Tempo para Renúncia

0

O presidente da Câmara Federal, deputado Severino Cavalcante (PP), está em contagem regressiva para renunciar ao mandato e preservar seus direitos políticos para retornar ao legislativo nas próximas eleições. É que os partidos da oposição – PSDB, PFL, PDT, PPS e PV – protocolaram ontem o requerimento na Comissão de Ética para abertura do processo de cassação do mandato de Severino e o julgamento deve ser instalado no começo da próxima semana. Depois dessa abertura, o parlamentar terá que enfrentar o plenário e, se perder o mandato, ficará impedido, pelo período de oito anos, de disputar novas eleições. A alegação dos membros da oposição é que Severino não tem condições de conduzir a casa, após ficar sob fogo cerrado por denuncia de que teria recebido propina do empresário Sebastião Buani, para facilitação do uso de espaço da Câmara para instalação de um restaurante.

 

A oposição está cumprindo o seu papel, porque existem evidências claras de que Severino Cavalcante recebeu uma boa grana para manter o restaurante funcionando e um mensalinho pela renovação do contrato. O deputado Severino Cavalcante foi levado à Comissão de Ética por uma maioria de parlamentares que lhe deu voto para coloca-lo na Presidência da Casa e vem sendo defendido exatamente pelo grupo político que votou contra ele na mesma eleição da Mesa. Não há nenhuma incoerência nisso, é que depois de eleito o Severino extrapolou em sem conservadorismo, ampliou o nepotismo e caiu nos braços do governo, negociando cargos e ministério. Nessa cumplicidade com o presidente Lula, o deputado presidente passou a defender pena amena para determinados parlamentares que estão sofrendo processo de cassação, principalmente ao ex-ministro da Casa Civil, José Dirceu, e ao amigo José Janene (PR), líder do PP na Câmara e um dos mais envolvidos no processo do mensalão.

 

Uma coisa não se pode negar: o caso Severino deu um alívio ao Planalto. Afinal o peso que se mantinha na cabeça do presidente Lula foi amenizado. De Brasília chegam informações que o governo, através de assessores e do bloco de apoio na Câmara, estão empurrando o Severino para a fogueira e, com habilidade, vão queima-lo em fogo brando, para que a discussão em torno dele se prolongue, até que esqueçam do presidente Lula. Mesmo que tenha esse objetivo, fingem solidariedade para que a oposição se mantenha preocupada neste novo escândalo, dando uma pausa ao presidente Lula. Lógico que o mensalinho de Severino desviou as atenções dos outros escândalos bem mais escabrosos do que o praticado por ele – embora o crime seja o mesmo. Essa pausa, que certamente obstrui as sessões plenárias, vai aumentar o período de cassação dos 18 parlamentares que estão na lista para decisão dos demais deputados, cuja maioria só pretende votar qualquer cassação sem a presença do Severino no comando da sessão: “um acusado de receber mensalinho, não pode presidir a votação de quem recebeu mensalão”, disse um parlamentar.

 

Mesmo que o processo contra o presidente da Câmara, Severino Cavalcante, seja cozinhado em banho maria e pode demorar um bom tempo, os escândalos continuam aparecendo e o presidente Lula e o seu Partido dos Trabalhadores, a cada dia estão mais comprometidos com a sucessão de denuncias que ocorre com muita freqüência, cada uma mais grave que a outra. A constatação disso está nos resultados das pesquisas que mostram Lula despencando, além da pouca euforia que se percebe neste período de novas filiações. A estratégia de manter aceso o fogo que faz arder o Severino pode funcionar por algum tempo, mas não vai apagar a visão triste que a sociedade passou a ter de um governo que entrou na lama movediça e vai se sucumbindo muito rapidamente.

 

Hoje ninguém arrisca um palpite em favor da reeleição de Lula, embora se acredite na recuperação do PT, através de um grupo sério que deve assumir a direção nacional.

 

 

MUDANÇA

O deputado Walker Carvalho (PFL) pediu licença da Assembléia Legislativa para assumir a Secretaria do Trabalho. Em seu lugar, na Assembléia, assume hoje a deputado suplente Gorete Reis (PTB), até o período de desincompatibilização do parlamentar.

 

ESPORTE

A princípio Walker Carvalho pretendia assumir o Esporte e Lazer, mas depois de entendimentos, o deputado ficou com o Trabalho. Walker Carvalho só vai assumir o seu novo cargo na próxima segunda-feira. O radialista Carlos Batalha permanece onde está.

 

AGRICULTURA

O ex-deputado federal Sérgio Reis (sem partido) está certo para assumir a Agricultura mas só vai faze-lo no final do mês. O governador pretendia que fosse ainda nesta semana, mais Reis vai fazer uma viagem e só assume a pasta quando retornar.

 

CAUSTICO

O deputado federal João Fontes (PDT) foi caustico com o ex-presidente do PT, José Genoino: “é triste tê-lo visto passar de preso político a preso por corrupção”. João Fontes também classificou José Genoino de “omisso e covarde” em todo esse processo que envolve o Partido dos Trabalhadores.

 

PRESENÇAS

Apenas dois deputados sergipanos estavam na reunião para a elaboração da representação contra o presidente da Assembléia, Severino Cavalcante: Ivan Paixão (PSB) e João Fontes. Na entrega do documento à Comissão de Ética, os deputados fizeram uma passeata, de braços dados, para marcar a posição.

 

IMPEACHMENT

O senador Almeida Lima (PSDB) defendeu ontem, em plenário, a abertura de processo de impeachment contra o presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva. Para Almeida, o processo se justificaria porque Lula sabia da corrupção envolvendo membros de seu governo, o ex-ministro da Casa Civil, José Dirceu.

INTERDITADO
Almeida Lima disse que, se Lula não tinha conhecimento, “deve ser interditado por falta de capacidade para gerir os negócios, os interesses e o patrimônio do povo brasileiro”.
Acrescentou que essa interdição, “que se verifica em vários ramos do Direito, nada mais é do que  o próprio impeachment”.

 

BRASÍLIA

O governador João Alves Filho viaja hoje à tarde a Brasília e vai conversar com membros do seu partido sobre a questão da verticalização. João Alves Filho sabe do problema da manutenção da verticalização e quer dá segurança para a disputa de seus aliados a mandatos proporcionais.

 

WASHINGTON

O prefeito Marcelo Déda (PT) fez a apresentação do projeto para os municípios, ontem à tarde, para a direção do BID, em Washington. Marcelo Déda discute formas para facilitar o acesso, pelas prefeituras municipais, de recursos provenientes do BID.

 

CONDIÇÕES

O projeto mostra que os municípios brasileiros estão em condições de endividamento, inclusive melhores que a União e os estados. Segundo Marcelo Déda, os municípios podem pagar empréstimos ao BID sem prejudicar a responsabilidade fiscal.

 

CONSULTA

O senador Valadares (PSB) consultou o deputado Gilmar Carvalho (PSB) sobre sondagens feitas ao deputado federal Jackson Barreto para que ele ingresse no partido com os aliados. Jackson teria dito que vai aguardar até o final do mês para tomar uma decisão, porque não deseja esperar a queda da verticalização.

 

FABIANO

O deputado estadual Fabiano Oliveira (PTB) está apenas com o bico de fora do ninho tucano. Espera apenas o final do mês. Fabiano foi convidado pelo ex-governador Albano Franco a ingressar no PSDB. O deputado Adelson Barreto pode tomar o mesmo caminho.

 

SUSANA

A deputada estadual Susana Azevedo (PPS) também foi convidada para aterrissar no ninho tucano, mas ainda não tomou uma decisão. O deputado Jorge Araújo está agendando um almoço de Susana com o ex-governador Albano Franco, Ulices Andrade e Bosco Costa, todos do PSDB.

 

AQUÁRIO

Muita gente politicamente importante já está com um pé no “aquário”, em busca de maior tranqüilidade para as próximas eleições. Alguns “peixinhos” já flutuam nesse cobiçado “aquário” à espera de outros bons espécimes, que estão começando a mergulhar.

 

 

Notas

 

BANESE

O presidente do Banese, Jair Araújo, comemora a entrada do banco no “seleto clube das instituições bilionárias do país. Além disso, nossa solidez pode ser representada pelo valor que temos em caixa hoje, que é algo em torno de R$ 950 milhões”. Jair está satisfeito com os resultados oferecidos pelo balanço. Jair explicou que o ativo passou de R$ 927,9 milhões em junho de 2004 para R$ 1,58 bilhão em junho deste ano, crescendo R$ 130,4 milhões, o que provocou esse crescimento que o balanço mostrou.

 

REFORMA

A Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ) aprovou ontem a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 446/05, do deputado Ney Lopes (PFL-RN), que prorroga até o próximo dia 31 de dezembro o prazo para que alterações na legislação eleitoral sejam válidas já no pleito de 2006. A proposta concede mais tempo ao Congresso para aprovar a reforma política, pois, de acordo com a Constituição, o prazo para qualquer alteração a ser adotada nas próximas eleições acaba no final deste mês.

ORDEM

Os presidentes do Conselho Federal de Medicina e da Associação Médica Brasileira, respectivamente Edson Oliveira Andrade e Elipses Vieira de Paiva, criticaram a instituição do exame de ordem para o exercício da Medicina. A medida está sendo discutida em audiência pública da Comissão de Seguridade. Acha que o exame é desnecessário porque os estudantes são obrigados a fazer residência. Mais importante que discutir a instituição do exame da ordem é formar médicos de acordo com as necessidades sociais do Brasil.

 

É fogo

 

A maioria dos políticos está muito preocupada com a questão da verticalização, porque a perspectiva é que ela permaneça.

 

Há quase uma unanimidade de que a verticalização vai causar problemas aos candidatos em razão de suas posições políticas.

 

Alguns prefeitos do interior estão prontos para aderir ao governo do estado e isso começa a preocupar setores da oposição no estado.

 

O prefeito Marcelo Déda está em Washington, onde participou de encontro com diretores do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID).

 

O senador Antônio Carlos Valadares (PSB) disse que não existe nada de concreto sobre a filiação de Jackson Barreto e Heleno Silva no seu partido.

 

O senador Antônio Carlos Valadares presidiu, ontem, parte da sessão plenária do Senado Federal.

 

O Rio Grande do Norte ainda está lutando pela construção da refinaria de petróleo no seu estado.

 

Já o senador Tasso Jereissati (PSDB) defende que a refinaria seja implantada no Nordeste e que isso aconteça o mais rápido possível.

 

A discussão dos senadores era pelos critérios encontrados para que a refinaria fosse instalada em Pernambuco, atendido a pedido do presidente Chavez, da Venezuela.

 

O deputado Walmir Monteiro está animado porque os Reis não vão lançar candidato a deputado estadual.

 

O Colégio Estadual Governador Valadares já iniciou o I Seminário sobre a importância da água.

 

O satélite brasileiro Amazonas está substituindo parte das comunicações terrestres danificadas em Nova Orleans pelo furacão Katrina, que atingiu os Estados Unidos.

 

brayner@infonet.com.br

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários