Tese simples

0

O prefeito de Aracaju, Marcelo Deda (PT), um nome forte no Planalto e que participa de decisões da cúpula administrativa do país, disse ontem que a sua tese é simples: “acredito em Lula e no meu partido”. Seguro de que o projeto de Governo esta no caminho certo, o prefeito Marcelo Deda não fala nos efeitos das reformas da Previdência ou Tributária. Se fará bem ou não ao Nordeste e ao país: “minha posição é de solidariedade completa ao presidente Luis Inácio Lula da Silva”. E pronto! Deda entende que o presidente Lula da Silva não apresentaria nenhuma medida, apenas para copiar o Governo passado. Considera que Lula sabe muito bem o país que encontrou e precisa adotar posições para que o Brasil cumpra os seus compromissos internacionais. Não quer que aconteça aqui o que ocorreu na Venezuela. O Brasil precisa encontrar o caminho adequado para consolidar a economia e, daí, passar a ter condições de cuidar das questões sociais, que são um desafio permanente a quem comanda um país de contradições alarmantes, entre segmentos da sociedade. Marcelo Deda veste a camisa do presidente Lula. Ele tem consciência plena da responsabilidade e convicção social do seu compadre e garante que Lula não vai aceitar o distanciamento existente entre um Brasil rico e outro miserável. Mesmo que, para isso, tenha que impor sacrifícios a um povo que não suporta mais arrochos e mantém a fé de que, o caminho para se chegar a uma situação menos desconfortável, seria eleger um cidadão que saiu das entranhas do lado desse Brasil que passa fome e que tem de migrar em busca de uma vida possivelmente menos sofrida no Sul maravilha. Mas o prefeito Marcelo Deda acredita que um país socialmente desigual, jamais chegará a algum lugar com o desequilíbrio financeiro e sem crédito internacional. É possível que seja esse o pensamento de Lula, que busca baixar a inflação para aumentar a produção e evitar a recessão. Mas com os juros às alturas, não há como se chegar a esse equilíbrio, porque cai o poder de compra, há uma redução na produção e a inflação tende a disparar, trazendo na bagagem o desemprego e o caos. O prefeito Marcelo Deda tem plena convicção que o presidente Lula da Silva está no caminho certo e que colocará o Brasil em uma situação favorável a quem produz e a quem consome, além de reduzir o número de desempregados que abarrotam as ruas de todos os Estados deste país. Mesmo com essa consciência positiva do projeto de Governo, o prefeito Marcelo Deda diz que, se provarem no futuro que o presidente Lula estava equivocado, “estarei do seu lado de qualquer forma”. Deda acha que se ganhou popularidade com Lula, “quero sofrer o ônus das conseqüências”, mantendo-se do seu lado. Mas isso não passa pela cabeça do prefeito de Aracaju. Ele tem certeza que todas as medidas que vêm sendo adotadas, principalmente as reformas mais importantes para o país, tudo vão dar certo e a sociedade vai reconhecer que o caminho seria exatamente promover mudanças em um modelo viciado que sempre privilegiou as elites. Marcelo Deda entende bem a aflição de um grupo petista que desejaria mudanças profundas em um simples toque de mágica, e diz que está habituado a essas reações, que depois vão se acomodando ao sentir que o presidente está no caminho certo. Mas isso parece muito difícil. O vice-presidente da República, José Alencar (PL) está impaciente e critica os juros altos. Até o fiel José Dirceu, em uma reunião interna do partido, sem saber que estava diante das câmeras, reconheceu que a altura das taxas de juros era um obstáculo para que se chegasse à redução do grande desequilíbrio social. Deda, na realidade, confessa que está com Lula na saúde ou na doença, e isso é um sintoma de bom caráter político. Mas essa fidelidade não pode chegar à miopia, porque há um visível descontentamento, dentro do PT, em Sergipe, pela forma como o presidente está comandando o barco. Lula pecou muito na campanha eleitoral. Excedeu-se nas promessas de soluções imediatas para problemas sociais milenares. A população marginalizada acreditou. Hoje está começando a se sentir frustrada, para não dizer traída. Mas é bom que Deda tenha convicção de que tudo está no caminho certo. Essa ainda é a esperança tênue de uma gente sofrida, que não tem mais a quem recorrer. ASSUSTADO O governador de Alagoas, Ronaldo Lessa (PSB) era o mais assustado no Forum. A maioria dos governadores veio com poucos assistentes, mas Ronaldo chegou com 10. Outros preferiram apartamento, mas ele uma suíte. Outro detalhe: não dormiu sem colete à prova de balas e nem sem o ajudante de ordem. FRANCISCO O ex-deputado Antônio Francisco está em Sergipe e descansa em fazenda de um amigo político forte. Teve acompanhamento médico… A sua apresentação à Polícia ocorrerá até o domingo, num horário de pouca movimentação, para evitar estardalhaços. POLICIA O secretário da Segurança, Luiz Mendonça, diz que a polícia procura Antônio Francisco, mas espera que ele se apresente neste final de semana. Acha que ele se perdeu muito por fazer ameaças a parlamentares e outras pessoas, o que poderá influir na decisão de responder o crime em liberdade. COMPROVADO Todo o depoimento do indiciado Carlos Munganga foi checado pela Polícia e todas as informações são absolutamente verdadeiras. Os depósitos de dinheiro nos dias marcados, todos os telefonemas, os contatos, enfim, tudo que Munganga falou complica a vida de Antônio Francisco. NORDESTE O Banco do Nordeste só investiu 15% dos recursos repassados pelo Fundo Constitucional – IPI e Imposto de Renda – para incentivos ao Nordeste. Deixou de investir 1.2 bilhões na região. O seu presidente, Roberto Smith, justificou que o problema ocorreu em razão da inadimplência, que chega a 47%. REPASSE O Ministério da Integração Nacional não está repassando mais dinheiro para aplicação no Nordeste, porque os recursos não foram gastos. Segundo desconfia deputados federais, os R$ 1.2 bilhão acumulados, foram utilizados pelo capital especulativo. Isso poderá acabar em CPI. FONTES O deputado João Fontes (PT) votou contra a Medida Provisória do Governo Federal que estipula o Salário Mínimo em R$ 240,00. João Fontes e outros membros da dissidência petista apresentaram proposta que eleva o mínimo para R$ 280,00: “só com esse valor é que o presidente Lula pode dobrar o mínimo, como prometeu em campanha”, disse Fontes. EMENDA João Fontes apresenta emenda à Lei de Diretrizes Orçamentárias, contingenciando os valores da meta de 4,22% do superávit primário, para áreas como saúde, educação, turismo, agricultura e aumento do Salário Mínimo. “Esse é o meio que nós encontramos para mostrar que o salário de R$ 280,00 é possível. Queremos contribuir para que o presidente cumpra promessa de campanha”, disse João. MOTEL A polícia descarta a possibilidade de qualquer morte em um motel de Aracaju, através de uma mordida de cobra. O pessoal sequer levou a sério… O secretário Luiz Mendonça disse que nenhum médico assinaria o óbito de alguma pessoa, por mordida de cobra, sem antes passar pelo IML, mesmo que por trás tivesse um juiz. FABIANO O deputado estadual Fabiano Oliveira (PTB) teve demorada conversa com o prefeito Marcelo Deda, que lhe perguntou sobre a possibilidade de assumir a Secretaria Municipal de Turismo. Fabiano respondeu que o seu nome está à disposição do partido e que cumpre aquilo que for considerado melhor para o fortalecimento do grupo. CONVERSA Marcelo Deda confirmou que manteve uma conversa com o deputado suplente Luiz Mitidieri e gostaria de contar com ele na Assembléia Legislativa. Fabiano insistiu que depende do partido e já conversou com Jackson Barreto e Jerônimo Reis. Jackson ficou satisfeito com a posição firme do parlamentar. ARRUMAÇÃO O prefeito Marcelo Deda ainda não fez o convite, mas revelou que precisa fazer uma arrumação no secretariado, colocando Tânia Soares na Secretaria de Combate à Pobreza. A titular da Pasta, Conceição Vieira, vai assumir a vaga de Francisco Gualberto. Aliás, Conceição até já disse a Deda que gostaria de conhecer melhor o parlamento. DEDA O prefeito de Aracaju, Marcelo Deda, disse, ontem, que “para quem está no Governo antecipar o calendário eleitoral é prejudicar o programa administrativo”. Evita falar em reeleição porque este ano é de “consolidação do nosso trabalho. A partir do próximo ano é que vamos abrir o debate sobre as eleições municipais”. PASTA Marcela Deda explicou o caso da Pasta do ministro José Dirceu: “ele esqueceu a pasta dele, porque trocou com a que fora dada pelo Fórum de Governadores”. Acrescentou que viu a pasta pessoal do ministro e, como a secretária estava com as mãos ocupadas, a levou até José Dirceu. Entregou quando ele dava entrevista à imprensa. Notas CHAPA O deputado Marcelo Deda disse, ontem, que uma candidatura majoritária à sucessão estadual requer entendimentos com todos os partidos que integram o bloco político, e de discussões que se chegue a um consenso natural para a disputa. Não pode mais ser uma decisão que se tome de forma precipitada. Quando perguntado se a chapa seria “puro sangue”, o prefeito explicou que não está tratando disso, apenas quis mostrar que não dá para se falar em reeleição, porque também há um novo quadro político no Estado. ESTADO Quanto à disputa pelo Governo do Estado, o prefeito Marcelo Deda praticamente evitou falar: “isso está muito longe”, disse. Lembrou que está num projeto de oposição ao atual Governo do Estado, “mas pensar em ser candidato à sucessão estadual é uma precipitação”. E mostrou conhecimento bíblico: “cada dia com sua agonia”. Marcelo Deda revela que um grupo esta procurando se consolidar como uma alternativa política no Estado e, naturalmente, tem que pensar em sempre disputar as eleições para chegar ao poder estadual. SURPRESA A sociedade sergipana tem que começar a se preparar para as surpresas desagradáveis que vão começar a surgir, a partir de agora, com a prisão do grupo que assassinou Joaldo Barbosa, principalmente de Carlos Munganga e de Floro Calheiros. Coisas que a Polícia vem investigando e a qualquer momento vai ao ar. Prisões desse tipo geralmente levam ao passado e muita coisa que se pensava insolúvel retorna à mesa dos delegados, chegam ao Ministério Público e novas investigações trazem a tona crimes que chocaram a opinião pública. É fogo A imprensa está de plantão para não perder o lance de entrega do ex-deputado Antônio Francisco. A previsão é para domingo. Os seus advogados estão trabalhando para evitar uma prisão sensacionalista e que tudo seja feito de forma natural e sem espalhafatos. O funcionalismo estadual está impaciente porque o governador João Alves Filho ainda não anunciou os percentuais de aumento salarial. A expectativa de que o deputado suplente Luiz Mitidieri passe para a oposição agrada muito ao prefeito Marcelo Deda. O deputado Gilmar Carvalho (PV) diz que Francisco Gualberto (PT) terá nele um amigo sincero e leal na luta pelas classes trabalhadoras. O deputado Augusto Bezerra (PMDB) está no Maranhão, onde participa de reunião da União das Assembléias Legislativas Estaduais. O deputado federal Jackson Barreto chegou ontem à noite e hoje viaja para algumas cidades do interior, com o objetivo de organizar o PTB. O ex-governador Albano Franco está mantendo o silêncio político, mas não deixa de conversar com os seus aliados. Um empresário espirituoso dizia ontem que “cobra picar em um motel é redundância”. O caso virou motivo de piada. Sergipe vive, este final de semana, a abertura do período junino em várias cidades. Pirambu faz o São João antecipado e a cidade ficará pequena para a multidão que vai para lá. A Carta de Aracaju, assinada pelo Fórum de Governadores do Nordeste, será entregue ao presidente Lula da Silva. A Secretaria da Agricultura vai incentivar o plantio de mamona em Sergipe, para tornar possível a produção de combustível no Estado. A bancada de Sergipe em Brasília, talvez ‘a exceção de Jackson Barreto, votará contra a taxação dos inativos, prevista pela Reforma da Previdência. brayner@infonet.com.br

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários