Usura derrotada

0

Os gananciosos donos dos shoppings Riomar e Jardins sofreram ontem mais uma derrota judicial. A 2ª Câmara Civil do Tribunal de Justiça de Sergipe rejeitou Agravo do Instrumento contra decisão anterior estipulando a cobrança de R$ 1 e R$ 0,50 (carro e moto) por quatro horas de estacionamento naqueles centros comerciais. Os desembargadores entenderam que cobrar R$ 4 por hora, como pretendem os shoppings, é um abuso, pois fere o Código de Defesa dos Consumidores. É claro que os empresários vão recorrer contra a decisão. Espera-se que a Justiça continue nocauteando a usura de quem só tem olhos para o bolso do consumidor.

Ninharia

O prefeito de Aracaju, João Alves Filho (DEM), anunciou um irrisório repasse de 5% para os salários dos servidores municipais. Diferente do que alardeou a assessoria do demista, essa ninharia não pode ser chamada de aumento salarial, pois ficou bem abaixo da inflação do período. O Índice Geral de Preços, por exemplo, variou em 7,45% nos últimos 12 meses.

Avionando

E quem vai ao exterior na próxima semana é o vice-governador Jackson Barreto (PMDB). Ele representará Sergipe na missão organizada pela Sudene para tentar atrair investimentos na Espanha e no Catar. O peemedebista levará como assessor o secretário de Desenvolvimento Energético da Casa Civil, Oliveira Júnior.

Sem queixa

O presidente nacional do PSD, Gilberto Kassab, está satisfeito com os dirigentes do partido em Sergipe. Pelo menos foi o que ele garantiu ontem ao presidente estadual da legenda, deputado Jeferson Andrade. O PSD sergipano foi organizado pelo governador Marcelo Déda (PT) e já definiu apoio à reeleição da presidente Dilma Rousseff (PT).

Pré-Caju

Caso a Justiça impeça a realização da próxima edição do Pré-Caju na avenida Beira Mar, em Aracaju, a prévia carnavalesca já tem para onde ir. Ontem, o prefeito de Socorro, Fábio Henrique (PDT), disse que receberá a festa de braços abertos e organizará um local bonito e seguro para a galera correr atrás dos trios elétricos. Resta saber se os organizadores desejam mudar de endereço.

Puxão de orelha

O prefeito João Alves Filho mandou ontem uma indireta para alguns de seus auxiliares que não fazem outra coisa senão reclamar de como encontraram a Prefeitura de Aracaju. Questionado sobre as dívidas herdadas da administração anterior, o demista disse não ter visão de passado: “Quem olha pra trás é retrovisor”, afirmou. Tomara que a partir desse puxão de orelha os secretários municipais comecem a olhar pra frente.

Vigília

O MST promove hoje uma mobilização em Sergipe como parte da Jornada Nacional de Luta pela Reforma Agrária e em Memória do Massacre de Eldorado dos Carajás. Durante o ato, os trabalhadores sem terra vão defender mais investimentos públicos em habitação rural, educação, saúde e crédito agrícola e denunciar a impunidade da violência praticada contra a classe trabalhadora.

Cultura

O Espaço Cultural da Assembleia Legislativa de Sergipe presta homenagem ao artista plástico Joubert Moraes. A abertura da exposição das obras do homenageado acontecerá na próxima terça-feira e contará com show musical e relançamento do livro 'Aracajoubert', de autoria de Mário Britto. Prestigie!

Lixo

O aterro sanitário da empresa Estre não está qualificado para receber os resíduos sólidos de Aracaju e Socorro. Quem garante é a vereadora aracajuana Lucimara Passos (PC do B). Segundo ela, o aterro localizado no município sergipano de Rosário do Catete não possui usina de reciclagem, centro de triagem e estação de tratamento de chorume. Será?

Essa é do baú

Processado por agressão física a um preso na periferia de Aracaju, o policial civil Valter Lopes, o ‘Saia Justa’, foi indagado pelo juiz de direito Lauro Pacheco se tinha algum vulgo. O embaraço do acusado levou o magistrado a esclarecer: “Vulgo é alcunha, apelido”. A explicação deixou o agente público encabulado: “Mas doutor, quem tem isso é marginal”. A partir de então, ‘Saia Justa’ – morto a tiros na década de 80 – passou a fazer a mesma pergunta aos foras da lei. Quando o mequetrefe não sabia responder, caia no cacete “para deixar de ser ignorante. Onde já se viu um bandido não saber que vulgo é a mesma coisa que apelido”. Certo dia, ao botar as mãos num vigarista, o famoso policial tascou a tradicional pergunta e se surpreendeu com a resposta: “Nasci Eurípedes, mas todos me chamam de ‘Ligeirinho’”. Desconsertado com a rapidez da resposta, Valter Lopes indagou ao profissional de 171: “Oxente, e você também já foi julgado pelo doutor Lauro Macheco?”.

Resumo dos jornais

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais