Seu site é navegável pelo celular?

0

No post da última semana, escrevemos sobre sites responsivos, cujo design se adequa automaticamente à resolução do internauta. Hoje, vamos tratar de um assunto relacionado, a fim de responder uma pergunta enviada pelo leitor Paulo Soares à nossa coluna: “mas e se o meu projeto não for responsivo, ainda assim ele pode ser visualizado na tela de um celular, por exemplo?”. Já antecipo que a resposta é positiva, desde que alguns pré-requisitos sejam atendidos.

De forma objetiva, além da responsividade, há outras duas formas de assegurar que o site da sua empresa será navegável através de dispositivos móveis (sem uma destas opções, a menos que o seu projeto web seja extremamente simples, ele pode até correr o risco de funcionar corretamente num celular, mas sem qualquer garantia para isso). São elas:

1) Versão mobile
Junto à versão desktop – que será exibida nos PCs comuns e também nos tablets –, você pode contratar um segundo site, específico para quem o acessar via celulares e smartphones. Neste caso, ao invés de um único projeto (como ocorre nos responsivos), serão estruturados dois. Vale destacar que, mesmo se tratando de um projeto adicional, uma das vantagens é que o investimento final acaba sendo mais baixo, quando comparado a sites responsivos. Um dos motivos é que, ao invés de três layouts (como explicamos na semana passada), seriam criados apenas dois (um para cada site).

2) Estruturação em W3C
Esta é a opção mais em conta. Isto porque a segurança de que o site será visualizado corretamente nos dispositivos móveis vem sem quaisquer custos adicionais. Bem verdade que o internauta que o acessar através do celular verá exatamente a mesma versão que uma outra pessoa que utilizar um computador de mesa. Mas ele funciona! O site não é responsivo, tampouco conta com versão mobile. Porém, ele foi estruturado de acordo com o W3C, principal organização mundial com foco em padronizar a internet. E isto tanto na criação, quanto na interpretação de conteúdos. Como os navegadores levam em consideração as definições do W3C – seja no desktop, tablet, celular ou smartphone –, contar com um site que atenda estes padrões lhe dá a garantia que de ele poderá ser acessado de qualquer plataforma. Outras vantagens são a otimização para o Google (projetos em W3C têm preferência no rankeamento) e a utilização do site também por internautas com algum tipo de deficiência visual (pois permite que os programas de leitura de tela acessem os conteúdos sem problemas).

E aí vai uma dica final: independente de você contar ou não com um site responsivo ou uma versão mobile, jamais abra mão do W3C! Na hora de desenvolver o seu projeto web, então, questione se este formato já está contemplado – as principais agências já o tem como padrão – e exija-o. Depois, é só aproveitar as vantagens que ele trará para o seu site. Bons negócios!

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários