Sistema de Cotas – Discriminação é desigualdade

0

O blog publica hoje, um texto do leitor Narcizo Machado Filho: O Sistema de Cotas é um processo importante e complexo para a sociedade brasileira. Somos contra ao sistema de cotas, basicamente porque esse processo é discriminatório, ao ler o art.5º da Constituição Federal entendemos que todos são iguais… A prática de racismo é crime inafiançável (inciso XLII), o racismo é entendido como resultado de uma discriminação e desigualdade racial. O sistema de  cotas é a própria pratica do racismo, se não vejamos, os negros são pessoas normais como as outras, a única diferença e a cor, se um deles passar no vestibular quem o impedirá de estudar na universidade, ele tem escola pública como os brancos, se tiver dinheiro estudará nas mesmas condições dos brancos.

 

Há de se perguntar – Será que todos serão beneficiados? Ora para fazer o vestibular é necessário ter no mínimo o nível médio, para passar no mesmo é preciso estar preparado, quantos negros concluem o nível médio, e deste quantos têm condições de passar no vestibular é uma reflexão importante a fazer. Os negros precisam de dignidade, quer andar com as próprias pernas, conquistar seu próprio espaço, quer escolas, quer professores e qualidade como princípio de justiça social, em suma quer ser cidadão.

 

O Governo precisa é investir na qualidade do ensino público, através de novas escolas, ampliação das existentes e recurso para que os professores possam desenvolver seu trabalho na sala de aula com qualidade e dignidade. Cobrar dos professores relapsos, mais responsabilidade com o ensino.

 

Estamos na era das mudanças porque não pagar aos professos por hora aula, assim como é feito nas escolas particulares, talvez assim, o ensino público torne-se mais eficiente e não seja necessário aplicar o sistema de cotas, porque todos terão as mesmas condições de aprendizagem, com professores mais dedicados. Temos no Brasil, vários autoridades negras, o que fizeram eles para chegar a onde chegaram, estudaram de uma forma ou de outra para atingir seus objetivos, se sofreram algum tipo de discriminação foi pela sua inteligência e não pela proibição de estudar.

 

O sistema de cotas é uma forma de preconceito, eles próprios se discriminam, isso só ajuda a eles adentrar na universidade sem o menor esforço, esses alunos no futuro serão discriminados por serem profissionais incompetentes, a capacidade intelectual do ser humano não deve ser medida pela cor da pele, pela raça e sim pelo seu conhecimento, pelos o esforço que cada um deve ter para ingressar numa universidade.    

 

O sistema de cotas nos Estados Unidos, não ajudou a diminuir a prática do racismo, lá a guerra racial é mais aberta do que no Brasil. Portanto, o sistema de cotas que deveria e deve existir e o da condição social, forma mais fácil de mensurar. (Narcizo Machado Filho – graduado em ciências contábeis e pós-graduado em gestão fiscal e planejamento tributário).

 

Que bom! Um grupo pensante em Sergipe

Ontem, no programa que apresenta, na rede Ilha, Gilmar Carvalho anunciou que  políticos e empresários estão formando um grupo para investigar a relação de Albano Franco com a Gautama em Sergipe. Quem bom! Certamente trará grandes benefícios para o Estado, já que, com certeza esses políticos e empresários não estão preocupados com seus interesses pessoais e muito menos eleitorais.

 

MPF tem que convidar estas cabeças pensantes

Aliás, este grupo deveria ter sido formado antes. Já pensou se eles tivessem feito essa investigação desde o início, quando alguns sergipanos foram presos pela Polícia Federal? Certamente já teriam resultados para apresentar a sociedade sergipana. Será bom também que o MPF convide estas cabeças pensantes para auxiliar o órgão nas investigações que, continuam sendo realizadas, para desespero de muitos.

 

Sergipe não é uma ilha isolada

Ainda sobre o assunto: como bem diz Albano Franco, em Sergipe todo mundo se conhece, e mais, todo mundo sabe quando os recados são dados no sentido de intimidar determinadas pessoas ou políticos. Sergipe, felizmente, não é uma ilha isolada do mundo, onde um náufrago, tenta desesperadamente seu passaporte para o mundo real, subestimando a inteligência de todos.

 

Fim da fidelidade pode mudar política

Anote: na última terça-feira, 24, dois ministros do TSE votaram pela inconstitucionalidade da resolução que trata da fidelidade partidária, ao examinar consulta de autoria do PTC. A decisão foi adiada por conta de um pedido de vistas do relator, Felix Fischer. Os Tribunais Regionais Eleitorais estão atentos e até esperando essa decisão que pode sair hoje e extinguir todos os processos por conta da mudança de partidos.

 

Alex “pisou” na bola

Como este espaço antecipou ontem, 25, o prefeito de São Cristovão, Alex Rocha (PDT), se precipitou ao determinar a assessoria dele que enviasse release a imprensa anunciado que o governador Marcelo Déda iria apoiá-lo. Na verdade, Déda participou de uma reunião administrativa onde enviará recursos para obras em São Cristovão. Por conta das pesquisas eleitorais, onde coloca uma margem grande para o ex-prefeito Armando Batalha, Alex só vê como uma luz no final do túnel o apoio de Déda. Lá, Déda já disse que não pisa.

 

Escolhida vice de Maria Mendonça

A vereadora Edilene Barros,  do PSL, esposa do ex-deputado José Milton de Zé de Dona, é a candidata a vice-prefeita na chapa de Maria Mendonça em Itabaiana. O PT vai participar da administração assim como outros partidos aliados.

 

Luciano pode desistir em Propriá

O ex-prefeito e ex-deputado Luciano de Menininha pode anunciar hoje, 26, que não será candidato a prefeito. Um dos motivos será o financeiro e o outro é a saúde da mãe, a ex-prefeita Menininha – irmã da senadora Maria do Carmo – que se submeteu a uma angioplastia na última semana. O outro candidato, o prefeito Paulo Britto, já tem o apoio de 15 partidos.

 

AL esclarece compra de cadeiras

Da diretoria de Imprensa e Divulgação da Assembléia Legislativa: “As atuais cadeiras do plenário estão com a vida útil ultrapassada. Têm mais de 15 anos de uso, já foram reformadas e estão com o dispositivo de regulagem emperrado, sem condições de conserto.  É  portanto oportuna a aquisição de novas cadeiras, o que se dará por meio de licitação, através de pregão, sob o número 006/2008, na forma da legislação vigente. Como o processo ainda está em andamento, não se tem uma conclusão sobre valores. Como se vê, o caso em foco envolve procedimentos absolutamente transparentes, legais e justificáveis, prática que tem norteado os atos da Mesa Diretora da Assembléia Legislativa”.

 

Apresentação de ações do PAC no Coqueiral

O prefeito de Aracaju, Edvaldo Nogueira, realiza hoje, 26, às 19 horas, na Escola Estadual José Alves Nascimento, no Coqueiral, uma apresentação das ações do Programa de Aceleração de Crescimento (PAC) na localidade. O encontro visa trazer à comunidade local as informações necessárias acerca do Programa, tais como valores de investimentos e prazos. Por meio do PAC, a Prefeitura Municipal de Aracaju (PMA), em parceria com os Governos Estadual e Federal, investe recursos da ordem de R$ 98 milhões na construção de casas populares, terraplanagem e pavimentação para famílias que residem nos bairros Coqueiral e Santa Maria. O investimento garante também infra-estrutura, busca a reestruturação das redes de água e esgoto das localidades beneficiadas.

 

MP precisa abrir os olhos em Socorro

A coluna recebeu diversas fotos de prédios públicos da Prefeitura de Socorro com nome de pessoas vivas. É um absurdo. Em vários municípios o MP vem pedindo que os prefeitos mudem os nomes dos prédios. Em Socorro, já existe até uma ação popular ingressada pelo próprio promotor. O problema é que o prefeito José Franco (PPS) não está nem aí. O MP, com certeza, vai fazer a parte dele. E a Justiça idem.

 

Cadê os ônibus no Forró Caju?

De um leitor: “A prefeitura de Aracaju anunciou em seu site que os ônibus circulariam durante a madrugada no Forró Caju. Porém, os foliões não viram, em dia algum, um ônibus sequer circulando entre as 0 e 4h da manhã. Gostaria que este meio de comunicação investigasse o motivo de a prefeitura não estar cumprindo o que prometeu, já que muitos foliões foram ao evento na certeza de que poderiam voltar para casa na hora que bem entendessem, e não foi o que aconteceu”.

 

Banda de Sergipe não seria uma melhor opção?

Hoje, por conta de uma participação ao vivo no Jornal Nacional, da rede Globo, a banda Cavaleiros do Forró começa a apresentação às 20hs no Forró Caju. Detalhe: a banda já tocou no último dia 19. Não seria melhor se a Prefeitura aproveitasse o espaço em nível nacional para divulgar uma banda de Sergipe e não uma banda do Ceará?

 

Servidores do CEAC Riomar trabalham fora do horário?

De um servidor: “Os funcionários públicos efetivos do Estado de Sergipe lotados no CEAC Riomar trabalham em contradição com o que determina o Estatuto dos Servidores Públicos do Estado.  Segundo o art. 243, parágrafo único, do Estatuto dos Servidores Públicos do Estado de Sergipe o expediente não poderá ter início antes das 7:00 horas da manhã, nem poderá se prolongar além das 18:00 (dezoito) horas, sendo que o CEAC Riomar funciona das 09:00 às 21:00. estando então em completo desacordo com o que determina o estatuto”.

 

Sobre a situação na Polícia Militar de SE I

De um militar: “Ao ler sua coluna sobre a situação vexatória da PM, não poderia me furtar em esclarecer a situação caótica apresentada. Em primeiro lugar, a situação estrutural apresentada não é culpa do Coronel Péricles, pois a Lei de fixação de efetivo geral da PM Lei nº 5.216 fora criada em 2004 na época do governador João Alves Filho, que previu apenas a quantidade de 7.139 policiais militares, sem, no entanto, prever as funções para os mesmos, ou seja, não foram criadas através de lei um novo Quadro de Organização (QO) que comportassem esses novos policiais. Quanto a criação do 8ºBPM e de outras Unidades Policiais, na verdade foram ativados e não criados, pois, devido ao clamor público e a necessidade de se distribuir os mais de 5 mil policiais existentes na PM, o comandante, sabiamente, ativou algumas unidades, imagine quando a PM completar o efetivo previsto: 7.139? O que fazer com esses policiais? Acaba com todos os batalhões e unidades criadas e colocam todos no Quartel Central? É humanamente e administrativamente Impossível! O Quartel Central mal cabe os poucos que lá existem, imagine todo esse efetivo”.

 

Sobre a situação na Polícia Militar de SE II

Continua o militar:Quanto a improbidade administrativa pela autorização do pagamento de substituição, creio que o informante esteja desatualizado legalmente, pois a lei de remuneração, ainda que inconstitucional, que não é problema do comandante e sim da PGE, permite que esse dispositivo seja realizado, que aliás é uma maneira justa, pois a inconstitucionalidade não está no pagamento dessa substituição, e sim em outros dispositivos que fere a Constituição Federal e Estadual. Enfim, comentando ainda sobre os policiais militares que estão a disposição de outros órgãos, creio que, enquanto não se cria novos batalhões legalmente constituídos, está sendo uma válvula de escape para o comando geral tal permissão, pois imagine se esses policiais militares voltassem, principalmente os Oficiais, em que funções seriam exercidas? pois, as que existem já estão ocupadas, a escala de rua já estão preenchidas, conforme publicação diária do Boletim Geral Ostensivo (BGO), seria colocá-los no ócio, uma vez que os mesmos podem fazer jus aos seus vencimentos prestando serviço a comunidade nesses órgãos”.

 

Oficial de Pernambuco comenta situação em SE

Do capitão Emilio Neto, da PM de Pernambuco: “Gostaria primeiramente de parabenizá-lo pela matéria escrita no Infonet “PM não pode ser doutor”, e aproveitar a oportunidade para apresentar um fato semelhante ocorrido aqui em Pernambuco, onde um oficial (capitão de polícia) não teve qualquer apoio quer seja administrativo ou financeiro para desenvolver um estágio na polícia alemã, custeando seus próprios gastos através de trabalhos em locais próprios para estudante (sorveteria, jornal etc.)  Como fruto deste trabalho, este oficial foi ainda convidado pela polícia alemã para acompanhar o trabalho e todo o preparativo para os jogos da copa de 2006 nas cidades de Hannover, Hamburg e Braunschweig. Todavia, mais uma vez, não tivemos nem direito a passagem, sendo esta custeada por recursos próprios. São desmotivações como esta, que somada ao problema salarial que aflora principalmente na polícia de Pernambuco, que ocasionam o despreparo profissional e a falta de estímulo para servir a esta instituição bi-secular e de renomada importância para o desenvolvimento de um país”.

 

Marcos Prado, merenda escolar e transporte I

Não há duvida que o direito é interpretativo e por isso teses e mais teses são escritas e debatidas sobre o assunto nas diversas áreas de atuação. Com a ajuda de alguns amigos advogados e por conta de alguns processos este jornalista vem lendo e aprofundo alguns pontos de vista sobre o direito, sem a menor intenção de estudar e ser um profissional da área. Não daria certo, por várias razões. No Cinform desta semana foi publicada uma matéria (diga-se de passagem extremamente informativa e correta) baseada na decisão do juiz João Hora Neto, da 1ª Vara Criminal, um dos que se destaca como magistrado no Estado. Ele, com base em documentos e uma denúncia do MP, condenou a quatro anos de detenção em regime aberto e mais multa, o médico Marcos Prado Dias, por um ato quando estava à frente da Secretaria de Estado da Educação, em 2003 no primeiro ano do último governo João Alves.

 

Marcos Prado, merenda escolar e transporte II

O juiz João Hora se baseou em dados concretos: Marcos Prado contratou algumas empresas cadastradas no início de 2003 para transportar merenda escolar na região do Baixo São Francisco. A justificativa foi que a empresa da licitação, naquele momento estava com o contrato suspenso, sob judice. Foram prestações de serviços na ordem de R$ 22 mil. Dinheiro público e sem licitação, daí a correta preocupação do juiz, sua interpretação e decisão. Processo semelhante, só que civil e não criminal, teve outra decisão. Desta vez foi o juiz José dos Anjos (professor deste jornalista na antiga ETFSE), que na sua decisão julgou improcedente a ação – do mesmo caso – afirmando que o ato não deu prejuízo ao erário público, nem enriqueceu ilicitamente o administrador e tão pouco ocorreu desonestidade e má-fé do agente público. Dois grandes juízes. Dois processos, um criminal e outro civil, sobre o mesmo assunto. Alguém errou? Não, caro leitor. O direito é interpretativo e os magistrados fizeram suas partes com zelo, correção e, sobretudo, imparcialidade.

 

Marcos Prado, merenda escolar e transporte III

Este jornalista procurou Marcos Prado assim que leu a matéria e colheu dados no site do TJ. De início Marcos Prado não quis falar, disse que apenas sua assessoria jurídica irá recorrer da decisão ao próprio TJ, a Câmara Criminal. Fiz alguns questionamentos e ele respondeu. Por exemplo, explicou que por conta da suspensão do contrato com a empresa licitada, se não contratasse as empresas que existiam no cadastro da Seed emergencialmente cerca de R$ 300 mil seriam perdidos, porque a merenda escolar, que já estava comprada, seria estragada. Merenda essa que foi levada para quinze municípios que compõem a DR-06, para 46 escolas e cerca de 20 mil alunos. Sem falar na evasão escolar que aconteceria com a falta da merenda. Neste período Marcos administrou cerca de R$ 500 milhões e para salvar R$ 300 mil em alimentos contratou as empresas de transporte ao custo total de R$ 22 mil. Se os alimentos tivessem estragados, certamente ele responderia outro processo, por negligência. Marcos pode ter errado administrativamente à frente da SEED, mas este caso merece uma reflexão de todos. Não houve má-fé, do administrador, pelo contrário, a preocupação foi não perder cerca de R$ 300 mil em alimentos. Quem sabe, na Câmara Criminal, Marcos consiga reverter a situação, já que não existiu dano ao erário e muito  menos enriquecimento ilícito.

 

PCdoB de Boquim: Ressuscitaram o AI-5 I

Da Comitê Municipal do PCdoB de Boquim: “Como é do conhecimento de todos existe no plano nacional uma aliança histórica entre o PT e o PC do B e assim também ocorre no nosso estado de Sergipe onde o Prefeito da capital e o governador Marcelo Deda sempre aparecem juntos e costumam exaltar a  grande parceria existente entre os governos municipal, estadual e federal, mas para a surpresa de todos em Boquim tudo é diferente, a mesma aliança em Boquim é proibida, porque desagrada o prefeito Pedro Barbosa que quer submeter todos aos seus caprichos pessoais e encontra no PC do B e PT locais forte resistência, porque são os dois partidos constituídos de pessoas independentes que não trocam suas convicções políticas por cargos públicos, pois pensam diferente e querem um Boquim mais justo e igualitário para todos. O mais surpreendente é que a atitude do Prefeito conta com o respaldo da direção estadual do PC do B que pressiona o pré-candidato do PC do B, Chicão Almeida  para que renuncie a sua candidatura a Prefeito e vá apoiar o Prefeito Pedro, mesmo contrariando todas as orientações do partido que por várias vezes na pessoa do Sr. Alisson, presidente estadual do PC do B e até em discursos proferidos pelo Prefeito Edvaldo Nogueira incentivavam a candidatura de Chicão afirmando que era um projeto do Partido ter candidatura própria no município de Boquim e todo esse discurso teve seu ápice no dia 08 de junho do corrente ano, onde o Sr. Alisson discursou na Câmara Municipal de Boquim durante o encontro promovido entre o PC do B e o PT e empolgou os presentes afirmando em alto e bom som que Chicão era o pré-candidato do partido a Prefeito de Boquim com o apoio irrestrito da direção estadual do PC do B”.

 

PCdoB de Boquim: Ressuscitaram o AI-5 II

Continua o Comitê: “Pois bem, agora, na reta final, na hora das convenções e contrariando todo o discurso vem a direção do PC do B ameaçar o comitê de Boquim de intervenção caso o partido não se junte ao Prefeito Pedro. Não é de arrombar? Um partido que em Aracaju faz coligação até com Albano Franco, querer impedir em Boquim uma aliança histórica nacionalmente? E para isso querem até ressuscitar o AI-5? É isso, o comitê municipal de Boquim não vai baixar a cabeça e ceder a tais pressões, pois somos aliados, apoiamos o projeto do Governador Marcelo Deda, mas não somos subservientes e se a direção quiser intervir fique a vontade e explique ao estado de Sergipe os motivos para tal ato”.

 

Existe gente que tem “luz própria”

De um leitor: “quem comenta, como Você, meu caro jornalista, as coisas, as pessoas e os acontecimentos políticos, de uma maneira ou de outra, vai formando valores sobre essa ou aquela pessoa que transita no mundo político e social. Agora mesmo, quando da morte de dona Ruth Cardoso, um dos melhores comentários sobre ela foi de quem disse que ela possuía “luz  própria.”Realmente, independente do que se pense sobre Fernando Henrique Cardoso, mesmo antes de conhecê-lo Ruth Cardoso, nas lides da famosa USP, já se destacava e ia traçando o seu destino de professora gabaritada, destacada e antropóloga além de atuar nas causas sociais. Quando FHC foi presidente, ela dispensou as honras palacianas e continuou sua vida intelectual participando de aulas e seminários, viajando para eventos e promovendo ações sociais e escrevendo livros e fazendo pesquisas na sua área. Ruth Cardoso seria destaque na cultura nacional, com ou sem FHC e, no caso, na história do Brasil, nunca se viu uma primeira dama (título que ela detestava e se pudesse teria retirado do protocolo) que mais serviu para o status do marido Presidente do que se beneficiou dele. Justo que se faça esse registro, independente, repito, do que se pense sobre o governante FHC.”

 

Negociação Chapa-Branca I

Do leitor Manoel Barbosa: “Não tenho outro termo para utilizar, senão Negociação Chapa-Branca que ocorre entre as direções da Deso e do Sindisan. Primeiro: porque as questões econômicas já foram praticamente resolvidas, ficando pendente apenas a definição de texto para algumas cláusulas para não prejudicar os novos empregados nem prejudicar as ações que tramita na justiça contra o apartheid instalado na companhia contra os concursados. Na Deso foi montado todo um processo de discriminação em relação aos antigos empregados. O novos têm jornada de trabalho maior, salário menor e a empresa não reconhece uma série de direitos para os novos empregados; Segundo: porque o sindicato, o Sindisan, que sempre admirei pela combatividade, com a mudança de governo se entregou de vez aos caprichos da direção da Deso. É de uma apatia e de completa paralisia em termos de mobilização e luta pelos direitos da categoria que diz representar”.

 

Negociação Chapa-Branca II

Continua Manoel: “Até uma ação civil pública movida pelo Ministério Público do Trabalho que foi julgada procedente em favor dos funcionários, determinando a implantação das escalas de trabalho de seis horas no prazo de trinta dias sob pena de multa, independentemente da ação especifica por danos morais. Pois bem, ao completar os 30 dias (em fevereiro de 2008), o senhor Jovaldo Marques, presidente do sindicato decidiu, sem consultar a categoria, elastecer o prazo em mais 45 dias fato que lhe rende ainda hoje  ter que se justificar perante o Ministério Público do Trabalho. Mas o pior de tudo é que, passados mais de 120 dias nem a empresa implantou as escalas de seis horas, nem ninguém sabe de nada sobre o assunto, pois este nunca foi objeto de discussão, muito menos de decisão da assembléia da categoria. Num verdadeiro acordo chapa-branca, ou de pai pra filho.Sobre isso a Constituição Federal em seu Artigo 7º, Inciso XIV, é clara: “jornada de seis horas para o trabalho realizado em turnos ininterruptos de revezamento, salvo negociação coletiva”. O fato que estamos há quase 240 dias sem acordo coletivo. Fato único na história. É nessa situação que se encontra os trabalhadores da Deso. De um lado o peleguismo. Do outro uma direção de uma empresa e um governo insensível aos problemas dos trabalhadores concursados”.

 

Forró dos Amigos

O jornalista Abrahão Crispim Filho e a advogada Raquel Tavares convidam a população para curtir o Forró dos Amigos, hoje, 26, a partir das 20h, na rodovia José Sarney, próximo ao bar Parati, com a banda de forró “tocando pé-de-serra e sertanejo”. O valor do ingresso é R$ 15, com direito a bebida livre: Skol, Brahma, Vinho, Martini e destilados, além de refrigerante e água. Será uma festa organizada e de gente bonita. Contatos: 8818-9690, 9191-5540 e 9977-8099 (Raquel, Lívia ou Renata).

 

Deso: Forró realizado pelos funcionários

O forró realizado na Deso na última sexta-feira, não foi organizado pela direção da empresa, mas pelos funcionários que fizeram uma cotinha para montar o arraial. A Deso, quanto instituição, não participou do evento.

 

Segundo poço de Piranema entra em produção

No dia 15 de junho entrou em produção o segundo poço de Piranema, denominado 3-SES-154. O início de operação deste novo poço elevou a produção média de 5.000 barris/dia para 12.300 barris/dia. A produção acumulada do campo atingiu a marca de 1.766.000 barris.Localizado no litoral Sul do Estado e possuindo o óleo mais leve produzido em águas profundas do Brasil, o campo de Piranema é de enorme importância para a economia do Nordeste por ser o primeiro a produzir petróleo em águas profundas na região. Sua produção já está contribuindo para a manutenção da auto-suficiência brasileira em petróleo.

Está previsto para novembro a entrada do terceiro poço produtor, quando a produção deverá atingir aproximadamente 21.000 barris/dia.  O óleo de Piranema, de excelente qualidade, com 44º API, é essencial para a produção de lubrificantes. Desde o início das operações no campo de Piranema, a Petrobras vem abrindo caminho para que outros estados da região passem, também, a explorar petróleo em águas mais profundas. (Comunicação Regional Nordeste).

 

Governo Federal firma parceria com prefeituras

Nesta quinta-feira, 26 de junho, o Governo Federal, por meio do Serpro – Serviço Federal de Processamento de Dados, assinará convênios de cooperação tecnológica com as prefeituras do estado de Sergipe, durante a abertura do Workshop – Gestão de Tecnologia da Informação no Governo Federal utilizando Software Livre. O evento será das 8h3o às 18h no auditório do TJ no centro de Aracaju. O convênio deve promover a cooperação e o compartilhamento na área de Tecnologia da Informação e Comunicações – TIC, com o intuito de racionalizar esforços e investimentos na modernização tecnológica do país. O intercâmbio de inteligência tecnológica entre as entidades governamentais favorece o crescimento do Estado, o acesso da sociedade à informática pública e a valorização do conhecimento nacional.Além da assinatura do convênio, o Workshop oferece diversas palestras. Os aspectos do software livre na gestão pública, solução livre de correio eletrônico – Expresso, fábrica de software – Framework Pinhão, entre outros são temas das apresentações do evento, além dos laboratórios que serão realizados nos períodos da manhã e tarde.

 

Uma trave no próprio olho I

Por Henrique Teles (músico / vocalista da banda Maria Scombona): “É apenas uma singela manifestação de trinta e poucas pessoas. Três dúzias de cidadãos, admiradores da Praia de Aruana, turistas, adultos, adolescentes, crianças, apreciadores de uma cerveja com petiscos ao entardecer, jogadores de frescobol, pais de famílias, surfistas. Estes, acostumados a compartilhar as boas marolas, os bons momentos com os “broder”, dentro ou fora d”água, simplesmente alinharam suas pranchas, dispondo-as no melhor arranjo que pudesse expressar o desconforto de não ser visto por quem deveria enxergar muito bem. SOS. Um pedido de socorro, um pedido de atenção. A comunidade não foi consultada. A voz destas trinta e poucas pessoas, talvez seja uma leve reverberação da vontade de milhares, que ainda tomam susto ao perceber o sumiço dado a vários bares/barracas que lhe serviam semanalmente. E quem haveria de negar tratar-se de interesse comum? De uma comunidade? A comunidade de – avaliamos – cerca de três mil pessoas que semanalmente se dirige à Aruana em busca do bem público mais querido de todos os bens públicos, a praia”.

 

Uma trave no próprio olho II

Continua Henrique Teles: “O Ministério Público tem razão. A lei tem razão. Aquilo tudo é bem da União, não de particulares. Isto é de uma clareza solar. O meu, o seu, o interesse deste ou daquele não pode sobrepujar a lei, que nasce para regular e garantir o interesse comum. Mas, esses milhares de freqüentadores não denotariam um interesse comum? Pois bem, às vésperas de se decidir o futuro dos últimos bares de pé naquele pequeno e acolhedor pedaço da princesa da qualidade de vida, nós, trinta e poucos, ousamos falar por três mil, ou, quem sabe, bem mais que isso, na esperança de que a comunidade, o interesse comum, seja visto nesta e noutras tantas oportunidades, como um algo que está acima de qualquer interpretação estanque das normas; ou decisão solitária de um magistrado ou colegiado; acima da vontade pessoal de uma autoridade; acima dos me deixes das relações entres os poderes em qualquer âmbito, municipal, estadual ou da União. Sustentamos que a comunidade não falou porque não foi perguntada. Sustentamos que a ponderação, o bom-senso e o respeito a ela foi esquecido. Sustentamos que nenhum bar deveria ser destruído, sem que houvesse um projeto elaborado e executado, dando-nos a todos – usuários e trabalhadores da praia de Aruana – novas opções de acomodação. Pedimos, enfim, para sermos vistos, antes que se veja argueiros nas vistas dos outros”.

 

 

Frase do Dia

“A impunidade tolerada pressupõe cumplicidade”. Anônimo.

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários