Tom da Campanha

0

O prefeito de Aracaju, Marcelo Déda (PT), dá sinais que já começou a campanha ao governo do Estado. Nas inserções do seu partido, na televisão, Déda deu o tom de como será o discurso nessa tentativa de chegar ao Palácio dos Despachos em 2006. Diz ele: “Sergipe está vivendo um momento intenso e diferente. Não é a disputa entre partidos, nem entre uma liderança contra outra. É o novo contra o velho. É a mudança contra a mesmice. O continuismo vai fazer de tudo para nos derrotar, mas não conseguirá. Sergipe vai mudar e o povo vai vencer”. Evidente que a inserção não se refere à sua administração ou a projeto político partidário, mas ao pleito que se travará entre ele e o governador João Alves Filho (PFL) pelo Governo do Estado.

 

As palavras do prefeito Marcelo Déda não são novas. É uma reprise de sua campanha a prefeito em 2000, quando enfrentava o senador Antônio Carlos Valadares (PSB), o senador José Almeida Lima (PFT) e outros candidatos. Apoiado pelo então prefeito João Augusto Gama e pelo atual deputado federal Jackson Barreto, o então candidato Marcelo Déda usou a palavra “mesmice” como mote de campanha. Intensificou todo o seu trabalho falando em mudanças, combatendo o conservadorismo e conclamando o eleitorado à mudança. Recebeu o apoio indireto do então governador Albano Franco (PSDB), que liberou o seu partido a votar em quem quisesse. Marcelo Déda foi eleito, reeleito e agora tenta o governo do Estado, enfrentando o governador João Alves Filho, que pretende continuar à frente do Estado por mais quatro anos.

 

Segundo um aliado de Marcelo Déda, a decisão do prefeito em acender a tocha da maratona eleitoral de 2006 foi para desfazer boatos de que havia recuado da candidatura e poderia apoiar um outro nome para a disputa, em razão dos episódios que envolveram o Partido dos Trabalhadores em todo o país e fez desmoronar a confiança que o eleitorado tinha na legenda. Durante uma reunião se constatou que o PT em Sergipe não teria sido atingido pelos escândalos, que ainda mexe com o partido a nível nacional. O bloco que apóia o prefeito também já está discutindo a chapa majoritária e o pensamento é conseguir uma forma de inserir o grupo do ex-governador Albano Franco (PSDB) no grupo, mesmo que os tucanos estejam a caminho de uma coligação a nível nacional, sabendo que a verticalização será mantida. Em Brasília já nem se fala mais na votação de mudanças nas regras do jogo para 2006.

 

O presidente regional do PSDB, deputado federal Bosco Costa, acha que é muito cedo conversar sobre composições para as eleições do próximo ano: “isso deve acontecer lá para março ou abril”. Revelou, entretanto, que não está interessado em fechar acordo com nenhum partido. Na sua opinião, o PSDB teria uma chapa majoritária, de preferência com Albano Franco candidato a governador. Sobre um entendimento com o PFL, o deputado federal Bosco Costa disse que tem conversado, tem se reunido com o pessoal, “mas ninguém tem discutido isso”. Nos bastidores da política, entretanto, fala-se sobre essa possibilidade em razão da manutenção da verticalização e na possibilidade de não valer o desejo de Bosco Costa, que defende candidatura própria. As conversas têm ocorrido de todas as formas e membros do ninho tucano recusam um entendimento com o governador João Alves Filho, mas não enxergam outra saída caso seja mantida a verticalização, como já está praticamente definido.

 

Ontem, no final da sessão plenária, na Assembléia Legislativa, o secretário de Governo Nicodemos Falcão (PFL) teve demorada conversa com deputado estadual Ulices Andrade (PSDB). Também se aproximou o líder do governo, deputado Venâncio Fonseca (PP), e entrou no papo. De longe um esperto assessor parlamentar garantia que o assunto seria uma composição entre PSDB e PFL. Apesar desse movimento, membros da oposição acreditam que o acordo entre João e Albano é praticamente impossível.

 

AZEREDO

O deputado federal Bosco Costa (PSDB) defendeu imediatamente o afastamento do senador Eduardo Azeredo (MG), da presidência nacional do seu partido.

Admite que a denuncia de irregularidade faz com que ele deixe o cargo, para que prove se cometeu ou não alguma irregularidade.

 

DIFERENÇA

Bosco Costa não aceita observações do PT em relação ao PSDB sobre a questão de Azeredo, que aconteceu em Minas e não atinge todos os Estados.

“No PT foi diferente: aconteceu na direção nacional e envolveu o governo federal através do então chefe da Casa Civil, José Dirceu”, comparou Bosco.

 

PONTE

O secretário da Infraestrutura, Luiz Durval não sabe que empresa é esta que construiria a ponte Aracaju/Barra dos Coqueiros por preços 40% menores.

Só existe uma outra ponte em construção com característica igual à de Aracaju/Barra: a que está sendo construída em Natal. Tem uma menor extensão, mas o preço é o mesmo.

 

COMPARAÇÃO

Um deputado federal, através de telefonema em Brasília, viu com ironia a denuncia do senador Almeida Lima de que construiria a ponte com valor 40% a menos.

Ainda irônico, disse que “50 casas iguais à do senador Almeida Lima seria suficiente para construir toda a ponte entre Aracaju/Barra dos Coqueiros”.

 

NEPOTISMO

A presidenta do Tribunal de Justiça, Marilza Maynard, já decidiu que todos os parentes até terceiro grau de parlamentares ou de servidores públicos terão que ser exonerados.

A decisão é do Conselho Nacional de Justiça para que se evite privilégios entre parentes dentro de instituições e órgãos públicos.

 

CUMPRIMENTO

A decisão de demissão pelo TJ tem que ser cumprida e vai abrir vagas em vários setores dos três poderes, onde há um abuso da presença de parentes em todos os graus.

Inclusive no próprio Tribunal de Justiça, onde desembargadores e juizes empregam filhos, mulheres, noras, irmãos e até os pais.

 

ALMEIDA

O senador José Almeida Lima (PNDB) participou de encontro, terça-feira, no Rio de Janeiro, para preparação do partido visando a disputa da presidência da República.

No encontro os pré-candidatos expõem seus programas para apreciação dos membros do PMDB. O próximo encontro acontecerá em Recife, dia 31.

 

CANDIDATURA

Almeida Lima diz que sua candidatura a governador do Estado continua. Diz que está conversando e buscando espaço normal para a disputa.

Almeida diz que compreende a preocupação do deputado Jorge Alberto, mas admite que chegará a bom termo. Almeida acha que a chapa majoritária favorecerá à proporcional.

 

TRABALHO

O prefeito de Itabaianinha, Renildo Santana (PFL), está trabalhando firma para candidatura do compadre Jerônimo Reis (PFL) para deputado federal.

Renildo foi um dos responsáveis pela filiação de Jerônimo ao PFL. As reuniões com o governador João Alves Filho aconteceram no apartamento de Renildo em Aracaju.

 

BLOQUEIO

O secretário de Finanças, Nilson Lima, diz que caso a decisão de bloqueio de uma das contas da Prefeitura seja mantido ou estendido a outras contas, a situação se agrava.

Mantido o bloqueio, a Prefeitura não terá condição de pagar os servidores dentro do mês e o pagamento da outra metade do 13º Salário não será feito em dezembro.

 

VALADARES

O senador Valadares (PSB) chamou a atenção para o recado dado aos políticos e aos governos federal e estaduais pela vitória do voto “não” no referendo de domingo.

Para o senador, a decisão deve ser respeitada como instrumento da democracia que revela a vontade do povo e simboliza um protesto contra as atuais políticas públicas de segurança.

 

TRANSPOSIÇÃO

O ministro da Integração, Ciro Gomes, disse em Recife que, se não houver impedimentos legais, as obras de transposição do São Francisco serão iniciadas imediatamente.

O ministro duvida que o atual projeto seja modificado em razão dos novos debates sobre o tema, marcados após a greve de fome dom Luiz Cappio, contra a realização das obras.

 

TEMPERAMENTO

O deputado federal João Fontes (PDT) protestou: “Ciro Gomes parece ter perdido o juízo de vez. Eu nunca vi um cidadão, tão intrépido, tão tresloucado como o dele”.

Fontes diz que não há muito que esperar do governo do presidente Lula da Silva. “Ele não entende de transposição, não estudou essa matéria. Lula não sabe o que está dizendo”.

 

POSTURA

Para João Fontes, a postura de Ciro Gomes é a prova concreta de que o povo brasileiro não pode mais acreditar no governo.

“Agora, o ministro está praticamente dizendo: morra bispo, morra todo mundo, que nós vamos transpor as águas do São Francisco na marra”, protestou João Fontes.

 

 

Notas

 

TRANSPOSIÇÃO

A Comissão Especial de Revitalização do Rio São Francisco faz reunião ordinária hoje para discutir o relatório do deputado Fernando Ferro (PT-PE) à PEC 524/02, do Senado Federal, que cria o fundo para revitalização do São Francisco. O parecer já deveria ter sido lido na reunião da semana passada.

Ferro propõe a redução de 0,5% para 0,2% do produto da arrecadação dos impostos federais e estabelece que 10% das verbas oriundas da participação de Estados e municípios que produzem energia.


ALTERAÇÃO

O deputado Fernando Ferro altera a PEC de autoria do senador Antônio Carlos Valadares (PSB), já aprovada no Senado Federal, que obriga o governo federal a reservar 0,5% do produto da arrecadação dos impostos federais, com a revitalização do rio São Francisco, pelo prazo de 20 anos.

O relatório de Ferro divide a opinião dos membros da Comissão Especial, que não vê como deputados de Estados produtores de energia que não têm nada com o rio São Francisco, votarem a favor da matéria.

 

FISCALIZA

O TCU, em acompanhamento feito na execução do projeto de transposição do rio São Francisco, constatou que o Ministério da Integração não incluiu, na concorrência pública, os critérios de aceitabilidade de preços das propostas financeiras a serem apresentadas pelas empresas participantes da licitação.     

A licitação é relativa ao conjunto de motobombas, transporte e supervisão de montagem, comissionamento e colocação em operação comercial e assistência técnica para manutenção nas estações de bombeamento.

 

 

É fogo

 

O governador Albano Franco (PSDB) viajou ao Rio de Janeiro, onde participa de reunião do Conselho Deliberativo da CNI.

 

O diretor de Jornalismo da Assembléia Legislativa, Raymundo Luiz, retornou às suas atividades, depois de pequenos problemas de saúde.

 

Raymundo faz um dos melhores trabalhos na Assembléia, inclusive com a programação da TV Alese.

 

A Petrobrás realizará concurso para preenchimento de 598 vagas – 484 de nível médio e 114 de nível superior. Será dia 18 de dezembro.

 

A deputada estadual Celinha Franco demonstra preocupação com o crescimento do desemprego em todo o país.

 

O deputado estadual Jorge Araújo (PSDB) quer o funcionamento da balsa entre os povoados Terra Caída, em Indiaroba, a Porto Carvalho, em Estância.

 

Estão aceleradas as obras da última etapa da orla de Atalaia, que integra o projeto de reestruturação do projeto sergipano.

 

A Setur está participando da ABAV, que se realiza no Rio de Janeiro, com um estande de 110 metros quadrados em um local privilegiado.

 

O jornalista Luiz Eduardo Costa, merecidamente, é o mais novo imortal sergipano. Sua posse se deu na terça-feira passada.

 

A expectativa do mercado financeiro para a taxa Selic no final do ano permaneceu inalterada em 18%.

 

Os integrantes do setor produtivo da região de Mato Grosso do Sul pressionam o governo para que não sejam sacrificados animais sadios.

 

O aumento do consumo do etanol durante o ano de 2005 deverá provocar maior equilíbrio entre a oferta e a procura.

 

brayner@infonet.com.br

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários