Setransp, João e a tarifa de ônibus

0

No início desta semana, o Setransp enviou à imprensa sergipana uma notícia com o seguinte título “Cidades brasileiras realizam reajustes na tarifa de ônibus”. No texto, o sindicato dos empresários destaca que, entre novembro de 2013 e os primeiros dias de 2014, quinze cidades de todas as regiões do país já efetivaram aumentos no valor das passagens de ônibus, segundo dados da Associação Nacional das Empresas de Transporte Público.

No mesmo texto, é afirmado que, em outras cidades, as empresas de transportes estão acionando o Judiciário para reivindicar o imediato reajuste como forma de minimizar um suposto “prejuízo com o desequilíbrio-financeiro do sistema devido ao congelamento ou redução do preço das tarifas de ônibus”.

Maquiagem pura com um objetivo muito claro. A notícia enviada à imprensa nada mais é que um sinal do Setransp de que, nas próximas semanas, será a sua vez de pleitear um aumento na tarifa de ônibus. As últimas linhas do texto deixam isso evidente. “A tarifa é importante para manter os investimentos e equilibrar a elevação dos custos que os consórcios tiveram no ano anterior, como os aumentos aplicados no preço do diesel, entre outros, ou o reajuste anual concedido pelo setor aos rodoviários”.

As íntimas relações entre empresários do transporte e o poder político, especialmente no financiamento de campanhas eleitorais, já colocaram no calendário das principais cidades brasileiras: os primeiros meses do ano são o momento propício para aumento na tarifa de ônibus. Em Aracaju, não é diferente. Foi assim em 2008 (março), 2009 (fevereiro), 2010 (fevereiro) e 2011 (janeiro). Em 2012 não houve reajuste, mas nem por isso os empresários deixaram de ser beneficiados, afinal ganharam (no mês de março) das mãos do então prefeito Edvaldo Nogueira uma considerável redução no valor do ISS (Imposto sobre Serviços).

No ano passado, após fechar os olhos para as inúmeras irregularidades existentes na planilha de custos do Setransp, após ignorar as propostas da sociedade por maior discussão pública e transparência nos processos que envolvem o transporte, após assistir silenciosamente a Guarda Municial disparar spray de pimenta e cacetete em manifestantes, e após tentar jogar toda a responsabilidade para os vereadores, o prefeito João Alves Filho concedeu o reajuste da tarifa de ônibus.

Esse ano, o prefeito ainda não se manifestou sobre o tema. Mas durante a sua vitoriosa campanha à Prefeitura, João Alves afirmava ter nas mãos as soluções para os problemas do transporte público em Aracaju: ônibus modernos, com ar condicionado, capacidade para 260 pessoas e acessibilidade para pessoas com deficiência; redução do tempo de espera nos pontos e terminais; vias exclusivas para ônibus, contemplando todas as regiões da cidade; construção de dois novos terminais no Santa Gleide e Santa Maria; reforma dos terminais já existentes. Tudo isso dentro de um tal pacote “BRT”. Quem tem dúvidas sobre o que estou escrevendo ou não se lembra das soluções de João para o transporte pode assistir o seu 14º programa eleitoral.

Com mais de um ano de mandato, a população ainda não viu sair do papel nenhuma das soluções de João. Como em 2013, será que a única solução encontrada por ele será reajustar a tarifa de ônibus?

Comentários