Soluções inusitadas para o aquecimento global

0

Está sendo estudada uma série de propostas inusitadas para reduzir o impacto do aquecimento global sobre a Terra, incluindo a colocação de espelhos no espaço para desviar raios solares.

 

Vários projetos de “geo-engenharia” foram apresentados. Além dos espelhos, outros cientistas sugeriram estimular o crescimento de algas nos oceanos para absorver dióxido de carbono, ou borrifar “sprays marítimos” sobre as nuvens para que elas fiquem mais brancas e possam ret1etir os raios solares.

 

Mas grupos ambientalistas alertam que as soluções tecnológicas não devem desviar a atenção do problema de reduzir a emissão dos gases que provocam o efeito estufa.

 

Entre as idéias também está semear partículas na atmosfera para atuar como um bloqueador solar planetário.

 

O objetivo do estudo é providenciar o primeiro passo útil para definir os parâmetros e limitações dessas idéias e oferecer recomendações sobre quais merecem maior atenção.

 

Alguns ambientalistas dizem acreditar, no entanto, que só pensar em soluções tecnológicas a atenção é desviada da questão das emissões de gases poluentes.

 

Na última edição do jornal Climate Change, o cientista Paul Crutzen, do Instituto alemão Max Planck de Química, sugere a Injeção de partículas de enxofre na estratosfera – a mais alta camada da atmosfera ­para esfriar o planeta e dar mals tempo para os seres humanos reduzirem as emissões de gases causadores do efeito estufa.

 

As partículas de enxofre seriam despejadas por balões de alta-altitude ou atirados na atmosfera por artilharia pesada. Uma vez espalhadas pelo ar, as partículas funcionariam como espelhos minúsculos, refletindo a luz do sol de volta para o espaço.

 

O cientista, que ganhou o Prêmio Nobel de Química em 1995 pelo seu trabalho com a camada de ozônio, reforça que é importante ainda para as nações reduzir as emissões de gases causadores do efeito estufa, mas que medidas extremas como esta podem ser necessárias para se ganhar mais tempo. “Eu espero que meu experimento nunca precise ser colocado em prática”, disse por e-mail.

 

Há dois anos, John Latham, um cientista atmosférico dos Estados Unidos e seus colegas propuseram um plano de jogar para cima a água do mar para estimular a formação de nuvens mais baixas na atmosfera e, com isso, refletir a radiação de volta para o espaço.

 

“Todos nós reconhecemos que a geo-engenharia parece ser cada vez mais a única alternativa para se evitar um cataclismo em curto prazo antes que novas e Iimpas fontes de energia sejam suficientemente desenvolvidas”, afirma Latham.

 

Ele acredita que a idéia de Crutzen é praticável, mas diz que uma investigação mals aprofundada é necessária. “Esta idéia poderia ajudar a manter a temperatura constante, mas nós precisamos examinar as potenciais ramificações adversas”, argumenta.(Ambientebrasil)

 

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais