TREM DA ALEGRIA ÀS AVESSAS

0

Não consigo entender o porquê da surpresa generalizada, evidente em todos os semblantes dos freqüentadores da Assembléia Legislativa, ontem, por conta da chegada dos projetos do governo estadual propondo a criação de quatro novas secretarias

Governador João Alves Filho
e dezenas de cargos comissionados (os famosos CC’s) na “nova” estrutura administrativa do Estado. Afinal, não foi para isso que o governo contratou a Fundação Dom Cabral? Não era para dar agilidade e oxigenar a máquina paquidérmica e inoperante existente até então? Está mais do que claro. Claríssimo até. Tudo faz parte de um bem elaborado projeto de modernização do Estado. Ou você, caro leitor, ainda tem alguma dúvida disso?

Com a Central de Resultados, por exemplo, idealizada pelos grandes técnicos da Dom Cabral,  Dr. João Alves pretende fazer uma verdadeira revolução em seu governo. Aliás, é tudo que ele precisa neste momento: resultados. Nunca se viu, ao longo da história política de Sergipe, um João Alves tão irritadiço – e angustiado – pela falta daquilo que lhe fora sempre uma marca: os resultados.

Portanto, essa nova Central chega na hora certa. Até porque ainda dá tempo de se tentar reverter, nos poucos meses que restam à sua administração, esse cenário desolador em que se encontra o Estado. Falta segurança (e como falta), remédios nos hospitais, merenda escolar, escolas, salários decentes para os servidores públicos. Enfim, faltam “resultados” em quase todos os setores. De concreto mesmo só temos, até agora, a ponte Aracaju-Barra (grandiosa) e a nova orla da praia de Atalaia (lindíssima por sinal). E haja concreto. Mas isso não basta, governador. O povo quer e precisa como nunca da atenção do setor público e de resultados simples e práticos.

A geração de empregos, por exemplo, significaria a grande ponte que o governo precisa hoje para chegar, quem sabe, a um quarto mandato. Mas não me refiro aqui aos empregos criados esta semana. Os CC’s – vale lembrar – não funcionam como os “Trens da Alegria” de outrora, de tão saudosa memória para alguns. Até porque, já dizem os mais experientes políticos: para cada CC criado, cria-se também um ingrato e… dezenas de inimigos.

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários