Via Sacra eleitoral

0

A vasta programação religiosa para marcar a Semana Santa terá neste ano um público maior do que em 2011. É que os pré-candidatos a prefeito e vereador vão aproveitar o evento para se aproximar dos fiéis em penitência, tentar ouvir suas queixas e anunciar baixinho que gostariam de contar com seus votos. Será o primeiro teste para sentir a popularidade, pois a partir de junho colocarão os pés na estrada numa verdadeira via sacra eleitoral, que permite apunhalar pelas costas, caluniar, xingar a mãe do adversário e iludir o eleitor. O que nenhum candidato a cargo eletivo deseja se sentir é crucificado quando as urnas forem abertas.

Caiu fora

João Francisco Albuquerque (PR), o “Chico do Povo”, renunciou à Prefeitura de Gararu. A decisão foi tomada depois que o Superior Tribunal de Justiça deu sentença conclusiva condenando-o por improbidade administrativa. A vice Iraci Alves de Santana o substituirá, mas pode ficar no cargo por pouco tempo. Ela responde processo por infidelidade partidária por ter trocado o DEM pelo PSC. Quem está torcendo pela condenação de Iraci é o presidente da Câmara, vereador José de Oliveira (PR), o “Buraquinho”.

Adversários

Caso resolva mesmo disputar uma cadeira na Câmara de Aracaju, Antônio Samarone (PC do B) terá adversários raivosos contra ele. São os comerciantes do centro da capital que estão tiriricas porque o comunista proibiu estacionamento de veículos em várias ruas centrais, derrubando o movimento do comércio. Já tem gente prometendo distribuir panfletos acusando Samarone de inimigo número um dos varejistas e comerciários.

Pesquisa CDL

O presidente da CDL de Aracaju, Samuel Schuster, vai divulgar na próxima segunda-feira o resultado da pesquisa que está sendo feita junto aos varejistas. Eles estão sendo ouvidos sobre os prejuízos causados pela proibição de estacionar veículos em várias ruas do centro da capital. A consulta está sendo feita pelo Instituto da Federação do Comércio. Os comerciantes alegam que o movimento de clientes caiu muito depois da proibição imposta pela SMTT.

Mais cara

O garrafão de água mineral consumida pelos sergipanos terá seu preço reajustado entre R$ 0,20 e R$ 0,50 a depender da empresa envasadora. O motivo é a exigência do selo fiscal nos vasilhames. Segundo o presidente da Associação Sergipana das Indústrias de Água Mineral, Rodrigo Lima, os custos de produção já haviam subido com os reajustes do salário mínimo, diesel, imposto federal. Agora, com a exigência do selo fiscal, não há mais como as indústrias segurarem o preço da água.

Xingu nas telas

Estreia amanhã em todo o Brasil o filme Xingu, que conta a saga dos Irmãos Villas-Bôas, criadores do Parque Nacional do Xingu. O filme faz parte da cesta de iniciativas apoiadas pela Natura para resgatar uma parte da história brasileira. “Para nós, faz todo sentido patrocinarmos o filme com a submarca Natura Ekos, pois a linha busca preservar e difundir o patrimônio ambiental e cultural do país”, diz Karen Cavalcanti, gerente de marketing institucional da Natura.

Inovar e Investir

A Federação das Indústrias do Estado de Sergipe realizará no próximo dia 20 uma reunião itinerante da Mobilização Empresarial pela Inovação. O objetivo é mobilizar e sensibilizar os líderes empresariais para o engajamento efetivo com a agenda de inovação do Estado. Durante a abertura do evento, o vice-presidente do BNDES, João Carlos Ferraz, fará palestra sobre “inovar e investir para competir”.

Urubu baleado

E o nosso Flamengo, hein? Perdeu mais uma. Pior é que deixou o time equatoriano Emelec – parece nome de remédio –, fazer dois gols e virar o jogo nos oito minutos finais. Aliás, no segundo tempo, o Mengo parecia mais um urubu baleado. Que horror!

Ovos falsos

Todo ovo de Páscoa é falsificado, haja visto que coelho não é ovíparo. Aliás, se fosse estaria caindo pelas tabelas de tanto botar ovos enormes para saciar a sede de consumo da população. Ainda bem que o coitadinho nasceu mamífero.

Para pensar

“Eu lembrei-me de vós, funâmbulos da Cruz,/ Que andais pelo universo há mil e tantos anos,/ Exibindo, explorando o corpo de Jesus”. Estrofe final da poesia ‘Parasitas’, do português Abílio Guerra Junqueiro (1850-1923), o poeta mais popular da sua época e o mais típico representante da chamada "Escola Nova".

Do baú político

Em Sergipe, a relação entre igrejas católicas, evangélicas, terreiros de candomblé e centros espíritas sempre foi conflituosa, obrigando, muitas vezes, o governo a intervir para serenar os ânimos. Em seu livro “História Política de Sergipe”, o professor Ariosvaldo Figueiredo conta que, entre 1927 e1930, o presidente do estado, Manoel Dantas, fez das tripas coração para não criar problemas com os religiosos. Um exemplo desse clima acirrado ocorreu em 1920. Segundo Ariosvaldo, quando o evangélico Samuel de Oliveira se mudou de Laranjeiras, os católicos fizeram na praça uma enorme fogueira com bíblias protestantes. Ante ao clarão sacrílego, o político e pensador Fausto Cardoso ironiza, brinca com Samuel: “Os padres são teus amigos, quiseram iluminar-te a partida”, relata Figueiredo.

Resumo dos jornais

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais