SOCIEDADE ATENTA

0

O povo brasileiro está inquieto. Começa a assistir a fabricação da massa para uma imensa pizza. Dá sinais de que não vai aceitar, porque o escândalo espalhou um mau cheiro pelo ar e não é possível que ninguém seja preso. Essa revolta se percebe até na juventude, através do site Orkut, onde pessoas batem papo, enviam recados e mensagens. Alguns usuários receberam uma espécie de panfleto para ser enviados aos parlamentares, autoridades dos demais poderes e a quem fosse possível. Alertava: “parlamentares governistas e da oposição estão tramando um acordão que deixará de punir a maioria dos envolvidos nos escandalosos casos de corrupção, que já estão fortemente comprovados pelas CPI”s. O presidente da CPI do Mensalão, senador Amir Lando (PMDB-RO), em sua participação no Programa do Jô, disse: Com as provas que nós temos, as coisas vão aparecer. Já existe a percepção de vantagem ilícita sem causa. Nós já temos um quadro que dá para punir os culpados”. No final o alerta: “se tiver acordão o Congresso vai pro chão”!

 

A senadora Heloísa Helena (PSOL-AL) fez um discurso e alertou a sociedade que são muito grandes as chances de as CPIs, principalmente a dos Correios, “darem em pizza” em função de uma “operação abafa”. Segundo a senadora Heloisa Helena, tanto o Executivo quanto o Congresso estão envolvidos nas denúncias de corrupção. Para ela, “a podridão está diretamente relacionada com o Palácio do Planalto e com metade do Congresso”, daí a omissão do presidente da República em relação aos procedimentos de investigação. Por isso, insistiu a atenta senadora, é que o necessário o povo brasileiro fiscalize as comissões. Essa operação abafa vem do gabinete do presidente da Câmara Federal, deputado Severino Cavalcante (PP-PE), que deu desastrosa entrevista à Folha de São Paulo. Usando página inteira, na edição de ontem, Severino apenas corresponde ao que o governo e Janene esperam dele. E o faz sem o menor pudor, valendo-se de argumentos que não resistem à mais leve brisa, com a desfaçatez típica dos que desfrutam de algum tipo de imunidade.

 

Severino quer a “adoção de uma pena mais branda do que a cassação de mandato” para os deputados que apenas pagaram dívidas de campanhas com o dinheiro de Valério. Nega que tenha existido o mensalão e acusa o governo passado de ter comprado votos para aprovar a reeleição”. Na realidade, Severino tem todo o comprometimento com o governo, através de um bom emprego para o filho, um ministério para seu partido e a condição de interlocutor privilegiado do presidente Lula. Treme nas bases quando houve falar no deputado José Janene (PP-PR), que é o líder do partido, e ameaça o Severino de arrasta-lo para a lama se acabar cassado. O que saberá Janene do Severino? Já sinalizou que o presidente foi um dos que receberam dinheiro de Valério.

 

Ontem o presidente Severino Cavalcante voltou à tona e, em discurso na Câmara, afirmou que a presidência não pode enviar diretamente ao Conselho de Ética as representações contra os deputados. Rejeitou as afirmações de que estaria fazendo “manobras regimentais que conduzam a uma operação abafa ou a uma pizza”. O deputado explicou que quando os processos chegarem à sua mão, ele os enviará à corregedoria da Câmara, que se comprometeu em apresentar os pareceres em 48 horas após o recebimento. “Aí sim, a Mesa poderá eventualmente dar seqüência ao procedimento de perda de mandato, se for esse o caso”, afirmou.

 

O discurso de Severino esquentou o clima. O deputado Fernando Gabeira (PV-RJ) afirmou que Severino não tem condições para comandar a Câmara. “Vossa excelência está se comportando de maneira indigna. Vossa Excelência está em contradição com o Brasil. A sua presença na presidência da Câmara é um desastre para a imagem do Brasil. Vossa Excelência ou fica calada ou começa a ficar calada ou vamos iniciar um movimento para derrubá-lo”. Esse comportamento de Severino provoca uma certa consternação à sociedade, que começa a desacreditar em medidas punitivas e constatar que no campo político a corrupção geralmente sai vitoriosa.

 

ALMEIDA

O senador Eduardo Suplicy (PT) reconheceu ontem que a proposta do senador Almeida Lima PMDB de reduzir o número de parlamentares em todo o país deve ir adiante. Suplicy disse que viu a entrevista concedida por Almeida Lima no Jô Soares e acha que a proposta deve ser analisada pelas comissões.

 

AVISO

Almeida Lima fez um pronunciamento para justificar a ausência de 80 dias e anunciar que ingressou no PMDB. Lembrou que, na realidade, retorna à legenda em que se iniciou politicamente. Alertou que se manterá na oposição ao governo.

 

PAVAN

O senador Leonel Pavan (PSDB-SC) lamentou que o seu partido não tenha conseguido mantê-lo como filiado e deixou claro: “Nós o perdemos”. O presidente do PSDB, Eduardo Azeredo, também lamentou a saída de Almeida Lima e disse que entendia as razões de sua mudança para o PMDB.

 

D. MARIA

A senadora Maria do Carmo Alves (PFL) disse ontem que não tem apego a cargos e nem a mandatos, entretanto acha cedo falar sobre as eleições estaduais. Acrescentou que cumpre o mandato que o povo lhe concedeu, mas não esquece as dificuldades de segmentos desprotegidos da sociedade.

 

BENEDITO

O presidente regional do PMDB, Benedito Figueiredo, disse que o partido está cada vez mais forte a nível nacional. Terá candidato a presidente, mas não deve ser um populista. Benedito Figueiredo disse, ainda, que gostaria de ser candidato a governador, lógico dependendo de decisão partidária: “tenho certeza que cabe uma terceira via em Sergipe”.

 

EMPENHO

O secretário das Finanças do Município, Nilson Lima (PT) está empenhado em tornar eficaz a lei dos 15 minutos nos bancos. Segunda feira o grupo de fiscalização, inclusive com a presença de Nilson, visitou todas as agências do centro. Ontem esteve no Siqueira Campos.

 

CAMPANHA

Nilson Lima trabalha para as eleições internas do PT e diz que tem esperança que depois do “dilúvio virá a bonança”. Acha que a força do PT é imprescindível para a democracia do país. Segundo Nilson, depois das punições, da limpeza no partido, ele retoma o seu rumo em favor do que pregou no decorrer de sua história.

 

ALMOÇO

O governador João Alves Filho vai almoçar com empresários do setor comercial de todo o Estado, integrantes das Câmaras dos Diretores Lojistas (CDL). Esses almoços aconteciam antes e foram suspensos, mas agora serão intensificados. O governador que mostrar seu trabalho à classe.

 

BELIVALDO

O deputado estadual Belivaldo Chagas (PSB) retorna à Assembléia Legislativa amanhã, depois de um entendimento com o prefeito Marcelo Déda. Ele deixa a Secretaria de Coordenação Política. Belivaldo diz que se “antes tinha um bom relacionamento com o prefeito Marcelo Déda, a partir de agora fica muito maior”. O deputado vai colabora com o prefeito na Assembléia.

 

DUTRA

O novo secretário da Coordenação Política será mesmo o ex-senador José Eduardo Dutra, como ficou mais ou menos definido com a saída de Belivaldo Chagas. Até o momento não há uma data para que o ex-presidente da Petrobrás assuma a Coordenação Política do Município, mas pode acontece na próxima sexta-feira.

 

EMPOLGAÇÃO

O prefeito Marcelo Déda (PT) mantém a empolgação para disputar o governo do estado no próximo ano. Déda não altera seu projeto político… Marcelo Déda tem o incentivo do senador Antônio Carlos Valadares (PSB) que se mantém no seu lado para que ele alcance o seu destino político.

 

PAIXÃO

O deputado Ivan Paixão (PPS) apóia que o seu partido represente os parlamentares citados nos relatórios das CPI´s. Segundo Paixão, o presidente do PPS, Roberto Freire (PE) e a deputada Denise Frossard (RJ), virão a Sergipe dia 9. Manterão contatos com membros do partido e jornalistas.

 

VISITA

Jorge Carvalho (PCdoB) vê como normal o encontro entre o governador João Alves Filho e o prefeito de São Cristóvão Zezinho da Everest (PTB). Diz que o prefeito reivindica obras e o governador as realizará. “Com isso beneficia a população, independente das diferenças políticas”.

 

CONVITE

O senador José Almeida Lima teve uma longa conversa com o ex-deputado Nelson Araújo, hoje presidente regional do PMN. Quer que Nelson retorne ao PMDB, partido ao qual já foi um dos seus principais membros, inclusive exercendo a sua presidência.

 

 

Notas

 

APROVAÇÃO

A senadora Maria do Carmo Alves (PFL) foi festejada, ontem, pela maioria dos senadores de todos os partidos, pela elaboração da PEC 31/2000, aprovada por unanimidade e com discursos de elogios. A PEC dá os mesmos direitos da mãe natural às mães adotivas. Ela foi muito elogiada pela iniciativa. O presidente do Senado Federal, Renan Calheiros (PMDB), ao anunciar a aprovação, disse que houve consenso para a feliz proposta da senadora Maria do Carmo. Todos os senadores se manifestaram em favor do projeto.

 

INDÚSTRIA

O senador Valadares (PSB) cobrou do governo a concessão de salvaguardas à indústria têxtil, que estaria amargando prejuízos com a entrada de tecidos chineses no mercado. A situação do setor começou a se complicar, adiantou o parlamentar, com o fim das cotas à importação desses produtos, no final de 2004. Os empresários brasileiros reclamam de concorrência desleal dos chineses, que estariam produzindo tecidos de melhor qualidade graças a incentivos financeiros governamentais para a compra de equipamentos mais modernos.

 

IMPULSOS

A Comissão de Serviços de Infra-Estrutura (CI) aprovou ontem projeto de lei do Senado sobre a instalação de aparelho para a medição de pulsos telefônicos no Serviço Telefônico Fixo e no Serviço Móvel Celular. A matéria foi aprovada nos termos de um substitutivo e tem decisão terminativa na comissão. O objetivo do projeto, conforme explicou o relator, senador Rodolpho Tourinho (PFL-BA), é proteger os usuários e assinantes dos serviços telefônicos fixo e móvel de cobranças abusivas feitas pelas operadoras.

 

 

É fogo

 

O deputado federal Jackson Barreto (PTB) não gostou do trabalho que o governador João Alves Filho (PFL) vai realizar em São Cristóvão.

 

A Prefeitura Municipal de Aracaju terá a sua Central Permanente de Acolhimento, que vai acomodar pessoas que vivem nas ruas.

 

O governador João Alves Filho está conversando com segmentos do Partido Liberal para uma composição política.

 

O deputado federal Heleno Silva (PL) não se manifesta sobre o assunto e prefere silenciar. Acha que o momento é para reflexão.

 

A Igreja Universal decidiu que sairá da política e deve sugerir aos seus pastores que troquem o mandato pela ação religiosa.

 

O deputado estadual Francisco Gualberto (PT) reconhece que os escândalos não atraíram Sergipe, mas em Brasília o PT precisa ser reformado.

 

O deputado José Dirceu (PT), que está entre os nomes que enlamearam o PT, mantém o comando do grupo majoritário do partido. É um Deus…

 

A briga é muito feia entre o ex-prefeito de São Cristóvão, Armando Batalha (PV) e o atual, Zezinho da Everest.

 

A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) entrou ontem com uma ação direta de inconstitucionalidade contra a taxa de incêndio.

 

O Banco Popular do Brasil (BPB) subsidiária do Banco do Brasil para a área de microfinanças, registrou prejuízo de R$ 21.977 milhões no primeiro semestre.

 

O mercado financeiro manteve estáveis as previsões médias dos indicadores macroeconômicos nacionais relativos a 2005.

 

Os técnicos da Receita Federal em todo o país voltaram ao trabalho ontem, após realizarem uma greve que durou seis semana.

 

brayner@infonet.com.br

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários