estado, a Segurança seria a última que ele aceitaria: “não é lugar para um político” disse.

 

LANÇAMENTO

O deputado Luis Greenhalgh (PT) lançou, ontem, em Aracaju, a sua candidatura a presidente da Câmara Federal, ao lado do prefeito Marcelo Déda.

Aconteceu durante almoço com seis dos oito deputados federais de Sergipe, além de Mendonça Prado (PFL) que está licenciado, e de Sandro Mabel (PL) que está em Aracaju.

 

VOTOS

O deputado federal João Fontes (PDT) calcula que seis deputados sergipanos votam em Luiz Greenhalgh para presidente da Câmara.

Acha que José Carlos Machado (PFL) vai votar no candidato do seu partido, José Carlos Aleluia, e Cleonâncio Fonseca (PP) que acompanha o partido/.

 

DOCUMENTOS

O senador José Almeida Lima (PSDB) passou ao deputado João Fontes todos os documentos e livros do PDT, que passará a seu comando.

Também foi passado programa do computado e liberado o horário gratuito do programa para uso do novo grupo que comanda o partido.

 

ESPERA

Almeida Lima disse que espera do ex-governador Albano Franco (PSDB) que também lhe entregue os documentos da sigla quando for lhe passar o comando.

O senador diz que é hábito, em Sergipe, não acontecer a entrega da documentação dos partidos, quando outro político assume o seu comando.

 

TENDÊNCIA

O deputado federal Jorge Alberto (PMDB) disse ontem que sente uma tendência do seu partido em votar no deputado Luiz Greenhalgh para presidente da Câmara.

Michel Temer não tem restrições, mas o líder do partido na Câmara, José Borba (PR) quer reunir a bancada para tomar uma posição.

 

Notas

 

MINISTRO

O prefeito de Aracaju, Marcelo Déda (PT), teria dito em conversa com amigos, que não deixaria a Prefeitura nem para ser ministro de Estado. Segundo um deputado federal, o prefeito está agindo como se estivesse em campanha para governador e tem pressa em fazer as obras programadas para este ano.

A mesma fonte acrescentou que o prefeito Marcelo Déda já vai iniciar os seus contatos para agrupar um maior número de legendas na coligação que o apóia e conversa com lideranças importantes do interior.

 

VALADARES

O senador Antônio Carlos Valadares (PSB) dispensa qualquer comentário sobre candidatura ao Governo do Estado em 2006. Entretanto, alguns políticos mais experientes acham que ele tem melhores condições de unir força no interior do que o próprio Marcelo Déda. O senador silencia. Sobre isso.

Um prefeito do interior acha que o senador Valadares conhece bem o eleitorado sergipano e trata melhor s lideranças. Um grupo que dá sustentação ao prefeito acha que ele deveria disputar o Senado Federal.

 

TURISMO

O secretário de Turismo, Pedrinho Valadares (PFL), estranhou informações de que o prefeito Marcelo Déda havia conseguido, junto à Infraero, a implantação de uma torre de controle e de fingers para o aeroporto de Aracaju. Segundo Pedrinho, o prefeito não pode se sentir responsável pelos dois projetos.

Segundo Pedrinho, “há um bom tempo encaminhamos essas duas obras para o aeroporto e não vamos aceitar que Déda queira capitalizar para ele esses projetos”.Diz que foi um trabalho de João Alves Filho.

 

 

É fogo

 

O deputado federal José Carlos Machado (PFL) está em São Paulo onde faz tratamento de hérnia de disco.

 

José Carlos Machado telefonou para o prefeito Marcelo Déda e justificou sua ausência no almoço par Luiz Greenhalgh.

 

O deputado federal Jorge Alberto (PMDB) tem simpatia pessoal pelo seu colega Virgílio Guimarães (PT) para presidente da Câmara, mas não irá de encontro ao partido.

 

O ex-governador Albano Franco (PSDB) recebeu, ontem, em seu gabinete, o deputado federal Bosco Costa e o ex-prefeito Jerônimo Reis, de Lagarto.

 

O deputado federal Sandro Mabel (PL-GO) tem uma casa de veraneio na praia do Saco. É vizinho do ex-governador Albano Franco.

 

Quarta-feira o deputado Heleno Silva (PL) jantou com Sandro Mabel e discutiram sobre a situação política em Sergipe.

 

O deputado Luiz Greenhalgh fez uma visita, à tarde, à governadora em exercício, Marília Mandarino. À noite participou da abertura do Pré-Caju.

 

Os boatos sobre o afastamento de Luiz Mendonça da Secretaria de Segurança continuam muito fortes.

 

A arquibancada do Pré-Caju está instalada em uma área muito escura e perigosa. O pessoal é exposto aos marginais.

 

O Bradesco comunicou, quarta-feira, que fechou com o banco PanAmericano, do grupo Silvio Santos, acordo de cessão de direitos de crédito de até 7,2 bilhões de reais.

 

A Varig registrou um índice médio de pontualidade nos vôos domésticos de 95% em 2004. Com o resultado, a empresa obteve melhor desempenho.

 

A produção de petróleo e gás natural da Petrobrás fechou o ano de 2004 com uma queda de 0,7% na comparação com a média de 2003.

 

brayner@infonet.com.br

 

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários