TUCANOS EM SERGIPE

0

TUCANOS EM SERGIPE

O PSDB foi o partido mais forte de Sergipe de 1994 a 2002. Pessoal consciente, obediente e sem tradição de rebeldia. Estavam todos no governo, muitos felizes. Já em 2002 o PSDB cometeu um grande equívoco e perdeu-se entre candidaturas ao governo e do próprio chefe do Executivo, Albano Franco, que deixou de disputar um mandato certo ao Senado, para atender a amigos que hoje não passam apenas de um duvidosa interrogação. Primeiro lançou o deputado estadual Bosco Costa a governador do Estado, depois foi buscar um nome tão respeitosos, como o de Francisco Rollemberg, mas que não era do partido. À época estava no PMN. Sem candidato e com Albano Franco trabalhando apenas para assegurar mandatos de amigos, o PSDB iniciava o pouso em linha decadente: elegeu um deputado federal e apenas dois estaduais – Ulices Andrade e Maria Mendonça.

Só depois trouxe Fabiano Oliveira, eleito pelo PPS.

Hoje o partido se mantém forte a nível nacional, inclusive em condições de enfrentar a Presidência da República, com chances de chegar lá, mas em Sergipe a situação do tucano requer uma avaliação depois. Não houve domínio para adotar posições do que houvesse de melhor para a legenda. Evidentemente que muita coisa atrapalhou. A própria verticalização foi uma chute nas parte baixas de partido, mas depois das regras definidas, cometeu-se o erro de se procurar alternativas para que os tucanos voassem na mesma linha de oposição que fazia quando isso era possível. O PSDB fez alguns prefeitos de cidades importantes, como foi o caso de Estância – Ivan Leite – e Itabaiana – professora Maria Mendonça. Ambos com pensamentos e posições diferentes, exatamente porque o partido não traçou uma linha definida para ser seguida pelos seus filiados.

O PSDB mantinha a representatividade eleitoral, mas não conseguiu a unidade partidária, a movimentação política, a ocupação de lugares estratégicos, porque integrava a minoria e não tinha poder de definição. A decisão para a eleição deste ano chegou e o tucanato manteve o vôo disperso, sem que fosse capaz de tomar uma posição vinda de um grupo sólido. Chegou um momento em que todos ouviriam o líder – ex-governador Albano Franco – mas os aliados mais próximos, aqueles que conviviam estreita e obedientemente durante o período de governo, se rebelou contra a voz que realmente antes tomava a decisão. Cada um escolheu o seu lugar: o deputado federal Bosco Costa está em outra tendência política, Jorge Araújo pôs o nariz de fora, Ulices Andrade está fazendo sua campanha e os Teles de Mendonça fixaram-se em outra liderança política que a cada dia vai se firmando no estado.

Teoricamente o PSDB existe mais atua em várias posições, sem uma orientação política definida. Depois do pleito, seja qual for o resultado, o partido de boa estrutura terá de se reencontrar para adotar uma posição em que a sigla saia unida e fortalecida. É bom logo avaliar que se Geraldo Alckmin perder as eleições, não haverá muitas condições de recomposição, porque a tendência é se dispersar, mesmo que uma maioria fique sem mandato. Mas, com absoluta certeza, o partido em Sergipe ficou pequeno demais para caber tantas divergências. Novos nomes terão que se integrar a uma legenda que tinha um perfil de filiados bem definidos e sob o comando real e absoluto do até então governador de Sergipe, Albano Franco.

Lógico que será difícil tirar o PSDB de Albano. Mas ficará com eles quem tiver um novo pensamento sobre Sergipe. Certo ou errado o caminho adotado foi aprovado pela maioria, embora não o tenha seguido. O ex-governador Albano Franco demonstra uma contrariedade de quem perdeu amigos. Apesar dos muitos erros cometidos, agora o problemas está no aspectos liderança e unidade. Sem isso, nenhuma legenda política se sustenta.

(PS. O colunista agradece o grande número de e-mails e telefonemas que recebeu pela ausência. Uma brava virose levou-lhe à cama. Foi chatíssimo. Espera que os leitores, sempre compreensivos, o desculpem).

 

 

HELENO

O deputado Heleno Silva (PL) tem documentos que comprovam que das 22 ambulâncias que conseguiu liberação para Sergipe, uma única veio da Planam.

Heleno Silva diz que tem toda a documentação, sem qualquer restrição do Ministério da Saúde: “vou mostrar isso à CPMI que apura o caso”, disse.

 

LEGALMENTE

“Todos vão saber que os recursos que liberamos para a compra de ambulâncias foram utilizados legalmente, com comprovação do Ministério da Saúde”, disse Heleno.

Revelou que está tranqüilo e vai continua com sua campanha para a reeleição com normalidade, embora saiba que isso vai servir de argumento para adversários.

 

FABIANO

Animado com o volume de pessoas que estava na carreata, domingo, e com a receptividade do povo nas casas, o deputado Fabiano Oliveira ficou surpreso:

“Desse jeito acho que a gente ganha é no primeiro turno”. Fabiano contabilizou “uns dois mil carros” e disse que a Atalaia encheu-se de verde.

 

AUSENTE

Quanto as questões do PSDB em se integralizar à campanha, o candidato a vice, Fabiano Oliveira, disse que esse é um problema de Albano Franco.

Até o momento os candidatos a deputado estadual continuam indiferentes ao chapão com o PFL, embora sejam beneficiados por ele.

 

CÁLCULOS

Segundo calcula um candidato que integra o chapão PFL/PSDB três deputados já estão eleitos: Augusto Bezerra, Celinha Franco e Antônio Passos. Onze disputam para fazer 14.

A mesma fonte diz que a coligação PTdoB, PV e PTN pode fazer três e a oposição elegerá sete candidatos.

 

ULICES         

O deputado Ulices Andrade disse ontem que continua trabalhando para reeleger-se, independente dos candidatos majoritários.

Na sua concepção, nem o governador João Alves Filho vota nele e nem Marcelo Déda está preocupado com os votos dele (Ulices).

 

ELEITORES

Segundo Ulices, tem eleitor seu que não vota de jeito nenhum na reeleição do governador João Alves Filho (PFL).

Também tem leitores – em menor quantidade – que também não vota em Marcelo Déda por nenhuma hipótese: “respeito a todos”.

 

BOSCO

O deputado federal Bosco Costa (sem partido) está engajado na campanha de Marcelo Déda (PT) em sua região.

Ele fez composição para votar no filho de Valadares a deputado federal (PSB) em troca de apoio para o vereador Vandinho Costa (PTN), candidato a deputado estadual.

 

ALDPLAC

A Aldplac, onde ocorreu parte da operação Fox, continua trabalhando normalmente, mesmo que com uma boa parte dos computadores detida pela Polícia Federal.

A direção da empresa já está solicitando, através de advogados, a devolução de todos seus computadores, para manter o trabalho em dia.

 

OPERAÇÃO

Segundo uma fonte da área, a Operação Foz não cessou e continuará por muito tempo. Algumas pessoas estão sendo ouvidas no processo.

A fonte assegura que ainda haverá novas prisões para esclarecimento e todos os envolvidos serão levados à Justiça para julgamento.

 

FOTOGRAFADOS

Todos os envolvidos na Operação Fox tiveram suas vidas praticamente esmiuçadas antes das prisões, para evitar possíveis erros.

Aconteceu um verdadeiro festival de fotografias de cada um deles com as pessoas que se relacionavam, até mesmo familiares.

 

PEDRINHO

A informação circula na cúpula do chapão que apóia João: o ex-deputado Pedrinho Valadares teve um crescimento recente que pode surpreender. É gente de linha de frente.

O deputado federal José Carlos Machado (PFL) ainda não colocou o bloco na rua. Há perspectiva para o Tribunal de Contas.

 

VALADARES

O senador Antônio Carlos Valadares (PSB) trabalha muito para eleger Valadares Filho para deputado federal. Fechou inclusive com Ulices Andrade em determinada região.

A coligação de oposição fecha de dois a três candidatos e o filho de Valadares pode superar até mesmo a um dos dois que tentam a reeleição.

 

 

Notas

 

ANISTIA

Projeto de Lei da deputada Telma de Souza (PT-SP), muda a Lei que permite a anistia total das dívidas provenientes de saldos de contratos assinados com o SFH de 1º de janeiro de 1988 a 28 de julho de 1993. A legislação atual permite desconto apenas para compromissos firmados até 31 de dezembro de 1987.
Telma de Souza afirma que o objetivo é reparar uma injustiça. “Esses mutuários já pagaram muito mais do que o valor do imóvel e, mesmo assim, ainda estão devendo ao agente financeiro. Parte das prestações dos contratos assinados nesse período era justamente para evitar esse problema”, explicou.

 

DINHEIRO

O Projeto de lei, em tramitação na Câmara Federal, obriga instituições financeiras a comunicar ao Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) as movimentações financeiras feitas para o mesmo CPF ou CNPJ, no período de 30 dias, se a soma delas ultrapassar R$ 100 mil.

Atualmente, só é obrigatória a comunicação ao Coaf de transações com valor individual superior a R$ 100 mil. Segundo o autor da proposta, a mudança visa impedir a ocorrência de transações fracionadas com o objetivo de burlar a lei.

 

MEDIDAS

O candidato do PSDB à Presidência da República, Geraldo Alckmin, apresentou em Fortaleza o esboço de um conjunto de medidas que adotará, se eleito, para desenvolver o Nordeste brasileiro. Essas propostas estarão mais bem amarradas no documento “O novo Nordeste”, que deve ser lançado no Recife no próximo dia 4.

“É um projeto estruturante. Envolve questões do desenvolvimento de todo o Nordeste. Aborda as questões de infra-estrutura necessárias para o desenvolvimento. É bastante abrangente”, antecipou Alckmin.

 

 

É fogo

 

O candidato a governador pelo PDT, João Fontes, está em dificuldade de apoio a presidente, porque é amigo pessoal de Heloísa Helena (Psol).

 

Acontece que o PDT tem candidato a presidente, senador Cristóvam Buarque, que deve ser o candidato de Fontes em Sergipe.

 

O candidato do PT, Marcelo Déda, vai intensificar as visitas ao interior, para conversar com a população, principalmente nas feiras livres.

 

Domingo foi um dia de muita movimentação em Aracaju com a carreata promovida pelo candidato à reeleição João Alves Filho.

 

O candidato a deputado federal Albano Franco também fez outra carreata e se uniu com a de João Alves. A praia de Atalaia ficou inundada.

 

A prefeita de Itabaiana, Maria Mendonça, mantém sua candidatura a Marcelo Déda e vota em Eduardo Amorim (PSC) a deputado federal.

 

A questão de Itabaiana é bem regionalizada e os Mendonças jamais ficarão em um mesmo palanque com os Bispos. A questão do município passa por cima de ideologias.

 

O próprio Luciano Bispo acha que uma união do seu grupo com os Mendonças para apoiar João Alves Filho pode não surtir um efeito satisfatório.

 

O prefeito de Monte Alegre, José Aragão, está dormindo mais aliviado. Ele não consta da lista dos sanguessugas.

 

Adversários do prefeito Airton Martins (PT) reclamam que ele destruiu a Praça Santa Luzia e não apresentou maquete para a nova que promete construir.

 

A deputada Angélica Guimarães (PSC) teve que se desdobrar para apresentar toda a documentação ao Tribunal Regional eleitoral e garantir a candidatura a reeleição.

 

brayner@infonet.com.br

 

 

 

 

 

 

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais