UM ACONTECIMENTO PARA FICAR NA HISTÓRIA

0

A medicina de Sergipe foi reverenciada com exuberante beleza na quarta-feira que passou, na

Maria Helena paramentada com a opa da Academia
solenidade de posse de Maria Helena Domingues Garcia na Academia Sergipana de Medicina, na cadeira 23, com o auditório completamente tomado por médicos, amigos, parentes e convidados. Foi um acontecimento para ficar na história, pela organização e  excelência dos dois discursos, o do recipiendário Marcos Ramos e o da nova “imortal”, pela consistência das informações e pelo lirismo da apresentação. Foi uma viagem memorável na história da medicina de Sergipe, uma bela recordação da vida e da obra de dois vultos preciosos, os doutores Juliano Calasans Simões e Antonio Garcia Filho, patrono e fundador da cadeira 23 do sodalício, respectivamente. Com  discursos repletos de fotografias, um momento que emocionou a todos foi o “instante mágico da presença viva” do Prof. Garcia, cantando uma de suas músicas preferidas, “Amapola”, aplaudida pelos presentes ao final da execução e registrado pela iniciativa espontânea do médico Gildo Simões, do Sindicato dos Médicos, que na mesma noite disponibilizou a imagem pelo sistema youTube no site do Sindicato dos Médicos ( Veja em www.sindimed-se.org.br).
A solenidade foi comandada pela Dra.Déborah Pimentel, presidente da Academia e compuseram a mesa dos trabalhos o Dr.Clóvis Barbosa de Melo, Secretário de Governo, representando o Governador Marcelo Deda, o Dr. Petronio Gomes, presidente da Federação das Entidades Médicas de Sergipe, que no ato representou também a Associação Médica Brasileira, o Dr. José Anderson Nascimento, presidente da Academia Sergipana de Letra, o vice-reitor da Universidade Federal de Sergipe Ângelo Antonioni e o Sr. José Garcia Neto, ex-governador do estado de Mato Grosso e irmão do Dr. Antonio Garcia. Após fazer o juramento de praxe, a nova acadêmica ouviu a leitura do termo de posse e recebeu os paramentos da Academia ( a opa e o medalhão ) pelas mãos do seu esposo e agora confrade Eduardo Garcia e dos filhos Eduardo Júnior e Patricia Mendonça. A Dra. Maria Helena foi saudada pelo acadêmico Marcos Ramos, representando os seus pares. No seu discurso de posse, Marcos ressaltou na sua longa convivência com Maria Helena, mais conhecida carinhosamente por todos por Leninha, a sua capacidade, rigor técnico, ética, disponibilidade e dedicação ao próximo. E arrematou: “Leninha é daquelas pessoas que não pararam no tempo e sempre buscam evoluir, cientes do papel na sociedade e na vida, aprimorando o conhecimento científico sem esquecer, contudo, dos valores humanitários”. Já Maria Helena Garcia fez um pronunciamento histórico,  apurada em profunda pesquisa sobre a vida dos dois médicos, Antonio Garcia e Juliano Simões, dois baluartes de medicina de Sergipe. A Academia Sergipana de Medicina está de parabéns pela realização dessa noite inesquecível e por completar agora integralmente o seu quadro de associados, no ano que comemora quinze anos de fundação. 

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários