Velho Chico na UTI

0

O ‘Velho Chico’ não é mais aquele caudaloso rio que empurrava furiosamente o Oceano Atlântico, espalhando suas águas barrentas por quilômetros mar adentro. Represado para garantir a produção de energia elétrica e seriamente assoreado, em alguns trechos o São Francisco já não assusta ninguém. O quadro é tão grave que na divisa de Sergipe e Alagoas é possível atravessá-lo montado num cavalo. Esta situação pode se agravar ainda mais, pois a Chesf deve reduzir a vazão, dos atuais mil e trezentos metros cúbicos por segundo, para apenas mil e cem metros cúbicos por segundo. Lamentavelmente, se continuarem tratando desta forma o moribundo Rio da Integração Nacional, quando o governo concluir as obras de transposição, não haverá água suficiente em seu leito para abastecer os enormes e longos canais. Lastimável!

Boato

Assessores próximos ao governador de Sergipe, Marcelo Déda (PT), negam que ele pensa em renunciar ao cargo tão logo a Assembleia autorize o estado a contrair vultoso empréstimo junto à União. Garantem que tudo não passa de boatos e que o desejo do petista é só se afastar em abril de 2014 para disputar uma vaga no Senado. Déda trata de um câncer no estômago que, segundo os médicos, tem reduzido com a quimioterapia.

Banco cobre

Cabe ao banco assumir o prejuízo por cheques adulterados, mesmo quando a fraude é tecnicamente sofisticada. Em decisão tomada ontem, a Quarta Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) entendeu que as fraudes bancárias que geram dano aos correntistas constituem risco da própria atividade empresarial. Tá certo!

Caravana

O PT vai organizar caravanas para percorrer Sergipe visando mobilizar os militantes para o Processo de Eleição Direta que o partido realizará em novembro deste ano. Foi o que informou o presidente do PT sergipano, deputado federal Rogério Carvalho, durante reunião com 36 presidentes municipais da legenda. Segundo ele, as caravanas também vão estimular o debate sobre as eleições de 2014.

Aperte o cinto

Aracaju teve no mês passado a cesta básica menos cara do país: R$ 245,94. Ante fevereiro, os itens que compõem a cesta registraram um aumento de 3,16%, enquanto no primeiro trimestre deste ano a alta foi de 20,52%. Segundo o Dieese, os produtos que aumentaram mais na capital sergipana foram farinha de mandioca (19,11%), feijão (13,35%), tomate (12,78%), leite in natura integral (7,69%) e café em pó (4,96%).

Palestra

A secretária estadual de Desenvolvimento Urbano, Lúcia Falcón, vai à Assembleia quinta-feira próxima. Convidada pela deputada estadual Ana Lúcia (PT), ela fará palestra sobre a Conferência das Cidades e a política habitacional em Sergipe.

Foco na Bahia

O governo de Sergipe está de olho nos baianos. Neste e no próximo mês, a Secretaria de Turismo vai investir forte no vizinho estado para atrair a galera da boa terra. “A Bahia é o nosso principal emissor de turistas e os baianos que nos visitam são os que mais geram divisas por aqui”, explica o secretário Elber Batalha.

Conversa mole

Médicos da Prefeitura de Aracaju cruzaram os braços ontem para cobrar melhorias salariais. Recebidos pelo prefeito João Alves Filho (DEM), ouviram um discurso bonito, mas saíram da reunião apenas com a promessa de que dias melhores virão. Na próxima semana, a categoria volta a se reunir com o demista e promete endurecer a luta se perceber que está sendo ‘alimentada’ por conversa mole.

Escassez

“Não ocorrem mais crimes em Sergipe por exclusiva falta de bandidos para praticá-los”. A dura constatação é do deputado estadual Capitão Samuel (PSL). Segundo ele, o interior sergipano está totalmente inseguro, a ponto de alguns municípios contarem apenas com um delegado, dois militares e um agente civil. Para o parlamentar, mais grave do que o reduzido contingente policial é a falta de planejamento na Segurança Pública. Misericórdia!

Do baú político

Professor da Universidade Federal de Sergipe, o economista Rafael de Oliveira usou parte de seu mandato de vereador por Aracaju (1983-1988) em defesa do meio-ambiente, tema muito pouco discutido naquela época. Uma de suas campanhas de conscientização ainda hoje é respeitada pela grande maioria dos aracajuanos, principalmente donos de bares. O slogan “não coma as fêmeas”, cunhado pelo vereador, provocou muita discussão e, naturalmente, brincadeiras de toda a sorte, porém teve uma grande importância para a preservação do caranguejo, que já era tido como ameaçado de extinção em Sergipe. Com este polêmico apelo, Rafael de Oliveira conseguiu disseminar entre a população que, para preservar o crustáceo, era importante não se caçar e muito menos comer os do sexo feminino, principais responsáveis pela reprodução da espécie. Desde então, ninguém em Aracaju come as fêmeas. Do caranguejo, é claro!

Resumo dos jornais

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais