Transposição decidida

0

O movimento para tentar impedir a transposição das águas do rio São Francisco para Estados do Nordeste setentrional é importante e pode retardar a obra, cuja licitação será publicada em dezembro. A audiência pública que foi realizada em Propriá, com o pronunciamento de políticos de Sergipe e Alagoas, filiados a partidos diferentes, além do fechamento da ponte que liga os dois Estados, foi extremamente importante para chamar a atenção da sociedade para uma obra que vai prejudicar os Estados em que o rio tem leito nativo, principalmente Alagoas e Sergipe, já que a transposição será feita com os três por cento que desemboca no Atlântico.

 

Está claro que esse movimento, tendo continuidade, deve retardar o início da obra ou até modificar alguma coisa do projeto. É bom que isso continue e que se espalhe por outros estados, chegando ao Congresso com a força da representatividade parlamentar. O São Francisco está moribundo, exatamente na área em que se pretende retirar os três por cento, que é de Xingó até o oceano. Nesse percurso, há o crescimento de croas, um avanço das margens e, evidente, o estreitamento do leito. Na região de Neópolis e Penedo, as águas do rio São Francisco são salobras e os pescadores retiram dos seus arrastões peixes de água salgada. Sinal de que o mar está entrando rio adentro, em razão do pouco volume que se registra em sua vazante.

 

Tudo isso o governo sabe e também tem conhecimento de que o Comitê em Defesa da Bacia do Rio São Francisco tem poderes para impedir a transposição, desde que comprove a redução do seu volume de água e o prejuízo que causará as regiões ribeirinhas, as quais sobrevivem do que o rio fornece ou do que ele irriga. Está na hora de se utilizar os meios jurídicos para impedir um projeto irresponsável, de eficiência duvidosa e que servirá para incentivar a criação de camarões e peixes, colocando apenas 10% do que transpor para consumo humano e de animais. É preciso levantar a questão ambiental, mostrar que se trata de uma ação política e deixar claro que, possivelmente, o rio apenas se arrastará até o mar, podendo haver uma inversão do que a natureza pôs à disposição do homem. O Comitê tem que agir com maior austeridade, porque, apesar de importante, a voz da sociedade não será suficiente para barrar um homem autoritário como o presidente Lula.

 

A senadora Heloisa Helena (Psol-AL) é contundente ao afirmar que a transposição do rio São Francisco será feita para servir às grandes empreiteiras. Também se denuncia, que será uma espécie de formação de caixa para a campanha presidencial de 2006, quando o presidente Lula tentará a reeleição. Pela disposição que o Planalto demonstra para construir a obra, passando por cima de problemas ambientais e outros prejuízos que causarão às cidades ribeirinhas de Sergipe e Alagoas, tudo indica que existe por trás alguma coisa além da necessidade de levar água para os estados do Nordeste Setentrional. É bom lembrar que o ministro do Desenvolvimento Nacional, Ciro Gomes (PPS), trabalha para ser o vice na chapa de Lula ou pretende candidatar-se a governador do Ceará. Politicamente também será vantajoso para ele, inclusive porque possivelmente terá recursos para a campanha.

 

O projeto de transposição do rio São Francisco é do governo anterior. Foi suspenso pela pressão dos Estados do Nordeste que seriam prejudicados. O presidente Lula da Silva o encampou e retirou da gaveta para execução e o fará de qualquer jeito, porque se transformou em uma boa saída para manutenção da candidatura à reeleição. Diferentemente de FHC, o presidente Lula não está ouvindo os anseios da comunidade ribeirinha, que ficará desamparada pelo enfraquecimento das águas do São Francisco. Além disso, eleitoralmente ele sai ganhando, porque se perde votos nessa região pobre de dois estados pequenos do Nordeste, ganha os aplausos da Paraíba, Rio Grande do Norte e Ceará. E o que importa ao presidente é força eleitoral e não solução para os problemas de Sergipe e Alagoas.

 

Lógico que o presidente deixa de cumprir o que prometeu em Sergipe e Alagoas. Em praça pública ele garantiu que não faria a transposição do rio São Francisco. Entretanto foi fiel ao que declarou nos estados do Nordeste Setentrional, quando assegurou a transposição. Lula jogou para cada uma platéia, propostas diferentes e terminou conseguindo os votos que desejava onde falava a verdade e onde mentiu. Claro que o Governo não deixará de fazer um ensaio de revitalização, para ter algum discurso. Mas será coisa tão pequena, que possivelmente não dará para notar. A transposição será feita de qualquer maneira, porque se trata de decisão tomada no Planalto e porque é uma necessidade eleitoral.

 

ALBANO

O ex-governador Albano Franco (PSDB) está analisando o quadro político e fazendo algumas projeções para 2006.

Sexta-feira ele retornou do Rio de Janeiro, onde se submeteu a exames médicos. A partir de janeiro Albano vai começar a se articular politicamente. Ontem distribuiu presente com as crianças pobres.

 

ALMOÇO

O secretário da Fazenda, Max Andrade (PFL) almoçou, semana passada, com o senador José Almeida Lima (PDT).

Os dois trataram de assuntos políticos e fizeram uma analise das eleições municipais. Max Andrade é primeiro suplente de Almeida Lima.

 

AUGUSTO

O deputado estadual Augusto Bezerra (PMDB) vai deixar o partido antes que seja expulso.É possível que sequer apresente defesa na Comissão de Ética.

O caminho de Augusto Bezerra deve ser o PFL, entretanto ele passará algum tempo sem legenda, para analisar os rumos da política para 2006.

 

PAIXÃO

O ministro do Desenvolvimento Nacional, Ciro Gomes, mostrou ao deputado federal Ivan Paixão (PPS), projetos de obras para revitalização do rio São Francisco.

Segundo Ivan, o projeto começaria por trata do serviço de esgoto das cidades ribeirinhas, a fim de evitar a poluição do rio.

 

VOLUME

Segundo o ministro Ciro Gomes (PPS) o volume de água que será transposto é de 3% do que vai para o oceano Atlântico.

Esses 3% estão exatamente no volume que água que desde de Xingo até a foz do rio, o que atravessa apenas os estados de Sergipe e Alagoas.

 

PROBLEMA

O deputado Ivan Paixão está convencido que o volume de água que será transposto não trará nenhum problema para os dois estados.

“O que Sergipe deve cobrar do Governo Federal é investimento para a piscicultura e lavoura irrigada”, aconselha o parlamentar.

 

ITABAIANA

A prefeita eleita de Itabaiana, Maria Mendonça (PSDB) vai contratar uma empresa da área de tributação e administração pública, para fazer um levantamento e avaliar a situação da prefeitura.

Caso haja qualquer irregularidade a prefeita eleita vai denunciar ao Tribunal de Contas e até ao Ministério Público.

 

RODOVIAS

O deputado estadual Ulices Andrade (PSDB) não é contra a construção da ponte que liga Aracaju à Barra dos Coqueiros.

Entende, entretanto, que é preciso que o Governo conserte as estradas estaduais, que estão prejudicando motoristas e causando acidentes.

 

INAUGURA

O governador João Alves Filho inaugura, segunda-feira pela manhã, o atendimento do Ipes no Hospital da Polícia Militar. À tarde, o governador viaja para a Europa.

A mudança do atendimento, entretanto, só ocorrerá na terça-feira, quando os segurados podem comparecer ao hospital.

 

DÉDA

O prefeito Marcelo Déda começa a viajar para participar de campanhas do PT no segundo turno, nesta quarta-feira. Vai a São Paulo, Cuiabá, Goiana, Vitória e Fortaleza.

A viagem para Natal e Maceió depende de uma convocação da direção nacional. Déda ainda quer um tempo para ir a Lourdes, ajudar o candidato Péricles.

 

ENCONTRO

Desde sexta-feira que o prefeito de Poço Redondo, frei Enoque (PL) está reunido com a prefeita eleita, Iziane, a vice-prefeita e vereadores eleitos.

O encontro é na casa do jornalista Luiz Eduardo Costa, na Atalaia Nova…

Discutem projetos para a futuras administração. Hoje o senador Valadares oferece almoço ao grupo, com a presença do deputado Heleno Silva e do prefeito Marcelo Déda.

 

POLÍTICA

Além de discutir a nova administração, o pessoal trata de problemas políticos que aconteceram na região durante a campanha e na disputa eleitoral.

O grupo teve que disputar com o Partido dos Trabalhadores, que continua disposto a fazer oposição à prefeita eleita, a partir de janeiro.

 

POSIÇÃO

Depois do segundo turno das eleições o PMDB nacional vai se reunir com prefeitos eleitos, vereadores, parlamentares e presidentes de Diretórios para discutir questões políticas.

Depois de uma avaliação, o partido vai extrair o que as bases desejam e tomar uma posição política a partir de 2005.

 

CONVERSA

O deputado federal Jorge Alberto (PMDB) teve uma conversa com Michel Temer, Renan Calheiros, Eunício Oliveira, José Borba para discutir questões do PMDB.

Em Aracaju, Jorge Alberto conversou com Benedito Figueiredo e resolveram esperar as decisões da reunião que o partido fará depois do segundo turno.

 

Notas

 

SAUDAÇÃO-I

Impossibilitado de comparecer à Consulta Pública, realizada quinta-feira passada em Propriá, pelo Comitê da Bacia Hidrográfica do São Francisco, o deputado federal Jackson Barreto enviou nota de saudação à reunião, reafirmando sua posição de defesa da revitalização do rio São Francisco.
Na semana passada o deputado havia ocupado a tribuna da Câmara para criticar o processo célere que vem sendo operado, pelo governo federal, com vistas à transposição. Acha que nenhuma medida deve ser tomada sem que haja a revitalizado.

SAUDAÇÃO-II

Jackson também se une às preocupações do Comitê contrário a que o projeto de transposição se estenda até o estado do Ceará. “Não se trata de nenhuma má vontade com relação aos cearenses”, diz Jackson, “a questão é que o Ceará tem um estoque de água duas vezes maior que Sergipe e Alagoas juntos”.
Além disso, o deputado não considera que o uso externo do São Francisco deva se dar para consumo humano e animal. Nunca para criação de camarões, indústria ou irrigação, como parece querer o Ministério da Integração.

 

DESINFORMADO

O Ministério do Desenvolvimento Social fez a transferência de recursos, no valor de R$ 5.542,40, para o Fundo Estadual de Assistência Social de Sergipe, destinado à manutenção dos Serviços Assistenciais de Ação Continuada e Abrigo/2004, segundo o coordenador geral de Orçamento e Finanças, Marcos Chagas.

O curioso é que o repasse foi enviado para o deputado Bosco Costa e o colocava como presidente da Assembléia Legislativa. O Ministério não sabe que Bosco Costa (PSDB) está em Brasília, como deputado federal.

 

É fogo

 

O governador João Alves Filho viajou a Brasília, quinta-feira, para tratar de interesses da administração. Retornou ontem à tarde.

 

O governador João Alves Filho viaja na terça-feira à tarde para Paris. Trata sobre a implantação de um hotel da rede Sofitel em Aracaju. Pedrinho Valadares o acompanha.

 

A deputada Susana Azevedo fez seu primeiro discurso, na Assembléia, depois que participou da campanha eleitoral.

 

Susana Azevedo relatou uma série de fatos que contribuíram para o insucesso de sua candidatura. De qualquer forma, praticamente só, ela mostrou que tem um bom potencial de votos.

 

A pastora Claudia Andrade, que disputou a vice de Susana Azevedo, está pronta para disputar uma vaga na Assembléia Legislativa.

 

Claudia Andrade seria candidata a vereadora, não o foi para formar a chapa majoritária ao lado da deputada Susana Azevedo.

 

Uma equipe técnica já está trabalhando, no município, para projetar as comemorações do sesquicentenário de Aracaju, em março do próximo ano.

 

O deputado estadual Fabiano Oliveira está cuidando apenas da realização do Pré-Caju, que esse ano começa muito mais cedo. Dentro de mais 90 dias…

 

O prefeito de Pirambu, André Moura (PFL), deve disputar uma vaga na Assembléia Legislativa. Talvez fique no lugar da mãe, deputada Lila Moura.

 

O senador Antonio Carlos Valadares (PSB), que está em Aracaju, visitou todos os candidatos do seu partido que venceram ou perderam as eleições municipais.

 

Um dia após a queda de 7% em suas ações na Bovespa, a Companhia Vale do Rio Doce negou qualquer adiamento do pagamento da remuneração aos acionistas.

 

Os petroleiros ameaçam de paralisação na próxima terça-feira. A categoria está em campanha salarial e reivindica um aumento de 13,21%.

 

brayner@infonet.com.br

 

 

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários