Todos da Rede vão para o PPS

0

Sabe aquele partido chamado simplesmente de Rede? Pois ele não conseguiu ultrapassar a clausula de barreira. Fez apenas um deputado federal em todo o País e por isso mesmo estará condenado, na próxima legislatura, a ficar sem grana para a campanha eleitoral e perderá o tempo na televisão pelo horário eleitoral gratuito. Aqui em Sergipe até que a Rede não ia tão mal, conseguindo fazer dois deputados estaduais –Georgeo Passos e a atual vereadora Kitty Lima – e eleger um Senador, no caso o delegado Alessandro Vieira. Todos estes nomes importantes da política sergipana iriam ficar ao relento por que a Rede está a caminho do cemitério? Os que obtiveram mandato mais o diretório estadual se reuniram e decidiram aprovar a fusão da Rede com um outro partido, no caso o PPS porque em termos nacionais é com ele que se conversa. O ex-vereador Dr. Emerson e o delegado Alessandro foram indicados a dar maiores explicações à Imprensa sobre essa movimentação dos parlamentares da Rede. Em janeiro próximo, os eleitos para a Assembleia Legislativa já migram para o PPS. Este, por seu turno, vai convocar todos os políticos ligados ao partido e decidir uma questão fundamental: a nova denominação do partido. Ainda não se tem ideia qual será. Para dar ciência das providências que estão sendo tomadas, com vistas a abrigar os parlamentares vindos da Rede, o PPS faz uma espécie de assembleia geral no mês de janeiro, possivelmente em Brasília, justamente para se apresentar coimo um partido novo, englobando todos os parlamentares da Rede e do próprio PPS.

Luciano diz que continua candidato a presidente

Provocado por um discurso rápido do deputado Gilmar Carvalho, que lhe emprestou solidariedade diante das agruras que tem passado, por causa da decisão do TSE que lhe puxou o tapete do registro de sua candidatura, o deputado Luciano Bispo reconheceu que é, por dentro, um poço de mágoa com a decisão do TSE. Sobre o Prefeito Valmir de Francisquinho diz que só há um culpado pela situação dele: ele próprio. “Avisei a ele por várias vezes que ou mudava o comportamento frente à Prefeitura ou iria se dar muito mal. Fui prefeito de Itabaiana por quatro vezes e ninguém pode me acusar de nada. Nunca tirei um tostão da Prefeitura de lá, sempre tratei com respeito a administração municipal. Sim, é verdade que sou um homem rico, não preciso exercer função pública, mas gosto de servir ao meu povo. Não precisava, meus pais tinham posses para me sustentar, mas comecei a trabalhar aos doze anos de idade, vendendo coisas na feira de Itabaiana. Como tenho absoluta certeza que não fiz nada de errado, nem nunca botei um centavo do dinheiro da Prefeitura de Itabaiana, no meu bolso, vou lutar até o fim pelo reconhecimento de minha candidatura. Os meus advogados já recorreram da decisão do TSE e vou lutar até o fim para reaver o registro de minha candidatura. Se perder, volto para casa para trabalhar em outra coisa”. Luciano Bispo agradeceu o discurso de solidariedade do deputado Gilmar Carvalho. Garantiu que não vai desistir de sua candidatura novamente à Presidência da Casa. “Não estou magoado com ninguém, diante da situação que se apresenta à mim. Já dei entrada através meus advogados da minha defesa e espero que a Justiça reconsidere sua decisão. Só não vou correr de Itabaiana”, finalizou. O deputado Luciano Bispo, depois de sua fala e antes de encerrar a sessão que presidia, foi muito cumprimentado pelos seus pares parlamentares.

2.500 carros novos no Estado

As vendas de veículos novos no Estado totalizaram no mês passado 2.524 unidades. O O número aqui referido dez respeito a soma dos montantes de automóveis comerciais leves, caminhões e ônibus licenciadois, pela primeira vez, no período em análise. O primeiro emplacamento do veículo é considerado como venda, por causa do prazo estabelecido em lei para isto. Ou seja, o prazo é de quinze dias consecutivos, após a dqata de saída do veículo da loja, localizada no Estado. Em termos relativos verificou=-se um aumento de 0,3%, em relação às vendas de outubro do ano passado. No comparativo com o mês imediatamente anterior, setembro último, registrou uma expansão de 16,6% No acumulado do ano (de janeiro a outubro) as vendas totalizaram 13,47 unidades, registrando queda de 1,1% sobre o mesmo período do ano passado. As vendas de automóveis e comerciais leves chegaram a 1.466 unidades, apresentando um decréscimo de 0,5%, em relação a outubro de 2017. Quando comparado com o mês imediatamente anterior, setembro último, notou-se uma expansão de 19,7%. Nos dez primeiros meses do ano corrente, as vendas nesse segmento recuaram 2,3% em relação ao mesmo intervalo de 2017. Entre os veículos pesados, o segmento de caminhões registrou a comercialização de 51 unidades. De janeiro a outubro deste ano, o segmento teve um aumento de 50,6% nas vendas, quando comparado com o mesmo período do ano anterior. Por sua vez, o segmento de ônibus comercializou sete unidades no mês de outubro último, apresentando queda nas vendas de 70,8% quando comparado ao mês anterior. No ano, de janeiro a outubro, as vendas de ônibus totalizaram 79 unidades. As vendas e o licenciamento de ciclomotores, motocicletas e motonetas, a partir de 50 cilindradas, somaram 1.330 unidades no mês em análise, assinalando um aumento de 27,2% na comparação com o mês de outubro do ano passado. Já em relação ao último mês de setembro, houve acréscimo de 19,9%. No acumulado do ano, entre janeiro e outubro, foram vendidas 11.596 unidades.

6 mil novos carros viram Uber

O escriba, passageiro de um táxi, comentava com o motorista o elevado número de carros rodando na cidade, de modo que todas as ruas do centro estão tomadas por estacionamento de veículos. O motorista do táxi apenas respondeu que só este ano entraram em circulação nada menos que seis mil carros que estão servindo ao público como “Uber”. Segundo ele, no local competente, há o registro de doze mil para “Uber”. Se todos forem atender chamados, Aracaju vira um caos.

Comentários