Velho remédio

0

O enxugamento dos cargos em comissão mostra que o governo de Sergipe recorreu à velha prática de diminuir as despesas de custeio da máquina administrativa. Não se nega que a redução dos gastos com pessoal é importante, porém apenas ela não estanca a crise econômica do Executivo. Aliás, se tivesse uma política consistente de arrecadação e combate à sonegação tributária, modernizasse a administração pública e não assumisse despesas alheias, como o pagamento da folha de inativos dos outros poderes, o governo arrecadaria bem mais e gastaria bem menos. Portanto, a recente exoneração de comissionados é um velho e bom remédio, mas já está provado que somente esta providência não solucionará o grave problema de caixa vivido pelo Estado.

Política na folia

Após papar hóstia e acompanhar procissões religiosas no final do ano, a classe política prepara a fantasia para se esbaldar no Fest Verão Sergipe. De amanhã até domingo, pré-candidatos a cargos eletivos e cabos eleitorais vão aquecer os esqueletos nos concorridos camarotes. Aproveitarão a fuzarca pré-carnavalesca para sentir o humor do eleitorado e, principalmente, como estão no quesito popularidade.

Pito no PT

O governador Jackson Barreto (MDB) não gostou de saber da ameaça de rompimento feita pelo PT. Segundo o petista Rogério Carvalho, se JB se aliar politicamente ao deputado federal André Moura (PSC), o partido pula fora do governo. Em resposta, Jackson foi curto e grosso: “Acho que Rogério está falando demais”. Aff Maria!

Fundo do poço

Segundo o deputado federal André Moura (PSC), Sergipe caminha para um buraco sem fim: “A falta de planejamento, de ajustes e de políticas de atração de investimentos, sem a necessidade de recorrer a empréstimos, é uma das causadoras desse quadro alarmante”. Num discurso de pré-candidato ao governo, Moura adverte que “a situação pode piorar ainda mais nos próximos 11 meses, prazo de validade da atual gestão, responsável por quebrar Sergipe”. Misericórdia!

Quem me quer?

O sonho de consumo do PRB de Heleno Silva é disputar uma cadeira no Senado juntamente com o governador Jackson Barreto (PMDB). O desejo é tanto que o partido ameaça deixar a base governista se for excluído da chapa majoritária. O diabo é que a oposição não tem demonstrado interesse nos “passes” de Heleno e do deputado federal Jony Marcos. Quem tudo quer, tudo perde!

Fora do baralho

A Cavo está fora da coleta de lixo urbano de Aracaju. A licitação dos serviços de limpeza da capital foi vencida pelas empresas Torre e BTS. Pelos próximos de cinco anos, as duas vão embolsar R$ 80 milhões anuais para recolher e transportar o lixo da capital. A Cavo ainda não disse se recorrerá ou não do resultado da concorrência.

Sebo nas canelas

A 35ª Corrida Cidade de Aracaju, marcada para o dia 17 de março, distribuirá R$ 100 mil em prêmios com os vencedores. Lançado ontem pelo prefeito Edvaldo Nogueira (PCdoB), o evento faz parte da programação do aniversário da capital sergipana. A previsão dos organizadores é que mais de três mil atletas participem da corrida de 24 quilômetros, entre São Cristóvão e Aracaju. Vai encarar?

Banca rota

E a deputada estadual Maria Mendonça (PP), garante que o governador Jackson Barreto (MDB) vai entregar um rombo milionário ao seu sucessor.
Ela lamenta o alto preço pago pelos servidores, que nunca sabem quando vão receber os salários. Segundo a parlamentar, o descompasso fiscal do governo também afetou severamente os serviços básicos de segurança, saúde e educação. Cruz credo!

Contra o bullying

Resolução do Ministério da Educação autoriza o uso do nome social de travestis e transexuais nos registros escolares da educação básica. A norma busca propagar o respeito e minimizar estatísticas de violência e abandono da escola em função de bullying, assédio, constrangimento e preconceitos. O nome social é aquele pelo qual as travestis, mulheres e homens trans optam por ser chamados, de acordo com sua identidade de gênero. Legal!

Dia de posse

Acontece nesta quinta-feira a posse da nova diretoria do Instituto Histórico e Geográfico de Sergipe. A professora Aglaé D’Ávila Fontes substituirá Samuel Barros Albuquerque na presidência da entidade, tendo como vice Tereza Cristina Cerqueira. A solenidade está marcada para às 16h, na sede do instituto, centro de Aracaju. Prestigie!

Recorte de jornal

Publicado no Jornal do Aracaju, em 14 de janeiro de 1872

Resumo dos jornais

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários