Vai trabalhar

0

O prefeito Marcelo Déda (PT) revelou que não pretende pautar a sua vida, a partir de agora, por denuncias feitas pelo senador José Almeida Lima (PDT). Diz que adotou todas as providências em relação às denuncias formuladas e deu explicações à sociedade: “o que não posso é deixar de trabalhar só para ficar prestando atenção ao que diz o senador”. Na realidade, depois da primeira denuncia, outros fatos estão surgindo, através do vereador Antônio Samarone (PDT), que sempre teve livre acesso aos corredores da Prefeitura de Aracaju, principalmente à Secretaria Municipal da Saúde, cujo sonho era ser o seu titular. Marcelo Déda viajou a Belo Horizonte, Rio de Janeiro e Brasília para cuidar de coisas da administração. Segunda-feira passada teve um longo encontro com o coordenador da bancada federal, para emendas do orçamento, deputado José Carlos Machado. Há toda uma preparação para que Aracaju apresente suas emendas. Déda pensa em duas emendas importantes, mas quer checar com o Governo sobre a disposição financeira das suas pretensões, para que não haja duplicidade e a capital saia ganhando em termos de recursos. Tudo isso, entretanto, será combinado com os deputados e senador que o apóiam no Congresso Nacional, para que, no final, haja um entendimento da bancada em torno das emendas que servem a Sergipe. O grande problema é que só ontem foi definido o prazo para apresentação das emendas. Quanto ás denuncias do senador Almeida Lima e o fato do prefeito Marcelo Déda procurar realizar o seu trabalho, e não passar todo o tempo preocupado em mostrar que na sua administração não existe irregularidades, é outro problema. A sociedade hoje está muito exigente em relação aos administradores. Fica atenta aos desmandos e irresponsabilidades de políticos que estão à frente de Prefeituras e Governos. Já não é tão acomodada e até procura participar de movimentos que se fazem contra atos que mexem com seus interesses. Embora Déda tente fingir indiferença, não pode deixar de lado a austeridade, porque isso sempre foi a griffe que o Partido dos Trabalhadores divulgou para um eleitorado que nunca o experimentou. Se os fatos apurados revelam o mínimo de suspeitas, têm que tomar uma providência, porque, caso contrário, vai cair na vala comum. Tudo tem que ser muito transparente, bem explicado e sem deixar qualquer tipo de dúvida. A sociedade não está em sintonia com indícios de corrupção e pode agir diferente com o partido nas próximas eleições. A política em Sergipe ainda se comporta como uma torcida organizada de time de futebol: mantém o eleitorado atrelado a nomes que sempre estiveram na crista da onda do poder no Estado. A formação de um terceiro bloco é praticamente impossível. Quem romper com as estruturas que sempre alternaram o comando maior terá muita dificuldade de encontrar o caminho do sucesso. Vive-se hoje o início da campanha eleitoral de 2004 e, lógico, que o objetivo é desqualificar o adversário. Seja com denuncias graves, que põe em dúvida um trabalho administrativo, seja através da desconfiança de como o denunciante construiu seu patrimônio. As denuncias estão sendo feitas. A opinião pública assistindo a tudo entre frustrada e triste, mas em dúvida quanto à credibilidade. Marcelo Déda pode até ignorar o que se está dizendo da administração. Mas, se não tomar uma providência, certamente verá um comboio de carroças, cheias de galhos e gramas, desfilando no dias das eleições municipais, como aconteceu com os colchões velhos no pleito estadual de 2002. As eleições de 2004 não serão um passeio como está pensando a situação, embora o prefeito Marcelo Déda ainda se mantenha na liderança das pesquisas e merecendo a confiança do povo. EDUCAÇÃO O secretário da Educação, Marcos Prado, disse ontem que os cargos de confiança são do governador e a demissão ou não depende dele. “Como a Educação é cobiçada, por ser importante, tudo pode acontecer”, disse. Explicou, entretanto, que quanto aos recursos federais da Secretaria, está tudo em ordem: “estamos rigorosamente em dia, inclusive com o Fundef”. PROJETO Marcos Prado anunciou que só agora está recebendo repasses para o projeto Sergipe Cidadão, que visa a alfabetização, “o que não havíamos recebido até hoje”. O secretário explicou, também, que quando há uma queda na receita do Estado, reflete muito na Educação. ATENÇÃO Um parlamentar disse, ontem, que o governador João Alves Filho puxou as orelhas de alguns auxiliares. Por não atender bem aos políticos. Explicou que ele não fez um simples pedido, como disse a coluna, mas exigiu um tratamento diferenciado às lideranças políticas. PRÊMIO A delegada Meire Belfort, indicada na fuga de Floro Calheiros, foi premiada pela Secretaria de Segurança Pública: vai para a Delegacia de Menores. Cuidará de meninos e meninas. Com o currículo que a delegada tem, a SSP não poderia ter escolhido um nome melhor. TRABALHO Está havendo um trabalho muito silencioso para que a Polícia recapture o fugitivo Floro Calheiros. Pode acontecer a qualquer momento. A informação é que existe um entendimento para que Floro se entregue, mas fique detido em outro Estado. Alagoas ou Bahia, por exemplo. CONFIRMA A delegada Meire Belfort confirmou, ontem, na CPI da Pistolagem, em Brasília, um plano arquitetado pelo secretário Luiz Mendonça, da Segurança, para assassinar Floro Calheiros por envenenamento. Ela disse que teve duas reuniões com Mendonça: a primeira em um restaurante na praia de Atalaia. A segunda no gabinete de Luiz, com a presença da superintendente Teonice. MENDONÇA O deputado federal Mendonça Prado (PFL) pediu que fosse feita uma investigação criteriosa, para se chegar à realidade dos fatos. Jackson Barreto (PTB) disse que ia sair com ânsias de vômito, porque nunca tinha visto, tão de perto, “uma podridão dessas”. FONTES O deputado federal João Fontes (PT) reconheceu que os depoimentos foram estarrecedores e surpreenderam aos parlamentares. O parlamentar admitiu que é preciso um trabalho mais profundo na Polícia sergipana, para que se retome a credibilidade na Segurança. GILMAR O deputado federal Gilmar Carvalho considerou que a Segurança no Estado é insustentável e pediu providências imediatas. Acrescentou que se soubesse que Luiz Mendonça tinha esse comportamento, não teria defendido sua permanência no cargo. QUADRILHAS O Governo do Estado tem como meta profissionalizar as quadrilhas juninas, como aconteceu com as escolas de samba no Rio de Janeiro. Isso passa pela cobrança de ingresso nos ensaios das quadrilhas, para que os grupos tenham recursos para roupas e viagens. REDUÇÃO O governador João Alves Filho (PFL) vem mantendo reuniões constantes com secretários da área econômica e está pedindo mais redução de gastos. A partir deste mês alguma coisa deve ser cortada, inclusive para evitar demissões no Estado, o que seria muito ruim para o Governo. CELULARES Um auxiliar do Governo está sugerindo que o Estado corte os telefones celulares à disposição de muitos assessores. Pede também que seja revisto o número de carros locados existentes no Estado: “há um excesso grande”, disse. EMENDAS O deputado José Carlos Machado (PFL) disse ontem que o prazo para apresentação de emendas para o orçamento vai de hoje até o dia 14. Machado, que coordena a bancada, vai conversar, amanhã, com os senadores Almeida Lima, Maria do Carmo e Antônio Carlos Valadares. Notas PREVIDÊNCIA O Superior Tribunal de Justiça (STJ) julgou procedente a ação que suspende o pagamento de contribuição previdenciária por deputados, senadores, prefeitos e governadores. Reconheceu que esse pessoal tem mandato de quatro ou oito anos e não se aposentam pela Previdência, inclusive porque recolhem para outros institutos. Cabe agora às Prefeituras Municipais, Câmeras e Assembléia requerem a devolução de tudo o que foi pago a Previdência Social, recolhido do salário de cada um parlamentar, durante vários anos. REUNIÃO As associações dos prefeitos de Sergipe vão reunir todos os associados, para que entrem com recurso, na Justiça, pedindo a devolução de todo o dinheiro que foi recolhido para a Previdência Social, tendo como base a determinação do STJ. As Prefeituras recolhem dos prefeitos e dos vice-prefeitos. O prefeito de Poço Verde, Jonas Dias, saiu na frente e já entrou com pedido de devolução da contribuição feita à Previdência Social. Há informação que a Prefeitura já deixará de recolher a partir deste mês. PROCESSO Sobre o caso da Previdência Social, haverá um outro processo: prefeitos e vices-prefeitos vão requerer, com correção, todo o dinheiro que foi recolhido indevidamente dos seus salários, durante o período que estiveram em seus mandatos. Isso pode gerar um problema de caixa muito grande para a Previdência. A mesma exigência podem fazer os deputados e senadores, porque também têm recolhimento do INSS. Será um montante de recursos acima das condições da Previdência. O Governo Federal certamente vai entrar no caso. É fogo O secretário de Turismo, Pedrinho Valadares (PFL), tem convidado o prefeito Marcelo Déda (PT) para várias atividades políticas. Entende que Aracaju é essencial para o incremento turístico do Estado. Apesar de partidos diferentes, o prefeito Marcelo Déda e o secretário Pedrinho Valadares mantém um bom relacionamento pessoal. O prefeito Marcelo Déda não mistura política com amizades pessoas. Ele é amigo do deputado federal José Carlos Machado (PFL) A deputada Ana Lúcia apresentou projeto que valoriza os jornalistas. As instituições só podem contratar assessores que sejam profissionais da comunicação. O deputado estadual Mardoqueu Bodano (PL) prevê que os condutores de motocicletas utilizem capacetes sem películas ou qualquer material que escureçam a visibilidade dos condutores. O deputado Mardoqueu Bodano justifica dizendo que a maioria dos assaltos rápidos acontece com motoqueiros que escondem os olhos. A deputada Lila Moura pede que o Governo determine o asfaltamento da estrada entre Umbaúba e Indiaroba, para facilitar o escoamento da produção agrícola. O ex-governador Albano Franco (PSDB) está visitando aliados políticos no interior, mas evita declarações públicas. Só o fará depois de janeiro. A deputada estadual Susana Azevedo (PPS) está trabalhando intensamente como candidata à Prefeitura de Aracaju. O deputado João Fontes (PT) vai apresentar requerimento para que os delegados Marcos Passos e Arquimedes sejam ouvidos pela CPI da pistolagem da Câmara Federal. A deputada Maria Mendonça (PSDB) é a candidata da oposição em Itabaiana, com o apoio do grupo liderado pelo pai, Chico de Miguel. A prefeita de Canindé do São Francisco, Rosa Feitosa, ainda mantém uma boa dianteira nas pesquisas realizadas naquela cidade. É candidata à reeleição. Os governadores não têm muita esperança de conseguir grandes mudanças na reforma Tributária que tramita no Senado. Por Diógenes Brayner brayner@infonet.com.br

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários