“Tutti buona gente”…

0

Desde que o Ministro do STF, Edson Fachim, liberou a listagem dos políticos denunciados pelos executivos – o que são e os que já foram – da Odebrecht, não há outro assunto em pauta na Imprensa brasileira (e nas conversas de comadres, também…). Os noticiários de rádio e televisão estão carregados de matérias a respeito das denuncias. No caso das televisões, põe-se no ar tapes com as declarações, inclusive com as denuncias mais escabrosas contra pelo menos cem dos políticos mais importantes do País. Sobrou para todo mundo evidentemente, e não só para os ex-presidentes Lula e Dilma Rousseff. Realmente, a “lista do fim do mundo” faz um estrago na carreira de muitos privilegiados, a exceção do Presidente Michel Temer, mas isto porque Presidente não pode ser investigado a não ser por fatos que tenham ocorrido na sua própria gestão. Mas, o jornalão “Washingto Post” dos Estados Unidos, revela em manchete, que Temer foi denunciado por ter recebido, em 2010, nada menos que 4 milhões de dólares, dinheiro oriundo de caixa dois, para  financiamento da campanha daquele ano.

ESTRAGO –  A chamada “lista do fim do mundo” faz um estrago enorme na carreira de muita gente, inclusive para as eleições do próximo ano. O “Jornal Nacional” da Rede Globo, que detém a preferência do mercado, a semana passada teve edições com mais de uma hora de duração e explorando praticamente um só assunto, a já famosa “lista do Ministro Fachim”. A Polícia Federal inicia a partir desta 2ª feira as investigações em torno de Ministros, Governadores (e ex também), Senadores, deputados federais, deputados estaduais e mais um sem número de socialites envolvidos em trambicagens. Um especialista em assuntos de corrupção, calcula que a empresa Odebrecht dispendeu em torno de 3 bilhões e meio de dólares – algo como dez bilhões de reais – com os atos de corrupção que agora vem à tona. Nunca antes na história do País viu-se tamanho leque de corrupção, abrangendo todos os setores da vida pública e tudo na base de milhões e milhões de reais… Levando-se em conta a denuncias dos executivos da Odebrecht, os casos envolvendo o ex-Presidente da Câmara, Eduardo Cunha, ou o ex-governador do Rio, Sérgio Cabral, são pintos. O PMDB é o partido com o maior número de inscritos neste campeonato indigno. Vai de Eliseu Padilha e Moreira Franco, ambos Ministros do Governo Temer, à raia miúda, tipo Valdir Raupp e Aécio Neves.

A PF quer reforço de pessoal

Como suportar a política brasileira, de agora por diante, diante do tamanho do escândalo que sobre ela se abateu? Já se fala que o Presidente Temer vai trocar onze ministros envolvidos nas denuncias por outros nomes que tenham ao menos a ficha limpa. Os nomes dos cem políticos envolvidos nestas denuncias vão ser alvos de inquéritos conduzidos pela Polícia Federal em todo o País – Sergipe ficou de fora, felizmente – mas que não se tenha pressa. É muito trabalho pela frente tanto que a própria PF já está querendo reforço de pessoal para bem realizar seu trabalho.

Inflação oficial em queda

A inflação oficial do país, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) fechou o mês de março em 0,25%, com queda de 0,08 ponto percentual em relação ao percentual (0,33%) de fevereiro e a menor taxa já registrada para os meses de março desde 2012, quando atingiu 0,21%. Com o resultado, a inflação acumulada no primeiro trimestre de 2017 é de 0,96%, a menor taxa de toda a série histórica. No primeiro trimestre de 2016, o IPCA acumulado era de 2,62%. A inflação dos últimos doze meses o IPCA acumulado era de 2,62%. A inflação dos últimos 12 meses é de 4,57%. Em março do ano passado, o IPCA havia variado 0,43%.

Inflação do Nordeste no 1º trimestre

O índice inflacionário nordestino para o primeiro trimestre de 2017, é de 1,29%, percentual inferior aos 2,87% referentes ao mesmo período de 2016. Esse é o menor índice para os três primeiros meses do ano desde 2012, quando a taxa foi de 1,28%. A inflação do Nordeste, em março de 2017, apresentou crescimento de 0,34%, abaixo da inflação observada no mês anterior (+0,39%), porém, ficou ainda em patamar superior à média nacional (+0,25%). No acumulado dos últimos doze meses terminados em março, o índice regional apresentou leve crescimento para 5,56% e ficou acima dos 5,29% registrados nos últimos doze meses imediatamente anteriores. No índice regional, o grupo educação (+1,23%) foi o de maior variação percentual no mês de março. O grupo habitação (+1,17%) foi ode maior impacto (+0,16%) no indicador inflacionário do Nordeste, representando cerca da metade da inflação mensal. Em outro sentido, observa-se deflação nos grupos artigos de residência (-0,57%), comunicação (-0,53%), vestuário (0,25%) e transportes (0,21%) que contribuíram para atenuar a inflação mensal. A tendência de desaceleração da inflação nordestina acompanha o movimento de desinflação em curso no Brasil. O indicador inflacionário nacional anualizado registra queda pelo sétimo mês seguido. Na análise trimestral nacional, realizada com base no Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), a inflação foi 0,96%, a menor para o primeiro trimestre do ano desde a implantação do Plano Real. Em março, o índice inflacionário nacional registrou elevação de 0,25%, ante índice de 0,33% em fevereiro.

Produção de petróleo teve queda

A produção de petróleo no Estado, em fevereiro de 2017, ultrapassou os 728 mil barris equivalentes de petróleo (BEP), ficando 13,4% abaixo da produção do mês imediatamente anterior, janeiro último. Já no comparativo anual (fevereiro 2016), a retração aproximou-se dos 23% na produção. No primeiro bimestre de 2017, a produção atingiu aproximadamente 1,5 milhões e bep, com retração de 19,8%, quando comparado com o mesmo período de 2016. Do total produzido em fevereiro, 21,8%, ou aproximadamente 160 mil barris foram extraídos do mar. Em termos relativos, observou-se recuo de 22,6% em comparação com o mês imediatamente anterior, e retração  de 32,4% na comparação com fevereiro do ao passado. A produção em terra, por sua vez, respondeu por 78,2% da produção total, aproximando-se dos 570 bep. No comparativo com o mês anterior, janeiro de 2017, verificou-se declínio de 13,8%, entretanto quando comparado com fevereiro de 2016, a  retração ultrapassou os 20%. A produção de gás natural, em fevereiro, ficou acima dos 376 mil barris equivalentes de petróleo. Em termos relativos, houve registro de recuo de 9,6% na comparação com o mês imediatamente anterior, isto é, janeiro último. Em relação ao mês de fevereiro de 2016, a queda foi mais expressiva, ficando em 23,7%. A produção em mar continuou sendo a primeira fonte de produção, somando mais de 351,6 mil barris, abrangendo 93,3% do total produzido no Estado, ao passo que a produção terrestre ficou próxima dos 25 mil barris, representando 6,7% da produção.

Senador quer primeiro a reforma tributária

O Senador Eduardo Amorim é de opinião que o Governo Federal deveria abraçar primeiro a reforma tributária, deixando para depois a Reforma da Previdência Social, que tantos problemas tem causado.  “Se queremos que o país cresça – disse ele em pronunciamento no Senado – até mesmo para ter condições de prover as próximas gerações dos benefícios, se queremos gerar empregos, o que precisamos fazer, urgentemente, é a reforma tributária", Segundo Amorim, no Brasil paga-se mais de noventa tributos. “A  ânsia arrecadatória em todos os diferentes níveis de governo é insaciável, por outro lado, a fiscalização é difícil e a sonegação imensa. Todos esses tributos atingem as pessoas jurídicas e as pessoas físicas, a empresas e todos os cidadãos, sem exceção, alcançando patamar de mais de 35% do PIB, a carga tributária brasileira sobre o PIB é a maior das Américas e a 14ª do mundo”. Para ele, essa “carga onerosa de tributos impede o desenvolvimento econômico e a criação de empresas, mesmo as beneficiadas pelo programa Simples”. “Com tanto percentual da renda nacional destinado ao pagamento de tributos, o país não cresce. Isso intimida a vocação empreendedora do brasileiro, ele descrê de ter um comércio, de ter uma indústria, de prestar serviços”. E mais adiante: ”A maioria dos municípios brasileiros têm dívidas com a Previdência, então sugiro que o governo federal renegocie o pagamento dessas dívidas, desde que os municípios aceitem que os repasses a serem feitos pela União já seja feitos com o devido desconto na onte, assim como acontece com qualquer trabalhador.

Aliás, é preciso ler a entrevista do SenadorEduardo Amorim ao Cinform, edição desta segunda-feira. Ele lamenta que tenham envolvido seu nome na Lava Jato, em atos de corrupção que definitivamente ele não praticou. Ele não descarta que o episódio, se progredisse, o levaria até o extremo de abandonar a política, diante da tristeza da mulher, d. Vilma, e os filhos.

   …e para  encerrar…

ABRINDO – Uma das maiores inteligências de Sergipe, o Sr. Carlos Ayres Brito, ministro aposentado do STF, tem sido procurado constantemente pela Rede Globo para declarações sobre os mais variados assuntos. Domino último, por exemplo, ele abriu o “Fantástico” discorrendo e definindo, didaticamente, sobre corrupção. Carlinhos Brito oi levado ao STF pelo ex-Presidente Lula.

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais