ÚLTIMOS PROGRAMAS

0

A partir de hoje os candidatos a governador de Sergipe têm apenas quatro programas para mostrar aos eleitores. Os outros quatro são dos proporcionais. O último programa acontecerá no dia 28 e será dos majoritários estaduais. Para as eleições estão faltando apenas dez dias. Ainda é muito tempo para uma campanha acirrada e que polarizou entre os candidatos Marcelo Déda (PT) e João Alves (PFL). Um dos candidatos alternativos, João Fontes (PDT), vem marcando presença junto ao eleitorado, mas foi prejudicado pelo tempo curto que teve para apresentar propostas. Entretanto, o candidato pedetista terá uma posição bem diferente da que fora indicada pelo Ibope, na pesquisa que realizou em agosto. O candidato do PSDC, economista Adelson Alves, saiu-se bem em sua primeira experiência em disputa eleitoral. Lógico que não atingirá o seu objetivo, que é o Governo, mas valeu pela criatividade de sua campanha, que, guardando as devidas proporções, foi a que mais agradou ao eleitor.

Evidentemente que nesses próximos dez dias dificilmente acontecerá um fato novo que mudará os rumos do pleito. Do tipo que ocorreu com o candidato a presidente pelo PT, Luiz Inácio Lula da Silva, cujo escândalo da compra de um dossiê para envolver o candidato a governador de São Paulo, José Serra, e o seu adversário Geraldo Alckmin, pode atingir a posição que sempre manteve nas pesquisas, que o dão com forte possibilidade de reeleger-se já no primeiro turno. Lula demonstra que não precisava fazer isso para ganhar as eleições, citando exatamente a comodidade de sua posição. Lembra que não usou dessa prática, nem mesmo quando estava em condição inferiores em relação ao concorrente. Pode ser convincente, mas na época que disputava sem o poder, Lula não tinha os “freuds” da vida para utilizar em empreitadas como essas.

Em Sergipe há uma grande movimentação dos candidatos, na capital e no interior. O importante é que muita gente foi às ruas para defender seus candidatos e está fazendo uma boa agitação nos horários de maior fluxo de veículos, todos em busca de indecisos. Os eleitores de João Alves Filho, animados por organizadores de movimentos e coordenadores de campanha, acham que se aproximaram muito do ex-prefeito Marcelo Déda. Tem até quem considere que já passou. Do outro lado, ninguém tem dúvida de que o candidato a governador do PT ganha na capital com uma diferença considerável, capaz de cobrir a votação que vier do interior, onde Déda acredita que ganha em vários municípios. Há um reconhecimento, entretanto, da necessidade de uma chacoalhada na militância vermelha, porque o verde está com mais disposição na capital. As ruas tem demonstrado isso.

Ontem mesmo, no comitê de campanha do candidato Marcelo Déda, um aliado importante reclamou da repentina falta de movimentação de pessoas nas ruas, fazendo barulho em favor do candidato. Disse, entretanto, que acompanhou o Déda por um bairro da periferia e sentiu que ele é recebido com euforia. O motorista que dirige para um dos candidatos da oposição admitiu que há uma certa frieza nessa reta final, quando o natural era perceber um crescente. Hoje, por exemplo, o Movimento Muda Sergipe 13, que tem à frente o vereador Fábio Henrique e o ex-vereador Antônio Samarone, vai às ruas, para panfletar e colar adesivos nos sinais.

De qualquer forma a eleição está se afunilando e nesses dez dias, além dessa agitação que se percebe nas ruas, haverá ainda algumas festas e a esperada e duvidada inauguração da ponte Aracaju/Barra, que o ex-prefeito Marcelo Déda não acredita que vá influenciar para alterar o rumo do pleito. José Eduardo Dutra acha que vai. Os programas eleitorais tiveram a sua importância e a questão da transposição predominou a ponto de mudar a rota do que fora projetado pelos marqueteiros. Dentro do próprio PT há quem admita que houve equívoco na declaração de que o partido defende a transposição. Uma fonte petista disse que seria melhor fortalecer a necessidade de revitalização, mas sem falar em transposição, porque se trata de um projeto de Lula, com o apoio de ministros e um sonho que presidente não deixará de sempre tentar realizar.    

 

 

TRANSPOSIÇÃO-1

A matéria foi publicada dia 16 no jornal Tribuna do Norte, de Natal: “Lula renovou em Natal uma antiga promessa de campanha: a transposição das águas do rio São Francisco”.

No mesmo dia à noite, em Aracaju, o presidente Lula disse que “O São Francisco não tinha água para fazer a transposição”. Lula mentiu em Natal ou em Aracaju?

 

TRANSPOSIÇÃO-2

Em Natal, o presidente Lula admitiu que encontrou dificuldades para executar o projeto prometido há quatro anos.

“O projeto está pronto, inúmeras audiências públicas foram feitas, mas uma parcela da elite que se acha dona do rio São Francisco não quer”.

 

TRANSPOSIÇÃO-3

O presidente Lula discursou em Natal duas horas antes de chegar a Aracaju. O local foi o Largo do Machadão, segundo informa o repórter Alex Régis, da Tribuna do Norte.

Lula disse ainda que quem atrapalha a transposição “É essa mesma elite que abre a geladeira e bebe água francesa que não quer trazer água para o semi-árido do Nordeste”.

 

MILTON

O jornalista Milton Alves explica que “o presidente Lula quando tratou o ex-presidente Fernando Henrique de doutor, em comício aqui em Aracaju, o fez com muito respeito”.

E continua: “afinal, o ex-presidente FHC é sociologo e professor com mestrado e doutorado, logo, deve ser tratado com fidalguia, como o tratou o presidente Lula”.

 

HELOISA

A candidata a presidente da República pelo Psol, senadora Heloísa Helena, disse que Lula mentiu em Aracaju quando falou em transposição com revitalização.

Segundo a candidata, Lula tem um discurso para os estados que querem a transposição e outro bem diferente para os que não querem.

DESCONFORTO

“A transposição do rio tem gerado grande desconforto para o povo nordestino, que é quem sofrerá diretamente com esse projeto do presidente Lula”, disse.
Heloisa Helena disse ainda que a transposição é uma farsa técnica, uma ilusão política, a transposição está dividindo o Nordeste, um povo que sempre se uniu em todas as ocasiões”.

 

DÉDA

O candidato a governador pelo PT, Marcelo Déda, desembarcou em Aracaju, ontem, do mesmo avião que trouxe a senadora Heloisa Helena (Psol), candidata a presidente.

Marcelo Déda passou com serenidade entre os aliados de Heloísa Helena que a esperavam no aeroporto de Aracaju.

 

ALMEIDA

O senador Almeida Lima (PMDB) estranhou o clima de tranqüilidade no país após a divulgação de denúncias que afrontariam instituições e a soberania nacional.

Almeida Lima apontou a inércia das instituições frente aos episódios e advertiu que uma reação pode vir tarde demais.

 

ANSELMO

O leitor Anselmo Bittencourt envia e-mail apenas com duas linhas. Diz: “o choro é livre. Quem decide uma eleição é o povo”.

E continuou: “alguns jornalistas de plantão só especulam e tentam mudar opiniões com matérias pouco confiáveis”.

IBOPE

O diretor de Opinião Pública e Pesquisa da agência do Ibope em Salvador, Jorge Maia, confirmou que a empresa está fazendo pesquisa por telefone.

Está utilizando a MQI, uma empresa terceirizada pelo Ibope em Curitiba, que está fazendo uma pesquisa em Sergipe e consultando pessoas por telefone.

 

TELEFONEMA

Uma funcionária da MQI, de nome Fernanda (fone: (41) 2169-1600) informou que a sua empresa está fazendo pesquisa para um candidato em Sergipe.

Explicou que esse tipo de pesquisa só é feito para avaliação interna do candidato e os contratos são feitos através do Ibope.

 

HELENO

O deputado federal Heleno Silva (PL) está trabalhando para eleger candidatos do seu partido, mas sem falar em majoritário.

Heleno se diz vítima de uma manobra que tinha o objetivo de desmoralizar ele e atingir aos seus familiares.

 

AGITO

O candidato do PT ao governo do estado, Marcelo Déda, vai intensificar sua campanha nesses próximos 10 dias para a realização do pleito.

Déda esteve em Brasília ao lado do senador Valadares e a informação de um dos seus aliados o objetivo da viagem foi conversar com a direção do partido.

 

Notas

 

DIGITAÇÃO

No dia 1º de outubro, os eleitores vão digitar, no mínimo, 21 teclas da urna eletrônica para escolher, 513 deputados federais, 1.059 deputados estaduais/distritais, 27 senadores, 27 governadores e um presidente da República. O eleitor votará primeiro nos candidatos a deputado federal, que terá quatro algarismos.

O segundo cargo a ser escolhido é o de deputado estadual ou distrital, com cinco números. Depois é a vez de eleger o senador, representado por três dígitos. A quarta escolha é para governador e, por fim, para presidente.

 

COMPULSÓRIA

Deverá causar polêmica a votação, em plenário, da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 457/05, do Senado Federal. O substitutivo do relator, deputado João Castelo (PSDB-MA), aumenta de 70 para 75 anos a idade máxima para a aposentadoria compulsória dos servidores públicos.
Se aprovada, a nova regra, que altera o artigo 40 da Constituição, será aplicada aos servidores titulares de cargos efetivos da União, dos estados, do Distrito Federal e dos municípios, incluídas autarquias e fundações.

 

TRANSPLANTE

Projeto de Lei, do deputado Carlos Nader (PL-RJ), determina a fixação de cartazes de incentivo à doação de órgãos nas instituições emissoras de carteira de identidade. O autor acredita que a medida ajudará a “pôr em prática o regime de doadores potenciais, por reduzir a falta de informação e o preconceito”.
Pela proposta do deputado Carlos Nader, caberá ao Poder Executivo regulamentar a lei e designar o órgão responsável pela fiscalização e pela aplicação de penalidades no caso de seu descumprimento.

 

 

É fogo

 

A candidata a presidente da República pelo Psol, senadora Heloísa Helena, foi disputada pelos partidos de esquerda.

 

O candidato a governador pelo PDT, deputado federal João Fontes, também acompanhou a candidata Heloisa Helena.

 

A prefeita de Laranjeiras, Ione Sobral (PTB) suspendeu temporariamente o contrato de coleta de lixo feita pela empresa Torre.

 

O candidato a deputado federal Albano Franco (PSDB) ficou empolgado com o apoio que tem recebido nas urnas, durantes as carreatas.

 

O candidato a deputado pelo PT, Nilson Lima, tem feito um trabalho intenso na capital e interior. Tem boas chances de chegar lá.

 

Nesta reta final haverá uma grande movimentação nas campanhas de todos os candidatos majoritários e proporcionais.

 

O prefeito de Aracaju, Edvaldo Nogueira (PCdoB), apesar da campanha, tem levado com seriedade a administração da capital.

 

Alguns candidatos já estão abrindo o bico. Essa foi uma campanha cara e o dinheiro começa a rarear.

 

O atendimento, o fornecimento de informações e o descumprimento dos prazos estabelecidos foram novamente os itens mais reclamados pelos consumidores bancários.

 

A Anatel ainda não respondeu aos questionamentos feitos pelo Tribunal de Contas da União (TCU) sobre o edital da licitação das faixas de freqüência de banda larga.

 

brayner@infonet.com.br   

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários