Valorização da base policial

0

“Não se faz política de Segurança Pública, sem valorização da base policial”. Esse é o título do artigo recebido por esta coluna escrito por Adriano Sobral de Azevedo, Agente de Polícia de Segunda Classe reproduzido na integra abaixo:

  Gostaria de aproveitar este importante espaço, para me pronunciar a respeito da Insegurança pública instalada em nosso Estado que felizmente fora Libertado pelos votos da população, que enfim deu chance à mudança mesmo que ainda não tenha ocorrido de maneira evidente, acredito na sua consolidação. Apesar de fazer parte dos quadros da SSP, não me considero um profissional de Segurança Pública, como muitos afirmam com tanta pompa, pois ainda não vislumbrei, profissionalismo algum na sua condução, já que a base policial, “agentes e escrivãos de polícia civil” não são valorizados, a exemplo dos baixos salários, desrespeito, as perseguições sofridas por agentes de polícia no âmbito de sua corregedoria, que na grande maioria das vezes só apura procedimentos contra agentes de polícia, até envolvendo situações pífias, como a que eu vivi quando me neguei a transportar alunos do curso de formação de delegados de polícia, fato este veiculado pelo valoroso colunista, que vem contribuindo e muito com a classe policial civil deste estado, e que  aproveito o espaço para tomar a liberdade de agradecê-lo em nome de todos os policiais civis, pois para um homem que nunca se furtou de suas obrigações, isto representa uma ferida que corroí a integridade moral de quem sabe que é digno de fazer parte desta instituição, muitos dizem que para melhorar a segurança, é preciso investir no aparato policial, a exemplo de reformas em delegacias, armamentos, viaturas e etc. Não posso deixar de concordar com tais investimentos, porém com a pouca experiência policial que tenho posso afirmar que se não houver antes uma valorização do homem que representa a base da polícia e que combate na linha de frente nada disso contribuirá para a melhoria da segurança pública no Brasil, que devo ser justo não é uma problemática exclusiva do estado de Sergipe. O que é pior, todos nós sabemos disso, principalmente as autoridades que conduzem essa desastrosa política de segurança pública e, no entanto nada é feito.

Vislumbro sim, a esperança em dois homens capazes de conduzi-la, e que infelizmente se mancomunaram, com as forças do mal travestidas de anjos do bem, que apostam no mais famigerado fracasso desta nova representação política que ai se instalou. E porque não dizer representantes da classe trabalhadora? e que está cheia de boas intenções, mas parece que não tem noção dos laços negativos que ataram.

Acredito que a humildade e a sinceridade do Governador, já demonstrada por diversas vezes nos anais da política sergipana, juntamente com a experiência e dedicação do então Secretário de Segurança Pública, não são suficientes para vencer as forças do mal, que espalham uma doença infecciosa que se alastra por todos os setores da SSP, inviabilizando a execução de um plano de segurança pública, digno da confiança depositada por cada cidadão no atual governo, inclusive de nós policiais civis e militares, que iludidos tentam a todo custo dentro das nossas possibilidades e do que nos é ofertado combater a criminalidade, evitando assim que a instituição se transforme num paciente terminal. Sabemos que os atuais índices de violência constantemente veiculados pela imprensa nunca fizeram parte da história da SSP, que sofre até hoje os desmandos de algumas autoridades, ingerência política e principalmente a falta de probidade na condução da máquina administrativa pelos governos de outrora, e que desgraçadamente ainda permanecem no poder, assistindo de camarote a uma crise institucional construída por eles próprios, fazendo suas apostas na política de quanto pior, melhor. Será que é esta a democracia que queremos? 

Nesta batalha, contra a insegurança, digna das páginas de “Sun Tzu: “A Arte da guerra e do gerenciamento” está faltando do atual governo uma atitude simples, buscar na coragem, o antídoto deste veneno que já reflete na população que anseia por um Estado seguro. Nas palavras do citado best-seller, coragem significa “A capacidade de tomar decisões audaciosas e assumir o risco quando necessário.” Continuando com passagens da obra: “Em determinados momentos, isso poderá significar o desempenho do papel exemplar e não ter medo de arriscar a si mesmo em prol da decisão correta. “Além disso, ao encarar a derrota, deve ser corajoso o suficiente para admitir o fracasso e aceitar plena responsabilidade. Infelizmente, a tentação comum de muitos dirigentes é a de procurar um bode expiatório quando as coisas não saem tão bem”.

Posso me utilizar de outra importante obra mundial, que todo governante deveria ler, “O Príncipe “ de Maquiavel, onde existe uma passagem comentada por Napoleão Bonaparte que diz: “O desejo da conquista é algo muito natural e comum; aqueles que obtêm êxito na conquista são sempre louvados, e jamais censurados; os que não têm condições de conquistar, mas querem fazê-lo a qualquer custo, cometem um erro que merece ser recriminado”. Será que poderíamos utilizar tal exemplo na política atual?

No entanto esta mudança também depende de nós, não vamos nos acovardar, perante os Doutores delegados de polícia, como eles mesmos gostam de ser chamados, será que não basta usar o “doutor” entre eles?  Quando será que vão entender que “doutor” não é pronome de tratamento e sim título acadêmico? Será que é tão difícil para eles compreenderem que a Academia de polícia não dá título de doutor a ninguém? E o que falar do abismo salarial? Não vou nem tocar no assunto, pois um homem movido pela raiva não pensa se deteriora, mas saibam que virei alquimista e estou conseguindo transformar a raiva em motivação para lutar por uma causa justa e que só será possível com a união de toda a sociedade, inclusive de nós policiais para cobrarmos soluções das autoridades que nos representam, uma polícia de excelência, que nos valorize como policiais e principalmente como cidadãos e que possamos voltar todos os dias para as nossas casas com o sentimento do dever cumprido e ter orgulho de dizer “sou policial civil do Estado de Sergipe”.

 

 

Perguntas sobre a Polícia Militar

E-mail recebido:Caro Jornalista, sou leitor de sua coluna e admirador de sua postura enquanto profissional da área de comunicação. Como sugestão para o debate, gostaria que fosse questionado a quem de direito:  Por que a Polícia Militar precisa ter tantos níveis hierárquicos e até os médicos precisam ser “Oficiais Médicos”?  Por que o quartel central da PM em Aracaju está sempre abarrotado de Oficiais exercendo  funções burocráticas, (até mesmo o de assessor de comunicação é um Coronel) enquanto as ruas estão entregues aos marginais? Por que  só militares de baixa patente fazem ronda diurna e noturna?  Por que é tão raro, raríssimo, se ter notícia de que um oficial graduado da PM participou de uma efetiva ação de combate ao crime (combate de verdade). Quando soubermos as respostas para estas indagações singelas, e outras tantas que não citarei agora para não ser cansativo, talvez tenhamos descoberto um caminho para começar uma mudança (para melhor) em nossa segurança pública”.

 

PCdoB apoiará João Aragão em Monte Alegre

O Presidente Municipal do PCdoB de Monte Alegre de Sergipe, jornalista Geyvson Correia participou nos dias 05 e 06 deste mês do curso estadual de Formação Política realizado pelo Comitê Estadual no Sindiprev. “No curso confirmou a política de ousadia e audácia que o partido têm que tomar nas eleições de 2008, onde lançará candidatura própria nas principais cidades do país”. Em Monte Alegre o partido terá candidatos a vereadores e têm uma tendência de apoiar a reeleição do prefeito João Aragão, PTB. Segundo o presidente o PCdoB vem se aproximando principalmente da juventude, sindicatos e da população carente do município que terá um papel fundamental nas eleições municipais de 2008.

 

Leitor quer Esmeraldo como candidato em Simão Dias

“Venho através deste e-mail, escrever um pouco da política de Simão Dias. Pois bem, o quadro hoje é que o PT local tem o nome que representa mudanças no nosso município, que é o jovem Esmeraldo Leal. Este rapaz é filiado ao PT e vice-presidente do partido, como também da direção estadual do MST. A sociedade já começa a comentar se o governador Déda der o apoio a este jovem com certeza Simão Dias terá um prefeito do PT que ficará na história política do município”.

 

Ofício do Sindifisco enviado ao governador I

Ofício enviado ontem pelo presidente do Sindifisco, José Alberto Garcez de Carvalho ao governador Marcelo Déda: “Como é do conhecimento de Vossa Excelência, o Governo Federal reforçou o quadro dos Auditores Fiscais da Receita Federal com o aproveitamento de diversos funcionários públicos que atuaram como Fiscais da extinta SUNAB. Os Governos dos Estados de Santa Catarina, Ceará, e Rio Grande do Sul, instituíram a unificação dos cargos do fisco, seguindo as diretrizes dos planos de carreira dos Estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Alagoas e outros, objetivando o fortalecimento da máquina arrecadadora Estadual, conseqüentemente tornando-se mais eficaz no combate a sonegação fiscal. O plano de carreira do Fisco do Estado de Sergipe, foi elaborado pelo escritório Brittos & Associados, tomando como base legal à jurisprudência firmada pelo  – Supremo Tribunal Federal STF. A própria Carta Magna, especificamente no § 3º do seu art. 41, que permite o aproveitamento de servidores decorrente da extinção do cargo”.

 

Ofício do Sindifisco enviado ao governador II

Continua o ofício:O quadro do Fisco de Sergipe é composto por profissionais concursados, especializados na área fiscal, com vários instrutores e docentes em matérias tributárias, lecionando para diversas categorias profissionais a exemplo de contadores, empresários, assim como, para Auditores Técnicos de Tributos II, com ou sem o nível superior. Labora-se incansavelmente, no desempenho das funções tributárias, combatendo a evasão fiscal.Não há razões objetivas para a não aceitação da unificação do quadro do fisco de Sergipe por parte do SINDAT (Auditores II), já que o novo modelo estrutural do fisco de todo o Brasil, caminha nesta direção. Devemos priorizar o interesse público e, deixar de lado a vaidade, mesquinhez, arrogância e etc, pois, a sonegação fiscal atingiu níveis altíssimos no Brasil, segundo o Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário. A prática da sonegação é hoje um fato visto diariamente em ruas e noticiários”.

 

Ofício do Sindifisco enviado ao governador III

Conclui o ofício:  “O problema é nocivo para a sociedade, por diminuir a arrecadação dos tributos e conseqüentemente, os investimentos sociais, além ocasionar desequilíbrio e injustiça generalizada no mercado, considerando que o empresário que sonega tem custos menores e, em razão disso, torna-se mais competitivo que seu concorrente, incentivando que este adote a mesma prática, muitas vezes por questão de sobrevivência, gerando um círculo vicioso na economia.Diante desses argumentos, todos os associados ao SINDIFISCO acreditam plenamente na resolução do problema, a partir de ações firmes e coerentes por parte dos Poderes Executivo, Legislativo e Judiciário, por terem compromisso com o interesse público”.

                                                                       

Conexão com o leitor: Sintoma de Grandeza (?) I

E-mail de um leitor: “Depois das redes de supermercados, que prestigiam suas lojas de zona sul, deixando as das demais zonas ao relento, com produtos e variedades aquém daqueles oferecidos em lojas de shoppings e áreas nobres, agora é a vez das lojas de departamento. Refiro-me, especificamente, às Lojas Riachuelo. Antes, quando não havia sua filial no Shopping Jardins, funcionários e serviços espalhavam-se por todos os cantos na matriz, agora filial, do calçadão da Rua João Pessoa. Agora…, bom, agora, ela ficou “chique”.  Solicitar um reparo em alguma peça, só nos Jardins. Motivo? Só rindo: A costureira pediu demissão. Parece que estamos em um País de desemprego zero. Um(a) atendente para tirar uma dúvida, nem pense. Vá aos Jardins”.

 

Conexão com o leitor: Sintoma de Grandeza (?) II

Continua o leitor: “Dia das Mães, sempre foi uma data de apelo para as vendas. Na Riachuelo, não. Infelizmente, é o sintoma de se prestigiar os consumidores das classes A e B, deixando os das C, D e E amontoados com as sobras defeituosas e encalhadas nas gôndolas e prateleiras das zonas ricas. Quem quiser constatar, faça uma visita em qualquer horário do dia e observe os produtos e serviços oferecidos em lojas da zona sul e de suas respectivas filiais da zona norte, onde a presença do “povão” é majoritária. O que fazer? O óbvio. Dar o mesmo tratamento: O desprezo”.

 

Amo realiza Seresta Beneficente Flor de Maio

A Associação dos Amigos da Oncologia – AMO – realizará no dia 19 de maio de 2007, a VIIº Seresta Beneficente Flor de Maio, no Iate Clube de Aracaju. Este ano, o evento terá duas atrações: Orquestra e Banda Los Guaranis, que já é marca registrada da seresta e a novidade de 2007: DJ Dodô. As mesas estão à venda na sede da AMO, situada à rua Permínio de Souza, nº 85 – bairro: Cirurgia, ao preço de R$ 80 (oitenta reais). Toda a renda será revertida em prol da Construção do Complexo Assistencial em Oncologia da AMO. Atualmente, a Associação mantém uma casa de apoio onde são atendidos em média 30 pessoas por semana (entre pacientes e acompanhantes), que têm direito a refeições, lanches e hospedagem. No total, a AMO possui 321 pacientes cadastrados.Para mais informações sobre a seresta ou para conhecer a AMO, ligue: 2106-0900. 

 

 

 UNIPAZ apresenta: Alabê de Jerusalém

 A UNIPAZ Sergipe apresenta nesta terça-feira, dia 8 de maio, às 19h00 o emocionante e fantástico DVD/documentário Alabê de Jerusalém, ópera produzida pelo compositor Altay Veloso. O DVD conta à história de Ogundana, um africano nascido na Nigéria que conhece Judith, grande amor de sua vida, aos 25 anos de idade. Certo dia Judith o convida para acompanhá-lo numa viagem à Galiléia e lá conhecem Jesus Cristo e o acompanham até sua crucificação. Passadios 20 anos do sacrifício do Mestre, Judith morre e Ogundana vai para o deserto da Galiléia, onde vive até o fim de sua vida. Hoje Ogundana é uma entidade espiritual chamada Alabê de Jerusalém. A ópera tem bases no tripé das raízes afro-judaico-cristãs de nossa cultura. Participações Especiais de 42 artistas que representam diferentes personagens bíblicos contemporâneos de Jesus, dentre eles: Bibi Ferreira, Lojinha Lins, Jorge Vercilo, Selma Reis, Elba Ramalho, Lenine, Alcione, Fafá de Belém, Margareth Menezess, Lenny Andrade, Isabel Fillardis, Ivan Lins, Sandra de Sá, Peri Ribeiro, Wando, Markus Ribas, Cláudio Zoli, Orquestra Sinfônica  Municipal do Rio de Janeiro, dentre outros. Local: Espaço Roberto Crema, sede da UNIPAZ – Parque dos Cajueiros – Avenida Paulo Barreto de Menezes, 615 – ao lado da Boate Colosseo. Entrada Franca.

             

Frase do Dia

“Não é possível refazer este país, democratizá-lo, humanizá-lo, torná-lo sério, com adolescentes

brincando de matar gente, ofendendo a vida, destruindo o sonho, inviabilizando o amor. Se a educação sozinha não transformar a sociedade, sem ela tampouco a sociedade muda.” Paulo Freire.

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários