Vexame na locadora

0

Cartas do Apolônio

Vexame na locadora

O cinéfilo Apolônio vive momentos constrangedores envolvido na sétima arte.

Lisboa, 11 de agosto de 2006

Caros amigos de Sergipe:

Essa semana resolvi promover uma sessão de cinema em minha humilde mansarda. Para tanto,
loquei os clássicos “Casablanca”, com Hamprey Bogart e “Cinderela Baiana” com Carla Perez. Evidentemente, não resisti à tentação de levar também um “devedêzinho” de sexo explícito, a título de bônus track. 

Mas, ao sair da sessão adulto, tive uma constrangedora surpresa:

-“Olá Apolônio. Falou dona Clotilde, minha vizinha septuagenária e organizadora da trezena de Santo Antônio do bairro.

-“Olá Dona Clotilde”. Respondi com aquele sorriso amarelo de quem foi pego com a boca na
botija.

Tratei logo de esconder o tal filme pornô erótico embaixo dos chamados filmes de arte, mas a solução durou pouco tempo. Ao chegar no balcão, o rapaz pegou as capas e, perguntado sobre um problema de um outro cliente, teve que parar para dar uma explicação. Para meu desespero, ele, com seus gestos largos, acabava revelando as fotos picantes do verso do meu filme de sacanagem. E olhe que ela não era pouca. Senhoras se entreolhavam, um menininho não d
esgrudava os olhos da capa. Em poucos segundos, o balcão ficou em polvorosa. A essa altura, eu escondia o rosto atrás de um jornal velho, rezando a Santa Edwirges para acabar logo com aquele tormento.

Enfim, depois da lenta agonia fui para casa me refastelar com o maravilhoso mundo do cinema. Ah, o cinema! Que bela oportunidade para que amantes de todo o planeta de bolinem no escurinho, não?  Assisti os clássicos com Zenóbia e o outro -digamos- mais animadinho,  com  Sulamita, minha secretária bilíngüe e boazuda. Tudo correu às mil maravilhas.

Na manhã da segunda feira, mandei entregar os filmes. Dois dias depois, recebo um telefonema do balconista:

-Por favor, o sr. poderia vir aqui? É que surgiu um probleminha…

Fiquei imaginando o que poderia ser. Em poucas horas lá estava eu de volta ao balcão da
loja.

-Pois não, amigo. O que houve?

_É que um outro cliente locou aquele DVD que o sr. entregou na segunda e ficou danado da
vida.

-E por que ?Acaso, não gostou das posições?

-Não, é que ele deu uma festinha com umas amigas. Quando colocaram o filme e apagaram as
luzes, apareceu o senhor na tela…praticando sexo. E sozinho, senhor Apolônio!

Constrangido, neguei peremptoriamente aquela afirmação e prometi apurar o assunto em casa instalando a CPI do Sexo Solitário.

Depois de alguns depoimentos contraditórios da minha patroa sexagenária, a explicação:
Zenóbia transcreveu para DVD um velho teste de vídeo que fiz para a produtora “Sarapitolas & Prazeres” e falsificou o rótulo, no intuito de se vingar pela minha excelente performance com a Sulamita. É no que dá casar-se com uma alfacinha passional. Contratei um ex-presidiário para lhe aplicar 300 chibatadas, mas aceito sugestões.   
                               
Até semana que vem.

Um abraço do

Apolônio Lisboa

 

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais