Serviços da Internet. Você confia?

0

Quanto tempo dura uma informação impressa? Se a gente for pensar em jornais, não mais de alguns dias e todos os exemplares já terão sido “reciclados”. Em revistas o tempo é um pouco maior, mas não passa tantos anos assim. Talvez, digamos, cinco anos. Porém, quando o assunto é web a vida de uma informação vai perdurar por muitos e muitos anos. Por este motivo, escrever é uma tarefa um tanto ingrata. Acredito que vamos escrever coisas das quais nos arrependeremos daqui a 10 anos. Uma delas com certeza é a da coluna de hoje.

 

O nosso grande ícone quando falamos de serviços na Internet se chama Google. A nossa confiança no Google é tão grande que nós normalmente não pensamos nele fora do ar ou indisponível. Entretanto, nos últimos meses temos nos deparado com vários problemas nos serviços que eles disponibiliza. Semana passada li que foram sete erros graves nos últimos seis meses (infelizmente perdi o link para o site). A minha pergunta é: se o Google, com toda a sua robustez, está cometendo erros e comprometendo os seus serviços, será que dá para confiar nos serviços da Internet?

 

Muito tem se falado (eu inclusive) da transferência de serviços para a Internet. O Google Docs é um bom exemplo disso. É um serviço básico de softwares de escritório (editor, planilha e apresentação) que roda na nuvem. É um serviço muito bem feito e eu o utilizo desde a sua disponibilização em fevereiro de 2006. Estão lá as colunas que escrevo aqui na infonet, documentos que desejo compartilhar com outras pessoas e alguns documentos pessoais (meu currículo, certificados de participação em eventos, algumas provas já aplicadas e por aplicar, cópia da minha identidade, CPF, reservista, título de eleitor, entre outros). A minha utilização diria que é bastante significativa. Porém, com os acontecimentos das últimas duas semanas diria que a confiança que tinha nos serviços não será mais a mesma.

 

Imagine que de um dia para outro todos os seus documentos ficassem compartilhados. Veja que não estou nem falando do mundo corporativo, onde informações valem ouro. Estou falando como pessoa física mesmo. As colunas não têm muita importância pois elas são públicas, mas meus documentos e minhas provas não dá para compartilhar. Esse foi um dos problemas que aconteceram com milhares de usuários do Docs. Depois desse acontecimento será que você continuaria confiando no serviço? As colunas vão continuar lá, mas o resto já está fora. Os outros documentos vão para locais mais seguros (será??).

 

Se não bastasse a questão segurança, outro ponto negativo dos nossos serviços estarem na Internet é com relação a nossa banda (nada) larga. Com o que temos atualmente não dá para ser feliz. Sendo assim, como é que podemos pensar em ter software como serviço se a nossa conexão é de péssima qualidade? Cabe a Anatel regular melhor as teles, pois os serviços prestados são de qualidade questionável e com preços elevados. Enquanto nada disso se revolve, vou usar meu editor de textos desktop e meu pen-drive como backup.

 

 

Formatura do S2B (Student to Business)

Na última sexta-feira foi a formatura da turma do S2B na Universidade Tiradentes. O S2B é uma iniciativa da Microsoft para capacitação de futuros profissionais nas tecnologias Microsoft. Aqui em Sergipe foi uma parceria do SergipeTec com a UNIT e provou ser uma iniciativa de sucesso. Foram mais de 1000 inscrições e após vários filtros tivemos 30 formandos na área de infra-estrutura e desenvolvimento. A solenidade teve, entre outros, a presença do Reitor da Unit, Joubert Uchôa, do Secretário de Desenvolvimento Econômico, Jorge Santana, e do presidente do SergipeTec, Teófilo de Miranda. Os três falaram da importância do curso para o desenvolvimento do Estado. Além disso, Jorge Santana, informou que o desejo do Governo do Estado é o fortalecimento das empresas de informática por meio dos projetos que serão realizados pelos diversos órgãos. Caso isso tudo realmente se concretize haverá uma grande demanda por profissionais de tecnologia nos próximos meses.

Já ia esquecendo… Teremos outra turma do S2B e as inscrições começam no próximo dia 18. Não perca!
 

 

Curso de inovação tecnológica

Amanhã pela tarde será realizado no Sebrae um curso de Projetos de Inovação Tecnológica. O curso se destina a empresários, coordenadores de projetos de desenvolvimento tecnológicas e profissionais em atividades técnicas e gerenciais. O objetivo do curso é indicar os melhores caminhos para conceber projetos de inovação, que possam ser submetidos a editais de subvenção econômica, como o que temos em andamento atualmente no FINEP. Infelizmente as inscrições já foram encerradas, mas fica aqui o registro para futuros eventos na mesma área.

 


Infra-estrutura de votação do BBB

Semana passada estava indo para casa, na hora do almoço, escutando o programa do Pânico da JovemPan. Eles estavam discutindo sobre o BBB e um dos apresentadores falou que não acreditava na contagem da Globo, já que não tinha nenhum sistema que pudesse suportar 30 milhões de votos.
Pensando um pouco mais resolvi fazer a conta da quantas transações precisam ser feitas por segundo para completar os 30 milhões de votos. A conta deu 173, dividindo a quantidade de votos por 48h. O número não é muito alto e já existem várias soluções para atender essa demanda. Sendo assim, é até bem provável que eles trabalhem com folga. Até porque nem todas as transações são na Internet, ainda tem SMS e telefone.
Alguns BBBs atrás o sistema chegou a cair, mas nas últimas edições isso não aconteceu. Provavelmente, depois de apanhar, eles montaram uma boa infra-estrutura para suportar os votos.

 


O fim da comunidade Discografias (por Hugo Dória)
Os membros da comunidade Discografias (do Orkut) receberam uma chata surpresa esta semana: a comunidade, que fornecia links para álbuns completos e possuía quase 1 milhão de membros, foi fechada pela Associação Antipirataria Cinema e Música (APCM). Na própria página da comunidade há um comunicado da APCM detalhando os motivos do fechamento.

Para quem ainda não sabe, a associação vem lutando contra vários sites do gênero e já conseguiu fechar alguns importantes como, por exemplo, o legendas.tv. Eu não consigo imaginar até onde esta briga vai, e nem se a APCM terá folêgo para fechar todos os sites e comunidades consideradas ilegais. Afinal, existem muitos sites deste tipo e a maioria acredita que está impune, pois não hospedam os arquivos em si (apenas disponibilizam links para os mesmos).

Bem, independente de pirataria acredito que está mais do que na hora das gravadoras começarem a repensar o seu modelo de negócio, pois há uma boa chance delas acabarem. Talvez um dia você escute seu neto falar: “Pai, o que era uma gravadora?”.


Lançado sistema verificável de votação pela internet (por Hugo Dória)
Está sendo desenvolvido o primeiro software de votação pela internet que permite que o usuário verifique se seu voto foi corretamente computado. Além disso, o software, conhecido como Hélios e desenvolvido na Bélgica, permite que qualquer observador verifique se todos os votos foram contados corretamente. Todo o processo usa avançadas técnicas de criptografia e garante o sigilo das informações. Graças a isso, o resultado da eleição não pode ser forjado nem mesmo com o uso de poderosos supercomputadores.

Para falar a verdade eu acho que a idéia do sistema é ótima, mas não sei se funcionaria no Brasil. Os políticos poderiam usá-lo como uma arma e comprar votos de forma “garantida”. Um candidato poderia exigir, por exemplo, que a pessoa que está vendendo seu voto lhe fornecesse sua senha e, dessa forma, somente liberar o “pagamento” depois que confirmasse que a pessoa votou nele. Teoria da conspiração? Talvez. Mas não é bom subestimar o “jeitinho brasileiro”.
 

Até a próxima semana.

 

em tempo: Parabéns a nossa linda cidade. De toda a coluna é a única coisa que ainda vai valer daqui a 10 anos.

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários