Vidas secas

0

Entra ano e sai ano sem que o poder público adote medidas consistentes para reduzir os prejuízos causados pela falta de chuvas no sertão sergipano. Em vez disso, espera-se a chegada da seca para adotar paliativos como a contratação de carros pipas e a distribuição de cestas básicas aos flagelados. Agora mesmo o governo está agindo no semi-árido, sempre com as tradicionais e dispendiosas providências que, embora diminuam o sofrimento do sertanejo, custam caro e não são duradouras. Seria tão bom que, em vez de continuar queimando dinheiro, se adotasse medidas concretas. Só assim o causticante sertão narrado por Graciliano Ramos em seu livro Vidas Secas viraria o oásis que é hoje Petrolina, em Pernambuco.

 

Plim-plim

 

O jornalista carioca Roberto Gonçalves assume hoje o comando do Departamento de Jornalismo da TV Sergipe. Substitui a colega gaúcha Lígia Trocot, que deixou a afiliada da Rede Globo no Estado em novembro passado. Durante os mais de oito anos em que dirigiu o jornalismo daquela emissora, Lígia atuou com competência, privilegiando a informação, além de sempre tratar cordialmente os colegas de trabalho. A coluna deseja a Roberto Gonçalves sucesso em sua nova empreitada.

 

Rega bofe

 

Será no próximo sábado o tradicional almoço que o senador Antônio Carlos Valadares (PSB) oferece aos jornalistas sergipanos. Ele postou mensagem no twiter informando que a confraternização terá “só música, muito papo e informalidade”, ou seja, os convidados não terão que aturar enfadonhos discursos de prestação de contas. Os comes e bebes vão acontecer, a partir do meio dia, na casa de praia do senador, na Atalaia Nova, do outro lado do rio Sergipe.

 

Calote ecológico

 

Cinco anos após a criação do Parque Nacional da Serra de Itabaiana, o governo federal não pagou, nem disse quando pagará, às famílias que tiveram suas terras desapropriadas em favor da área de conservação.  Ocupando uma extensão de 7.966 hectares nas serras de Itabaiana, Comprida e Cajueiros, o Parque foi criado através de Medida Provisória que, segundo as vítimas do calote ecológico, já teria perdido a validade, sem que o governo federal tivesse reeditado uma outra MP.

 

Seleção pública

 

Estão abertas até o próximo dia 21 de janeiro as inscrições para a seleção pública de Festivais de Música, Festivais de Cinema e Difusão de Filmes do Programa Petrobras Cultural (PPC). Será destinado um total de R$ 9 milhões para este edital. As inscrições devem ser feitas apenas pela internet, pelo site www.hotsitespetrobras.com.br/ppc. O edital de difusão de filmes de longa-metragem terá verba de R$ 3 milhões. Cada projeto inscrito poderá solicitar patrocínio no valor máximo de R$ 400 mil.

 

Sem festa

 

Vocês viram a frieza como a presidenta Dilma Rousseff (PT) tratou o senador Almeida Lima (PMDB)? Durante os cumprimentos no Palácio do Planalto, ele se aproximou da petista todo sorridente, mas ela apertou sua mão, agradeceu os parabéns e o mandou passar para que a fila andasse. Dilma foi mais calorosa com os senadores Antônio Carlos Valadares (PSB) e Eduardo Amorim (PSC). Com o governador Marcelo Déda (PT) a presidenta fez uma festa.

 

O discreto Zé

 

Durante a posse de Dilma Rousseff, quem não foi focalizado hora alguma pela televisão foi o presidente nacional do PT, Zé Eduardo Dutra. Se o petista não tivesse postado algumas mensagens no twitter, era de se pensar que ele teria faltado à festa. No meio da tarde, Dutra postou que se encontrava no plenário da Câmara dos Deputados para assistir a posse de Dilma. Numa outra mensagem, informou que estava indo tomar um shopp porque no coquetel do Itamarati só tinha vinho, prosecco e uísque.

 

Mais caros

 

Quem deixou para trocar o carro por um novo agora em 2011 pode se surpreender com os preços. É que as revendedoras devem suspender as promoções do final de ano, como emplacamento, tanque cheio e tapetes, além de elevação do próprio valor. Diante da grande procura nos últimos meses, muitas revendedoras deixaram de vender carros novos obrigando o consumidor a esperar pelos novos estoques de 2012.

 

Do baú político

 

A vida de governador não é tão fácil como pensam alguns. Muitas vezes, tem que resolver até delicadas questões amorosas. Na década de 50, o governador Leandro Maciel (UDN) precisou interromper uma audiência para socorrer o amigo Roberto Tunes, ameaçado de morte por ter conquistado o coração de uma donzela que conheceu em Salvador. Ao saber que o conquistador era casado, o pai da mocinha mandou um capitão da Polícia baiana lavar com sangue a honra da herdeira deflorada. Numa bela tarde, ao chegar no Restaurante Cacique Chá, ali nos fundos do Palácio Olímpio Campos, Tunes se encontrou com o militar que, para sua sorte, o conhecia:  – O que faz em Aracaju capitão? “Estou aqui para lhe matar, mas como não sou assassino, me diga o que faço para sair dessa enrascada”. Amigo de Leandro Maciel, o ‘Dom Juan’ pediu um tempo ao seu ‘algoz’ e correu para o Palácio. Após ouvir a história, o governador solicitou ajuda ao secretário da Segurança, Eribaldo Vieira, e ao chefe da Polícia, coronel Miguelzinho. Os dois foram ao Cacique, convidaram o capitão para dormir no Quartel da PM e, no dia seguinte, o embarcaram no primeiro avião para Salvador. O prestígio de Roberto Tunes impressionou o pai da donzela, que temendo complicações com a morte do conquistador resolveu esquecer a vingança.

 

Resumo dos jornais

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários