Tampa da fossa

0

O manguezal da Praia 13 de Julho e do Parque Tramandaí funciona, na verdade, como a tampa de uma grande fossa, criada por desleixo do poder público. Embora o bairro 13 de Julho possua esgotamente sanitário, ao longo dos anos a Prefeitura autorizou construções em seu entorno, sem exigir o devido tratamento dos dejetos humanos produzidos pelas novas e luxuosas moradias. Resultado: as toneladas de excrementos lançadas nos rios Poxim e Sergipe poluem diariamente esses dois corpos d´água. Bem adubado, o frondoso manguezal dá a sua contribuição ao “mascarar” a sujeira e, consequentemente, o forte mau cheiro. Há quem garanta que se não existisse mangue no local para funcionar como a tampa da fossa, ninguém suportaria o forte odor que exala nos bairros 13 de Julho, Garcia e Jardins, onde estão os metros quadrados mais caros de Aracaju.

No baú

O prefeiturável Valadares Filho (PSB) foi buscar no baú um fato ocorrido em 1992 e que desabona a biografia de João Alves Filho (DEM). O programa eleitoral de ontem à noite tratou sobre a “deportação” de famílias pobres de Aracaju para Garanhuns (PE) quando o demista era governador. Segundo a assessoria de Valadares, o banimento de moradores “indesejáveis” foi admitido na época pelo próprio governo. Misericórdia!

Pobres

Em reunião com eleitores na Igreja São Judas Tadeu, no bairro América, o prefeiturável João Alves Filho (DEM) prometeu que, se eleito, vai trabalhar pelos menos favorecidos. O demista disse que seu interesse em ser prefeito é para fazer o bem à população mais carente. “Fui verificar a situação das famílias de perto e percebi que não posso me negar a atender às necessidades do povo pobre de Aracaju”, discursou.

Provisórios

Em Sergipe, presos provisórios e menores infratores vão poder votar nas eleições de 7 de outubro. A Constituição Federal prevê que as pessoas presas provisoriamente ainda respondem ao processo e, por não haver condenação definitiva, podem exercer o direito de escolher seus governantes. Os adolescentes que cumprem medidas socioeducativas, estão em idade de votar e têm o título de eleitor também podem ir às urnas.

Tempo do voto

A Justiça Eleitoral calcula que o eleitor levará 40 segundos, em média, para votar nas eleições do próximo dia 7. Esse tempo é calculado a partir do momento em que o eleitor se dirige à urna até o instante em que confirma o voto no segundo cargo (prefeito). Para facilitar a votação, a Justiça Eleitoral incentiva os eleitores a levarem os números de seus candidatos anotados em um papel, a chamada cola eleitoral. Faça isso!

Sabatina

Candidata à vaga de conselheiro do Tribunal de Contas do Estado, a deputada estadual Susana Azevedo (PSC), foi sabatina ontem pelos colegas de parlamento. Na verdade, na verdade, os deputados não a questionaram. Preferiram jogar confetes na candidata, que agradeceu os elogios e prometeu ser uma grande conselheira. A sabatina do outro candidato, Belivaldo Chagas (PSB), ainda não foi marcada.

Gratuidade

O Setransp promove quinta-feira próxima um painel de debate sobre a gratuidade no transporte público e a tarifa cidadã. Será às 19h, no Museu da Gente Sergipana, e terá como expositores Marcos Bicalho, diretor da Associação Nacional das Empresas de Transporte Urbano, e Nazareno Stanislau Affonso, arquiteto urbanista, mestre em Estruturas Ambientais Urbanas.

Vida de gado

Enquanto candidatos a prefeitos e vereadores prometem transporte de primeiro mundo, o povo continua sendo transportado como se fosse gado. Ontem, um caminhão ‘pau-de-arara’, repleto de feirantes e mercadorias, capotou em Tobias Barreto deixando cerca de 20 pessoas feridas, quatro delas em estado muito grave. Pior é que depois das eleições tudo continuará como está. Uma lástima!

Veto aprovado

A Câmara Municipal de Estância aprovou ontem o veto do prefeito Ivan Leite (PSD) contra o reajuste de 40% no salário do futuro administrador estanciano. Com o aumento, o novo prefeito iria ganhar R$ 32 mil mensais. Ivan não vetou o reajuste de 90% aprovado para os novos vereadores, que vão receber a partir de janeiro mais de R$ 8 mil. Um excelente salário, não?

Energia

O consumo de energia elétrica em Sergipe no mês passado cresceu 3,3% em relação a agosto de 2011. No mês analisado, o consumo chegou a 179,9 Gigawatt-hora (Gwh), apresentando leve aumento de 2% em relação a julho deste ano. A informação é do Núcleo de Informações Econômicas da Federação das Indústrias do Estado de Sergipe (FIES) e do Departamento de Economia da UFS, com base nos dados da Energisa.

Discorda

No entendimento do presidente estadual do PPS, Nilson Lima, o estilo de campanha adotada pelo prefeiturável Almeida Lima não foi o mais correto: “As pesquisas têm mostrado isso”, frisou. Segundo Nilson, Almeidinha deixou de mostrar as suas propostas, preferindo atacar os adversários, e o povo não acata mais esse comportamento. É, pode ser!

Do baú político

O racha político provocado na UDN com a candidatura de Seixas Dória ao governo de Sergipe contra o cacique udenista Leandro Maciel inspirou o deputado federal Euvaldo Diniz Gonçalves (UDN). No início de 1962, ele desembarcou em Aracaju anunciando que era candidato ao governo por se achar um nome para conciliar o partido. Em seu livro ‘História Polícia de Sergipe’, o professor Ariosvaldo Figueiredo conta que “Euvaldo sabia que seu projeto não poderia prosperar, mas acreditava na eficácia do seu jogo, que incluía a candidatura a senador por Sergipe de Sebastião Paes de Almeida, ex-ministro da Fazenda e seu amigo da maior intimidade”. Em março daquele ano, o deputado retira o nome da disputa majoritária em troca do apoio político do prefeito de Aracaju, Conrado de Araújo (PR), à sua reeleição. Também ganha o direito de indicar o engenheiro baiano Dilton Rodrigues da Costa como suplente do candidato a senador Júlio Leite (PR). Segundo Ariosvaldo, o entendimento estabelecia ainda que, a cada ano do mandato, Dilton assumiria o Senado por quatro meses, “acordo que foi rigorosamente cumprido por Júlio Leite”.

Resumo dos jornais

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários