Violência crescente?!

0

São muitas as “soluções” apresentadas por políticos e “filósofos” de plantão para combater a crescente onda de violência no país. Aumento das penas (seja para maiores ou menores infratores), redução da idade penal para 16 anos, autonomia aos estados para legislar sobre matéria criminal e tem até quem defenda a pena de morte. A discussão volta à cena na mídia sempre que acontece um crime bárbaro. No entanto, a mídia brasileira, os políticos (em maioria) e os “filósofos” plantonistas, fingem ignorar as questões de fundo que leva a sociedade ao desespero, ao medo, a desesperança, em resumo, à total falta de perspectiva.

 

Onde estão os valores éticos e culturais de nossa sociedade? A quantas andam a aplicação dos retalhos de leis brasileiras? Como anda nossa polícia? Em que patamar referencial se pode elevar o nosso Poder Judiciário? Leis e Justiça que são aplicadas no rigor da interpretação do que está escrito contra uma mãe de família que desesperada, sem emprego e sem recursos financeiros, “rouba” uma lata de manteiga para alimentar o filho, mas que sequer condena os responsáveis por crimes do colarinho branco. A impunidade, para as camadas sociais abastadas, ricas e detentoras de poder político, econômico e/ou judicial, contrasta com a total ausência do estado nos grotões.

 

Quando o estado se faz presente nestes grotões é para punir seus habitantes! Punições muitas vezes injustas, infundadas e de fundo discriminatório. Pessoas que não têm acesso à escola, à saúde, ao trabalho e nem à justiça. O que fazer com esses milhares de excluídos de tudo? Excluí-los ainda mais! Será essa a opção? Por que nossos senadores e deputados não usam o poder que dispõem para pressionar os governos (federal, estaduais e municiais) para que invistam imediatamente recursos financeiros prioritariamente na inclusão dessas camadas sociais marginalizadas? As possibilidades de investimentos são muitas. Mas, não, estes senhores e senhoras, (a máxima vale também para o judiciário), têm demonstrado mais preocupação com seus próprios umbigos. É só ver como se apegam às causas em defesa de seus próprios salários…

 

Não será esse excesso de “ganância” de alguns poucos, um dos principais motivos da crescente violência no Brasil?!  Alguns com muitas oportunidades enquanto milhares vivem sem nenhuma, a não ser o direito a “punições mais duras da lei”!

 

Teto salarial

 

O Supremo Tribunal Federal (STF) acaba de equiparar o teto salarial de juizes e desembargadores federais aos dos ministros das altas cortes da justiça. Que bom, afinal, todos precisam de boa remuneração. Mas só um detalhe: a quantas andam a celeridade no andamento dos processos? Quantos autores de crimes do colarinho branco estão condenados e presos no Brasil?

 

Cutucando

 

O ex-governador João Alves (PFL) tem se reunido diariamente com ex-auxiliares, em sua residência. Objetivo: manter o governo Déda sob pressão e garantir seu nome na mídia.

 

Excesso de zelo

 

Policiais da CPRV estão com excesso de zelo jamais visto na aplicação da legislação do trânsito. Estão preocupados até se a lanterna da ré do veículo está acendendo… Parece sul real mais é verdade, isso aconteceu no posto policial do Abais durante o carnaval.

 

Caça às bruxas

 

O Detran inicia hoje blitz de fiscalização sobre o uso do engate e de trincas nos para brisas dos veículos. Fazem parte daquelas resoluções do Conselho Nacional de Trânsito (Contran) para punir ainda mais os contribuintes brasileiros. Essas resoluções do Contran mudam de acordo com o humor de seus integrantes.  Basta ver quantas resoluções já foram feitas e desfeitas depois da aprovação do Código Nacional de Trânsito.

 

josearaujo@infonet.com.br 

 

 

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais