Tempos difíceis pela frente

0

O futuro financeiro é incerto para o servidor estadual. Muitos acham que nada pode ser pior do que ficar sem reajuste salarial há quase uma década e receber a ninharia com atraso de até 11 dias. Pois a pandemia do coronavírus ameaça agravar ainda mais a já periclitante situação do funcionalismo. O governo tem dito que se os prometidos recursos federais para combater o Covid-19 não chegarem logo, só terá dinheiro garantido para pagar a folha de maio. E se Deus ajudar e o diabo não atrapalhar, talvez a de junho. Portanto, nada é tão ruim que não possa piorar ainda mais. Misericórdia!

Aumento proibido

A partir de hoje e até a posse dos eleitos, os prefeitos estão proibidos de conceder reajuste acima da recomposição da perda salarial. Muitos gestores vão se amparar nesta proibição da Lei Eleitoral para dizer aos servidores que estão proibidos de recompor as perdas provocadas pela inflação do período. Crendeuspai!

Contagem suspensa

Os prazos de validade de concursos públicos federais podem ser suspensos durante a pandemia do coronavírus. Pelo menos é o que deseja o senador Alessandro Vieira (Cidadania). O moço até já apresentou um projeto de lei nesse sentido. A suspensão proposta por Vieira seria válida para autarquias, fundações, estatais e demais entidades controladas direta ou indiretamente pela União. Ah, bom!

Pernas pro ar

O servidor da Prefeitura de Aracaju está dispensando do trabalho na próxima quinta-feira. Para reduzir ainda mais a mobilidade na capital, o prefeito Edvaldo Nogueira (PDT) decretou ponto facultativo na chamada Quinta Santa, véspera da Sexta-Feira da Paixão. Sem poder ir à missa ou à praia, o servidor vai curtir o “feriado” em casa, rezando e torcendo para que essa pandemia do coronavírus passe logo. Ó Céus!

DEM como exemplo

E o prefeiturável petista Márcio Macedo foi buscar no DEM um bom exemplo de como socorrer os mais necessitados nesta época de coronovírus. O moço cita “a experiência exitosa da Prefeitura de Salvador”, que doa R$ 270 às famílias carentes através do Programa Renda Mínima. Na mensagem postada nas redes sociais, Márcio afirma que “com fé e esperança no coração, nós vamos vencer esse vírus”. Então, tá!

Ministro do Brasil

A depender dos apoios que tem recebido, o ministro da Saúde, Henrique Mandetta, fica no cargo pelo resto da vida. Um dos apoiadores do desafeto do presidente Jair Bolsonaro é o deputado federal Fábio Mitidieri (PSD). Segundo o sergipano, o ministro “é uma voz de alento para a sociedade, num momento triste e tenebroso”. O deputado se diz satisfeito com a forma de Mandetta transmitir a gravidade da situação sem nos tirar a esperança de dias melhores. Marminino!

Aviso aos navegantes

E quem anda desrespeitando o decreto do governo de Sergipe sobre fechamento do comércio e da indústria é bom preparar o bolso. Projeto do Executivo em tramitação na Assembleia pune os desobedientes com multas de até R$ 5 mil. O governo entende que se não endurecer, muita gente vai achar que o coronavírus não passa de uma gripezinha, numa ameaça ao esforço da sociedade para conter a pandemia do Covid-19. Certíssimo!

Menos burocracia

O prefeito Edvaldo Nogueira (PDT) decretou a redução de exigências fiscais visando facilitar a vidas das empresas de Aracaju. Entre as medidas, destacam-se a prorrogação da validade de certidões negativas e de alvarás, e a suspensão de ajuizamentos de execuções fiscais e de vistorias. O decreto terá validade até passar a pandemia do coronavírus. Vixe!

Contra prorrogação

A justiça eleitoral deve decidir em junho se adia ou não as eleições municipais deste ano. O adiamento do pleito, marcado para outubro, vem sendo cogitado devido à pandemia do novo coronavírus. “Não gostaria de adiar as eleições, mas acho que não podemos fechar os olhos a este risco. O que eu sou radicalmente contra é o cancelamento das eleições e fazer todas coincidirem em 2022”, afirma o ministro
Luís Roberto Barroso. Em maio próximo, ele assume a presidência do Tribunal Superior Eleitoral. ôxe!

PCdoB esvaziado

Depois do prefeito Edvaldo Nogueira (PDT), agora foi a vez da prefeita de Riachão do Dantas, Simone Andrade, deixar o PCdoB. A convite do governador Belivaldo Chagas, a moça se bandeou de mala e cuia para o PSD. Ela afirma que a boa relação política com o deputado federal Fábio Mitidieri também contribuiu para a mudança partidária. Aliás, antes de Nogueira e Simone, o prefeito de Socorro, Padre Inaldo, já havia trocado o PCdoB pelo Progressistas. Misericórdia!

Recorte de jornal

Publicado no jornal estanciano A Razão, em 24 de Novembro de 1912

 

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários