Teia de Aranha

0

Aos sábados a coluna abre espaço para textos dos leitores. Hoje uma carta de um leitor denominada Teia de Aranha: Acompanho diariamente tua coluna por admirar a forma imparcial e honesta que você aborda todos os temas e é triste e assustado que acompanho o que esta acontecendo com o nosso Estado onde à imprensa cada vez que reproduz o diálogo de um conselheiro, cada vez que ele abre a boca descobrimos que, mais pessoas estão envolvidas é como se fosse uma teia de aranha.

É estarrecedor e vergonhoso o momento que estamos vivendo em nosso Estado, a cada dialogo reproduzido sentimos a sensação que é jogada lama ao ventilador. É Flávio que liga para Zuleido; é Victor Mandarino que em seus diálogos afirma ser amigo de Zuleido; é Flávio que liga para José Alves Neto; que liga para Ivan Paixão; que liga para Edvan Amorim; que liga para Suzana Azevedo; que liga para Izabel Nabuco; que liga.. que liga… e que liga uma verdadeira Teia de Aranha; diariamente leio esta coluna por sua imparcialidade seu compromisso com a sociedade e a liberdade de imprensa.

Um Estado tão pequeno onde era para ser lembrado pela beleza de seu povo simples e honesto hoje esta em evidencia pela corrupção de homens públicos que enriquecem de uma forma ilícita, ganhando doce de leite, gravatas, copos de água, tudo isso como simples mimos e, mais “O rico cada vez fica, mais rico e o pobre cada vez fica, mais pobre”; Ás vezes percebo que querem colocar a corrupção como mais um vício a ser praticado como algo normal, mas mesmo assim confio na Justiça de meu país e creio que ainda existe homens públicos de bem.

 

Delegada teria sido roubada

A coluna está checando a informação que uma delegada teria sido roubada nas proximidades de uma das Casas Alemã. A coluna está checando, mas as primeiras informações recolhidas conferem, inclusive com o roubo da bolsa da delegada com todos os pertences e a arma.

 

Denúncia: Conservatório de Música I

Alguns fatos relatados por e-mail de uma leitora e servidora pública devidamente identificada, sobre o Conservatório de Música. As situações enumeradas: a) a atual diretora do Conservatório de Música, não tem nenhuma formação musical e, para variar, é a mesma do governo João Alves. Interessante é observar que ela (Sra. Vera), que é esposa do ex-presidente do PHS (sim, aquele partido que serviu ao ex-governador e que o apoiou), Sr. Fernando, fez parte da tropa de choque do então Governador, vestindo boné, camisa verdinha e que saía, de porta em porta, com uma pastinha tentando convencer as pessoas a votarem no governador de então; b) após a derrota do candidato dela, o seu marido, num passe de mágica, deixou a presidência do PHS e agora é Déda desde criancinha; c) hoje, a mesma tem afirmado que está mais forte no atual governo do que no anterior. Frise-se que ela é apadrinhada de Armando Batalha, um dos que caiu de pára-quedas recentemente no colo do governo. Diversas vezes ao se referir ao atual governo ela o chama de “esse governinho”. Quem sabe seja um tratamento carinhoso com o atual governo”.

 

Denúncia: Conservatório de Música II

Continua a leitora:d) a referida diretora vive hoje a perseguir quem votou e trabalhou para Déda, inclusive com perseguições que caracterizam assédio moral a funcionários. É o meu caso, onde a mesma vem colocando faltas em sábados que não são considerados dias letivos, pois por motivo religioso, não posso ir para as reuniões, venho sendo discriminada, ferindo assim o princípio constitucional da liberdade religiosa; e) a atual chefe de gabinete da Secretaria de Educação vinha recebendo aulas de música no Conservatório, com a anuência da Sra. Vera, sem ter participado de exame seletivo, conforme reza o regulamento da escola. A mesma tinha aulas no turno matutino com a professora de piano chamada Clese, todas as quartas-feiras, das 7:30 às 9:10h. Provavelmente depois ela ia dar seu expediente na Secretaria de Educação, cujo expediente, frise-se, começa às 7:00 h. Recentemente a mesma deixou de ir assistir às aulas, porém, muitas pessoas da comunidade têm entrado para estudar sem passar pelo devido processo seletivo, o que caracteriza a violação de outro princípio constitucional da igualdade de direito entre as pessoas; f) a filha da atual diretora, diga-se de passagem, sem, nenhuma formação musical também, está ministrando aulas de flauta e coral para crianças (iniciação musical) sem ter nenhuma experiência na área e nenhum conhecimento de música; g) há a ausência constante da equipe diretiva no período da noite, ficando a escola sob os cuidados de um servidor contratado como assistente administrativo”.

 

Denúncia: Conservatório de Música III

Prossegue a servidora/leitora: “h) diários de classe e fichas de alunos são rasurados, inclusive com alteração de notas, o que caracteriza crime tipificado no Código Penal (art. 297 CP). Recentemente uma aluna que tinha sido reprovada por um professor, teve a sua nota alterada e foi considerada aprovada, sem que nenhum inquérito administrativo fosse instaurado para apurar responsabili- dades; i) a atual secretária Maria Alves, além de não desempenhar devidamente suas funções e competências, não dava a carga do expediente e ainda afastava um servidor contratado de suas funções, utilizando-o como seu motorista, para levá-la até sua residência, para logo dispensá-lo do retorno ao seu local de trabalho. Como o servidor não mais trabalha lá, esta prática foi extinta; j) existência de um servidor contratado como agente administrativo, de nome Thomas, que ensinava percussão, em desvio de função, ministrando aulas de música e um professor (Silva), assinando os diários; k) perseguição por parte da diretora aos professores, afirmando que nos horários vagos deles, vai devolvê-los a DEA, para que eles possam ficar dando aulas em diversas escolas estaduais, com o intuito de prejudicá-los, caracterizando mais uma vez, o assédio moral”.

 

Denúncia: Conservatório de Música IV

Conclui a servidora: l) existência de professora de ensino regular, de nome Conceição, não readaptada, integrando a equipe técnica, que está atualmente prestando serviços na biblioteca da escola; m) a elaboração do novo componente curricular não contou com a participação efetiva dos docentes; n) retirada das disciplinas Canto Coral e Percepção Musical do componente curricular, muito importante para a formação musical dos futuros profissionais, caracterizando uma falha técnica e pedagógica no componente; o) a disciplina Canto Coral logo após ser retirada do componente curricular, foi ofertada à comunidade, com a disponibilização de um professor para ministrar as aulas nas dependências do Conservatório, sacrificando assim os alunos da casa;

p) elaboração e aprovação do Plano Político e Pedagógico sem a convocação e/ou participação do Corpo Docente; q) a direção da DEA já tem conhecimento do relatório feito e assinado pelos professores, em março do corrente ano, e até o presente momento nenhuma medida administrativa foi tomada”.

 

Trânsito: Comentário de um pedestre e motorista I

De um leitor: “É necessário informar ao governador que aproveitando a polêmica e para defender aliados, neste caso o prefeito de Aracaju e o superintendente da SMTT que o índice zero de acidentes na curva do Iate Clube não se dar por conta da instalação do pardal naquele local e sim por causa da evolução dos automóveis que passaram a trafegar  em Aracaju, muito mais seguros, com suspensões seguras, pneus antiderrapantes, etc.  E o que ocorria era que os automóveis que circulavam no Brasil eram verdadeiras carroças como bem disse o Collor. Eram Fiat 147, Chevette, fusca, e outras porcarias mais e por isto os caras quando entravam na curva do Iate Clube sobravam e geralmente capotavam, batiam, pulavam o canteiro central, e geralmente iam no poste. Portanto este discurso de curva e tal acho que é meio cafona, e por causa da evolução dos carros na década de noventa prá cá, não teve  mais acidentes por ali. Talvez uma ou outra batida no fundo por conta da retenção do trafego ou falta de atenção de um ou outro motorista, mas nada grave com certeza. Acho que este exemplo de curva do Iate, de Edivaldo, Samarone e Marcelo Deda, deve ser dirigido para o pessoal da idade deles, que estão velhos precocemente”.

 

Trânsito: Comentário de um pedestre e motorista II

Continua o leitor: “Agora, se eles como doutores – “d” minúsculo mesmo – em trânsito disserem que os acidentes que mais chocaram nos últimos tempos foram originados de sinal de transito e de madrugada, e em volta de festas acho que todos concordariam. E deveriam até citar os casos em várias avenidas e cruzamentos da cidade. Outra coisa: Este papo de bem intencionado, que está colocando esta imensidão de fiscalização eletrônica para salvar vidas, que ama o povo, é papo mentiroso, estes caras não amam ninguém. O que querem é arrecadar mesmo, e muito. E com certeza, cada sergipano, principalmente  cada aracajuano que tem carro irá pagar uma multa pelo o menos uma vez. Eles tem estudo cientifico disto. Isto não é colocado aleatoriamente sem calculo de retorno econômico não meu amigo, observe que quando um pardal, ou lambada não está dando resultado eles tiram e colocam em outro lugar, sinal de transito em que o motorista para obrigatoriamente independentemente de estar ou não fechado, não tem fotossensor observou? Observou que lambada só tem em alguns lugares e são bem poucas, me parece que são somente 04 em Aracaju. Más os chamados pardais são dezenas, por que? Porque tem retorno econômico garantido no investimento, na compra do equipamento. Concorda? Observe que nas entrevistas do prefeito ele fica assim que meio constrangido sem muito argumento, foi preciso hoje, 22, o governador dar entrevista, parecendo até que não desencarnou da Prefeitura de Aracaju. Olha, acho que os caras do PFL, Almeida Lima, João Fontes etc, acabam de ganhar o IPTU que tanto sonharam e não tiveram na campanha para governador”.

 

Leitor critica multas da SMTT no Forró Caju

De um leitor: “Venho Através deste e-mail chamar atenção para farra que a SMTT faz no Forró Caju todos os dias pra aumentar a arrecadação. É de conhecimento público que a área do Forró Caju não oferece a mínima condição de estacionamento, as pessoas acabam tendo que colocar os carros ao longo das calçadas e por aí vai. Na noite do dia 20, fui ao local, estacionei meu carro ao longo do calçamento e quando voltava por volta da 1 da manha não encontrei meu veículo, a princípio fiquei achando que tinha sido furtado, depois apareceu um agente da SMTT dando risada e dizendo que os carros haviam sido guinchados, que eu teria que pagar uma multa de trânsito, o guincho e uma diária pela estadia do meu carro lá na SMTT. Fiquei indignado, o carro não estava empatando o trânsito, o local é escuro e não dá pra ver a sinalização e  ainda no espaço não existe local para estacionamento regular. Então acho um absurdo o excesso da SMTT que não satisfeita em multar as pessoas num dia de semana , numa festa organizada pela própria prefeitura e sem condições de estacionar o carro de maneira segura e ainda levam o carro guinchado sem dar nenhuma satisfação. Tá na cara que eles só se interessam em arrecadar, é a mesma história dos tais radares onde o motorista tem que rodar a 60 Km por hora. Um absurdo!”.

 

Realizada primeira Sessão Virtual da Turma Recursal em Sergipe

Foi realizada na última quarta-feira, 20/06, a primeira sessão virtual da Turma Recursal e possivelmente a primeira sessão colegiada virtual feita no Estado de Sergipe. Usou-se como base legal o Art. 14, § 3o. da lei 10259/2001, por analogia. A Turma Recursal julga processos recorridos através do Juizado Especial. A Sessão, presidida pelo Dr. Ronivon de Aragão, teve participação, pela via eletrônica, do Juiz Federal Almiro Lemos. Compôs o plenário julgador o Juiz Fernando Escrivani e pelo Ministério Público Federal atuou o Procurador Bruno Calabrich. Por um dos julgadores estar em Estado diverso da Federação, por razão justificada, foi implementada a reunião virtual. Mediante o uso do programa Microsoft Messenger foi possível aos magistrados se comunicarem reciprocamente. Com esta medida prossegue a Turma Recursal com o programa “pauta zero”: todos os processos são julgados na sessão seguinte à distribuição, não restando feitos pendentes de julgamento, ainda que, para tanto, a turma tenha chegado a julgar cerca de 1.000 (um mil) processos mensalmente.Integram a Turma Recursal do Estado de Sergipe os Juízes Ricardo Mandarino (Presidente), Almiro Lemos, Ronivon de Aragão, Lidiane Bomfim e Fernando Escrivani.

 

Frase do Dia

“Quem me dera ao menos uma vez entender como um só Deus ao mesmo tempo é três, e esse mesmo Deus foi morto por vocês”. Renato Russo.

 

 

 

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais