Um prefeito aliado do governador

0

É emblemático o flagrante fotográfico da felicidade do governador Marcelo Déda, na última quinta-feira, primeiro dia do ano, na posse do prefeito reeleito Edvaldo Nogueira: há exatos 23 anos um governador de Sergipe não empossava um aliado na prefeitura de Aracaju. O último a fazê-lo foi João Alves Filho, em 1º de janeiro de 1986, quando deu posse ao deputado federal Jackson Barreto como primeiro prefeito eleito da capital após o período militar.

Como Jackson é hoje inimigo mortal de João existe a propensão de se achar que eternamente estiveram em lados opostos, mas nem sempre foi assim. Antes, em 30 de maio de 1985, o mesmo João havia empossado o deputado federal José Carlos Teixeira para um curto mandato de sete meses. Teixeira preparou o terreno para a eleição de Jackson e depois brigaram, quando aquele insistiu em lançar-se candidato a governador, teoricamente quebrando a Aliança Democrática entre PMDB e PFL, já comprometida com a candidatura de Antonio Carlos Valadares. Portanto, o PMDB já não apoiava João quando Jackson foi empossado, mas o prefeito eleito manteve-se fiel ao esquema nascido naquele instante de redemocratização do Brasil.

Depois houve a intervenção na Prefeitura, Jackson renunciou ao cargo, o vice-prefeito Viana de Assis assumiu o Palácio Ignácio Barbosa e, ainda naquele ano de 1988, o líder popular elegeu Wellington Paixão, pelo PSB, colocando-o na cadeira que tinha sido dele. Quando Paixão assumiu, em 1989, o governador era Antônio Carlos Valadares, que fora derrotado na eleição com o médico Lauro Maia e, portanto, era adversário do prefeito eleito.

O tempo passa e, em 1992, Jackson Barreto elege-se novamente prefeito, mas não será empossado pelo outra vez governador João Alves Filho. Agora no PDT, o prefeito que fora afastado em 1988 uniu-se a Valadares para derrotar o Acordão firmado dois anos antes para eleger João governador pelo PFL e Albano Franco senador pelo PSDB.

Em 1997, quando o eleito João Augusto Gama toma posse tem no governador Albano Franco não exatamente um adversário, mas também não se pode dizer que era um aliado. Albano apoiou pelo menos formalmente a candidatura de Maria do Carmo Alves no ano anterior, mas ela não chegou nem ao segundo turno. Mais uma vez Jackson saiu-se vitorioso.

Mas em 2000, Jackson foi derrotado. Ele estava novamente ao lado de João Alves apoiando a candidatura a prefeito do senador Antônio Carlos Valadares, já no PSB. Dessa vez ninguém conseguiu deter Marcelo Déda, finalmente eleito prefeito de Aracaju após duas tentativas anteriores, em 1985 e 1988. Déda tomou posse em 2001 no governo do adversário Albano Franco.

Quando se reelegeu em 2004, agora já apoiado por Jackson e Valadares, o prefeito Déda foi empossado no governo do principal adversário, João Alves Filho, que havia retornado ao poder com a eleição de 2002. Em 2006, Déda afastou-se da prefeitura para disputar e vencer o governo do Estado, deixando o vice Edvaldo Nogueira incumbido de dar prosseguimento ao projeto administrativo.

E para, finalmente, dar posse ao aliado que acaba de se reeleger. Fato raro na recentíssima democracia brasileira e que ganha ainda mais simbolismo diante da condição político-ideológica do prefeito, o primeiro comunista a assumir o comando de uma capital brasileira.

Mas e daí, o que significa o governador ter o prefeito aliado na capital? Pelo menos no caso de Aracaju significa a continuidade de um projeto que vem dando certo, segundo demonstram os bons indicadores da qualidade de vida de Aracaju e a opinião pública local. Num momento de crise como o que se vive, é possível que essa aproximação facilite as coisas, ou torne-as menos áridas. Mas o ideal é que a prefeitura mantenha sempre a independência em relação ao governo, sob pena de se transformar numa grande “secretaria” estadual, que recebe as ordens diretamente do governador. Que Edvaldo é um sujeito manso todo mundo sabe e certamente agora, mais do que nunca, já que dono do próprio nariz, diga-se mandato, não será um administrador submisso.

 

Prefeitos e governadores quando na data da posse

Prefeito

Período

Governador

José Carlos Teixeira

1985-1985

João Alves Filho

Jackson Barreto

1986-1988

João Alves Filho

Wellington Paixão

1989-1992

Antônio Carlos Valadares

Jackson Barreto

1992-1994

João Alves Filho

João Augusto Gama

1996-2000

Albano Franco

Marcelo Déda

2000-2006

Albano Franco

Edvaldo Nogueira

2006-

Marcelo Déda

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários