TCE do faz de contas não é Justiça

0

“O jornalismo é o exercício diário da inteligência e a prática cotidiana do caráter.” Cláudio Abramo.

Sergipe é um Estado Sui generis do pais , onde o Tribunal de Contas, que é órgão auxiliar, transformou-se – por culpa dos que tem medo – em um Poder. Não é Justiça, mas comporta-se como tal, anunciando que vai bloquear contas de prefeituras, vai intervir em outras e intimidando administradores como nunca se viu.

O engraçado é que a OAB Sergipe não enfrenta um órgão que tem entre seus integrantes conselheiros com fortes ligações políticas e

 empresariais. E que se é legal, mas eticamente jamais poderiam analisar contas públicas se familiares são apoiados ou adversários dos gestores. Num país sério isso nunca existiria.

Agora escuta-se o anúncio, por alguns, que vão interferir no reajuste de algumas câmaras para os futuros vereadores. Está claro: o deputado estadual recebe 75% do deputado federal. E o vereador 75% do deputado estadual. E o duodécimo, assim como o limite de 75% é constitucional. Não tem nada de ilegal, mesmo no atual momento de crise. Aí cabe a questão moral de cada legislador. Mas todos estão respaldados pela lei.

Aliás, o mesmo TCE que diz que vai bloquear e intervir em prefeituras, não consegue determinar que se faça uma licitação do transporte em Aracaju e também a intermunicipal. É o mesmo órgão que joga no fundo da gaveta um processo para resolver de uma vez a licitação do lixo em Aracaju. Ainda  bem que ninguém dentro do órgão tem interesse no lixo e no transporte.

E pasme caro leitor: quem tem que fiscalizar o TCE é a Assembleia. Já pensou? Sem comentários. Seria uma espécie do extinto programa global “A Grande Família”, só que não de comédia, mas de pastelão mexicano.

Prestes a completar um ano à frente do TCE, Clóvis Barbosa sucumbiu aos ditames antigos. Tinha até boa intenção, mas não conseguiu mudar a imagem do faz de contas.

É  aquele ditado: de boas intenções o inferno está cheio…

Demagogia de alguns vereadores criticando reajuste. Silenciaram em maio
E tem vereadores, inclusive que não foram reeleitos, que agora, em novembro, resolveram criticar e defender a revogação do reajuste aprovado em maio. Pura demagogia. Em maio silenciaram. E eles sabem que o reajuste até 75% do que recebe um deputado estadual é dentro da lei. Não estão preocupados com os servidores…

Audiência
Amanhã, 18, será realizada uma audiência pública para tratar sobre o Ação Civil Pública movida pelo Ministério Público Federal, em face da Fundação Hospitalar de Saúde e outros. Será às 9h30, no auditório da Justiça Federal.

Paralisação Guarda Municipal
E por conta do atraso salarial, os guardas municipais de Aracaju avisaram ontem, 16, que farão hoje uma paralisação das atividades.

Sinaleiras no Bairro Siqueira Campos
Mais uma sugestão do leitor Luiz Brandi que merece a atenção da SMTT de Aracaju: “Sugiro que a SMTT diminua o tempo das sinaleiras nas esquinas da rua Pernambuco, nos cruzamentos com as ruas Mariano Salmeron e Santa Catarina, pois enquanto q na rua Pernambuco as sinaleiras ficam abertas para nenhum carro passar, nas outras duas ruas o  engarrafamento aumentou.”

Papo no WC:  fornecedores na bronca com candidato eleito
Enquanto isso um papo estranho no WC entre dois pequenos empresários: um candidato, que foi eleito, negociou diretamente com ele o fornecimento de serviços e materiais. Boa parte contabilizada na prestação de contas com valor menor. Desde a semana passada tentam receber o que tem direito e nada. Na conversa no WC um deles disse para o outro que já ameaçou contar tudo ao Ministério Público Eleitoral. 

Aracaju: sem novidades na equipe de transição
Embora tenha anunciado que os nomes da equipe de transição, não necessariamente farão parte do secretariado, o prefeito eleito Edvaldo Nogueira optou por indicar para a equipe de transição velhos nomes das administrações estadual e municipal. Inclusive alguns deles responsáveis pelo caos que levou João a prefeitura de Aracaju em 2012. Não se faz novo tempo com velhos nomes.

Jeferson Passos, Mendonça Prado e Zezinho Sobral deixam o governo
Anunciado na equipe de transição do governo estadual, Jeferson Passos (fazenda), Mendonça Prado (Agência Reguladora de Serviços Públicos do Estado de Sergipe – Agrese) e Zezinho Sobral (Segrase) deixam o governo. Prado e Zezinho terão uma passagem rápida pela Agrese e Segrase respectivamente. E agora deixam os cargos para cuidar da transição.

Transporte em Itabaiana
E o prefeito reeleito de Itabaiana, Valmir de Francisquinho, continua dando exemplo de como se administra. No último sábado, preocupado com uma possível paralisação da empresa que faz o transporte escolar – cujo pagamento é de responsabilidade do governo estadual – o prefeito interviu junto aos motoristas para que os alunos não fossem prejudicados.

Fim do ano letivo
Valmir lembrou que o prejuízo de uma paralisação no fim de um ano letivo é incalculável para os estudantes e também para os professores envolvidos nas avaliações finais. Lembrando que não são apenas os alunos da rede municipal que utilizam o transporte, mas também da rede estadual, Valmir se comprometeu em arcar com os custos do combustível para que a paralisação não ocorresse, enquanto o governo do Estado normalize a situação esta semana.

Perímetros irrigados 
O senador Eduardo Amorim (PSC-) reafirmou a importância da revitalização dos perímetros irrigados do Baixo São Francisco durante entrevista à rádio Xodó FM, em Nossa Senhora do Socorro. Em reunião de bancada realizada no mês passado, por indicação do senador Antônio Carlos Valadares (PSB), os parlamentares decidiram destinar R$ 100 milhões para perímetros irrigados de Propriá – (Propriá, Telha e Cedro de São João), Continguiba-Pindoba (Propriá, Neópolis e Japoatã) e Betume (Neópolis, Ilha das Flores e Pacatuba).

Agenda em SE
Segundo o senador, na próxima sexta-feira, 18, a presidente da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf), Kênia Régia Marcelino, terá agenda em Sergipe para ampliar a importância do investimento. “A presidente estará no estado argumentando a revitalização e conversando com os trabalhadores locais. Poucas vezes uma presidente da companhia foi aos perímetros”, disse, ao completar que 1.500 famílias serão beneficiadas, gerando 8.000 empregos diretos e indiretos.

Economia SE: Banese injeta mais de R$ 2 bilhões
O Banco do Estado de Sergipe (Banese) injeta mais de R$ 2 bilhões por ano na economia estadual, fornecendo produtos, soluções e serviços financeiros com o objetivo de promover o desenvolvimento econômico e social do sergipano. A informação é do gerente da Área de Canais e Marketing do Banese, Édivam Clinger, ao ressaltar que o Banco do Estado é uma instituição forte e que entende o seu povo.

Novas tecnologias
De acordo com o gerente, o Banese, presente nos 75 municípios sergipanos, conta com mais de 800 mil clientes e mantém a liderança na captação de depósitos à vista e no crédito comercial.“O Banese, além de gerar quase 2 mil empregos diretos mantém linhas de crédito pensadas para o perfil de cada cliente, levando em consideração suas necessidades”, afirma o gerente. “O banco está sempre lançando novas tecnologias que acompanhem as tendências de mercado e aumentem a segurança bancária, garantindo uma maior facilidade nas transações e impulsionando a geração de emprego e renda”, acrescentou.

17 projetos sociais
Ainda segundo Clinger, o Banese também valoriza o lado cultural e humano, e por isso apóia 17 projetos sociais em Sergipe. “Instituições como a Avosos, Apada, Orquestra Jovem de Sergipe, Institutos Beneficentes, dentre outros, já ajudaram mais de 87 mil pessoas nos últimos anos”, disse o gerente. “São projetos de bem-estar social que garantem a inclusão de idosos, pessoas com deficiências e em situação de vulnerabilidade, além do desenvolvimento pessoal dos jovens através do esporte, da música e do teatro, demonstrando a responsabilidade social que o banco possui com sua gente”, ressaltou.

III Corrida e Caminhada “Trânsito Vivo” acontece no próximo domingo no Bugio
No próximo domingo, 20, a Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (SMTT) realiza a III Corrida e Caminhada pela Vida ´Trânsito Vivo´. O evento beneficente é uma ação da Coordenação de Educação para o Trânsito e faz parte das atividades pelo Dia Mundial em Memória das Pessoas Vítimas do Trânsito, celebrado sempre no terceiro domingo do mês de novembro.

Percurso
O percurso de 4Km começa na Rua Geny da Silva Dias, onde se dará a concentração às 7h da manhã. A inscrição pode ser realizada mediante doação de dois quilos de alimentos não perecíveis até a próxima sexta-feira, 18, na Escolinha de Trânsito da SMTT, localizada na Galeria Farol Center, no Bairro Farolândia. Ou ainda no sábado, 19, na Rua Professor Gileno de Freitas, n° 80, no Loteamento Estrela do Oriente, próximo ao campo do Anchietão, também no Bugio.

Karate sergipano bem representado em curso internacional
No último domingo, 13, o mestre de Karatê Shotokan, Fumitosh Kanazawa, ministrou curso em Juiz de Fora (MG), para karatecas de todo país, 

visando ao aperfeiçoamento das técnicas de kumite (luta) e kata (forma), seguindo a linhagem do grão mestre Irokazu Kanazawa, pai do ministrante e discípulo direto de Funakoshi, criador do Karatê Shotokan. Os faixas pretas Yoakan Jócelis, Edmundo Rolemberg e Marcelo Gerard estiveram presentes, aproveitando a rara oportunidade de obter conhecimento e experiência prática de mestre reconhecido internacionalmente. O Karatê Shotokan é praticado no mundo todo e a linhagem Kanazawa destaca valores como o respeito à hierarquia e aos princípios do Budo (caminho do guerreiro).

Hipermercado será inaugurado hoje. Novo formato
Atentos as necessidades do consumidor sergipano, o GBarbosa transforma a loja Hiper Norte para o novo formato GBarbosa Desconto, ao unir a dinâmica de preço do atacarejo à comodidade dos serviços do varejo. Além disso, o hipermercado vai inaugurar também a maior galeria comercial da rede, com 22 lojas, três quiosques e praça de alimentação. A abertura de portas acontece hoje, 17, às 9h.

Varejo é alternativa
Com o bolso mais restrito, pela inflação e endividamento, as lojas no formato atacarejo passaram a ser uma alternativa de compra pelas famílias que estão em busca de economia nos itens de alimentação e higiene. Este formato vem ganhando força, crescendo e conquistando todas as classes sociais.

Migração
“Atento a essa migração dos consumidores, e em consonância com os desejos dos clientes, a rede varejista se adapta às novas oportunidades de mercado. Estamos buscando a redução dos preços e cada vez mais ofertas que garantam a economia e satisfação dos milhares de consumidores que nos premiam com suas visitas”, explica Frederico Pereira, diretor de operações do GBarbosa.

Área maior
Para suprir esta demanda, o GBarbosa reestruturou o salão de vendas, agora com 4.600 m2 e pé-direito maior, bem como substituiu as gôndolas por racks. A mudança na disposição das mercadorias também é um diferencial. Além de uma nova comunicação visual, as etiquetas de preço agora contarão com dois valores: o de varejo e o desconto progressivo. Destaque ainda para a ampliação de produtos na linha food service, voltada para pequenos e médios comerciantes, e principalmente, embalagens família e packs promocionais.

PELO TWITTER

‏www.twitter.com/Pontifex_pt (Papa Francisco)  Não devemos procurar realizar nada de extraordinário:  muitas vezes são as pessoas mais próximas a nós que precisam de nossa ajuda.

www.twitter.com/BonifacioCartun  Chega uma certo momento da vida em que você já não acredita mais em nada que é exibido na televisão.

www.twitter.com/WalterCosta_aju  Meu Deus, a ti entrego meu futuro, meus passos. Pensamento positivo, tudo posso naquele que me fortalece! — se sentindo abençoado

www.twitter.com/RicMarquesTV  "Mude a si mesmo e todo o mundo mudará ao seu redor."

www.twitter.com/palmeriodoria  Veja online traz matéria dizendo que o consumo de alho torna os homens mais atraentes. Mas, no caso de Drácula , pode levá-lo à morte

www.twitter.com/ofabioviana  Edvaldo está colocando o time em campo. Trouxe Mendonça Prado que já foi reprovado no governo de Jackson. Refugo. Será que Mendonça Prado vai comandar a Secretaria de Defesa Social de Aracaju, que cuida da Guarda Municipal? #medo

ARTIGO

SSP e o mito do “baixo efetivo” Por Antonio Moraes*

A desculpa para o fracassado desempenho da atual cúpula da Secretaria de Estado da Segurança Pública não é mais explicado apenas pelos famosos bordões “polícia prende, justiça solta”, “nossas leis são muito brandas”, “as polícias nunca prenderam tanto”. O mote agora é apelar para a bravata da falta de efetivo.

Na Polícia Militar, estima-se que haja cerca de 1000 policiais militares fora do policiamento ostensivo. Ou estão à disposição (desvio) de outros órgãos públicos, ou desempenhando atividade meramente administrativa dentro da própria PM e da SSP. Ou estão nas SMTT’s e Guardas Municipais de municípios do interior do Estado. Há até Bombeiros Militares fazendo segurança patrimonial da Assembleia Legislativa e do Tribunal de Contas do Estado. Tudo isso reduz drasticamente a presença de militares estaduais nas ruas das cidades, em especial de Aracaju, deixando o caminho livre para o tráfico público e ostensivo de drogas em locais notoriamente conhecidos, as “bocas de fumo”, e a prática de assaltos, latrocínios e homicídios.

Na Polícia Civil, 80% do efetivo estão concentrados na capital. Alguns privilegiados policiais civis recém-nomeados que, por lei, deveriam passar, pelo menos, todo o período de aquisição de estabilidade no interior, já pressionam seus padrinhos políticos para virem para a capital. As delegacias da capital e do interior não têm seu quadro de efetivo preenchido de acordo com a demanda da localidade que sequer é aferida georeferenciadamente. O que existem são “comitivas” de agentes, agentes auxiliares e escrivães que acompanham alguns delegados “especiais”. Há comitivas com 40 policiais civis que simplesmente não cabem nas delegacias que seus chefes são designados. Ficam voando se alternando em turnos e/ou dias de trabalho. E para piorar a situação, esse efetivo é voltado para o mero registro de ocorrências policiais (BO, TCO e Flagrantes) nas delegacias territoriais (metropolitanas e municipais).

No interior, há delegados (do baixo clero) e suas equipes, obrigados a acumular a responsabilidade por até 04 delegacias em cidades diferentes. Na capital, as delegacias têm sempre 02 delegados com suas respectivas equipes que se revezam nos turnos da manhã e tarde.

Delegados em postos de direção (secretário de Segurança Pública, delegado geral, coordenadores da capital e interior) que deveriam ter foco na administração e planejamento da atividade policial, mantém equipes próprias de investigação para participarem das operações midiáticas e não saírem dos holofotes.

Numa análise bem simples, percebe-se que não há problema de baixo efetivo. O problema é que as lotações (designação de servidores policiais nas delegacias ou nos batalhões e/ou companhias) são feitas para atender as conveniências de alguns ilustres delegados, oficiais e de seus “padrinhos políticos”. Lotação por demanda de serviço, ou seja, pela necessidade da população de determinada região territorial, é a exceção.

É verdade que esse problema não é novo, não foi criado por este governo. Mas nada é feito para acabar com esses velhos e notórios ranços. Há um pacto de hipocrisia e mediocridade celebrado entre velhos políticos e caciques da SSP (delegados e oficiais) que, durante muito tempo, funcionou. A internet, as redes sociais e a facilidade de acesso às informações estão desnudando a farsa que é a Segurança Pública sergipana.

* escrivão de polícia civil, ex-presidente do SINPOL Sergipe, bacharel em Direito pela UNIT (aprovado na OAB/SE) e aluno do curso de Especialização de Gestão e Modernização Institucional da Segurança Pública da UFS.

Blog no twitter: http://www.twitter.com/BlogClaudioNun

Frase do Dia
É isto o que significa aprender. De repente percebes algo que já tinhas percebido toda a tua vida, mas numa nova forma. Doris Lessing, escritora britânica, vencedora do Prêmio Nobel de Literatura em 2007 . morreu em 17 de Novembro de 2013 (n.1919).

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários