Uma breve reflexão sobre o CBSOFT 2010

0

Gostaria de reproduzir aqui um texto de autoria de meu amigo e colega de trabalho, Marcos Dósea, que é professor do Núcleo de Sistemas de Informação da UFS. O texto possui uma ampla reflexão sobre a infundada distância entre a academia e o mercado de trabalho.

Deleitem-se com a leitura!

 

 

Após ter participado intensivamente do CBSOFT 2010 (http://wiki.dcc.ufba.br/CBSOFT/) me senti na responsabilidade de repassar algumas impressões sobre evento deste ano. O congresso reuniu alguns dos principais simpósios da área de Engenharia de Software e Linguagens de Programação, além de uma série de workshops e fóruns que discutiam temas mais específicos ligados à área. A junção de tantos eventos é uma tentativa de SBC (Sociedade Brasileira de Computação) em divulgar e aumentar a participação da comunidade acadêmica e profissionais da indústria, além de diminuir consideravelmente os custos tanto de organização como dos participantes. O formato foi um sucesso e elogiado por todos.

 

Entre os vários eventos que aconteceram em paralelo gostaria de destacar o track dedicado à indústria. Nele foram apresentados trabalhos que mostravam como o mercado está utilizando e adaptando técnicas e processos de engenharia de sistemas nas suas empresas. O tema principal dos artigos desse ano foi à adoção de metodologias ágeis nas empresas. Os artigos apresentados comprovam o avanço da renovação nas empresas brasileiras, antes tão distantes daquilo que se aprendia e se discutia nas universidades, aplicando com sucesso algumas das melhores práticas de engenharia de software já adotadas e validadas pelas melhores empresas de desenvolvimento de software espalhadas pelo mundo.

 

Outro ponto que gostaria de destacar é a preocupação da academia na aplicação dos resultados encontrados em suas pesquisas na indústria. Uma pergunta recorrente nas apresentações era: “o trabalho foi validado na indústria?”. Não que todos os trabalhos já pudessem ser aplicados imediatamente na indústria, mas mostra uma forte preocupação da academia com que os resultados desses trabalhos tenham iniciativas de utilização prática e não sirvam apenas para “publicação de artigos”. Muito bom ver também que muitos trabalhos foram motivados pela própria indústria que usando incentivos da “Lei de Informática” vêm se aproximando bastante do meio acadêmico, ganhando em inovação e excelentes resultados para ambos os lados.

 

Quanto aos temas mais discutidos na área de Engenharia de Software gostaria de destacar os de “Linhas de Produtos de Software” cada vez mais necessário com a diversificação das configurações de dispositivos onde o software se faz necessário; a utilização de “Métricas de Software” como mecanismos de avaliação da qualidade dos produtos e dos processos utilizados pelas empresas; a utilização da “Arquitetura Orientada à Serviços” (SOA) e da “Programação Orientada à Aspectos” influenciando muitas decisões arquiteturais dos sistemas desenvolvidos; o aprimoramento e utilização das técnicas e ferramentas para execução de “Testes de Software”, como mecanismo efetivo para melhoria da qualidade e a utilização efetiva das “Metodologias Ágeis” fortemente apoiadas por diversas ferramentas apresentadas durante o evento.

 

Entretanto, um evento com tanta riqueza de soluções e novidades, teve uma fraca participação da comunidade de engenheiros de software sergipanos. Não sei exatamente qual foi o problema… divulgação? falta de dinheiro? desinteresse? preconceito com o evento? Certamente perderam uma grande oportunidade de discutir idéias, inovar e estabelecer contatos com profissionais de grandes empresas do país que já perceberam a importância das parcerias entre indústria e universidade.

 

A lei de informática é um dos principais propulsores para alavancar essas parcerias, incentivando as empresas a investir de “forma barata” em inovação. E na sua empresa? Como está o investimento em inovação? Fica aqui o convite para o CBSOFT 2011 (http://www.each.usp.br/cbsoft2011/) e para conhecer um pouco mais dos trabalhos e parcerias que estão sendo desenvolvidos na área de engenharia de software pela Universidade Federal de Sergipe.

 

Para finalizar gostaria de agradecer ao amigo Andrés pelo espaço cedido e parabenizá-lo pela aprovação no Departamento de Sistemas de Informação da UFS. Seja bem-vindo ao time! 😉

 

 

Marcos Dósea

Departamento de Sistemas de Informação

Universidade Federal de Sergipe

dosea@ufs.br

 

 

Dia da inovação

Hoje se comemora o 1º dia da inovação no Brasil. A data é em homenagem ao vôo que o brasileiro Santos Dumont fez no seu 14 Bis em torno da torre Eiffel, em Paris. É uma data realmente bem escolhida.

Hoje não é um dia para ser comemorado, ou para prepararmos uma festa ou ainda para escutar uma palestra sobre inovação. Hoje é um dia de reflexão. É um dia para pensar em como você ou sua empresa pode ser diferente. Estou cansado de escutar teorias sobre inovação. Inovação precisa ser vivenciada, sentida, desejada. A inovação é o verbo querer no futuro do pretérito. Tem que ser, senão alguém fez antes de você.

Um dia alguém me disse que não eram as respostas que traziam nossa evolução, eram as perguntas. Concordo plenamente. São as perguntas que nos fazem pensar. Precisamos ser mais crianças. Já notou como as crianças perguntam o tempo todo? Deveríamos aprender com elas. Elas não têm preconceitos e este o motivo pelo qual perguntam tanto. Há quanto tempo você não se faz perguntas? Há quanto tempo você está acomodado na sua cadeira? Não dá para fazer as mesmas coisas no mesmo jeito sempre. Isso é cansativo, chato, enfadonho. INOVE.

Deveríamos aprender mais com os grandes cheffs de cozinha. Esses caras têm um espírito inovador. Se não fosse por eles todos ainda estaríamos comendo arroz normal ao invés de arroz à piamontese, que, todos nós sabemos, é uma delicia. Inspire-se. Faça perguntas. Pense. Grandes ideias estão à sua espera. E se quiser compartilhe conosco!

 

Regularidade da coluna

 

A coluna anda muito irregular neste últimos meses, mas deve entrar a partir de novembro numa fase mais normal. Espero que consiga um pouco mais de tempo para trazer aos meus 12 leitores notícias do mundo tecnológico e de como ele nos afeta.

 

Nem vou pedir que vocês escrevam para andresmenendez@infonet.com.br. Mas se você for insistente pode mandar. Afinal de contas, a esperança é a última que morre. 🙂

 

 

Até a próxima semana!

 

em tempo: Flamengo aplica goleada espetacular!!! Rumo à libertadores!!!

 

 

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários