Site responsivo

0

Eles estão em todo lugar. Em casa, no escritório, nas ruas. Em conversações a dois ou conferências em grupo, na troca frenética de mensagens de texto ou mesmo substituindo um bom MP3 player. Isto sem falar das máquinas fotográficas, calculadoras e tantos outros gadgets que tiveram suas funções igualmente combinadas nestes aparelhos.

De fato, a presença dos celulares caracteriza a vida contemporânea. Só no Brasil, em março deste ano, já eram 273,6 milhões de aparelhos, segundo dados da Anatel. Em março, foram nada menos que 860 mil novos dispositivos adquiridos, nas cinco regiões do país. E pasmem: em 2011, o Brasil já possuía mais celulares que habitantes. A média divulgada pela Anatel foi de 104,68 aparelhos para cada grupo de 100 pessoas.

Na verdade, a importância dos dispositivos móveis é tamanha – os smartphones e tablets também entram nesta seara –, que até a própria internet precisou se adaptar. Estão ficando para trás os tempos em que os sites serviam, no mesmo formato, a computadores de mesa e aparelhos mobile. Agora, as resoluções de tela menores ganham versão própria, a fim de otimizar a navegação e a experiência do usuário. E vale a pena o investimento! O Facebook que o diga: mais de 350 milhões de usuários acessam a rede social através de plataformas móveis e, de quebra, interagem duas vezes mais que os usuários de PC comum.

Mas e como criar um site adequado às várias plataformas? Uma das opções mais interessantes, certamente, são os sites responsivos. Entre os seus diferenciais, está justamente o fato de eles se adequarem automaticamente à tela do dispositivo, sendo que cada resolução macro conta com um design criado especificamente para si.

Na prática, funciona da seguinte forma: o designer cria três projetos gráficos distintos (um para cada “faixa de resolução”). À inteligência por trás do projeto, então, compete identificar o tamanho do visor que está sendo utilizado e acionar o layout correspondente.

Aqui, entra uma grande vantagem: como é exibido um design diferente para os acessos via celular, toda a criação pode ser feita pensando-se em otimizar ao máximo a navegação (atribuindo menos elementos às páginas e tornando-as mais rápidas, por exemplo). O resultado são sites de melhor performance e cujos conteúdos podem ser encontrados mais facilmente pelo internauta. Que tal pensar nisso para a sua empresa (e os resultados dela)?

Texto escrito pelo autor desta coluna e publicado na última edição da Revista Buzzine

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais