Vaga da discórdia

0

Se empossar o suplente Gilmar Carvalho (PR) na vaga que será aberta com o afastamento do deputado estadual Zeca da Silva (PSC), a nova Mesa Diretora da Assembléia enfrentará seu primeiro imbróglio jurídico. É que, provavelmente, o suplente do PSC, Vitor Mandarino, moverá ação para fazer cumprir recente decisão liminar do Supremo Tribunal Federal, estabelecendo que o deputado afastado deve ser substituído pelo suplente do partido, e não da coligação. Mas e se Mandarino resolver não reclamar seu direito? Mesmo se isso acontecer, o que é pouco provável, o Ministério Público Eleitoral (MPE) poderá reclamar o cumprimento da liminar. Ouvido pelo Blog, o procurador regional eleitoral Ruy Nestor Bastos Mello disse que “a Procuradoria entende que há sim legitimidade do MPE para propositura de eventual medida judicial, como defensor geral do regime democrático, e também do partido político que se sentir prejudicado, no caso o PSC”. Alguém ainda duvida que a possível posse de Gilmar terminará nas barras da Justiça?

 

Casa cheia

 

O plenário e as galerias da Assembléia foram pequenos para o grande público que prestigiou ontem a solenidade de posse dos 24 novos deputados estaduais. Quem se atrasou não conseguiu nem ingressar no prédio do Legislativo, enquanto as autoridades disputaram espaços para assistir a festa democrática. O público só diminuiu quando terminou o ato de posse e começou a eleição da Mesa Diretora. Como havia consenso entre a chapa encabeçada pela deputada Angélica Guimarães (PSC), abriu-se mão do voto individual, tendo a presidente, o vice e os quatro secretários sido eleitos por aclamação.

 

Maioria folgada

 

Durante a posse dos 24 deputados estaduais, o governador Marcelo Déda (PT) não escondia a satisfação por contar com o apoio da ampla maioria do Legislativo. “É com satisfação e alegria que verificamos que a sustentação parlamentar do Governo está garantida. A maioria foi mantida pelo voto popular, quando elegeu o maior número dos parlamentares dentre aqueles que integravam a nossa coligação”, discursou. Déda enfatizou ainda que tal sustentação não deverá ser acrítica. Aguardemos, portanto!

 

Ipesaúde

 

São cada vez mais fortes nos corredores do Palácio do Governo os comentários que a presidência do Ipesaúde será ocupada por uma mulher. O nome mais citado ultimamente é o de Cristiane Andrade, que vem a ser esposa de Kaká Andrade, 2º suplente do senador Eduardo Amorim (PSC). Seja quem for indicado para presidir o Instituto, encontrará uma Casa organizada e ágil, fruto do trabalho desenvolvido nos últimos quatro anos pelo dinâmico presidente Vinicius Barbosa de Melo, demais diretores e os servidores do Ipesaúde.

 

Fora da escola

 

Cerca de 15% da população de 18 a 24 anos faz parte de um grupo que nem estuda nem trabalha. Um estudo do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep) mostra que as mulheres são mais afetadas por esse problema, muitas vezes em função da maternidade e do casamento. Entre os jovens fora da escola e do mercado de trabalho, 75% são mulheres. Uma em cada quatro jovens nessa situação tinha filhos, e quase metade delas (43,5%) era casada em 2008.

 

DEMolindo-se

 

Apesar dos desmentidos, são grandes as possibilidades de vários políticos deixarem o DEM sergipano em breve. Em sua coluna no Jornal do Dia, a colega Rita Oliveira revela que o Partido do Desenvolvimento Nacional (PDN), que está sendo criado pelo empresário Edvan Amorim, deve atrair os demistas Augusto Bezerra, Pedrinho Valadares e Vinícius Porto. Ainda segundo Rita, o ex-deputado federal José Carlos Machado já arrumou as malas para ingressar no PSDB, estando esperando apenas que o empresário Adierson Monteiro assuma o comando dos tucanos no Estado.

 

Homem, vôte!

 

O programa esportivo da rádio Jornal/AM pegou fogo ontem, após uma intervenção do deputado estadual Venâncio Fonseca (PP). O presidente da Federação Sergipana de Futebol, Carivaldo Souza, concedia entrevista quando o pepista quis saber o destino dos R$ 4 milhões repassados pelo governo estadual para a entidade. Carivaldo foi curto e grosso: “Eu não respondo a um moloque”. Foi o bastante para Fonseca afirmar que o dirigente desportista se apropriou da ‘grana’ para aumentar o patrimônio pessoal. Valei-me!!!

 

Volta ao batente

 

Os vereadores de Aracaju retomam os trabalhos legislativos no próximo dia 15. Segundo o presidente da Casa, Emmanuel Nascimento (PT), entre os projetos importantes a serem discutidos e votados pelos parlamentares está o Plano Diretor da capital. “Trabalharemos junto com o povo, realizando audiências públicas, e ainda iremos nos organizar para que todos os dias, no turno da tarde, ocorram sessões especiais sobre o Plano Diretor, que é de grande importância para Aracaju e os seus moradores”, informa Emmanuel.

 

Rainha do Mar

 

Festeja-se nesta quarta-feira Iemanjá, que, para os seguidores de religiões afro-brasileiras, é a Rainha do Mar. Na Umbanda, é considerada a divindade do mar, além de ser a deusa padroeira dos náufragos, mãe de todas as cabeças humanas. Existe um sincretismo entre a santa católica Nossa Senhora dos Navegantes e Iemanjá. Em alguns momentos, inclusive, festas em homenagem às duas se fundem. Yalodô Iemanjá Odoiyá!

 

Do baú político

 

No início dos anos 80, a amizade entre um preso e um delegado causou forte irritação no então governador de Sergipe, Augusto Franco. Depois de fazer “cavalo de pau” com um chevette na parte interna do terminal rodoviário José Rollemberg Leite, em Aracaju, o astrólogo Souza Filho foi preso e levado para a 3ª Delegacia, que tinha como titular o experiente Clélio Lins Batista, seu amigo e compadre. A amizade entre os dois rendeu ao preso certas regalias, entre as quais o direito de ficar em sala livre. Com sua conversa de ‘171’, Souza decidiu ajudar o compadre e, na ausência deste, praticamente respondia pelos trabalhos da delegacia, resolvendo pequenos casos, como brigas de vizinhos e de marido e mulher. O assunto ganhou as páginas do Jornal da Cidade, que estampou na 1ª página: ‘Preso dá uma de delegado’. Ao ler a manchete, o governador Augusto Franco exonerou Clélio e exigiu que seu substituto colocasse Souza Filho no seu devido lugar: o xadrez. Revoltado com a decisão, o astrólogo desabafou: “A gente tenta ajudar e veja o que acontece, é colocado num lugar mais sujo do que a casa do meu cachorro”. Não adiantou o protesto. O preso só deixou a cela coletiva quando seu advogado conseguiu o relaxamento da prisão.

 

Resumo dos jornais

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais