Um racha complica

0

Os integrantes dos partidos aliados ao prefeito de Aracaju, Marcelo Déda (PT), ficaram estremecidos com a decisão do secretário das Finanças, Nilson Lima, em se desincompatibilizar do cargo e da função de auditor da Receita Federal, para colocar o seu nome à disposição do partido, para a disputa pela vaga de vice-prefeito na chapa majoritária em que o atual prefeito tenta a reeleição. As manifestações saíram de segmentos sérios do bloco de oposição ao Governo do Estado e abalou as estruturas de uma composição que estava caminhando nos trilhos, rumo a um consenso no final. Houve um descarrilamento nesse trem que levava Marcelo Déda a uma possível reeleição. Nilson Lima não alterou os seus objetivos e sequer imaginou recuar da decisão. É um dos que defendem, com toda a garra, uma chapa puro sangue (ele não gosta do nome) e está realmente disposto a desembarcar na sala da reunião que acontecerá dia 19 deste mês e pôr sua candidatura para discussão da militância. O presidente regional do Partido dos Trabalhadores, sindicalista Severino Bispo, não escondeu que o seu sonho é ver uma chapa petista disputando a Prefeitura de Aracaju. Como é o dirigente da legenda no Estado, se esmera nas ponderações: “mas sonho é apenas sonho”. É poético, mas não realista, porque as bases partidárias não acompanham a tolerância e compreensão dos líderes: não sonham, querem uma chapa puro sangue. A tendência Articulação de Esquerda, que tem representação forte e influente como a deputada estadual Ana Lúcia, está disposta a brigar para que o Partido dos Trabalhadores tenha uma chapa puro sangue. Chega a exigir que, se o vice não for um membro do PT, o prefeito Marcelo Déda conclua o segundo mandato, na hipótese de ganhar as eleições. Mas o sonho que Déda acalenta é disputar o Governo do Estado em 2006, cujo objetivo se transformou em virose que atacou todos os segmentos que formam a oposição no estado. Um dos membros da tendência Articulação de Esquerda raciocina que o partido não pode ter um candidato majoritário, ganhar as eleições e perder o mandato 16 meses depois. Considera isso simplesmente amador, porque se trata de uma capital de estado e não de uma presidência de diretório estudantil. O fato de Nilson Lima se desincompatibilizar não é novo. Já foi divulgado várias vezes, inclusive em Plenário. As lideranças maiores do PT, que não pretendiam essa crise, deveriam ter se preparado para evitar que acontecesse. A impressão que passa, e não pode deixar de ser assim, é que estava tudo combinado, na cúpula partidária, para acontecer e se concretizar. Há informação de que o prefeito Marcelo Déda está muito abalado com isso, exatamente por receio de que a sociedade imagine, exatamente, que ele estaria por trás do gesto de Nilson. Afinal, trata-se de um dos seus mais eficientes auxiliares, inclusive compadre e amigo, que gozava de certa intimidade. Será muito difícil tirar da cabeça, que Nilson tenha pensado nisso tudo sozinho. O presidente da Petrobrás, José Eduardo Dutra, da altura do seu gabinete, no Rio de Janeiro, não escondeu a chateação quando recebeu a informação. Lógico que um racha agora inviabiliza um dupla petista para disputar as eleições majoritárias de 2006. Evidente que o prefeito Marcelo Déda é um profissional competente e vai usar da força de líder para tranqüilizar a rebelião. Ou coordenará o processo sucessório dentro do partido, como disse em meados do ano passado, ou usará da pressão: se o vice não for de um dos partidos aliados, ele retira a sua pré-candidatura à reeleição e passa a responsabilidade para aqueles que estão em defesa de uma chapa puro-sangue. Aliás, mesmo que Déda consiga dobrar a militância e disputar ao lado de Edvaldo Nogueira (PCdoB), que é o nome que ele já sugeriu ao Diretório Regional, deixará uma pitada de desconfiança entre os aliados, que também estão queixosos no interior. Ontem, um liderança importante do bloco de esquerda, disse que, na disputa pelas Prefeituras de outros municípios, “o PT quando está na frente quer o apoio de todo mundo e tenta impedir outras candidaturas. Mas quando o PT está atrás, não apóia ninguém e procura alternativas para lançar nomes dos seus quadros”. Nilson não abre da candidatura, parte importante da militância quer a chapa puro sangue e o prefeito Marcelo Déda terá que tomar uma das duas decisões: impor o seu nome ao bloco dentro do que pensa essa ala partidária, já que não existe outro nome capaz de ganhar as eleições neste momento. Ou retirar sua candidatura à reeleição e deixar que o partido arque com as conseqüências. É a chamada sinuca de bico, que há muito tempo para se desfazer dela… SEVERINO O presidente regional do Partido dos Trabalhadores, Severino Bispo, disse que todos os filiados da legenda quer chapa puro sangue. Até o pessoal do interior. Ponderou que o debate que o partido terá, em encontro do dia 12, “é que tem de levar em consideração os aliados e suas posições legítimas”. SONHO Severino Bispo admite que o sonho de todo é ter uma chapa pura, “mas sonho é apenas sonho”. Mas todos têm que cair na real. Severino está consciente de que todos têm que tomar uma posição, porque um racha nesse momento só beneficia o governador João Alves Filho (PFL). NATURAL O sindicalista Severino Bispo acha natural que Nilson Lima reivindique a candidatura a vice, porque se trata de um filiado do partido e tem independência para isso. Também acha legítimo que filiados dos demais partidos também lancem candidaturas, mas que no final todo mundo saia unido e sem qualquer arranhão. FINANÇAS Altamirando Dórea assumiu, interinamente, a Secretaria das Finanças do Município, substituindo a Nilson Lima, que se desincompatibilizou. Nilson retornou à Receita Federal, de onde se afasta hoje e mantém o seu nome à disposição do partido para ser candidato a vice-prefeito. ALMEIDA O senador Almeida Lima (PDT) disse que não houve nenhuma reunião para avaliar o nome do vereador Antônio Samarone (PDT) como candidato a prefeito de Aracaju. Acrescentou que há 50% de chances para ser ou não ser candidato e considera que há muita coisa a ser definida e “por que não aguardar que os outros mostrem seus truques antes”. PETROBRAS O senador Almeida Lima diz que continua estranhando o fato da Petrobras está trabalhando com Ong’s: “não podia recuperar o parque da Sementeira diretamente com Prefeitura?” Acha muito estranho que a Ong Colméia, de Salvador, se interesse por uma obra em Aracaju: “Ágora é preciso verificar isso”. REUNIÃO Durante a reunião dos secretários, realizada no hotel fazenda Boa Luz, o governador João Alves Filho fez duríssima críticas à administração do Deso no Governo anterior. Lá se encontrava o engenheiro Gilmar Mendes, presidente do Deso na época e hoje secretário da Educação. HELENO O deputado federal Heleno Silva (PL) tem um ponto de vista no qual todo o processo vai recomeçar se o Partido dos Trabalhadores não recuar. Heleno diz que não tem dúvida que o PT fará isso, porque mostra uma quebra de acordo e provoca desconfiança. O Pl não embarca nessa nova posição. ABALADO O prefeito Marcelo Déda se declarou abalado a um dos aliados. No seu entender, “todo mundo vai pensar que armei tudo isso”. José Eduardo também ficou chateado, porque inviabiliza uma dupla petista para as eleições estaduais de 2006. AMEAÇA Há alguns meses, durante a solenidade de filiação de um vereador, Marcelo Déda declarou que se não coordenasse o processo dentro do partido, sequer seria candidato. O mesmo pessoal que ouviu isso, hoje está cobrando uma posição: “agora é hora de mostrar a liderança dentro do partido, porque os aliados ficaram estremecidos”. ANA LÚCIA A deputada estadual Ana Lucia (PT) informou que a tendência Articulação de Esquerda sempre defendeu que o partido não perdesse a Prefeitura. Os integrantes dessa ala petista acham que o vice deve ser um membro do PT: “ou então o prefeito Marcelo Déda seja reeleito e cumpra os quatro anos de mandato”. FUNHALL O problema do Funhall foi parar na Polícia, depois que as máquinas da Emurb demoliu um jardim que estava sendo feito em frente à casa, que se transformaria em restaurante. O problema foi porque o proprietário da Funhall disse que o pessoal iria lhe pagar, e os policiais interpretaram como ameaça. Na verdade o ato era contra a ação da Emurb. PASCOAL O governador em exercício, desembargador Pascoal Nabuco teve ontem um encontro com a bancada que dá sustentação ao Governo na Assembléia Legislativa. Conversou informalmente com todos eles, como tem feito com os vários amigos que vai visitá-lo. Pascoal ocupou a cadeira, mas não alterou o rumo da administração. Notas AUMENTO O projeto que aumenta o salário dos servidores chega hoje à Assembléia Legislativa e já deve ser aprovado na próxima semana ou posto em votação imediatamente. Ontem, o secretário José Alves Neto explicou os índices do novo salário, que varia de 4% a 65,46% e atinge a todas as classes. O salário básico será de 260 reais – não 166 reais, como era antes – com todas as vantagens incidindo sobre esse valor. Outras categorias terão um aumento linear de 4%. O projeto começa a tramitar logo que chegue à Assembléia. SOLUÇÃO Os deputados Susana Azevedo, Celinha Franco e Augusto Bezerra conseguiram uma vitória para os mutuários do conjunto residencial Fernando Collor. Quem tem até 40 prestações atrasadas, pagarão R$ 50,00. De 41 a 60 prestações, paga R$ 60,00. Quem nunca pagou terá prestação de R$ 70,00. Além de limpar o nome nos órgãos de proteção ao crédito, quem pagar em dia, a cada seis meses terá uma prestação de graça. Também para incentivar o pagamento, os mutuários ganharão brinde valiosos. TUCANOS O PSDB não terá mesmo candidato na sucessão de Marcelo Déda (PT). Como os pefelistas, os tucanos ficam fora da disputa e terão que apoiar um nome para prefeito, mas até o momento não ficou decidido quem seria. Nos bastidores, comenta-se que o tucanato está com uma estrela vermelha no peito. O deputado Ulices Andrade, que é secretário geral do PSDB, não sabe com quem o partido deve se apoiar para a Prefeitura. Sobre chapa proporcional, os tucanos vão apresentar bons nomes à Câmara Municipal, É fogo Até o momento a Emurb não liberou os proprietários do Funhall para construir um jardim em frente ao restaurante. O dono da casa sugere que a Emurb ou libere a obra ou construa a avenida que diz passar em frente. O deputado estadual Garibalde Mendonça (PDT) rasga elogios ao ministro Carlos Britto, pelo seu voto contra o pagamento das taxas pelos inativos. O médico José Augusto Barreto foi homenageado pela Assembléia Legislativa com a comenda da Ordem do Mérito Parlamentar. O deputado estadual Gilmar Carvalho se mantém em silêncio sobre sua candidatura à Prefeitura de Aracaju. Conversando com um parlamentar, disse que está esperando algumas definições para jogar sua candidatura na rua. O Fundo de Participação Estadual sofreu uma queda, este mês, de 34%. Um baque nas finanças do Estado. Os deputados Fabiano Oliveira e Francisco Gualberto vão à Petrobrás para garantir que a empresa comercialize gás para outras empresas. A deputada Ana Lúcia (PT) viaja a Brasília, terça-feira, para participar de um seminário sobre a Educação no Campo. Ana Lucia admite que se trata de um tema sério e que deve ser levado à discussão, porque a população rural tem muito pouco acesso às escolas. Os motoristas de táxis já estão disputando a boa fatia que terá com o Governo alugando esse tipo de transporte pra o seu pessoal. Os analistas de mercado continuam com a aposta de alta da inflação ainda neste ano. O que não é nada bom para o Governo Lula. Por Diógenes Brayner brayner@infonet.com.br

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários