Trabalhando em casa

0

Quem trabalha com recursos de informática já sabe, a algum tempo, que é possível não ter que se deslocar até o trabalho para poder cumprir as suas atividades laborais. Em cidades grandes, como São Paulo por exemplo, algumas pessoas não vão ao seu local de trabalho por conta do rodizio de carros e executam as suas tarefas em casa, sem nenhum prejuízo para o empregador e com muitos benefícios para o empregado.

Quando os recursos estavam atrelados diretamente a área de informática, como a utilização de VPNs (conexões remotas aos servidores da empresa), desenvolvimento de aplicações, monitoramento da infraestrutura, entre várias outras atividades, a quantidade de pessoas em home-office era bastante reduzida. Além disso, os profissionais de informática já incorporaram que trabalhar 8h por dia não é o suficiente para cumprir determinados prazos e acabam fazendo tanto home-office quanto trabalho extra. E é neste trabalho extra que começam os grandes problemas. A grande pergunta é: onde termina o home-office e onde começa trabalho extra?

Com a quantidade maior de empregos usando recursos computacionais, o que temos agora é um contingente muito maior de pessoas que podem executar suas tarefas de casa. Um exemplo simples é o email corporativo que pode ser acessado pelos smartphones. O que fazer com um email importante que chegou 19:00 de uma sexta-feira? Vai fingir que não viu o deixar para responder somente na segunda-feira às 08:00? Não tenha dúvida que muitas pessoas irão parar um pouco o que estão fazendo para poder executar o trabalho necessário. O problema é como contabilizar isso como hora extra. A grande maioria das empresas ignora essas horas e não paga por elas.

Entretanto, muitos empregados entram com ações judiciais contra os empregadores alegando o não pagamento de horas extras. Tanto isso é verdadeiro que várias grandes empresas estão bloqueando acesso ao email corporativo para evitar as horas extras feitas em home-office. Recentemente, o governo federal acabou percebendo toda essa problemática e resolveu regulamentar essa forma de trabalho de maneira a obrigar as empresas a se adequarem a nova realidade trazida pelos recursos da informática.

Espero que essa definição por parte do governo possa fazer com o que home-office tenha um maior número de adeptos. O trânsito agradece!

Até quando?
Semana passada tivemos um pequeno apagão na cidade por conta de um acidente com um dos postes de alta tensão da Energisa. Além de ter causado uma enorme confusão no trânsito (boa parte da cidade ficou com os semáforos apagados), deu prejuízo para muitos consumidores. O amigo ficou teve que desembolsar pouco mais de R$ 50,00 para comprar um novo modem ADSL já que o “velho” queimou. E aí Energisa, vou ter abatimento na conta?

Vamos seguir o exemplo
Também na semana passada, só que desta vez em SP, o Virtua (internet da NET) teve problemas com seu serviço, deixando seus usuários sem conexão. Após diversas reclamações, o Procon-SP foi rápido nas suas ações e notificou a NET que poderá ter que pagar uma salgada multa (até 6 milhões de reais) se ficar comprovado que houve irregularidades. Além disso, os usuários podem pedir abatimento na conta que será proporcional ao tempo de interrupção. Gostei! Que tal a gente aplicar a mesma coisa ao Velox?

All in one
Já não bastasse os desktops, notebooks, netbooks, ultrabooks e tablets, temos agora uma nova opção para computadores. São computadores que a CPU está no próprio monitor e que estão sendo chamados de All in one. Alguns modelos já possuem monitores de LED, processadores potentes e bastante memória, não deixando nada a desejar aos desktops. Os preços ainda estão um pouco mais altos, porém, o ganho do espaço da CPU compensa em muitas situações. Já vi muitos deles nas nossas lojas de informática e também em alguns supermercados. Vamos ficar atentos ao crescimento.

Para os REALMENTE viciados
O aplicativo chamado If I die (se eu morrer, em inglês) permite que o usuário possa postar mensagens no Facebook após a sua morte. É isso mesmo. Depois que o usuário morre, o usuário pode postar mensagens na rede social, um pouco ao estilo do filme P.S. I Love You. Para isso o usuário escolhe três amigos que confirmam a sua morte real do usuário e logo depois as mensagem começam a ser postadas. Gostou? Eu até gostei, mas espero que quando morra o Facebook não exista mais!

Aplicativo
Um aplicativo bem interessante para a galera ligada em música se chama SoundHound (disponível para Android e IOS). Ele tem diversos recursos, porém, o mais interessante é que ele “descobre” qual a música que está tocando no ambiente. Após a detecção ele pode, inclusive, mostrar a letra da música e vários vídeos no YouTube. Muito legal para quanto toca “aquela” música que você gosta, mas que não sabe nem o cantor e nem o nome da música.

Tweets da semana

@SabioBrasileiro Há 4 anos, meu sonho era entrar em uma Universidade Federal. Agora tenho um novo sonho: sair de lá formado.

@rodolfo_info Já passamos da metade do primeiro mês de 2012… Já fez algum #backup do seu HD esse ano? #ficadica

@tadeu_fo vc acha q o seu professor te dá muito exercício? agora considere ele q tem q corrigir essa mesma qntd * numero_de_alunos #professorSofre

@lainesouza Servidores são "orientados" a retuitar mensagens da Administração Pública http://bit.ly/wQLSvX via @AddThis // ahuahau #Fail

Vou ficar por aqui. Semana que vem continuamos nossa conversa. E só lembrando que o foco da coluna não é informática técnica. Aqui vamos conversar sobre o cotidiano cercado pelos recursos computacionais. Mande seu comentário por aqui ou envie em tweet para @ammenendez.

Até a próxima!

Comentários