UM FOGUETE À BRASILEIRA

0

 

Cartas do Apolônio

 

Um foguete à brasileira

 

 

Cascais, 1o de abril de 2006

 

Caros amigos de Sergipe

Vi pela televisão a festa dos amigos e familiares do astronauta Marcos César Fontes em sua decolagem rumo à Estação Espacial. Parecia uma final de campeonato, bandeiras na sala, cerveja rolando e olhos grudados naquela bucólica paisagem do Kazaquistão. Foi mesmo uma beleza!

A pequena Bauru, cujo grande feito patriótico até então era o de ter acrescido uma folha de alface e uma rodela de tomate ao sanduíche misto, está em polvorosa. Ribeirão Preto, porém, não se faz de rogada. No mesmo dia um dos seus filhos mais afamados também foi para o espaço. Trata-se do ex-ministro Palocci.  

O fato é que a nova celebridade volta do espaço sideral no dia 9 de abril e – pasmem os senhores – a senadora Maria do Carmo já lhe acenou com o cargo de secretário de comunicação da terrinha. “Siderado por siderado, sou mais o paulista” argumenta ela com justa razão.

O novo mochileiro das galáxias, porém, tem outros planos após a volta triunfal da sua nave. Pretende, segundo se comenta, chefiar a missão espacial “Gravidade Zero” financiada pelo Governo Federal e com tecnologia inteiramente brasileira.

Os propulsores do foguete serão montados em São Bernardo. O combustível será o álcool produzido no nordeste. O uniforme foi desenhado pela carnavalesca Rosa Magalhães e até o Gilberto Gil, que não é bobo nem nada, já compôs uma música para ser tocada quando a nave estiver em pleno espaço.

A base de lançamento em Alcântara no Maranhão já está sendo completamente reformada. Serão instalados camarotes vips e salas de imprensa, além de área para a comercialização de suvenirs, capetas e ligantes. É verdade que no momento a obra está sofrendo uma pequena paralisação por conta da descoberta da

 

existência de alguns cabos telefônicos e tubulações de água e gás canalizado que teimam em passar justo embaixo das futuras fundações. Mas isso é apenas um detalhe que certamente será contornado e jamais haverá de empanar o brilho da efeméride.       

Fala-se ainda que para identificar visualmente a missão a logomarca do extinto Programa Fome Zero será reaproveitada com pequenas modificações. A campanha publicitária, paga antecipadamente com recursos da Caixa Econômica e Petrobras, será lançada ainda esse mês com toda pompa e circunstância.     

Não sei se isso é verdade e pra ser sincero creio que isso nem importa muito, já que hoje é primeiro de abril. Se for, não estranho. Histórias mirabolantes não faltam no País do Mensalão. Agora, se tudo não passar de lorota fica apenas mais uma boa estória para a próxima mesa de bar, afinal se a mentira tem pernas curtas, que ao menos sejam bem torneadas.

 

Até semana que vem.

 

Um abraço do

 

Apolônio Lisboa

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais