TIRO PELA CULATRA

0

O presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva (PT), está conseguindo manter o ministro da Fazenda, Antônio Palloci, apesar da tempestade de denuncias que cai sobre sua cabeça. O país acompanha de perto esse bombardeio a um cidadão que está sem palavras para se defender, porque as acusações contra ele são contundentes, irrefutáveis e que não dão brecha para uma saída. Todos viram o ministro na mansão de noitadas alegres em um bairro nobre de Brasília, contaram praticamente a mesma história, mas Palloci mantém que jamais esteve lá. Estariam mentindo o motorista? O caseiro? O corretor? Apenas o ministro Antônio Palloci fala a verdade? Para o presidente Lula da Silva sim. Para o Partido dos Trabalhadores também. Enquanto isso o Brasil assiste o condutor de sua economia ser posto sob suspeita de comandar um esquema de corrupção em Ribeirão Preto.

O presidente Lula, em discurso emocionado no Rio de Janeiro, disse que Palloci será mantido no Ministério: “se pedir demissão, não aceito”, carimbou. Mas, intimamente, Lula está percebendo que não há como segurar um ministro que tem provocado tantos problemas ao seu governo, até mesmo de convivência com colegas, em razão de sua política econômica ortodoxa. Entretanto, acompanha o que a maioria dos governantes costuma fazer, que é não afastar um auxiliar que vem sendo bombardeado por deputados, senadores, imprensa e colegas. Sente que está prejudicando à administração, mas não pretende dar a mão à palmatória aos que o acusam. Lógico que o ministro Palloci não se sustenta mais e o melhor seria deixar o cargo, para que o presidente Lula levasse adiante a sua luta em minimizar esse inferno astral em que vive o Planalto, desde quando um simples funcionário dos Correios foi flagrado deixando se corromper por R$ 3 mil.

O Partido dos Trabalhadores voltou à berlinda, nos últimos dias, depois que entrou com liminar no Supremo Tribunal Federal (STF) para impedir que o caseiro Francenildo Santos Costa (Nildo) depusesse na CPI dos Bingos. Nildo ainda conseguiu falar por 40 minutos e reafirmar o que disse à imprensa. Ele teria visto o ministro Palloci, por várias vezes, freqüentar a tal casa alegre de um bairro nobre de Brasília. Falou das transações financeiras, disse que acompanhou o motorista a levar dinheiro para assessores de Palloci no Ministério, além do lado da luxúria, que realmente não interessa a ninguém. Tudo isso foi dito nos 40 minutos, mas o que ficou para a população foi a canetada do ministro César Pelúsio que, atendendo a uma liminar do líder do Governo no Senado, Tião Viana (PT-AC), proibiu o caseiro de prestar depoimento à CPI. A sociedade não apenas repudiou, mas ficou constrangida e se sentiu atingida por um ato que calava um cidadão humilde que dava sua contribuição, com muita coragem, para esclarecer o que existe de podre por trás da chamada “República de Ribeirão Preto”.

Ontem, no Senado, Tião Viana deu um novo tiro no pé. Apresentou um requerimento para que seja quebrado o sigilo bancário de Francenildo. De janeiro para cá. A oposição entendeu bem o recado. É que no final de semana a revista “Época” divulgou a movimentação bancária de Nildo, sem nenhuma ordem judicial. Todos perceberam no gesto do senador Tião Viana a insinuação de que os seus membros haviam subornado o caseiro para fazer as denuncias. A resposta foi imediata: senadores oposicionistas apresentaram mais dois requerimentos de quebra do sigilo bancário: um para Paulo Okamotto, o amigo que paga as contas do presidente e familiares, e o de Lulinha, o filho de Lula da Silva, que teria uma estranha parceria com uma empresa de telefonia. O clima esquentou, mas os requerimentos foram enviados para discussão na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ). Da parte do caseiro não teve problema, ele telefonou para o senador José Agripino Maia (PFL) e autorizou a abertura de suas contas. Aproveitou e mandou um recado: “espero que os ricos também façam a mesma coisa”. O presidente Lula está retornando ao meio de uma crise, que poderia acabar com a demissão de Palloci e a determinação de por a limpo as sujeiras cometidas por membros do seu partido e do Governo.

Isso talvez fosse melhor do que fingir que não sabia de nada…

 

 

PRAZO

O ex-governador Albano Franco (PSDB) deu um novo prazo para tomar uma decisão sobre o caminho que deve seguir em 2006: “da páscoa não vai passar”, disse a Fábio Henrique.

Sobre a reação de alguns petistas que não aceitam acordo com o PSDB e manifestaram essa posição em encontro do PT, Albano disse que “todos conhecem minha forma tolerante”.

 

POSIÇÃO

Um problema que atrapalha a decisão está na questão da verticalização, cuja queda ainda é dúvida e deve ser votada até quinta-feira pelo Supremo.

Permanecendo a verticalização e com a aliança do PSDB com PFL na disputa pele Planalto, uma aliança entre Albano Franco e João Alves Filho é inevitável.

 

PREOCUPAÇÃO

Assessores e aliados do governador João Alves Filho (PFL) estão preocupado porque ele ainda não está fazendo campanha e visitando cidades.

O pessoal reclama e João sempre marca uma data para começar a trabalha sua candidatura à reeleição. João Alves também aguarda a questão da verticalização.

 

PESQUISA

O prefeito Marcelo Déda (PT) está animado com o resultado das pesquisas realizadas pela Dataform e publicada ontem pelo semanário “Cinform”.

Déda está atarefado com o processo de mudança de comando na Prefeitura e já está passando tudo para o vice-prefeito Edvaldo Nogueira.

 

LULA

Quando esteve em Aracaju, na semana passada, o presidente Lula não teve tempo para o almoço. Fez um lanche no helicóptero entre Itabaiana e Aracaju.

Pelo pouco tempo, Lula não ficou em hotel. Tomou banho e trocou de roupa no avião, para os compromissos em Aracaju à tarde.

 

AFILHADA

Na realidade estava agendado um almoço privado entre o presidente Lula e familiares do prefeito Marcelo Déda, em uma suíte de um dos hotéis da orla.

O presidente manifestou interesse em ver a afilhada Yasmim Barreto Déda, alegando que não teria tempo de vê-la neste tumultuado período de campanha.

 

RESULTADO

O pessoal que defende a candidatura de Antony Garotinho (PMDB) a presidente da República surpreendeu na consulta realizada em Sergipe, domingo passado.

Dos176 membros que participaram da consulta Garotinho conseguiu 93 votos e Rigotto 63. Como 10 membros votaram três vezes e 29 votaram duas vezes, Rigotto obteve a maioria.

 

TELEFONEMA

Domingo à noite, quando Garotinho comemorava o resultado no Rio de Janeiro, telefonou para o presidente regional do PSC, José Amorim, e agradeceu os votos de Aracaju.

Disse que ficou surpreso com o resultado. Em Sergipe quem trabalhou para Garotinho foi o próprio Amorim, André Moura (PSC) e Augusto Bezerra (PFL).

 

MACHADO

O deputado federal José Carlos Machado (PFL) disse ontem que o gerente da Caixa que abriu a contra do caseiro Francenildo é que deve ser responsabilizado por isso.

Machado lamenta que hoje quem está comandando o país são os tribunais superiores: “eles legislam e decidem”.

 

ULICES

O deputado estadual Ulices Andrade (PSDB) falando para alguns amigos no cafezinho de um shopping, definiu sua posição política.

Disse que não tinha condições de fazer qualquer tipo de aliança com o PFL. Ulices é secretário geral do PSDB em Sergipe e pode representar o partido.

 

UNIT

O vereador Elber Filho (PDT) apresentou projeto, ontem, em que proíbe a cobrança de estacionamento em universidades, shopping e mercados.

O objetivo é sustar a cobrança que a Unit faz de R$ 1,50 aos estudantes por 4 horas e acréscimo de 50 centavos caso esse tempo seja ultrapassado.

 

ABUSO

Os vereadores consideraram que se tratava de abuso, porque os estudantes pagam alto para freqüentar a Unit e ainda adota outra fonte de renda paralela que é insuportável.

Alguns vereadores vão hoje ao Ministério Público, para solicitar que a Curadoria de Educação dê uma solução para o problema.

 

BANCOS

No Paraná há uma briga entre governo e o Itaú, porque as contas dos servidores públicos foram para Banco do Brasil que oferece tarifas mais baixas e maiores vantagens.

É a falta que faz um banco estadual nestas horas, já que o Banestado foi vendido. Agora os funcionários ficam sujeitos à exploração de bancos que só pensam nos altos lucros.

 

 

Notas

 

RELATÓRIO

Previsto para ser apresentado Hoje, o relatório final da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) dos Correios deve propor uma série de mudanças legislativas. Cortes nos gastos com publicidade e no número de funcionários não-concursados em cargos de confiança estão entre as principais medidas.

O relatório final da Comissão deve sugerir o corte de 40% nas verbas publicitárias da União e que 99% dos cargos de confiança, disputados por indicações, sejam ocupados, em seu total, por funcionários de carreira.

VEREADORES

Os presidentes de partidos vão debater na amanhã a PEC que estabelece nova composição e novos limites de gastos para as câmaras municipais, com o objetivo de corrigir distorções no número de vereadores. A comissão especial que analisa a PEC convidou para participar da audiência pública presidentes de 16 partidos.
De acordo com a PEC, o número de vereadores vai variar entre o mínimo de sete e o máximo de 55, em 25 diferentes faixas, definidas em razão da quantidade de habitantes do município, e não na resolução do TSE.

 

CAMPANHA

A Câmara vota hoje o PL que reduz gastos de campanhas eleitorais, proíbe o uso de certos tipos de propaganda, como pichação, distribuição de camisas e anúncios na imprensa escrita. Os deputados já aprovaram o texto-base da proposta, na forma de substitutivo do relator Moreira Franco (PMDB-RJ).
Entre os destaques, um dos pontos mais polêmicos é o limite máximo dos gastos com as campanhas. Moreira Franco acatou emenda que dá ao Congresso prazo até 10 de junho para fixar o teto, que deve variar para cada estado.

 

É fogo

 

O cantor Benito de Paula não virá mais a Laranjeiras na próxima sexta-feira. Era uma das atrações mais esperadas pela turno da Chorinho.

 

A OAB e a CNBB vão lançar, na primeira semana de março, uma campanha nacional de combate à corrupção eleitoral.

 

O objetivo da campanha é fiscalizar o cumprimento da legislação eleitoral, que prevê punição para o uso da máquina pública.

 

O governador João Alves Filho esteve na procissão de Pinhão, neste domingo. Ficou ao lado do ex-prefeito Eduardo Marques.

 

O deputado José Nilton (PSL) acha que os partidos pequenos devem ter liberdade para alianças, por uma questão de sobrevivência.

 

Ladrões agiram livremente neste final de semana prolongado na praia de Jatobá, na Barra dos Coqueiros. Houve até seqüestro relâmpago.

 

O deputado Valmir Monteiro (PSC) promete começar a bater forte na administração municipal de seu adversário, prefeito de Lagarto Zezé Rocha.

 

A deputada Goretti Reis (PFL) terá que se desdobrar para rebater as acusações de seu adversário Valmir Monteiro contra o prefeito Zezé Rocha.

 

A Receita Federal já recebeu mais de 2,7 milhões de declarações do Imposto de Renda Pessoa Física 2006.

 

Com a indicação de Geraldo Alckmin para presidente da República pelo PSDB, o ex-governador Albano Franco está bem.

 

A deputada estadual Susana Azevedo (PSC) diz que está trabalhando muito beste período, visitando cidades do interior.

 

O prefeito Marcelo Déda (PT) está nos preparativos finais para deixar a Prefeitura de Aracaju e disputar o governo do estado.

 

brayner@infonet.com.br

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais