TUDO PRONTO

0

Não tem muito mais que esperar. A partir de hoje todos os partidos começam a fechar suas chapas proporcionais e a definir alianças para majoritários. As convenções de sábado serão apenas homologatórias. É verdade que ainda existem conversas, mas são com partidos que têm problemas para fazer uma boa chapa, eleger pelo menos um candidato proporcional e manter a representação política. O Partido dos Trabalhadores, como informou ontem o seu presidente, Marcio Macedo, está esperando apenas para hoje uma definição do PMDB, que deve entrar para o chapão proporcional e salvar a reeleição de Jorge Alberto, que não está em situação confortável no Estado. Caso isso não aconteça, o bloco de oposição fecha a coligação até o meio-dia de sábado.

Ontem, coincidentemente, um ilustre aliado do governador João Alves Filho (PFL) disse que ele, neste momento, está preferindo uma aliança com o PMDB, inclusive oferecendo a vice ao deputado estadual Marcos Franco. A questão do PSDB está muito embolada, com a necessidade da participação de membros importantes de outro poder para tentar mostrar ao ex-governador Albano Franco qual o melhor caminho. Isso vem de algum tempo, porque os tucanos demonstravam maior tesão pelo campo de pouso do Partido dos Trabalhadores, com o objetivo de apoiar o ex-prefeito Marcelo Déda a governador do Estado. A verticalização surgiu como pane em uma das asas tucanas, que o fez tentar pouso forçado no campo pefelista, mas até o momento tem muita dificuldade em aterrissar. O comandante do tucanato fala com um lado e outro, principalmente depois que resolveu planar independente, porque sente dificuldade em salvar os passageiros. Um deles desistiu da candidatura e outro vai tentar uma vaga na Câmara Federal, quando já estava em reta de descida para a vice-governadoria.

Além disso, houve um fato interessante, nestes últimos três dias, dentro do PSDB. O deputado federal Bosco Costa, que sempre defendeu candidatura própria do seu partido a governador, vai disputar a reeleição, mas está pensando seriamente em lançar seu nome como candidato a Senado Federal na convenção do partido, que será realizada na próxima sexta-feira. Bosco acha que um partido como o PSDB sem um nome majoritário abre uma lacuna, inclusive para as chapas majoritárias. Quanto à tendência dessa possível candidatura, o deputado Bosco Costa disse que respeita a opinião dos outros, mas vai para disputa ao Senado em qualquer situação. Seja como independente ou através de uma aliança branca.

Além disso, ele considera que há muito mais chance em fazer uma chapa proporcional com um majoritário por trás. Quanto ao custo de campanha, Bosco lembra que existem eleitos pela força da grana e outros pela força do voto. O deputado federal tucano já avisou ao presidente de honra do partido, ex-governador Albano Franco, e ao secretário geral Ulices Andrade, da sua pretensão de disputar o Senado. Ouviu deles: “você tem direito de fazer a opção que achar conveniente”. Bosco não vê como essa sua nova posição favorece a algum partido, mas acha que uma chapa apenas com candidatos a deputados estadual e federal é muito pequeno para um partido das dimensões do PSDB. Quanto à possibilidade de eleger-se ele deixa bem claro que “cada eleição tem uma história. A gente tem que saber analisar que a vida pública é de vitória e de derrota”, e lembrou que o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) perdeu a Prefeitura de São Paulo para Jânio Quadros e o operário Lula da Silva foi candidato a presidente quatro vezes para ser eleito uma. “a vida tem dessas coisas”, disse.

No entendimento de alguns políticos, a possibilidade de Bosco disputar o Senado é uma demonstração de que ele sabe que não se reelege, assim como imagina o deputado estadual Fabiano Oliveira (PSDB), que já disse que não iria para o suicídio. De qualquer forma, é bom lembrar, Bosco Costa é candidato a reeleição, mas pode disputar o Senado.

 

 

ENCONTRO

A informação é de políticos interessados nas coligações: “o ex-governador Albano Franco (PSDB) conversou ontem com emissários fortes para uma aliança com o PFL”.

Aconteceu em um prédio rubro-negro localizado na avenida Beira Mar. Estavam o anfitrião, um convidado e o ex-governador. Ainda não deu em nada…

 

FECHADO

Um aliado do ex-governador Albano Franco declarou que até sábado será batido o martelo e será consolidada a aliança entre PSDB e PFL.

A oposição não faz grande comentários sobre o assunto, mas o presidente do PT, Macio Macedo, diz que “Albano vai manter o seu gesto corajoso de sair sozinho”.

 

VEZ DO PMDB

Já um aliado muito próximo do governador João Alves Filho (PFL) acha que a situação pende mais para uma coligação com o PMDB.

A mesma fonte acrescenta que o governador está insistindo em oferecer a candidatura de vice-governador ao deputado estadual Marcos Franco (PMDB)

 

CONVERSA

O presidente nacional do PTN, José Abreu conversou com o ex-deputado Gilton Garcia (PTN) e avisou que o partido não lançará candidato a presidente.

Também não se coliga com ninguém, No momento Abreu conversou com o ex-governador Albano Franco (PSDB), que conversava com Gilton Garcia no momento.

 

NÃO GOSTA

Dois partidos pequenos que tinha sido conversado pelo ex-governador Albano Franco (PSDB) para uma coligação, não estão gostando da reaproximação tucana com o PFL.

Candidatos a deputado federal como Pinna Júnior (PV), Gilton Garcia e José Raimundo (PTN) só se coligam com Albano Franco se ele não fechar com o PFL.

 

COLIGAÇÃO

Está marcado para amanhã a solenidade de coligação entre o PSDB, PTN e PV, de acordo com um dos membros desses três partidos.

Isso ficou acertado pelo próprio PSDB, que terá como candidatos a deputados federais o ex-governador Albano Franco, Bosco Costa e Fabiano Oliveira.

 

TERCEIRA VIA

Um terceira via se fortalece em Sergipe, tendo à frente o deputado federal João Fontes (PDT), que caminha para consolidar sua candidatura a governador do estado.

Segunda-feira passada foi realizada reunião com lideranças importantes, interessadas em formar outro caminho.

 

PAIXÃO

O ex-deputado Ivan Paixão (PPS) estava lá e no final disse que iria conversar com o ex-governador João Alves Filho (PFL), sobre o assunto.

Paixão sempre foi um aliado próximo de João Alves Filho e tem o objetivo de disputar o mandato dentro de uma composição ligada a ele.

 

CHAPA

A chapa para a segunda-via já estaria formada: João Fontes (PDT) para governador e Gilton Garcia (PTN). para o Senado.

É possível que amanhã aconteça uma nova reunião para definir uma coligação, que deverá contar com a presença do deputado federal Jorge Alberto (PMDB).

 

CONVENÇÃO

O Partido Social Cristão (PSC), realiza sexta-feira. em sua sede, à rua Propriá, Convenção para deliberação sobre Coligação Partidária para eleição majoritária e proporcional.

Durante a convenção serão homologados os nomes dos candidatos proporcionais para as eleições de outubro. Outros assuntos serão tratados.

 

NA ESPERA

Os partidos da oposição vão fazer convenção no próximo dia 30 e anunciam apoio a Marcelo Déda (PT) para governador e José Eduardo Dutra (PT) para o Senado.

Até hoje o Partido dos Trabalhadores esperam uma decisão do deputado federal Jorge Alberto (PMDB), que ainda não apareceu depois da conversa com aliados.

 

MACHADO

O deputado federal José Carlos Machado (PFL) nega de forma peremptória que tenha desistido de disputar a reeleição nas próximas eleições.

“Sou candidato sim!”, Disse ele e acrescentou: “para tristeza daqueles que pensam que poderia lucrar com a minha desistência”. Machado não sabe de onde vem esse boato.

 

TRIBUNAL

Quanto à questão de querer vaga no Tribunal de Contas, Machado diz que votou favorável à aposentadoria aos 75 anos de idade.

Diz também que foi responsável pela retirada do destaque do Deputado José Aleluia (PFL-BA), que retardava a aprovação do projeto dos 75 anos.

 

 

 

Notas

 

PRESIDENTE

Tramita na Câmara PEC do deputado André Costa (PDT-RJ), que torna possível a perda do mandato do presidente da República se ele trair a confiança popular na execução do programa de governo apresentado nas eleições. Segundo a proposta, esse ato passa a ser considerado crime de responsabilidade.

No caso especificado pela PEC, o processo de perda de mandato só poderá ser instaurado um ano depois da posse do presidente, por voto da maioria absoluta do Congresso Nacional e por referendo popular.

 

NEGROS

Projeto de Lei do deputado Jair Bolsonaro (PP-RJ) estabelece quota de 50% das vagas da Câmara Federal para as populações negras e pardas. O parlamentar argumenta que a cada dia se torna mais freqüentes as ações afirmativas que buscam a inclusão de minorias e setores excluídos da sociedade.
Para o deputado Jair Bolsonaro, o exemplo precisa partir da própria Câmara Federal que representa o povo. “A Câmara deve possuir de forma proporcional representantes de todos os segmentos sociais”, afirma.

SANGUESSUGAS

O presidente da CPI dos Sanguessugas, deputado Antonio Carlos Biscaia (PT-RJ), afirmou que os parlamentares envolvidos na máfia das ambulâncias podem responder a processo em 2007. Contudo, Biscaia frisou que a decisão final sobre a abertura desses processos de cassação ainda não foi tomada.
“É lógico que o grande questionamento jurídico da CPI será a respeito da possibilidade de iniciar-se um processo de cassação, numa legislatura posterior, por uma conduta praticada num período anterior”, explicou.

 

 

É fogo

 

O Governo Lula emitira Medida Provisória concedendo aumento aos servidores públicos federais, contrariando pensamento do TSE.

 

Demorou até tarde a reunião do PMDB com aliados do deputado federal Jorge Alberto, para que ele decida alguma posição.

 

André Moura, candidato a deputado estadual pelo PSC, tem visitado vários municípios acompanhado de Eduardo Amorim, que disputa uma vaga na Câmara Federal.

 

Segundo um tucano chateado, “a força eleitoral imensa do deputado Jorge Araújo (PSDB) fez Albano Franco repensar um entendimento com João Alves Filho (PFL)”.

 

O mesmo tucano diz que o deputado Jorge Araújo “deve transferir tanto voto para Déda que talvez ele seja proporcionalmente o mais votado do país”.

 

O senador Valadares teve que dormir de segunda para terça-feira em Aracaju porque perdeu o vôo.

 

Os aviões têm saído superlotados do aeroporto de Aracaju, principalmente pela manhã, depois do problema com a Varig.

 

O governador João Alves Filho (PFL) teve dificuldade de subir no camarote para assistir um dos shows da Vila do Forro, pelo número de pessoas que estavam em cima.

 

Ontem o Forrocaju também superlotou, apesar da terça-feira, em razão do show de Aviões do Forró, uma das bandas preferidas pelos jovens.

 

A taxa média de juros cobrados pelos bancos para pessoa física caiu 1,7% em maio, ficando em 56,1% ao ano.

 

O governador João Alves Filho também está visitando arraias da capital e interior neste período junino.

 

brayner@infonet.com.br

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários