UMA NOITE DE BRILHO PARA GARCIA MORENO

0

         Garcia Moreno deve ter ficado radiante, porque a noite do primeiro dia de dezembro

Dois grandes educadores: Garcia Moreno e Acrisio Cruz
último  propiciou um momento ímpar para a boa palavra, que aconteceu repleta de depoimentos memoráveis, relembrando com reverência e alegria a sua vida e obra. Foram doze pronunciamentos, sendo quatro oficiais, programados e os demais feitos  de forma espontânea, a partir do momento em que o presidente da sessão, acadêmico Fedro Portugal, numa atitude temerária segundo alguns, franqueou a palavra.

          E se os leitores pensaram que tantos pronunciamentos tornaram a reunião cansativa, cometeram um engano desmedido. A sessão conjunta das Academias de Medicina e de Letras, ocorrida em 1º de dezembro, irradiou alegria e produziu belíssimos pronunciamentos, na celebração do centenário de nascimento do saudoso médico, professor e escritor João Baptista Perez Garcia Moreno, nascido em 12 de dezembro de 1010 e falecido em 22 de outubro de 1976, com 65 anos. No seu sepultamento, na cidade de Laranjeiras, Luiz Antonio Barreto, um dos oradores, representando o Instituto Histórico e Geográfico de Sergipe, do qual Garcia foi presidente, assim se expressou: “Mais uma vez, interferimos no tempo do viver, para falar da morte. De repente eis que a surpresa salta aos olhos, assalta a alma, roubando um amigo, um mestre, um homem bom. O dia enruga as suas claridades e a paisagem da cidade perde a graça. Volta à terra de Laranjeiras aquele que em vida foi chamado João Batista Perez Garcia Moreno, descendente do notável padre Daltro, do Lagarto. E Laranjeiras triste, com seu casario enlutado pela derrota do tempo, deixa abrir seu chão pródigo para em silêncio guardar o corpo sem vida, do seu filho ilustre”.

          De forma elegante, o presidente da Academia de Medicina Fedro Portugal, ao abrir a sessão referida, transferiu o comando da solenidade para o presidente da Academia Sergipana de Letras, José Anderson Nascimento, que agradeceu a deferência e, após breve locução, devolveu o comando da mesma para o confrade do sodalício co-irmão.

         Finda a execução do Hino Nacional, o acadêmico José Augusto Soares Barreto saudou oficialmente, em nome de seus pares de ambas as casas, o Dr. Garcia Moreno. Num discurso consistente e seguro, Barreto discorreu sobre aspectos da vida do homenageado, com a autoridade de quem conviveu ao lado do saudoso esculápio, notadamente nos primeiros anos da Faculdade de Medicina de Sergipe, da qual eram entusiastas.

        A Faculdade de Medicina, segundo José Augusto Barreto, foi o acontecimento mais importante da Medicina de Sergipe e teve em dois “garcias”, curiosamente, suas maiores representações: Garcia, o Moreno, como um dos idealizadores da escola médica no início da década de 50 e o outro Garcia, o Antonio, como seu fundador de fato, no início dos anos sessenta.

        Voltando à solenidade, emocionou a todos os presentes o pronunciamento da filha Cândida Garcia Moreno Pontes, que reside em João Pessoa, o discurso do neto João Baptista Perez Garcia Moreno, filho de Cândida e que exerce a magistratura em Salvador, e a singela manifestação da jovem Beatriz do Nascimento Garcia Moreno, bisneta do autor dos livros “Cajueiro dos Papagaios”, “Letras Vencidas” e “Doce Província”.

       Aproveitando a deferência do presidente Fedro Portugal em franquear a palavra, os acadêmicos Petrônio Gomes, José Hamilton Maciel Silva, Antonio Samarone, Elizabete Tavares, Raimundo Sotero e mais o intelectual e professor Odilon Cabral Machado, fizeram seus pronunciamentos, bem como outras pessoas da família, todos mostrando aspectos nobres e pitorescos da vida de Dr. Garcia Moreno, médico que dignificou a medicina de Sergipe.

      A solenidade foi encerrada com a execução do Hino de Sergipe, ilustrada com fotos do Dr. Garcia Moreno e cenas da vida médica sergipana nos séculos XIX e XX. Uma noite para ficar na história da Medicina e da Cultura sergipanas.

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários