SINAIS DE IMPACIÊNCIA

0

Candidatos de partidos que apóiam o governador João Alves Filho (PFL) acham que ele deve iniciar imediatamente visitas mais constantes a cidades do interior. Há sinais de impaciência. Ainda não há definições de alianças e João Alves se mantém dedicado à administração. Para um dos seus auxiliares, “nem parece que o governador está às vésperas de uma campanha para um pleito difícil e precisa buscar as bases para fortalecer a sua candidatura”. O receio desse pessoal é que o prefeito Marcelo Déda (PT), o principal adversário, já está deixando o mandato na Prefeitura de Aracaju para embarcar na campanha, absolutamente livre para trabalhar full time a sua candidatura. Um dos candidatos certos a deputado estadual declarou que desde o começo do ano que João Alves Filho vem anunciando que vai se dedicar à campanha, mas até hoje ainda não o fez, mesmo que tenha avançado em algumas conversas.

Apesar de ter montado uma equipe capaz de operacionalizar o estado e deixá-lo mais solto para tratar da reeleição, o governador João Alves Filho ainda não teve tempo para cair, de corpo e alma, na campanha. Um dos seus assessores considerou um equívoco sua viagem durante o carnaval, quando todos os políticos – incluindo o seu principal adversário – viajavam por várias cidades, participando diretamente dos festejos do período. Onde havia um trio elétrico via-se um candidato atrás, junto a uma multidão que se sente prestigiada com a presença da liderança política. Dentro do governo há quem defenda esse estilo moroso, porque considera que não há pressa para iniciar a campanha. Ainda há muita coisa a fazer no estado que exige uma ação direta do governador. Hoje mesmo João Alves viaja a Brasília para buscar uma solução que a decisão do Tesouro da União merece. Certamente será uma batalha que vai durar alguns dias e, mais uma vez, a campanha se torna relevante neste momento.

Não há dúvida que o clima é de eleição e não dá para estranhar a impaciência de quem vai disputar um mandato proporcional e necessita de definição para iniciar a campanha com todo o bloco montado e nas ruas. Ontem à noite, um muito bem orientado assessor do governador João Alves Filho revelou que ele está aguardando a decisão sobre a continuidade da verticalização, porque já tem conhecimento da composição que o seu partido fará a nível nacional. Percebe-se que já não existe um clima hostil entre o PFL e PSDB em Sergipe e se está à beira de um encontro entre as lideranças principais dos dois partidos, para analisar a possibilidade de uma aliança, que acompanha a decisão das duas legendas a nível nacional. Albano Franco e João Alves Filho ainda não tiveram nenhum encontro desde 1998, mas já se ouviram através de amigos e intermediários. Albano diz que a partir de agora só terá uma conversa diretamente com João Alves e já deu um novo prazo para isso: até a páscoa.

Ninguém ainda sabe o que pode acontecer. Nas duas siglas existem pessoas contrárias à composição, mas a maioria considera que, com a verticalização, dificilmente essa aliança não será fechada. A não ser que o PSDB resolva lançar candidatura própria ou não ter candidato majoritário e liberar o pessoal. O objetivo de Albano é disputar o Senado e o PFL precisa da garantia que ele permanecerá na luta, caso se eleja, em uma provável disputa no segundo turno. Esse lance de bastidores, em que todos demonstram habilidade no jogo de paciência, revela que o governador João Alves vem trabalhando para fazer uma composição competitiva. Evidente que também precisa acomodar o PSC, que apoiará Garotinho (PMDB), caso ele consiga chegar a candidato a presidente da República, mesmo que esse partido já integre o bloco que lhe dá apoio.

Mas, aguardem, o PFL tem uma carta decisiva para bater o processo de alianças. Já houve conversas sérias e concordâncias. Deve acontecer até maio e vai provocar uma cratera no bloco de oposição.

 

EMPRÉSTIMO

O secretário geral do Tesouro da União, Murilo Portugal, avisou ao secretário da Fazenda, Gilmar Mendes, que não dava aval para Sergipe contrair empréstimos, inclusive externos.

Murilo Portugal alegou que Sergipe descumpre a Lei de Responsabilidade Fiscal desde 2000. Também ouviram isso os deputados José Carlos Machado e Mendonça Prado.

 

MÁ VONTADE

José Carlos Machado acha que “há uma dose muito grande de má vontade” e estranha que só agora o Tesouro tenha descoberto o descumprimento da lei.

O governador João Alves Filho desembarca hoje em Brasília para tratar do assunto, inclusive junto à bancada. Pode apela até para uma ação judicial.

 

AGRICULTURA

O deputado federal Cleonâncio Fonseca (PP) fez críticas pesadas ao secretário da Agricultura, Sérgio Reis, ao considerá-lo inoperante.

Cleonâncio disse que a Agricultura sergipana está sendo utilizada com objetivos políticos e que o seu funcionamento vem deixando muito a desejar.

 

VISITA

O presidente regional do PMDB, Benedito Figueiredo, ao falar sobre a consulta do seu partido que escolheu Garotinho, disse que vai aguardar como ficará a situação.

Benedito também anunciou que fará uma visita ao prefeito Marcelo Déda (PT), para retribuir a que lhe fora feito por ele.

 

ELOGIOS

Ao saber da visita, o prefeito Marcelo Déda vez elogios ao ex-vice-governador Benedito Figueiredo, lembrando que esteve com ele no mesmo palanque em outras campanhas.

Durante a visita será tratado sobre alianças e Marcelo Déda se referiu ao fato do deputado Jorge Alberto (PMDB) ter sido sondado para ministro da Saúde.

 

ALBERTO

O deputado federal Jorge Alberto (PMDB) vai esperar o convite oficial para se decidir, afinal é candidato à reeleição e terá que sair para o sacrifício.

Até o momento a questão está em conversas informais (opinião da coluna: “Jorge precisa de alguma coisa a mais para compensar o sacrifício. Lula pode não ser reeleito”)

 

DECISÃO

Benedito Figueiredo explicou que o PMDB fará convenção em junho com dois objetivos: homologar a candidatura de Garotinho ou optar para que o partido não tenha candidato.

A primeira opção impede coligação com outras legendas, a segunda opção deixa o PMDB livre, leve e solto para fazer aliança com quem melhor convier.

 

SÉRGIO

Algumas reclamações de políticos ao secretário da área, Sérgio Fontes, que demonstra falta de experiência em setor tão importante do governo.

 Sérgio sequer conhece lideranças menores do interior do Estado e fica consultando políticos experientes para saber nomes e em que município atuam.

 

SUSANA

A deputada Susana Azevedo (PSC) faz um discurso hoje sobre a questão do rio Sergipe, que precisa ser revitalizado. A deputada proporá a criação de um Plano Diretor para o rio.

O colunista Osmário Santos trabalha há três anos pela recuperação do rio e anuncia que o movimento é apolítico. Osmário já conta com o apoio de várias entidades de classe.

 

PALANQUES

Sete palanques estaduais separam hoje o governador Geraldo Alckmin do acordo final com o PFL: Sergipe, Bahia, Santa Catarina, Amazonas, Goiás, Piauí e Distrito Federal.

Conversas entre a cúpula dos dois partidos são mais freqüentes, para que fechem alianças em todo o Brasil, para que se forme um bloco forte contra o presidente Lula.

 

PIOR SITUAÇÃO

As lideranças dos dois partidos avaliam que a pior situação é em Sergipe, onde o governador João Alves (PFL) tentará a reeleição.

Entretanto é adversário histórico da principal liderança tucana sergipana, o ex-governador Albano Franco. (Opinião da coluna: “não são tão históricos assim”).

 

SUKITA

O prefeito de Capela, o Sukita (PSB), pode decidir sua posição sobre a sucessão estadual ainda esta semana e anunciar quem será seu candidato.

Sukita terá um encontro, possivelmente esta semana, com o governador João Alves Filho (PFL). Quando sair da audiência decidirá o seu rumo.

 

ESCOLHA

Membros do bloco oposicionista não vão aceitam que o senador Valadares (PSB) indique o candidato a vice na chapa majoritária liderada por Marcelo Déda (PT).

A maioria quer que o senador faça opção: ou a candidatura de Valadares Filho ao Senado, ou a indicação do vice.

 

 

Notas

 

VERTICALIZAÇÃO

O procurador-geral da República, Antonio Fernando Souza, enviou ao Supremo Tribunal Federal (STF) parecer a favor da Ação Direta de Inconstitucionalidade (Adin), que questiona a emenda constitucional promulgada recentemente pelo Congresso que acabou com a regra da verticalização.

Proposta pela OAB, a Adin questiona o fato de a emenda – pela qual foi aprovada o fim da exigência das alianças nos estados seguirem os mesmos acordos em nível federal – poder valer para as eleições de outubro.

 

DOMÉSTICA

Presa desde novembro do ano passado por furtar um pote de manteiga de R$ 3,20, a doméstica Angélica Aparecida de Souza Teodoro tem pedido de hábeas-corpus apresentado no Superior Tribunal de Justiça (STJ). Esse já é o segundo pedido em defesa da doméstica desempregada. Já é o segundo pedido.

Angélica tem 18 anos, está desempregada, tem um filho de dois anos, mora com a mãe doente. O furto se deu em São Paulo, quando ela viu o filho chorando de fome (nota da coluna: “Delúbio e Valério estão soltos”).

 

GAROTINHO

O Partido Social Cristão (PSC) foi o partido que mais cresceu em Sergipe, graças à habilidade do seu presidente, empresário José Amorim. Pode-se dizer que na eleição deste ano será um peso significante para onde pender e só tomará uma posição com propostas sólidas e participação majoritária.

De qualquer forma há uma dificuldade: o PSC tem compromissos de apoiar Garotinho (PMDB) presidente da República, o que impede uma participação em chapas majoritárias que fechem com Alckmin ou Lula.

 

 

É fogo

 

O prefeito de Capela, Sukita, está em Brasília resolvendo problemas do seu município, para deixá-lo adimplente.

 

Sukita acha que deve tomar uma posição em relação ao candidato a governador que atenda aos interesses de Capela.

 

O deputado federal Heleno Silva (PL) passou alguns dias de licença em razão de stress. Já retornou às suas atividades.

 

O deputado federal João Fontes (PDT) está animado com a candidatura de Antônio Samarone ao governo do estado.

 

A partir de agora o PDT vai iniciar uma campanha intensa em todo o estado, para levar o nome de Samarone aos municípios e povoados.

 

O senador Almeida Lima (PMDB) acha que estão criando um caos institucional, porque o Supremo está impedindo o Congresso de fiscalizar.

 

O ex-governador Albano Franco (PSDB) tem lembrado que política é soma e que o seu partido, a nível nacional, está empenhado em fazer alianças com vários partidos.

 

O deputado estadual Marcos Franco (PMDB) continua analisando a sua candidatura, mas por enquanto mantém o desejo de disputar a reeleição.

 

O Banese prorrogou as inscrições para o concurso. O prazo foi ampliado para sexta-feira nas agências do banco e até o dia 26, via Internet.

 

“Descubra Sergipe” é o desafio que empresários e autoridades do turismo vão apresentar ao trade português na próxima sexta-feira.   

 

Os piratas tomaram de assalto os lares brasileiros. No Rio,78% da população compra ou já comprou mercadorias falsificadas.

 

A Conab reduziu em 1,5% a estimativa de safra para este ano em relação ao levantamento realizado em fevereiro.

 

brayner@infonet.com.br

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais