TODOS CONVERSAM

0

O governador João Alves Filho (PFL) está começando a oficializar apoio de partidos que formarão sua coligação para disputar a reeleição. Ontem à tarde, na sede do Partido Social Cristão (PSC), João Alves ouviu a decisão da sigla em formar uma aliança com o PFL para apoiá-lo. Será essa a posição da legenda a ser levada para a convenção em data ainda não marcada. De lá, o governador João Alves Filho seguiu para a sede do PMDB, onde teria uma conversa com membros do diretório estadual, para que se chegue a um entendimento e mantenha o partido no bloco de apoio ao governo. A conversa não foi rápida. Havia muita coisa a pôr sobre a mesa, inclusive a participação do PMDB na chapa majoritária. Ontem surgiu a informação – ainda informal – de que seria oferecida a vice aos peemedebistas, que é de interesse do deputado federal Jorge Alberto e do presidente da sigla, Benedito Figueiredo. O nome do deputado estadual Marcos Franco também é citado para vice.

Enquanto esteve no PSC, o governador João Alves Filho conversou muito com seus membros. Falou inclusive sobre a questão do PSDB e deixou a entender que não havia nenhuma definição. João e Albano não conversam há quase um mês e não existe nada mais agendado. João teria dito que ofereceu ao PSDB tudo que podia dar, mas não houve o menor sinal de entendimento. Revelou que o ex-governador Albano Franco está querendo manter o diálogo através de intermediário. Não faz mais lógica isso, depois que os dois estiveram juntos por algumas vezes. O governador João Alves Filho mantém a posição de que “casamento forçado não dá certo. É preciso que haja sentimento dos dois lados”. Acha que uma composição não pode ser feita com uma das partes vindo dividida: “só é possível se o partido vier completo e com vontade de formalizar uma coligação”. De fato, nenhuma aliança deve acontecer com segmentos de uma das duas partes reprovando e trabalhando contra.

O governador João Alves Filho foi ao PSC e o ex-governador Albano Franco procurou o PT. Retomou a questão de uma aliança informal. É bom deixar claro que isso não partiu do ex-prefeito Marcelo Déda, como acontecia antes, mas do próprio Albano, que procurou Déda e Edvaldo Nogueira para pedir que sustassem o lançamento da candidatura do ex-presidente da Petrobrás, José Eduardo Dutra, ao Senado Federal. É bom lembrar que Dutra já está em campanha e, para não causar problemas ao PT, pode abrir para Albano Franco. Depois do encontro com Déda e Edvaldo, o ex-governador reuniu-se com os candidatos a mandatos proporcionais do PSDB e avisou que estava “vislumbrando a possibilidade de ser candidato ao Senado Federal”, mas iria comunicar esse pensamento à Direção Nacional do partido, possivelmente hoje à noite em Belo Horizonte, onde amanhã acontece a convenção dos tucanos para homologação da candidatura a presidente de Geraldo Alckmin.

Se não for possível, optará pela candidatura a deputado federal, saindo independente, mas procurando coligação com partidos de pequenos e médios portes, para garantir a eleição de uma bancada razoável. O pessoal que segue orientação do ex-governador Albano Franco não está mais opinando sobre suas posições. Espera apenas que ele decida e todos cumprem sem discussão. Fora da reunião, entretanto, há quem expresse opinião. Dois deles acham que Albano não pode contar mais com o fator tempo e tem consciência do que será bom para os seus companheiros de partido, que precisam de um alto coeficiente eleitoral para eleger-se. Um deles chegou a dizer que “não sabe porque uma coligação com o PFL não foi fechada. Ela oferecia melhores condições aos proporcionais. Mas isso o chefe e que sabe”, disse.

Segunda-feira, quando retornar de Belo Horizonte, certamente o ex-governador Albano Franco virá com uma decisão para que os candidatos caiam em campo para tentar manter o mandato ou chegar lá. Se segurar a indecisão será ruim, porque uma coisa é certa: o PT e o PFL têm pressa para formação de coligação segura, e não ficarão mais a mercê de uma definição tucana.

 

 

CONVERSA

O ex-governador Albano Franco (PSDB) teve uma conversa, ontem, com o pré-candidato a governador pelo PT, Marcelo Déda, e com o prefeito Edvaldo Nogueira (PCdoB).

Albano solicitou que fosse adiado de ontem para a próxima sexta-feira o lançamento da candidatura de José Eduardo Dutra (PT) ao Senado Federal.

 

REUNIÃO

Também ontem pela manhã, Albano Franco se reuniu com a cúpula do PSDB, na sede do partido. Avisou que há possibilidade de ser candidato ao Senado Federal.

Como houve a conversa para que José Eduardo Dutra não fosse candidato ao Senado pelo PT, Albano Franco reabre o diálogo para uma aliança branca com o PT.

 

INDEPENDENTE

Na reunião com seus correligionários, Albano Franco evitou falar em “aliança branca”. Preferiu dizer que o PSDB sairia independente, aliado a legendas menores.

Apesar de voltar a vislumbrar a candidatura ao Senado, Albano vai depende da consulta à Direção Nacional. Se não for possível, está decidia sua candidatura a deputado federal.

 

CONVENÇÃO

O ex-governador Albano Franco (PSDB) viaja hoje, às 15 horas, a Belo Horizonte, onde participa da convenção do partido que homologa Alckmin como candidato a presidente. 

Albano embarca de Maceió e se encontra com a delegação de Sergipe, formada por Bosco Costa, Acival Gomes, Jose Teles de Mendonça e Ivan Leite.

 

COMUNICA

Em Belo Horizonte o ex-governador Albano Franco vai conversar com o presidente do PSDB, Tasso Jereissati, sobre a questão do partido em Sergipe.

A informação é de que Albano voltará a consultar a direção tucana sobre sua candidatura ao Senado, dentro de um entendimento com o PT.

 

EXPLICAÇÃO

O ex-prefeito Marcelo Déda deu uma explicação diferente para a suspensão do lançamento da candidatura de José Eduardo Dutra para o Senado.

Segundo Déda, em razão da abertura dos jogos da Copa do Mundo e das primeiras disputas que aconteceriam, o próprio Dutra teria optado para o lançamento no próximo sábado.

 

OKAMOTTO

O presidente nacional do Sebrae, Paulo Okamotto, esteve em Sergipe, quinta-feira à noite, para participar da abertura da Feira do Empreendedor.

Paulo Okamotto é um dos indiciados na CPI dos Bingos, por lavagem de dinheiro e crimes contra a ordem tributária.

 

CONTRA

O deputado federal João Fontes (PDT) disse ontem que não foi muito bom para o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) retroagir na decisão que tomou terça-feira.

Acha que os ministros foram pressionados pelo presidente do Congresso, Renan Calheiros (PMDB), pelos senadores José Sarney (PMDB) e Antônio Carlos Magalhães (PFL).

 

BIOGRAFIA

João Fontes acha que um recuo de uma decisão em apenas 48 horas atinge a biografia do presidente do TSE, ministro Marcos Aurélio.

Além disso, aumenta mais o descrédito nos poderes, que parecem pressionados a dotarem. O recuo não foi bom para a instituição.

 

COLIGAÇÃO

O PSC foi o primeiro partido a se reunir com o governador João Alves Filho (PFL) e oficializar apoio a sua candidatura à reeleição.

Aconteceu ontem, às 15 horas, na sede do partido. Também foi anunciada a coligação proporcional com o PFL, para estadual e federal.

 

CONFUSÃO

O senador Almeida Lima (PMDB) disse que o anuncio e o recuo do TSE quanto à regra da verticalização: “Quanta improvisação! É muita confusão”.

“Existe uma improvisação nos três poderes”, diz o senador Almeida. Para ele o recuo aconteceu “para atender a uma exigência de uma minoria que manda”.

 

ENCONTRO

Está marcado um encontro do PMDB para segunda-feira em Brasília, que envolve os pré-candidatos a governador e Senado Federal.

Também estará presente o senador Pedro Simon (RS) e o ex-governador Garotinho, que defenda candidatura a presidente. Sairá o dia da convenção, que pode ser sábado próximo.

 

PALESTRA

O deputado estadual Fabiano Oliveira (PSDB) fez palestra ontem na Universidade Tiradentes, sobre “Turismo de Eventos e Geração de Empregos”.

Fabiano vai percorrer algumas escolas fazendo palestras, para levar um pouco de sua experiência na área de eventos e na política.

 

 

Notas

 

APOSENTADOS

Segundo matéria publicada em O Globo de ontem, afirma que o presidente Lula está disposto a assumir o desgaste político e eleitoral, caso venha ser necessário vetar o reajuste de 16,7% para os aposentados que recebem acima de um salário-mínimo, aprovado pela Câmara na última quarta-feira.
O governo intensificou as negociações para barrar o aumento no Senado e Lula reafirmou a que, se isso não for possível, a saída será o veto, pois o governo não pode assumir a despesa que chegará a R$ 12 bilhões em doze meses.

EXAME OAB

Mesmo reconhecendo que é necessário coragem para tal atitude, o senador Gilvam Borges (PMDB-AP) anunciou, ontem, que apresentou projeto de lei ao Senado a fim de abolir a exigência do exame da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) para que bacharéis em Direito possam exercer a profissão de advogado.

“O malsinado exame atingiu a condição de máxima injustiça perpetrada por causídicos que deveriam se preocupar com a Justiça do país”. Considerou inaceitável que uma única prova suera as feitas em cinco anos de faculdade.

 

SHOPINGS

Tramita na Câmara o Projeto de Lei que obriga os administradores de condomínios de shopping centers a prestar contas mensalmente das receitas e despesas aos lojistas. A proposta, apresentada pelo deputado Osório Adriano (PFL-DF), muda uma série de normas relativas aos condomínios dos shoppings.

A justificação ou comprovação de qualquer despesa efetuada pelo condomínio poderá ser solicitada por um ou mais lojistas, sejam eles proprietários ou locatários, e pelas associações representativas dos lojistas.

 

 

É fogo

 

A Celi assina convênio com o Ministério Público e faz doação de recursos para construção do Centro Educacional Vitória de Santa Maria.

 

O Centro Educacional será construído no bairro Santa Maria. Contará também com parceria educacional do Instituto Luciano Barreto Júnior.

 

O presidente nacional do PPS, deputado Roberto Freire (PE), avisa que “é bem provável” que o partido se coligue formalmente com o PSDB e o PFL.

 

TSE multou em 20 Ufirs, cerca de R$ 20 mil, a CEF, por fazer propaganda institucional quebrando o princípio da impessoalidade, isto é, usar o presidente Lula na propaganda.

 

Com o recuo do TSE, todos os partidos vão continuar da mesma forma que estão, para alívio de muita gente.

 

O governador João Alves Filho (PFL) passou quase todo o dia de quinta-feira em São Paulo, tratando de problemas particulares.

 

Já foi anunciada toda a programa do Forrocaju. O prefeito Edvaldo Nogueira vai manter a participação de artistas expressivos do Forró.

 

O deputado federal João Fontes (PDT) está trabalhando sua candidatura a governador do estado. Não haverá recuo.

 

O empresário José Carlos Paes Mendonça proferiu palestra, quinta-feira, para empresários sergipanos.

 

Ministros, desembargadores e conselheiros dos tribunais de contas estão animados com a possibilidade real da aprovação dos 75 anos para aposentadoria que será votada na Câmara.

 

A partir de agora o Brasil se rende ao Futebol. Nada vai funcionar no momento em que o Brasil estiver em campo na Alemanha.

 

brayner@infonet.com.br

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais