TUDO FICA PARA DEPOIS DO CARNAVAL

0

Em todo o Brasil e em várias instituições públicas e privadas, várias decisões são deixadas para depois do carnaval, mostrando que a festa influencia no comportamento das pessoas. Parece mesmo que em nosso país o ano só começa depois do Carnaval.
Nos meses que antecedem a folia, as empresas passam por períodos de transição. É uma época de rever os conceitos e mudar o que é preciso.  Muitas demissões acontecem nesse período, ou melhor, muitas transformações ocorrem no cenário empresarial. . Muita gente que estava afastada do mercado de trabalho volta a atuar. É um tempo de recomeço e de uma vida nova.

Por outro lado, políticos transferem algumas decisões, governos anunciam decisões boas ou más, para depois do carnaval. Alguns aproveitam o momento onde o povo está ligado na maior festa do país para anunciar algumas medidas, às vezes até drásticas. O carnaval geralmente é a referência para novas mudanças.

No aspecto individual das pessoas, não poderia ser diferente. Muitas pessoas, após o carnaval, resolvem refletir sobre a vida e até mudar atitudes.  Como diz a letra da música “Depois do Carnaval” do saudoso cantor Jair Rodrigues: “Depois do carnaval eu vou tomar juízo, Há muito que eu preciso me regenerar”. Algumas citações de um texto denominado “Depois do Carnaval” da importante escritora Cecília Meireles, mostram a influência do carnaval: “terminado o Carnaval, eis que nos encontramos com os seus melancólicos despojos: pelas ruas desertas, os pavilhões, arquibancadas e passarelas são uns tristes esqueletos de madeira. Acabou-se o artifício, desmanchou-se a mágica, volta-se à realidade”. Ainda cita que “há milhares de corações imperiais, milhares de sonhos profundamente comprimidos, mas que explodem, no Carnaval”.

Algumas vezes, as pessoas se excedem no carnaval e dizem que depois da quarta-feira de cinzas vão mudar. Alguns excessos deixam marcas para sempre, enquanto outros deixam marcas “temporárias”. Muitas pessoas, após o carnaval, resolvem refletir sobre a vida e até mudar atitudes.

Os excessos de bebidas alcoólicas podem afetar no trânsito, provocando acidentes com ou sem vítimas fatais. A violência física aumenta consideravelmente, no carnaval, também relacionada ao abuso do álcool.

Durante os dias de Carnaval, novos relacionamentos amorosos podem levar aumento nas relações sexuais protegidas ou desprotegidas. As bebidas alcoólicas afetam o autocontrole. O importante jornal A Folha de São Paulo, trouxe um artigo recente, sob o título “A Hipótese do Carnaval”, criticando o Ministério da Saúde, pela realização de campanhas de prevenção no carnaval, apesar de reconhecer que é uma “ocasião em que o imaginário da população fica ligado ao sexo, e que o momento parece privilegiado para abordar a doença”. Todos sabem que não há estudo que comprove o aumento dos casos de AIDS em consequência do carnaval, pois se trata de uma doença crônica. Mas não é por esse motivo que existem as campanhas. Nós, que trabalhamos diretamente com a população no momento da festa carnavalesca, ouvimos depoimentos e observamos grandes mudanças no comportamento sexual das pessoas. Os comportamentos aumentam a vulnerabilidade às Doenças Sexualmente Transmissíveis e à gravidez não planejada. Há um equívoco no artigo da Folha de São Paulo. O objetivo das campanhas é reduzir a vulnerabilidade das pessoas e levar informação em uma festa que reúne o maior número de pessoas em um determinado local. É aproveitar uma festa que, comprovadamente, altera a conduta das pessoas: pessoas tímidas se tornam extrovertidas, a erotização aumenta consideravelmente e as atitudes, da maioria das pessoas, são bem diferentes dos outros 360 dias do ano.

Recomendações após o carnaval

Na saúde, muitos resolvem fazer a famosa dieta após os excessos alimentares.  É hora de hidratar o corpo novamente, usando sucos refrescantes e água de coco. Frutas e Vegetais Folhosos continuam sendo importantes. Evite misturar bebidas alcoólicas, sobretudo os energéticos. Evite também frituras e carnes gordurosas. Deve ser dada preferência às carnes grelhadas, cozidas, queijo branco, leite desnatado, doces (com moderação) e frutas. Alimentos embutidos, como: salames, presuntos e queijos amarelos também devem ser cortados.

Com relação à saúde sexual, é importante recomendar às pessoas que se relacionaram sexualmente sem o uso do preservativo, que aguardem 30 dias após a última relação sexual de façam o teste para o diagnóstico precoce do HIV. Caso o teste dê positivo ou reagente, é importante iniciar o tratamento com os medicamentos antirretrovirais. Ter AIDS não é bom. Ter e não saber é muito pior. Outros testes podem ser feitos: exames para sífilis e hepatites virais B e C.

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais